atividade Cris
34 pág.

atividade Cris


DisciplinaAgentes Terapêuticos Biotérmicos9 materiais25 seguidores
Pré-visualização1 página
CRIOTERAPIA
Cristina Endo
cris_endo@ig.com.br
Ribeirão Preto
CRIOTERAPIA
\u2022 Recurso utilizado como medida imediata
após trauma
CRIOTERAPIA
\u2022 Resfriamento 
\u2013 Retirar ou perder calor
\u2022 Condução
\u2013 Compressa/imersão
\u2022 Evaporação
\u2013 Spray fluorimetano/etilclorido
CRIOTERAPIA
\u2022 Efeitos fisiológicos e indicações 
\u2013 Circulatórios
\u2013 Dor
\u2013 Espasmo muscular
\u2013 Metabolismo
\u2013 Inflamação
\u2013 Rigidez tecidual
CRIOTERAPIA
Fenômeno 
de Raynaud
CRIOTERAPIA
\u2022 Circulatórios
\u2013 Vasoconstrição
\u2022 Conter perda de calor
\u2022 Receptores \uf045 Ativação de fibras adrenérgicas 
simpática \uf045 vasoconstrição reflexa
\u2022 Aumento de tônus muscular
\u2022 Aumento da viscosidade sg
\u2022 Diminuição de metabólitos vasodilatadores
CRIOTERAPIA
\u2022 Circulatórios
FRIO \uf0ea Fl. Sg.
\uf0e9Tônus muscular
Vasoconstrição 
reflexa
\uf0e9Viscosidade sg
\uf0ea Metabólitos 
vasodilatadores
CRIOTERAPIA
\u2022 Circulatórios
\u2013 Vasodilatação
\u2022 Imersão 0-120 C \uf045 vasoconstrição \uf045
vasodilatação após 05 min ou +
\u2013 Aumento e diminuição de fl sg em ciclos: VDIF -
vasodilatação induzida pelo frio
» Proteção tecidual contra danos causados pelo 
resfriamento
CRIOTERAPIA
\u2022 Inflamação 
\u2013 Menor quantidade de fluído intersticial pela 
vasoconstrição
\u2013 Reduzindo inflamação \uf045 \uf0ea dor
\u2013 Redução do metabolismo 
CRIOTERAPIA
\u2022 Inflamação
\u2013 Efeito sobre lesões secundária por hipóxia
\u2022 \uf0ea atividade metabólica celular periférica a lesão 
inicial \uf045 \u201chibernação\u201d celular \uf045células sobrevivem 
ao período de hipóxia causada pela ruptura 
vascular
CRIOTERAPIA
\u2022 Inflamação
\u2013 Edema
\u2022 Trauma \uf045desequilíbrio pressão\uf045 \uf0e9 P oncótica 
tecidual \uf045 \uf0e9 proteínas livres = mais fluído 
(edema)
Qto maior a lesão mais 
proteínas livres
CRIOTERAPIA
\u2022 Inflamação
\u2013 Edema
\u2022 Aumento de edema ocasiona mais lesão por 
hipóxia
\u2013 Maior edema \uf045\uf0e9 espaço entre vasos e células = 
difusão do O2 e outros nutrientes prejudicada
\u2013 Maior edema \uf045\uf0e9 compressão vasos
CRIOTERAPIA
\u2022 Alterações neurológicas
\u2013 Controle de tônus muscular
\u2013 Controle doloroso
CRIOTERAPIA
\u2022 Alterações neurológicas
\u2013 Nervos periféricos
\u2022 Velocidade de condução nervosa 
\u2022 Atividade sináptica
CRIOTERAPIA
\u2022 Alterações neurológicas
\u2013 Efeitos neuromusculares
\u2022 Espasticidade : 
\u2013 resistência aumentada de um músculo a um 
alongamento passivo, reflexos tendinosos profundos 
aumentados e clônus
\u2013 Crioterapia reduz temporariamente a espasticidade
CRIOTERAPIA
\u2022 Alterações neurológicas
\u2013 Efeitos neuromusculares
\u2022 Possíveis modificações fusos musculares, fibras 
aferentes Ia, neurônios motores \u3b1, fibras \u3b3, 
junções neuromusculares
CRIOTERAPIA
\u2022 Alterações neurológicas
\u2013 Efeitos neuromusculares
\u2022 Inibitórios : descritos
\u2022 Excitatórios:
\u2013 gelo\uf045 aumento tônus
\u2013 Massagem com gelo
CRIOTERAPIA
\u2022 Colágeno
\u2013 Resfriamento = \uf0e9 rigidez
\u2013 Diminuição da extensibilidade colágeno
CRIOTERAPIA
\u2022 Força muscular
\u2013 Aplicação curto período
\u2013 Aplicação longo período
CRIOTERAPIA
\u2022 ATIVIDADE PRÁTICA
\u2013 Homem, 55 anos, sofreu um entorse de tornozelo (E) 
severo, há 05 semanas, enquanto praticava sua 
corrida. Ele foi imobilizado com uma órtese por 04 
semanas e evitou descarga de peso no membro 
acometido (uso de muletas). Progrediu com uso de 
uma bengala mas sem descarga total de peso. Não 
existe evidências de anormalidades ósseas ou 
envolvimento neurológico. Ele gostaria de voltar a 
andar sem dispositivo de auxílio (órtese) e , 
eventualmente, voltar a correr.
