A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
105 pág.
TUDO JUNTO

Pré-visualização | Página 15 de 24

para formar uma incisura tireóidea 
superior em forma de V. 
✓ A margem posterior de cada lâmina projeta-se em sentido superior, como o corno superior, e inferior, como o corno 
inferior. 
❖ A margem superior e os cornos superiores fixam-se ao hioide pela membrana tíreo-hióidea. 
❖ Os cornos inferiores articulam-se com as faces laterais da cartilagem cricóidea nas articulações cricotireóideas 
que permitem rotação e deslizamento da cartilagem tireóidea, que modificam o comprimento das pregas vocais. 
▪ Cartilagem cricóidea: 
✓ A cartilagem cricóidea tem o formato de um anel de sinete com o aro voltado anteriormente. Embora seja muito menor do 
que a cartilagem tireóidea, a cartilagem cricóidea é mais espessa e mais forte, e é o único anel de cartilagem completo a 
circundar qualquer parte da via respiratória. 
✓ A parte posterior (sinete) da cartilagem cricóidea é a lâmina, e a parte anterior (anel) é o arco. 
✓ Fixa-se à margem inferior da cartilagem tireóidea pelo ligamento cricotireóideo mediano e ao primeiro anel traqueal pelo 
ligamento cricotraqueal. 
▪ Cartilagens aritenóideas: 
▪ As cartilagens aritenóideas são cartilagens piramidais pares, com três lados, que se articulam com as partes laterais da 
margem superior da lâmina da cartilagem cricóidea. Cada cartilagem tem um ápice superior, um processo vocal anterior e 
um grande processo muscular. 
▪ O ápice tem a cartilagem corniculada e se fixa à prega ariepiglótica. O processo vocal permite a fixação posterior do ligamento 
vocal, e o processo muscular atua como alavanca à qual estão fixados os músculos cricoaritenóideos posterior e lateral. 
▪ As articulações cricoaritenóideas, localizadas entre as bases das cartilagens aritenóideas, permitem que essas cartilagens 
se movimentem, importantes na aproximação, tensionamento e relaxamento das pregas vocais. 
 
 
 Ddd COMPOSIÇÃO 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
▪ Cartilagem epiglótica: 
✓ A cartilagem epiglótica, formada por cartilagem elástica, confere flexibilidade à epiglote, uma cartilagem em forma de 
coração coberta por túnica mucosa. Ela está situada anteriormente ao ádito da laringe e apresenta sua extremidade 
superior larga é livre. A extremidade inferior afilada, o pecíolo epiglótico, está fixada pelo ligamento tireoepiglótico. O 
ligamento hioepiglótico fixa a face anterior da cartilagem epiglótica ao hioide. 
✓ A membrana quadrangular é uma lâmina submucosa fina de tecido conjuntivo que se estende entre as faces laterais das 
cartilagens aritenóidea e epiglótica. 
❖ A margem inferior livre constitui o ligamento vestibular, que é coberto frouxamente por mucosa para formar a prega 
vestibular. 
❖ A margem superior livre da membrana quadrangular forma o ligamento ariepiglótico, que é coberto por túnica mucosa 
para formar a prega ariepiglótica. 
▪ Cartilagens corniculada e cuneiforme: 
✓ As cartilagens corniculada e cuneiforme apresentam-se como pequenos nódulos na parte posterior das pregas 
ariepiglóticas. 
✓ As cartilagens corniculadas fixam-se aos ápices das cartilagens aritenóideas; as cartilagens cuneiformes não se fixam 
diretamente em outras cartilagens. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
• Interior da laringe: A cavidade da laringe estende-se do ádito da laringe, através do qual se comunica com a parte laríngea da 
faringe, até o nível da margem inferior da cartilagem cricóidea, onde ela é contínua com a cavidade da traqueia. A cavidade da laringe 
inclui: 
▪ A glote (o aparelho vocal da laringe) é formada pelas pregas e processos vocais, juntamente com a rima da glote, a abertura 
entre as pregas vocais. O formato da rima varia de acordo com a posição das pregas vocais. 
▪ Pregas vocais: Elas controlam a produção do som, a variação na tensão e no comprimento das pregas vocais e na intensidade 
do esforço expiratório produz alterações na altura da voz. 
✓ Cada prega vocal contém um ligamento vocal, formado por tecido elástico espessado que é a margem livre medial do 
cone elástico, e um músculo vocal, formado por fibras musculares muito finas que ocupam posição imediatamente lateral 
aos ligamentos vocais. 
✓ As pregas vocais também são o principal esfíncter inspiratório da laringe quando estão fechadas com firmeza. A adução 
completa das pregas forma um esfíncter eficaz que impede a entrada de ar. 
▪ As pregas vestibulares ou cordas vocais falsas, que se estendem entre a cartilagem tireóidea e as cartilagens aritenóideas, 
desempenham pequeno ou nenhum papel na produção da voz, sua função é protetora. Os recessos laterais entre as pregas 
vocais e vestibulares são os ventrículos da laringe. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
• Músculos da laringe: Os músculos da laringe são divididos em extrínsecos e intrínsecos. 
▪ Músculos extrínsecos da laringe: Eles movem a laringe como um todo. 
✓ Os músculos infrahióideos abaixam o hioide e a laringe, enquanto os músculos supra-hióideos e o estilofaríngeo são 
elevadores do hioide e da laringe 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 Ddd IRRIGAÇÃO 
▪ Músculos intrínsecos da laringe: Movem os componentes da laringe, alterando o comprimento e a tensão das pregas vocais 
e o tamanho e formato da rima da glote. 
✓ Todos, com exceção de um, são supridos pelo nervo laríngeo recorrente, um ramo do nervo vago. O músculo 
cricotireóideo é suprido pelo nervo laríngeo externo, um dos dois ramos terminais do nervo laríngeo superior. 
✓ Os principais são os músculos cricoaritenóideos laterais e posteriores, aritenóideos transverso e oblíquo, 
cricotireoóideos, tireoaritenóideos e vocais. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
▪ 
▪ ntêm os tecidos são então levados a um micrótomo (Figura 1.1), onde são seccionados por uma lâmina de aço ou de vidro, de modo 
a fornecer cortes de 1 a 10 micrômetros de espessura. Lembre-se de que: um micrômetro (1 µm) = 0,001 mm= l0-6 m; um 
nanômetro (1nm) =0,001 µm = l0-6 mm = l0-9 m. Após serem seccionados, os cortes são colocados para flutuar sobre uma 
superfície de água aquecida e, depois, sobre lâminas de vidro, onde aderem e serão, em seguida, corados. 
▪ • 
 
9) 
 
• As artérias laríngeas, ramos das artérias tireóideas superior e inferior, irrigam a laringe. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 Ddd DRENAGEM 
• As veias laríngeas acompanham as artérias laríngeas. 
▪ A veia laríngea superior geralmente se une à veia tireóidea superior e através dela drena para a VJI. A veia laríngea inferior 
une-se à veia tireóidea inferior que drena para a veia braquiocefálica. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 Ddd NA VIDA REAL... 
 Ddd INERVAÇÃO 
• Os nervos da laringe são os ramos laríngeos superior e inferior, continuação do laríngeo recorrente, dos nervos vagos (NC X). 
▪ Lesão dos nervos laríngeos recorrentes: 
✓ Sempre há risco de lesão dos nervos laríngeos recorrentes durante uma cirurgia do pescoço. Perto do polo inferior da 
glândula tireoide, o nervo laríngeo recorrente direito está muito próximo da artéria tireóidea inferior direita e de seus 
ramos. Esse nervo pode cruzar anterior ou posteriormente