A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
145 pág.
Apostila Mercado de Capitais 2018

Pré-visualização | Página 32 de 49

da empresa e com a conjuntura econômica. Estuda os fatores (valores fundamentalistas) que explicam esse valor intrínseco, adota a hipótese de que o mercado de capitais é eficiente no longo prazo, calcula o valor hipotético da empresa, seu “preço justo”, compara com o valor de mercado e investe na empresa com maior relação valor intrínseco/preço de mercado. A estimação do valor da ação é feita com as análises das demonstrações financeiras passadas e de projeções, da situação atual da economia e estimativas de variáveis que influenciam o valor e o preço de todas as ações e da intervenção governamental. O Valor da empresa pode ser definido pelo Lucro esperado em exercícios futuros, pelos Investimentos realizados e a realizar e pelas Fontes de financiamento.
As principais Fontes de Pesquisa utilizadas são:
Relatórios macroeconômicos
Relatórios setoriais
Relatórios de administração
Demonstrativos contábeis
Meios de comunicação especializados
Há dois tipos de enfoques utilizados na análise de investimento: o enfoque Top Down - de cima para baixo – e o Bottom Up - de baixo para cima.
61.1,1 - Enfoque Top Down
O enfoque Top Down primeiro analisa a economia, depois analisa os setores da economia e, em seguida, analisa as empresas no setor em que atuam.
A análise da economia considera que a bolsa de valores deve refletir o desempenho da economia. Portanto, a capacidade de prever a macroeconomia pode traduzir-se em oportunidades de investimento. Já a análise setorial faz a comparação do setor analisado com os outros setores.
61.1.2 - Enfoque Bottom Up
O enfoque Bottom Up faz o cálculo do valor de ações e compara com o valor de mercado, utilizando métodos de valoração Teórica de Ações.
61.2 - Análise Técnica
A análise técnica é a o acompanhamento das cotações, a partir de gráficos, estatísticas e indicadores com base nos preços de mercado e volume de negociações. Essa análise procura identificar o sentimento do mercado, ou seja, se há a avaliação de que o preço está baixo ou alto. A partir dessa avaliação, o comportamento do mercado pode ser de alta, de baixa ou de indefinição. Observando-se, portanto, as tendências de alta ou de baixa, pode-se segui-las comprando no início de uma tendência de alta e vendendo no início de uma baixa.
62 - MERCADO DE BALCÃO ORGANIZADO
 As negociações se processam, principalmente por telefone através do qual os operadores promovem entre si ofertas de compra e venda de títulos cumprindo ordens de seus clientes ou por conta própria, não existe uma igualdade em termos de participantes e operações, as operações têm pouca influência nas negociações seguintes, em termos de preços, pois não existe uma divulgação como ocorre nas Bolsas de Valores. 
o mercado de balcão não é uma instituição específica, representa outra forma de negociar títulos . Este mercado é resultado de uma relação entre vendedores e compradores de títulos, que estão ligados por uma rede de telecomunicações
63 - CBLC - Compabhia Brasileira de liquidação e custódia
Desde novembro de 1998, o serviço de custódia fungível de títulos e valores mobiliários, que até então era prestado pela bolsa de valores de São Paulo –BM&FBOVESPA , passou a ser formalmente realizado pela Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia - CBLC. A Cblc atualmente é a responsável pela liquidação de operações de todo o mercado brasileiro de ações, respondendo pela guarda de 100% dos títulos do mercado nacional. Além de atuar como depositária de ações de companhias abertas, a estrutura dos sistemas utilizados pelo serviço de custódia fungível da Cblc foi desenvolvida para prover o mesmo tipo de serviço para outros ativos como certificados de privatização, debêntures, certificados de investimento, certificados audiovisuais e quotas de fundos imobiliários. Clearing house que realiza atividades relacionadas à compensação, liquidação, custódia e controle de risco para o mercado financeiro. Companhia com objeto social de prestar serviços de compensação e liquidação física e financeira de operações realizadas nos mercados à vista e a prazo da BOVESPA - bolsa de valores de São Paulo, e de outros mercados, bem como a operacionalização dos sistemas de custódia de títulos e valores mobiliários em geral. É o depositário central do mercado de ações no Brasil, objetivo alcançado quando assumiu o controle da Câmara de Liquidação e Custódia - CLC em abril de 2000. A composição acionária da Cblc está assim dividida: cerca de 80 agentes de compensação representados por bancos e corretoras, BOVESPA serviços e participações S.A., uma empresa subsidiária da bolsa de valores de São Paulo bolsa, e a BOVESPA, com uma única ação de classe especial. Participa do sistema de compensação do spb.
