A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
DEONTOLOGIA   Aula 1

Pré-visualização | Página 1 de 1

DEONTOLOGIA E RELAÇÕES INTERPESSOAIS
Deontologia – grego “deon” ou “ deontos”: dever e “logos”: estudo, tratado.
Deontologia – estuda os deveres, de um grupo profissional.
Quando analisamos os deveres de grupos profissionais, como médicos, advogados, profissionais de Enfermagem, denominamos Deontologia da Medicina, da Advocacia, da Enfermagem. Deontologia da Enfermagem, portanto , envolve a preocupação com os deveres, as responsabilidades dos profissionais de Enfermagem.
Preocupa-se com os deveres de um grupo profissional em relação às suas atribuições e responsabilidades.
DEONTOLOGIA
Ética: é um ramo da filosofia que os estuda os juízos de apreciação que se referem à conduta humana, suscetível de qualificação do ponto de vista do bem e do mal.
Vem do grego “ethos”: caráter, costume, hábito ou modo de ser. É a ciência que se preocupa com atos ou costumes humanos, deveres, deveres do homem individual, grupal e perante seu grupo profissional. Ética nos lembra valores, princípios e normas que servem de base para o comportamento humano, indica-nos o que é certo, correto e justo, assim como a responsabilidade dos indivíduos por seus atos.
A Ética considera concepções de fundo acerca da vida, do universo, do ser humano, do seu destino, estatuindo princípios e valores que orientam pessoas e sociedades.
Uma pessoa é Ética quando se orienta por tais princípios e convicções, tem caráter ou boa índole.
Já a Moral trata da prática real das pessoas que se expressam por costumes, hábitos e valores.
Uma pessoa é moral quando age em conformidade com os costumes e valores consagrados pela coletividade na qual se insere socialmente.
As instituições de saúde, entre elas os hospitais, são formadas essencialmente por pessoas, que dela dependem direta ou indiretamente, e a coletividade na qual está inserida. Por isso, deve-se entender a existência de uma ética institucional. 
Os dilemas éticos enfrentados no cotidiano dos hospitais são altamente complexos. Daí a importância dos princípios e valores como fundamentos a guiar as decisões dos profissionais da área de saúde, confrontando-se os interesses econômicos, financeiros e gerenciais com os direitos dos pacientes, o respeito à sua integridade e segurança.
A Ética é individual e nessa perspectiva podemos dizer que cada pessoa tem a sua ética, que se baseia em princípios, valores e sentimentos que cada um traz dentro de si, e a partir de sua própria escolha, é possível se aproximar ou se distanciar dos valores de outras pessoas. Cada pessoa apresenta um modo de agir único, determinando suas condutas de acordo com aquilo que acredita e adota como verdade.
A moral vem de dentro da sociedade, com valores que estão selecionados e determinados como verdades.
A moral é parte da vida concreta e trata da prática real das pessoas que se expressam por costumes, hábitos e valores culturalmente estabelecidos. Um pessoa é moral quando age em conformidade com os costumes e valores consagrados. Estes podem, eventualmente, ser questionados pela ética.
A Bioética baseia-se mais na razão e no juízo moral, é interdisciplinar. Incorpora uma dimensão social, relacionada com justiça e direitos humanos, respeito pela dignidade humana, autonomia individual e respeito pelas comunidades, como uma necessidade de proteger a vida humana, diante das descobertas e inovações científicas e tecnológicas.
BIOÉTICA = ÉTICA DA VIDA
CURIOSIDADE: O genoma humano começou a ser mapeado em 1990 e terminou em 2003.
SENSO MORAL E CONSCIÊNCIA MORAL
SENSO MORAL E CONSCIÊNCIA MORAL
SENSO MORAL E CONSCIÊNCIA MORAL
Muitas vezes sentimos indignação diante da injustiça, assim como também sentimos responsabilidade quando ficamos sabendo sobre a pobreza ou a miséria e então participamos de campanhas, colaboramos em situações de precariedade num ato de solidariedade.
Outras vezes levados por algum impulso incontrolável como a emoção ou o medo, fazemos coisas que nos trazem arrependimentos, remorso, culpa ou vergonha; estes sentimentos traduzem o nosso senso moral.
SENSO MORAL
Consciência Moral, é o que exige a decisão sobre o que fazer, justificativa para nossos atos, não só para acomodar a nossa consciência, mas também porque devemos assumir as consequências da decisão que tomamos, dos atos que praticamos e das proporções que estes possam alcançar em relação aos outros. Essa postura demonstra responsabilidade na nossa opção.
Assim podemos entender que o senso moral e a consciência moral referem-se a valores (justiça, honradez, espírito de sacrifício, integridade e generosidade).
CONSCIÊNCIA MORAL
(www.diaadiaeducacao.pr.gov.br)
O homem, através do seu intelecto e sua experiência, ou seja, das formas de conhecer, forma juízos acerca da realidade, acerca das coisas. Julgar, ou formar um juízo equivale a simplesmente afirmar, negar, juntar, separar propriedades de um objeto. Por exemplo, dizer que uma maçã é vermelha, que o céu é azul, que a chuva é bela, enfim, qualquer coisa que se possa dizer de algo é um processo de julgar. Os juízos podem ser e dois tipos, de fato e de valor.
JUÍZO DE FATO E DE VALOR
(www.diaadiaeducacao.pr.gov.br)
…são aqueles que dizem que algo é ou existe, e que dizem o que as coisas são, como são e por que são. 
Em outras palavras, juízos de fato são proposições que formamos com base no material da realidade, ou seja, coisas que julgamos a respeito do que está posto ao nosso redor, das coisas que existem, dos objetos materiais.
EX: O aço é um metal; O revólver é uma arma.
 (www.diaadiaeducacao.pr.gov.br)
JUÍZO DE FATO
…são normativos e se referem a algo que deve ser; Como devem ser os bons sentimentos, as boas intenções, as boas ações, os nossos comportamentos decisões, etc. 
Neste caso, os juízos de valor não tratam de objetos materiais, mas sim de questões relacionadas às ações humanas, ou seja, a questões morais e éticas. São reflexões acerca de como deve ser o bem proceder das pessoas. (www.diaadiaeducacao.pr.gov.br)
JUÍZO DE VALOR