A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
23 pág.
Tafonomia 09

Pré-visualização | Página 1 de 1

Profa. Juliana de Moraes Leme
TAFONOMIA:
RESOLUÇÃO 
TEMPORAL E 
ESPACIAL
TAFONOMIA 
Estudo dos processos de preservação e como eles afetam 
a informação no registro fossilífero.
TAFONOMIA Filtros Tafonômicos
TAFONOMIA 
REGISTRO FÓSSIL
INCOMPLETO: nem todos os eventos são registrados
TENDENCIAMENTO
Fatores extrínsecos (processos geológicos e ambientais);
Fatores intrínsecos (processos biológicos);
Fatores extrínsecos (processos geológicos e ambientais);
A MB IE N T E
TAFONOMIA 
REGISTRO FÓSSIL
Fatores extrínsecos (processos geológicos e ambientais);
P R O C E S S O S P Ó S -
DE P O S IC IO N A IS
TAFONOMIA 
REGISTRO FÓSSIL
DIS T R IB U IÇ Ã O P A L E O G E O G R Á F IC A
Fatores intrínsecos (processos biológicos);
TAFONOMIA 
REGISTRO FÓSSIL
Cosmopolitas X endêmicos
Fatores intrínsecos (processos biológicos);
A B U N DÂ N C IA 
R E L A T IV A
Holland (1995).
TAFONOMIA 
REGISTRO FÓSSIL
B IO MIN E R A L IZA Ç Ã O E P O T E N C IA L DE 
F O S S IL IZA Ç Ã O
Fatores intrínsecos (processos biológicos);
TAFONOMIA 
REGISTRO FÓSSIL
O QUE S IG N IF IC A S E R C OMP L E T O?“C OMPLETNESS”
QU AN T O DE V E S E R ?
QU AL É O C ON HE C IME N T O S OB R E O R E G IS T R O 
F Ó S S IL ?
O R E G IS T R O F ÓS S IL É ADE QU ADO ?
C O MP L E T O X ADE Q UADO
O DADO C OMP L E T O E XIS T E ?
TAFONOMIA 
REGISTRO FÓSSIL
PRA QUE???
OBJETIVO
Levantamento das espécies
Estudo Estratigráfico
Estudo Paleoecológico
Estudo Tafonômico
TAFONOMIA 
REGISTRO FÓSSIL
OBJETIVO AMOSTRAGEM
Paul (1992).
TAFONOMIA 
Modelo Tafonômico Recíproco
Kowalewski (1997).
TAFONOMIA 
MISTURA TEMPORAL (Time-averaging)
Mistura de restos biogênicos (bioclastos) de 
diferentes “idades” em uma única acumulação.
TAFONOMIA 
MISTURA TEMPORAL (Time-averaging)
TAFONOMIA 
MISTURA TEMPORAL (Time-averaging)
Fenômeno comum e inerente às acumulações do Recente e às 
assembléias fósseis.
Organismos que nunca conviveram estarão preservados em 
uma mesma assembléia (tafocenose).
Eventos que ocorreram em “tempos distintos” estarão 
representados em uma mesma acumulação esqueletal.
TAFONOMIA 
MISTURA TEMPORAL (Time-averaging)
Datações absolutas; 
Espécies de biozonas distintas misturadas em um mesmo 
horizonte; 
Condição tafonômica variada (diferentes histórias tafonômicas). 
Períodos de baixa taxa ou ausência de sedimentação. 
TAFONOMIA 
TAZ:
Conchas sujeitas à destruição
Zona Tafonomicamente Ativa
Delimitada pela profundidade da BIOTURBAÇÃO
TAFONOMIA 
DFB: Profundidade de Soterramento Final
- Zona de Segurança.
- Conchas seqüestradas.
- Destruição taf. desprezível.
TAFONOMIA 
- Espessura da TAZ;
- Profundidade da Zona de Soterramento Final;
- Taxa de Sedimentação;
- Atividade Biológica Intraestratal.
TAFONOMIA 
“SÍNDROME DE FÓSSIL FEIO”
(“UGLY FOSSIL SYNDROME”- Tang, C.M. 2000)
TAFONOMIA 
MISTURA ESPACIAL
Mistura de restos biogênicos (bioclastos) de diferentes 
“locais e habitats” em uma única acumulação.
Espécies ecologicamente não relacionadas misturadas.
(elementos alóctones- fora do habitat) 
TAFONOMIA 
RESOLUÇÃO TEMPORAL E ESPACIAL
Potencial de fossilização? 
Mistura temporal/espacial? 
Resolução temporal/espacial? 
	Slide 1
	Slide 2
	Slide 3
	Slide 4
	Slide 5
	Slide 6
	Slide 7
	Slide 8
	Slide 9
	Slide 10
	Slide 11
	Slide 12
	Slide 13
	Slide 14
	Slide 15
	Slide 16
	Slide 17
	Slide 18
	Slide 19
	Slide 20
	Slide 21
	Slide 22
	Slide 23