Buscar

Apostila- ciencias sociais e aciencia

Teste o Premium para desbloquear

Aproveite todos os benefícios por 3 dias sem pagar! 😉
Já tem cadastro?
Você viu 1, do total de 10 páginas

Prévia do material em texto

1 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
COLÉGIO PEDRO II 
Campus São Cristóvão II 
 
Ciências Sociais 
Material Didático - 2015 
8º ano do Ensino Fundamental 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Elaboração: 
Equipe de Sociologia SC2: 
Alline Torres, Marília Silva, Paulo Victor Aniceto, Raquel Brum e Tatiana 
Bukowitz 
 
Coordenação: Marília Márcia Silva 
Chefia de Departamento: Luiz Felipe Bon 
 
 
Nome dx estudante:____________________________________ 
 
Turma: _______ 
 
 
2 
 
 
 
APRESENTAÇÃO 
 
 
 
 
Carxs estudantes, 
 
 Desenvolvemos esta apostila de Ciências Sociais no intuito de 
proporcionar um material inteligente, pertinente e voltado 
especificamente para vocês, estudantes do Colégio Pedro II. Fomos 
guiados pela tentativa de tornar nossas aulas sempre mais 
interessantes e com participação ativa de vocês. É importante 
estudarmos por meio da apostila, pois ela te auxiliará a adquirir o 
conhecimento específico das Ciências Sociais. 
Estes materiais foram desenvolvidos ao longo de anos e foram 
experimentados e discutidos entre nós professorxs, sempre 
pensando na melhor maneira de construir o conhecimento com 
vocês. Lembrem-se que as pesquisas e tarefas paralelas são 
igualmente importantes para o aprendizado, complementando e 
reforçando o que vocês leem aqui. Pedimos desculpas por eventuais 
erros de digitação ou formatação, que serão corrigidos em versão 
posterior. 
Esperamos, com este material, atiçar ainda mais a curiosidade 
de vocês, assim como ajudá-lxs na organização das informações e 
do conhecimento, o que é primordial para o estudo. 
 
 
 
 
Boas aulas!! 
 
Equipe de Ciências Sociais 
 
 
 
 
 
 
 
 
3 
 
A juventude sempre existiu? O que significa juventude? 
 
 
A � Quais os componentes fundamentais da juventude entendida como 
 categoria social? 
 
1) A JUVENTUDE é uma categoria social, ou seja, é um termo criado socialmente. Este 
termo JUVENTUDE existe na cultura de alguns povos humanos, mas não é um termo unânime em 
todas culturas humanas. Ela é uma categoria CULTURALMENTE CRIADA, e está associada à um 
conjunto de comportamentos, atitudes, valores e uma maneira específica de agir e de ver a vida. 
 Para alguns grupos sociais, em algumas culturas humanas, há apenas 3 faixas etárias: 
 
 
 
 1ª idade → infância; 2ª idade → maturidade / idade adulta; 3ª idade → velhice / senilidade. 
 � 
 juventude 
 
 
Atualmente, na sociedade capitalista na qual vivemos, a JUVENTUDE é considerada uma 
faixa etária intermediária entre infância e maturidade. Associada ao conceito de JUVENTUDE, está a 
categoria de adolescente, para a qual há uma definição oficial no Estatuto da Criança e do 
Adolescente1. O Estatuto da Criança e do Adolescente define adolescente como aquela pessoa 
entre doze e dezoito anos de idade. Também seguindo uma classificação etária, as OPS/OMS 
(Organização Pan-Americana da Saúde e Organização Mundial da Saúde) definiram como pré-
adolescência o período entre 10 a 14 anos, e como adolescência o intervalo entre 15 a 19 anos. 
 
Assim sendo, a JUVENTUDE não é uma categoria biológica. Esta faixa etária pode ser 
associada a um conjunto de transformações físicas e hormonais no corpo humano, mas nem todas 
as sociedades e culturas consideram esta faixa etária como uma etapa específica da vida. Ou seja, 
para várias sociedades a JUVENTUDE é uma etapa da vida que não existe, havendo apenas ritos de 
passagem especiais que marcam a transição entre a infância e a idade adulta. 
 