CRIOTERAPIA
\u2022 ATIVIDADE PRÁTICA
\u2013 Exame físico
\u2022 Edema nos aspectos anterior e lateral do tornozelo
\u2022 Dor com descarga de peso
\u2022 Dor ao movimento ativo e passivo
\u2022 ADM limitada
\u2022 Marcha anormal
CRIOTERAPIA
\u2022 ATIVIDADE PRÁTICA
\u2013 Como a aplicação de crioterapia poderia 
auxiliar o processo?
\u2022 Do primeiro dia (2h) até o momento que o paciente 
procurou avaliação
\u2022 5 semanas depois
\u2022 Efeitos fisiológicos
CRIOTERAPIA
\u2022 Precauções e contra-indicações
\u2013 01. Sd. de Raynaud: 
\u2022 vasoespasmo excessivo
\u2013 02. Comprometimento de circulação local
\u2022 Doença vascular periférica
\u2022 Arteriosclerose
CRIOTERAPIA
\u2022 Precauções e contra-indicações
\u2013 03. Doenças reumatológicas: 
\u2022 LES e AR: crioglobinemia (proteínas sg)
\u2013 04. Alterações cardíacas
\u2022 Resfriar gde área
CRIOTERAPIA
\u2022 Precauções e contra-indicações
\u2013 05. Distúrbios sensitivos: 
\u2022 Feedback paciente
\u2013 06. Hipersensibilidade cutânea
\u2022 Eritema intenso
\u2013 07. Paralisia nervosa
CRIOTERAPIA
\u2022 Riscos
\u2013 Lesão pelo frio 
\u2022 Raro
\u2013 Uso prolongado: várias horas de forma contínua
\u2013 Bolsas de gel
\u2022 Queimaduras com gelo
\u2022 Algumas horas após \uf045 eritema e 
hipersensibilidade
\u2022 Frostbite
CRIOTERAPIA
\u2022 Riscos
\u2013 Frostbite
\u2022 Congelamento localizado do tecido
\u2022 Vários graus, dependentes da profundidade
\u2013 Frostnip, frostbite superficial, frostbite profundo
\u2022 Hiperemia transitória, coceira e gangrena
CRIOTERAPIA
\u2022 Métodos de aplicação
\u2013 Escolha depende:
\u2022 Região:
\u2013 Quantidade de tecido
\u2013 Área: mão, pé, joelho\u2026.
\u2022 Efeitos desejados: 
\u2013 Dependente da condição patológica
\u2022 Escolha do paciente
\u2013 Negativa do paciente
CRIOTERAPIA
\u2022 Métodos de aplicação
\u2013 Bolsas (compressas)
\u2022 + econômico; moldável a região
\u2022 Gelo ou compressas comerciais (gel sílica ou 
outro produto químico)
\u2022 Pode ser utilizado uma toalha umedecida por 
razões higiênicas e melhor transferência
\u2022 Vel de resfriamento inicial é rápida
\u2022 T0 = 5-100 C
CRIOTERAPIA
\u2022 Métodos de aplicação
\u2013 Massagem com gelo
\u2022 Área pequena: 10 a 15 cm pode ser tratada de 05 
a 10 minutos
\u2013 Ventre muscular e trigger point
\u2022 Pirulitos de gelo
\u2022 movimentos
CRIOTERAPIA
\u2022 Métodos de aplicação
\u2013 Banhos frios 
\u2022 Mistura de água e gelo: variar proporção
\u2022 15-20 minutos
\u2022 13-180 C
\u2022 Imersões intermitentes
CRIOTERAPIA
\u2022 Métodos de aplicação
\u2013 Spray
\u2022 Jatos breves (5-10seg)
\u2022 3-5 jatos
\u2022 Tratamento de trigger points
CRIOTERAPIA
\u2022 Gelo + compressão + elevação: polar care 
ou cryocuff
\u2013 Como vc explicaria o benefício desta técnica 
em casos de traumas agudos????
CRIOTERAPIA
\u2022 Criocinética
\u2013 Imersão em H2O até adormecimento (12-
30min)
\u2013 Exercícios ativos no limite doloroso (3-5min)
\u2013 Gelo (3-5min)
\u2013 Exercícios ( 3-5min)
\u2013 Repetir 3-4 x gelo + ex.