A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
39 pág.
Externalidades, bens públicos e recursos comuns

Pré-visualização | Página 2 de 2

métodos. O 
ajuste é feito na produção. 
• O indivíduo poluidor deverá reduzir suas 
emissões até que o Custo Marginal de 
redução de uma unidade adicional de 
poluição seja igual ao Benefício Social 
Marginal. 
 
30 
Imposto sobre Emissões 
0 
Redução na Poluição 
Benef. Social Mg 
CMg 
e* 
f* 
$ 
Redução Ótima 
Sem incentivos 
adequados o poluidor 
escolherá Redução igual a 
0. 
Uma taxa sobre Emissões 
igual a f* induz o 
poluidor a reduzir até o 
ponto ótimo 
Permissões para poluição (Cap-and-
Trade): preço de mercado 
 
35 
Bens Públicos 
• Excludente vs Não-Excludente 
–Excludente – Previnir qualquer um de 
consumir o bem é relativamente fácil, e.g. 
uma consulta médica, Pizza, Coca-Cola. 
–Não Excludente – Previnir alguém de 
consumir o bem é caro ou impossível, e.g. 
Defesa Nacional, Demonstração de Fogos 
de Artifício. 
36 
Bens Públicos 
• Bem Rival vs Não-Rival 
– Rival – uma vez provido, o custo adicional de 
outra pessoa consumir o bem é positivo, e.g. 
Pizza, Coca-cola. Pense que Bem Rival é aquele 
bem que o fato de uma pessoa consumir o bem 
impede que outra também consuma. 
– Não Rival – uma vez provido, o custo adicional de 
outra pessoa consumir o bem é zero, e.g. Defesa 
Nacional, Demonstração de Fogos de Artifício, 
Sinal de TV. Pense que Bem Não Rival é aquele 
bem que o fato de uma pessoa consumir o bem 
não impede que outra também consuma. 
 
 
37 
Bens Públicos 
38 
 
 
 
 
 
 
Excludente 
RIVAL 
SIM NÃO 
SIM 
NÃO 
Bens Privados, e.g. 
consultas médicas, 
passagem de avião, 
etc. 
Bens Públicos, e.g. 
Ar, Defesa 
Nacional, Farol. 
Recursos Comuns, 
(naturais), e.g. 
peixes no oceano, 
Água de córregos. 
 
Bens sociais (Club 
Goods) – geralmente 
providos por um 
Monopólio Natural 
e.g. cinema, parques 
privados, TV a cabo. 
Aspectos Importantes de Bens 
Públicos 
• Algumas coisas que não são normalmente 
consideradas como commodities têm 
características de Bens Públicos, e.g. 
Programas de Combate a Pobreza (não é o 
valor dado aos pobres, mas o benéfício social 
do programa), Pesquisa Básica, Conhecimento 
Científico. 
Bem Quase Público (ou Público 
Impuro 
• A Classificação como um bem público não é 
absoluta; depende de condições do mercado e 
estado de tecnologia. 
– Bem Quase Público (ou Público Impuro): Uma 
commodity pode satisfazer uma parte da definição 
de Bem Público mas não outra, ou pode satisfazer as 
duas sob determinadas circunstâncias e.g. se um 
dispositivo fosse inventado tal que o Farol só 
funcionasse para quem paga uma taxa. Nesse caso, 
este bem seria excludente e o Farol não seria mais um 
bem público puro. 
Bem Quase Público (ou Público 
Impuro 
 
41 
Provisão Pública ou Privada de Bens 
• Bens Privados não são necessariamente providos 
exclusivamente pelo setor privado. 
– Bens Privados providos pelo Setor Público, e.g. 
consultas médicas, habitação. 
• Provisão pública de um bem não necessariamente 
signfica que que este é também produzido pelo 
Setor Público, e.g. licitações de fornecimento de bens 
e serviços privados como coleta de lixo. 
Problemas para atingir uma provisão do bem 
público Eficiente pelo setor privado 
• No caso de bens públicos, as pessoas têm 
incentivos para mentir sobre o quanto 
valorizam o bem. 
• O Problema do Free-Rider (carona) 
–Outras pessoas pagam a maior parte do 
bem que o carona também valoriza, mas diz 
não valorizar para que possa consumí-lo 
pagando o mínimo possível. 
Problemas para atingir uma provisão do 
bem público Eficiente (igual a dos casos 
dos bens Privados) 
• As pessoas têm incentivos para agir como 
free-rider. 
• O resultado é a subprovisão (provisão 
ineficiente) do bem. 
 
44 
Problemas para atingir a Eficiência 
• Soluções para o problema do Free-Rider 
– Discriminação de preços perfeita: Cada um pagaria 
um preço igual à sua verdadeira disposição a 
pagar. 
• O problema é fazer essas pessoas 
revelarem suas verdadeiras disposições 
a pagar. 
• Por isso, o setor público é muitas vezes 
obrigado a intervir, produzindo ele 
próprio o bem público.