as operações da CBLC caracterizam-se por:
a) - entrega A contra pagamento;
b) - liquidação garantida;
c)- liquidação em reserva;
 d)- movimentação em fundos disponíveis no mesmo dia.
64 - MERCADO FUTURO DE AÇÕES
É a compra e venda de valores mobiliários (ações) em lote padrão, com data de liquidação futura estabelecida pelas partes, dentre aquelas prefixadas pelas BOLSAS DE VALORES.
Em uma operação a Futuro, o investidor pode assumir uma posição compradora, de um contrato a Futuro, ou uma posição vendedora de um contrato a Futuro, da ação de uma empresa "X" podendo assumir a posição de vendedor coberto ou vendedor a descoberto.
Caso o investidor comprador a Futuro deseje sair de sua posição compradora, basta ele realizar uma operação de venda a Futuro da mesma ação para a mesma data (operação inversa), zerando sua posição e apurando Lucro ou Prejuízo na operação.
O mesmo ocorre com o vendedor a Futuro, que para sair de sua posição vendedora descoberta, tem que realizar uma operação de compra a Futuro, da mesma ação, para a mesma data (operação inversa), zerando sua posição e apurando Lucro ou Prejuízo na operação.
O vendedor coberto pode adotar o mesmo procedimento ou liquidar a operação na data do vencimento. 
65 - BOLSA DE MERCADORIAS & FUTUROS
As bolsas de mercadorias e futuros são associações privadas civis, sem finalidade lucrativa, com objetivo de efetuar o registro, a compensação e a liquidação, física e financeira, das operações realizadas em pregão ou em sistema eletrônico. Para tanto, devem desenvolver, organizar e operacionalizar um mercado de derivativos livre e transparente, que proporcione aos agentes econômicos a oportunidade de efetuarem operações de hedging (proteção) ante flutuações de preço de commodities agropecuárias, índices, taxas de juros, moedas e metais, bem como de todo e qualquer instrumento ou variável macroeconômica cuja incerteza de preço no futuro possa influenciar negativamente suas atividades. Possuem autonomia financeira, patrimonial e administrativa e são fiscalizadas pela Comissão de Valores Mobiliários.
	O pregão da Bolsa de Mercadorias & Futuros começou a funcionar em 31 de janeiro de 1986 e logo se tornou a principal bolsa de negociação de mercados futuros no Brasil . Em 09 de maio de 1991, esta bolsa fundiu-se com a Bolsa de Mercadorias de São Paulo, entidade pioneira na negociação de contratos agropecuários como café, boi gordo e algodão. Quando completou 14 anos de operação, ingressou na Aliança Globex, entidade formada pelas bolsas de: - Chicago Mercantile Exchange - Euronext NV, antiga ParisBourse - Singapure Exchange Derivatives Trading - MEFF – Mercado Oficial de Futuros y Opciones Financieros, de Madri
- Montreal Exchange atualmente, a BM&F está integrada eletronicamente a todas as suas aliadas e seus participantes podem negociar os produtos oferecidos em outras bolsas 24 horas por dia.
	A principal função da BM&F é o de efetuar o registro, a compensação e a liquidação física e financeira das operações realizadas em pregão e/ou sistema eletrônico. Para tanto, deve desenvolver, organizar um mercado de derivativos livres e transparentes, que proporcione aos agentes econômicos a oportunidade de efetuarem operações de hedging contra as