A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
105 pág.
TUDO JUNTO

Pré-visualização | Página 13 de 24

de tamanho proporcional ao de ervilhas, produzem o paratormônio, responsável pela 
regulação de cálcio e fósforo no sangue e aumento da absorção de vitamina D. 
• Localização: A maioria das pessoas tem 4 glândulas paratireoides, 2 superiores e 2 inferiores. 
▪ As glândulas paratireoides superiores, com posição mais constante do que as inferiores, geralmente estão situadas no nível da 
margem inferior da cartilagem cricóidea. 
▪ A posição habitual das glândulas paratireoides inferiores é perto dos polos inferiores da glândula tireoide, mas elas podem ocupar 
várias posições 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 A IRRIGAÇÃO 
 A DRENAGEM 
• São drenadas pelas veias paratireóideas, que drenam para o plexo venoso tireóideo. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
▪ 
▪ ntêm os tecidos são então levados a um micrótomo (Figura 1.1), onde são seccionados por uma lâmina de aço ou de vidro, de modo 
a fornecer cortes de 1 a 10 micrômetros de espessura. Lembre-se de que: um micrômetro (1 µm) = 0,001 mm= l0-6 m; um 
nanômetro (1nm) =0,001 µm = l0-6 mm = l0-9 m. Após serem seccionados, os cortes são colocados para flutuar sobre uma 
superfície de água aquecida e, depois, sobre lâminas de vidro, onde aderem e serão, em seguida, corados. 
▪ • 
 
8) 
 
 
 
• As paratireoides são irrigadas principalmente por ramos da artéria tireóidea inferior, mas também podem ser supridas por ramos 
da artéria tireóidea superior. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
▪ 
▪ ntêm os tecidos são então levados a um micrótomo (Figura 1.1), onde são seccionados por uma lâmina de aço ou de vidro, de modo 
a fornecer cortes de 1 a 10 micrômetros de espessura. Lembre-se de que: um micrômetro (1 µm) = 0,001 mm= l0-6 m; um 
nanômetro (1nm) =0,001 µm = l0-6 mm = l0-9 m. Após serem seccionados, os cortes são colocados para flutuar sobre uma 
superfície de água aquecida e, depois, sobre lâminas de vidro, onde aderem e serão, em seguida, corados. 
▪ • 
 
5) 
 
 
 
 A INERVAÇÃO 
• A inervação das glândulas paratireoides é abundante, derivada de ramos tireóideos dos gânglios (simpáticos) cervicais. Assim 
como os nervos para a glândula tireoide, são vasomotores e não secretomotores. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
▪ 
▪ ntêm os tecidos são então levados a um micrótomo (Figura 1.1), onde são seccionados por uma lâmina de aço ou de vidro, de modo 
a fornecer cortes de 1 a 10 micrômetros de espessura. Lembre-se de que: um micrômetro (1 µm) = 0,001 mm= l0-6 m; um 
nanômetro (1nm) =0,001 µm = l0-6 mm = l0-9 m. Após serem seccionados, os cortes são colocados para flutuar sobre uma 
superfície de água aquecida e, depois, sobre lâminas de vidro, onde aderem e serão, em seguida, corados. 
▪ • 
 
9) 
 
 Ddd NA VIDA REAL... 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
‘ 
PESCOÇO 
 
 Ddd COMPOSIÇÃO 
• As estruturas no pescoço são circundadas por uma camada de tela subcutânea (hipoderme, nela insere-se o músculo platisma) 
e são divididas em compartimentos por camadas de fáscia cervical. 
• A fáscia cervical é formada por três lâminas (bainhas) fasciais: superficial, pré-traqueal e pré-vertebral. Essas lâminas 
sustentam as vísceras cervicais, os músculos, os vasos e os linfonodos profundos. 
▪ A lâmina superficial da fáscia cervical circunda todo o pescoço profundamente à pele e à tela subcutânea e envolve (revestir) 
os músculos trapézio e esternocleidomastóideo (ECM). 
▪ A fina lâmina pré-traqueal da fáscia cervical é limitada à parte anterior do pescoço. Ela inclui uma parte muscular fina, que 
reveste os músculos infra-hióideos, e uma parte visceral, que reveste a glândula tireoide, a traqueia e o esôfago. 
▪ A lâmina pré-vertebral da fáscia cervical forma uma bainha tubular para a coluna vertebral e os músculos associados a ela, 
como o longo do pescoço e o longo da cabeça anteriormente, os escalenos lateralmente, e os músculos profundos do 
pescoço posteriormente. 
▪ OBS1: Os limites superior e inferior e as continuidades dessas lâminas fasciais, compartimentos e espaços interfasciais 
estabelecem vias para a disseminação de infecção, líquido, gás ou tumores. 
▪ OBS2: A fáscia cervical também se condensa ao redor das artérias carótidas comuns, das veias jugulares internas (VJI) e 
dos nervos vagos para formar a bainha carotídea. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
‘ 
 Ddd DESCRIÇÃO 
NARIZ 
 
• Função: As funções do nariz são olfato, respiração, filtração de poeira, umidificação do ar inspirado, além de recepção e eliminação 
de secreções dos seios paranasais e ductos lacrimonasais. 
• Localização: É a parte do sistema respiratório situada acima do palato duro, contendo o órgão periférico do olfato. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
• O nariz subdivide-se em parte externa do nariz e a cavidade nasal, que é dividida em cavidades direita e esquerda pelo septo 
nasal. 
▪ Parte externa do nariz: É a parte visível que se projeta da face. 
✓ O dorso do nariz estende-se da raiz até o ápice (ponta) do nariz. A face inferior do nariz é perfurada por duas aberturas, 
as narinas, que são limitadas lateralmente pelas asas do nariz. 
✓ O nariz possui um esqueleto, formado principalmente por tecido cartilaginoso. A pele sobre a parte cartilagínea do nariz é 
coberta por pele mais espessa, que contém muitas glândulas sebáceas. A pele estende-se até o vestíbulo do nariz, onde 
tem um número variável de pelos rígidos (vibrissas). 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 Ddd COMPOSIÇÃO 
▪ Cavidade nasal: O termo cavidade nasal refere-se a toda a cavidade ou à metade direita ou esquerda, dependendo do contexto. 
✓ A entrada da cavidade nasal é anterior, através das narinas. Abre-se posteriormente na parte nasal da faringe através 
dos cóanos. 
✓ As conchas nasais (superior, média e inferior) são estruturas muito convolutas, semelhantes a rolos, que oferecem uma 
grande área de superfície para troca de calor. Elas são curvas e pendem da parede lateral como persianas. São recobertas 
por túnicas mucosas, caso haja infecção ou irritação dessa túnica, pode haver rápido surgimento de edema, com obstrução 
de uma ou mais vias nasais daquele lado. 
❖ As conchas nasais média e superior são processos mediais do etmoide. 
❖ A concha nasal inferior é a mais longa e mais larga das conchas, sendo formada por um com mesmo nome. 
✓ Existem passagens na cavidade nasal, que podem ser um recesso ou meato nasal sob cada formação óssea. 
❖ O recesso esfenoetmoidal, situado superoposteriormente à concha nasal superior, recebe a abertura do seio 
esfenoidal, uma cavidade cheia de ar no corpo do esfenoide. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 Ddd IRRIGAÇÃO 
 Ddd DRENAGEM 
• O nariz é irrigado por ramos da artéria oftálmica, maxilar e facial. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
❖ O meato nasal superior é uma passagem estreita entre as conchas nasais superior e média, no qual se abrem os seios 
etmoidais posteriores por meio de um ou mais orifícios. 
❖ O