Outro aspecto interessante a ser observado é que nas sociedades onde a JUVENTUDE 
existe como faixa etária específica, ela pode ter significados, valores e hábitos diferenciados. Estas 
diferenças podem ser percebidas quando comparamos diferentes sociedades no espaço e também 
quando comparamos uma mesma sociedade em diferentes momentos do tempo. Ou seja, o que 
nossos avós consideravam como um comportamento JUVENIL adequado, não é o mesmo que hoje 
consideramos como um comportamento JUVENIL apropriado para os adolescentes... e muitas 
destas diferenças estão associadas a hábitos de consumo. Os variados grupos econômicos de 
uma mesma sociedade capitalista atual vivenciam a juventude de modos diferentes, de acordo com 
 
suas necessidades materiais e com as suas possibilidades de compra. Jovens de camadas 
econômicas mais pobres comumente precisam trabalhar para ajudar na renda familiar para a compra 
de produtos básicos para a sobrevivência, tendo menos tempo para se dedicar aos estudos e ao 
lazer. Contrastivamente, jovens de camadas econômicas mais elitizadas possuem uma capacidade 
de consumo mais elevada e dedicam seu tempo principalmente aos estudos, ao lazer, à preparação 
de suas atividades profissionais futuras, fazendo cursos e praticando atividades de esporte 
diferenciadas. 
 
1 O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA - Lei nº 8.069) é um conjunto de leis especiais, 
voltadas para as crianças e adolescentes, que visa complementar a atual constituição. Ele foi 
criado em 1990, substituindo a antiga legislação chamada “Código de Menores” (de 1979). 
Através do novo Estatuto, todas as crianças e adolescentes passam a ser considerados cidadãos, 
tendo seus direitos pessoais e sociais garantidos, o que desafia os governos a criarem políticas 
públicas voltadas para esse segmento social. 
4 
 
 Além das diferenças econômicas, as distinções culturais, religiosas, de identidade de gênero 
podem fazer com que existam drásticas variações entre o que cada grupo juvenil possa fazer: 
adquirem habilidades, conhecimentos e perspectivas de futuro muitíssimo desiguais. 
 
Outro exemplo destas diferenças ente diferentes concepções de juventude é o fato de que, há 
algumas décadas atrás, em nosso país, era muito comum e aceitável que os casamentos fossem 
arranjados pelos pais dos jovens, e que estes acontecessem quando as meninas estavam entre seus 
12 a 17 anos de idade. Isto ainda ocorre em algumas regiões do interior do nosso país, mas não é 
mais tão comumente aceito. 
 
� É possível afirmar que existe apenas uma juventude? Ou seria mais correto empregar o 
termo juventudeS, no plural? 
 
 
2) Os aspectos bioquímicos da JUVENTUDE são mais profundamente estudados por 
segmentos da biologia, medicina, psicologia e psiquiatria, especialmente em suas pesquisas 
relacionadas às transformações hormonais internas do corpo humano (quando o organismo humano 
sofre alterações de maturação, tornando-se capaz de ativar as suas funções reprodutoras) – as quais 
possuem desdobramentos também em seu aspecto físico externo, causando aumento de mamas e 
glúteos nas mulheres, aparecimento de pelos pubianos, alteração de voz nos rapazes, aparecimento 
de espinhas na face devido a alteração de oleosidade da epiderme, etc. 
 
����� Importante!!! ����� 
 
 Cada CULTURA e grupo socioeconômico enfrenta, observa, ressignifica, interpreta e lida, de 
modo DIFERENCIADO com estas mudanças bioquímicas do corpo humano e seus respectivos 
desdobramentos externos. Ou seja, esta fase de passagem da infância para vida adulta pode ser 
CULTURALMENTE significada e vivenciada de modos variados. Além disso, elementos 
socioculturais como tipo de alimentação (carência ou excesso de certos componentes alimentares), 
hábitos cotidianos, estresseelevado, etc. podem ter influência bastante forte nos próprios processos 
de alterações bioquímicas de um grupo humano em fase de juventude. 
 
 
3) É justamente o elemento CULTURAL, ou seja, os elementos simbólicos amplamente 
diferenciados que mais interessam o estudo das juventudeS pelas Ciências Sociais. Neste momento, 
pelo fato de vocês, estudantes, estarem inseridos no modo de produção capitali$ta, começamos a 
considerar, mais detalhadamente, as interferências deste modo de produção no comportamento, 
valores sociais, na definição de hábitos e princípios de grupos juvenis economicamente 
diferenciados. 
 
