A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
17 pág.
ADM Material de Apoio Planejamento Tributário

Pré-visualização | Página 1 de 4

Olá caro aluno,
Este é um GUIA DE ESTUDOS que visa elevar ainda mais a compreensão sobre a disciplina de Planejamento Tributário. Neste material você encontrará assuntos relacionados às quatro aulas que incluem tópicos sobre o: (i) Planejamento Tributário, (ii) Simples Nacional, (iii) Microempreendedor Individual, (iv) Lucro Presumido e, (v) Lucro Real.
Bons estudos!
Prof. Antônio R. Catânio
Planejamento Tributário
O governo possui a Função Distributiva, que visa tornar a sociedade menos desigual em termos de renda e riqueza, por meio da tributação e transparências financeiras, subsídios, incentivos fiscais, alocação de recursos em camadas mais pobres da população etc.
Ainda, a equidade impõe o que poderia chamar de justeza tributária ou tributação com a máxima justiça entre os cidadãos. Isto quer dizer que haveria igualdade de tratamento tributário para aqueles que se encontrasse em condições iguais (equidade horizontal) e desigualdade de tratamento tributário para aqueles considerados em situação de desigualdade (equidade vertical).
Para que o governo possa proporcionar serviços de saúde, educação, defesa, policiamento, infraestrutura, entre outros, é necessário cobrar tributos da sociedade. À vista disso, visando encontrar alternativas vantajosas em termos de economia de tributos, destaca-se o Planejamento Tributário.
À luz do Direito Tributário, ninguém é obrigado a escolher, entre diversas maneiras possíveis, aquela que seja sujeita a uma elevada carga tributária, pois a possibilidade de uma estruturação, que em face da legislação tributária seja mais favorável, corresponde ao interesse justo do contribuinte, reconhecido pela ordem jurídica.
O sistema constitucional tributário assegura ao contribuinte o direito de optar pela realização dos negócios ou operações que resultem na menor carga fiscal. Assim, O Planejamento Tributário é uma atividade lícita que tem por escopo a busca da redução do custo tributário sem ferir as leis ou o sistema normativo.
Em outras palavras, Planejamento Tributário é a atividade empresarial que, desenvolvendo-se de forma estritamente preventiva, projeta os atos e fatos administrativos com o objetivo de informar quais os ônus tributários em cada uma das opções legais disponíveis. E ainda, corresponde a um estudo feito preventivamente, isto é, antes da realização do fato administrativo, pesquisando-se seus efeitos jurídicos e econômicos e as alternativas legais menos onerosas.
Ainda, o Planejamento Tributário consiste na formulação de um plano de ação para realizar objetivos de redução da carga tributária, sem ferir a legislação aplicável, utilizando-se de estratégias e recursos adequados à sua viabilização. Além disso, está fundamentado em lei e é implementado por meio de minuciosos exames do sistema tributário vigente e dos princípios gerais de direito.
Sobre as classificações do Planejamento Tributário, destaca-se o preventivo, sendo elaborado antes da ocorrência do fato gerador do tributo. Produz a elisão fiscal, ou seja, a redução da carga tributária dentro da legalidade. Já o mal planejado, o perigo é incorrer em evasão fiscal, ou seja, a redução da carga tributária descumprindo determinações legais, e que é classificada como crime de sonegação fiscal.
Elisão Fiscal e Evasão Fiscal
No contexto tributário, destacam-se as expressões: Elisão Fiscal e Evasão Fiscal. A Elisão Fiscal consiste na redução de impostos por meio de um planejamento prévio estruturado, de acordo com o permissivo legal. Trata-se da economia tributária resultante da adoção da alternativa legal menos onerosa ou de lacuna da lei. Sendo assim, a Elisão Fiscal é uma alternativa legítima e lícita.
Já a Evasão Fiscal representa uma redução indevida do imposto, construindo afronta e lei, ensejando crime contra a ordem tributária (Sonegação Fiscal). Visto como uma prática contrária à lei, geralmente é cometida após a ocorrência do fato gerador da obrigação tributária, objetivando reduzi-la ou oculta-la.
