A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
145 pág.
Apostila Mercado de Capitais 2018

Pré-visualização | Página 36 de 49

nas hipóteses de fechamento do capital ou cancelamento do registro do nível 2;
– Adesão à câmara de arbitragem para resolução de conflitos societários. 
OBS: As exigências contidas no capítulo dedicado ao Novo Mercado, também devem ser seguidas para as empresas listadas nos diversos índices de Governança Corporativas.
69 - DAS INFORMAÇÕES AO MERCADO ATRAVÉS DA C.V.M. E DAS BOLSAS DE VALORES:
Outro fato importante são os compromissos nas divulgações das informações das companhias que são assumidas com os investidores, que auxiliarão na avaliação sobre o seu valor.
69.1 - - As ITRs: (informações trimestrais) 
Constituem em um documento que todas as empresas de capital aberto enviam à C.V.M. e às Bolsas de Valores, trimestralmente. Esse documento contém as demonstrações financeiras do trimestre em referência e outros comentários considerados importantes da sociedade. Além dessas informações legais, as empresas pertencentes ao Novo Mercado devem incluir nas ITRs:
Demonstrações Financeiras consolidadas;
Demonstração de fluxos de caixa da companhia e do consolidado;
Abertura da posição acionária de qualquer acionista que detiver mais de 5% do capital total, de forma direta ou indireta, até o nível da pessoa física;
A quantidade e as características dos valores mobiliários de emissão da companhia detidos pelo grupo de controladores, grupo dos membros do conselho de administração, grupo dos diretores e grupo dos membros do conselho fiscal;
A evolução do item acima em relação aos doze meses anteriores;
A quantidade de ações em circulação e a sua porcentagem em relação ao total das ações emitidas por tipo e classe;
Revisão especial emitida por auditor independente.
69.2 - - As DFPs ( Demonstrações Financeiras Padronizadas) 
Constituem um documento que todas as empresas de capital aberto enviam à C.V.M. e às Bolsas de Valores até o final do mês de março de cada ano. Esse documento contém as demonstrações financeiras referentes ao exercício findo e outros comentários considerados importantes. Além dessas informações, o regulamento estabelece que a empresa deve incluir nesse documento as demonstrações dos fluxos de caixa da companhia e do consolidado.
69.3 - As IANs (informações anuais)
 Constituem um documento que todas as empresas de capital aberto enviam à C.V.M. e às Bolsas de Valores até o final do mês de março de cada ano. Esse documento contém informações corporativas. A essas informações devem ser acrescentados os seguintes dados:
a) A quantidade e as características dos valores mobiliários de emissão da companhia detidos pelo grupo de controladores, grupo dos membros do conselho de administração, grupo dos diretores e grupo dos membros do conselho fiscal;
b) A evolução do item acima em relação aos doze meses anteriores;
c) A quantidade de ações em circulação e a sua porcentagem em relação ao total das ações emitidas por tipo e classe;
- Visando especialmente aos investidores estrangeiros, e para uma maior transparências nas informações a empresa deve ainda:
a) Elaborar demonstrações financeiras anuais de acordo com padrões internacionais de contabilidade, aceitando-se o US GAAP ou o IAS. Para o cumprimento desse requisito, em função da sua complexidade, há um prazo de carência de aproximadamente dois anos.
b) Elaborar as demonstrações financeiras trimestrais de acordo com padrões internacionais ou divulgar as ITRs, no padrão do Novo Mercado, traduzidas para a língua inglesa.
c) Realizar ao menos uma reunião pública anualmente com analistas e outros interessados para apresentar a sua situação econômico-financeira, projetos e perspectivas, com o objetivo de promover uma maior aproximação com os investidores.
d) Deve também divulgar um calendário anual contendo as datas dos principais eventos corporativos, tais como assembleias, resultados financeiros trimestrais e outros, facilitando, com isso, o acompanhamento do mercado.
e) Os acordos de acionistas devem ser enviados pela empresa à C.V.M e à BOVESPA para divulgação ao mercado, melhorando a compreensão sobre as regras, que regem o relacionamento entre os controladores. 
f) A empresa deve também dar conhecimento dos programas de opções de aquisição de ações destinados a funcionários ou administradores.
g) Com o objetivo de dar transparência aos negócios das pessoas que possam ter acesso a informações privilegiadas, a empresa deve divulgar, em bases mensais, as negociações com valores mobiliários de emissão da própria companhia e seus derivativos por parte dos controladores, administradores e membros do Conselho Fiscal.
	Para melhorar a liquidez e a pulverização das ações da companhia no mercado secundário e, ao mesmo tempo, garantir a credibilidade e a transparência durante o processo de distribuição pública, o regulamento exige que:
- A empresa mantenha um percentual mínimo de 25% de ações em circulação. Ações em circulação são todas as ações de emissão da companhia, exceto aquelas:
a) de titularidade do acionista controlador, seu cônjuge, companheiro (a) dependentes incluído na declaração do imposto de renda;
b) Em tesouraria;
c) De titularidade de controladas e coligadas da companhia;
d) De titularidade de controladas e coligadas do acionista controlador.
- Quando das distribuições públicas, que a empresa adote procedimentos especiais de distribuições que podem ser entre outros a garantia de acesso a todos os investidores interessados ou distribuição de pessoas físicas ou investidores não institucionais de, no mínimo, 10% do total a ser distribuído. O procedimento de dispersão deverá estar descrito no prospecto de distribuição pública.
- Em se tratando de oferta inicial de ações (primeira distribuição pública), os controladores e administradores devem abster-se de negociar com ações de que eram titulares logo após a oferta por um período de seis meses. Após esse período inicial, deve abster-se de negociar com 60% dessa posição por mais seis meses.
Prospecto de distribuição pública – Na confecção dos prospectos de distribuição pública a companhia deverá observar os requisitos do regulamento quanto às informações a ser divulgadas, como por exemplo: descrição de fatores de risco; descrição dos negócios; processos produtivos e mercados; análise e discussão de sua administração a respeito das demonstrações financeiras etc... Um prospecto mais completo fornece maior número de subsídios para o processo de precificação das ações.
Visando a dar mais desque às empresas que aderirem ao Novo Mercado e, ao mesmo tempo facilitar a identificação dessa empresa por parte dos investidores, a BOVESPA desenvolveu uma série de medidas operacionais tais como:
a) – Identificação diferenciada dos códigos de negociação das companhias listadas no Novo Mercado – NM;
b) - Identificação diferenciada em todos os meios de difusão da BOVESPA: papéis no pregão; no Boletim diário de informações – BDI -; mega bolsa;
c) – Site da BOVESPA na Internet, no qual estão todas as informações enviadas à BOVESPA pelas empresas no Novo Mercado;
d) - Ampla divulgação aos investidores nacionais e estrangeiros, sobre a adesão das empresas ao Novo Mercado;
e) – Participação das ações das empresas no índice das ações com Governança Corporativa Diferenciada
70 - Transferência de ações
 
Quando ocorrer a transferência de titularidade de ações negociadas fora de bolsa, a entidade encarregada de seu registro deverá exigir o documento de arrecadação de receitas federais que comprove o pagamento do imposto de renda sobre o ganho de capital incidente na alienação, ou declaração do alienante sobre a inexistência de imposto devido. 
71 - Conta de Investimento 
Adicionalmente, a referida Lei, faculta a compra e venda de ações por meio da conta corrente de depósito para investimento, desde que as instituições mantenham controles em contas segregadas que permitam identificar a origem dos recursos que serão investidos em ações.
SIGLAS MAIS COMUNS