Por fim, Planejamento Tributário é uma atividade preventiva que estuda a priori os atos e negócios jurídicos que o agente econômico pretende realizar, visando a obtenção da maior economia fiscal possível, reduzindo a carga tributária para o valor realmente exigido por lei (Elisão Fiscal).
Espécies Tributárias
No Direito Tributário, Tributo pode assumir duas formas de classificação. Na primeira, os tributos são classificados quanto às características fiscais: impostos, taxas e contribuições de melhoria. Na segunda forma, os tributos são classificados quanto às características parafiscais: empréstimo compulsório e contribuições.
IMPOSTO
Considerando as espécies tributárias, na primeira classificação, Imposto é um tributo que não depende de qualquer atividade estatal e ocorre de forma não relacionada com a prestação de algum tipo de prestação de serviço. O governo cobra o imposto visando assim poder com estes recursos fazer o financiamento das despesas do orçamento público.
Ainda, sobre o imposto, sua finalidade é de custear as despesas públicas gerais, abrangendo os serviços públicos universais e indivisíveis do Estado. Quanto a sua instituição, a União, os Estados e os Municípios têm competências próprias de alguns impostos previstos na Constituição.
A seguir são apresentados os impostos de acordo com a respectiva competência:
IMPOSTOS FEDERAIS
IR - Imposto sobre a Renda e proventos de qualquer natureza
IPI - Imposto sobre Produtos Industrializados
IOF - Imposto sobre Operações Financeiras
ITR - Imposto Territorial Rural
IE - Imposto sobre a exportação
II - Imposto s/ a importação
IMPOSTOS ESTADUAIS
ICMS - Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestação de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação 
IPVA - Imposto sobre Propriedade de Veículo Automotor
ITD - Imposto sobre Transmissões Causa Mortis e Doações de Qualquer Bem ou Direito
IMPOSTOS MUNICIAPAIS
IPTU - Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana 
ITBI - Imposto sobre Transmissão Inter Vivos de Bens e Imóveis e de Direitos Reais Relativos 
ISS - Impostos sobre Serviços de Qualquer Natureza
TAXA
Taxa é um tributo que tem característica de ser cobrado por ser decorrente da prestação de serviços públicos pelos entes governamentais. Para que seja possível a cobrança da taxa, esta deve estar definida em lei e que seja possível realizar uma razoável mensuração do consumo de cada usuário efetivo ou potencial.
As taxas cobradas pela União, pelos Estados, pelo Distrito Federal ou pelos Municípios, no âmbito de suas respectivas atribuições, têm como fato gerador o exercício regular do poder de polícia, ou a utilização, efetiva ou potencial, de serviço público específico e divisível, prestado ao contribuinte ou posto à sua disposição.
Quanto a competência, as taxas podem ser instituídas pelos Estados, Municípios e também pela União, podendo inclusive existir taxas com o mesmo nome em esferas diferentes. Por exemplo, a taxa de coleta de lixo, de tratamento de água e esgoto. A taxa, portanto, é um pagamento específico e direto pela utilização de determinado serviço prestado pelo setor público.
CONTRIBUIÇÃO DE MELHORIA
No âmbito do Direito Público, quando alguma obra pública beneficia algum contribuinte no sentido de valorização de imóvel, este será tributado com o pagamento da Contribuição de Melhoria. Esta contribuição é de competência da União, dos Estados e Municípios.
Assim, a Contribuição de Melhoria cobrada pela União, pelos Estados, pelo Distrito Federal ou pelos Municípios, no âmbito de suas respectivas atribuições, é instituída para fazer face ao custo de obras públicas de que decorra valorização imobiliária, tendo como limite total a despesa realizada e como limite individual o acréscimo de valor que da obra resultar para cada imóvel beneficiado.
EMPRÉSTIMO COMPULSÓRIO
Continuando com as espécies tributárias, agora na segunda classificação, destacam-se os empréstimos compulsórios e as contribuições.
O Empréstimo Compulsório