 
4) A diversidade das formas de vivenciar-se a faixa etária chamada pelo Ocidente como 
juventude faz com que as Ciências Sociais NEGUEM a existência de uma única juventude, 
entendendo que cultural, politica e socialmente há inúmeras formas de viver a juventude, por isso 
optamos pelo termo JUVENTUDES. 
 
5) A adolescência e a juventude são conceitos socialmente criados. Se se numa 
mesma faixa etária, entre os 12 e os 18 anos, jovens de diversas culturas e em diversos espaços e 
tempos se comportam de maneira tão diferente, como surgiu a juventude como um conceito 
definido? 
 
 
Alguns fatores reestruturaram as diferentes fase da vida no Ocidente capitalista, abrindo uma 
nova categoria entre a infância e a idade adulta. Vejamos os principais fatores: 
5 
 
 
a) A partir dos anos 1950, as descobertas científicas permitiram controlar inúmeras doenças. 
 
b) Houve uma melhoria nas condições de alimentação para parte da população Ocidental, 
também colaborando para o aumento da expectativa de vida. Com o aumento do tempo de vida, foi 
possível retardar o ingresso na vida adulta, criando-se uma fase de transição: a 
adolescência/juventude. 
 
c) Além disso, devido à Segunda Guerra Mundial (1945), houve um grande quantitativo de 
mortes de soldados e civis na Europa e de soldados norte-americanos, diminuindo os contingentes 
populacionais nestas áreas. Para aumentar a quantidade das populações afetadas pelas mortes na 
guerra, os governos destas regiões incentivaram o crescimento da natalidade. Assim, houve um 
fenômeno social chamado de “baby boom” (explosão de bebês), caracterizado por um grande 
crescimento populacional e aumento do número de nascimentos, fazendo com que nos anos 1970 
houvesse um grande contingente de pessoas na faixa etária juvenil. 
 
A criação desta faixa etária peculiar foi associada a um novo estilo de vida, fortemente 
influenciado por dois elementos do mercado de consumo: a produção industrial e os meios de 
comunicação de massa. 
 
A indústria de massa (indústria que produz produtos padronizados para uma enorme 
quantidade de consumidores) rapidamente incorporou essa nova clientela juvenil, passando a 
produzir para ela toda uma nova gama de produtos: roupas, alimentos, bebidas, revistas, livros, 
eletrônicos, cosméticos, etc. Enquanto isso, os meios de comunicação de massa divulgavam os 
novos padrões de moda, conduta e moralidade que caracterizam a juventude. 
 
 
6) Atualmente há um mundo que se pretende eternamente jovem. Aqueles jovens dos 
anos 1950 cresceram, tornaram-se adultos, mas a juventude continua, assim como seu anseio por 
liberdade e por participação social. A diferença é que essa juventude inaugurada nos anos 60, hoje 
se transformou em lema da sociedade contemporânea. Num estranho processo de síntese, a 
oposição que havia, entre a sociedade e os dogmas da juventude, desapareceu. E tudo aquilo que 
no início escandalizava e era veementemente criticado, hoje aparece como objetivos e metas. O 
novo, o jovem e o moderno tornaram-se valores para as pessoas das mais diversas idades. 
Assistimos à mídia e à indústria cultural iniciarem uma nova campanha. Não mais para criar a 
juventude, pois ela já existe, mas para torná-la eterna. Neste processo de renovação dos corpos e 
dos produtos, os jovens se inserem como integrantes do mercado consumidor e também como 
modelo de estética e de estilo de vida para diferentes faixas etárias. Para difundir entre as pessoas 
de diferentes grupos sociais e nações esse novo ideal de vida, os meios de comunicação de massa e 
a indústria cultural elegeram a juventude e tudo que é novo como modelo. 
 
 
 
B � Por que a juventude é uma peça fundamental do modo de produção 
 capitali$ta? 
 
 O modo de produção capitalista necessita de um mercado com atividade 
constantemente ampliada e renovada, garantindo de modo mais eficaz possível a incessante 
produção de lucro. Para isso, é necessário: 
 
6 
 
 
 1) Produção continuada e em grande escala de bens de consumo. 
 
 2) Compra destes produtos. 
 � 
Para que haja a compra rápida destes novos produtos constantemente inseridos 
no mercado, é preciso CRIAR DESEJO DE CONSUMO. A criação de desejo de consumo 
deve ser constante, mantendo o consumidor interessado na compra de bens, mesmo que 
estes seja, efetivamente supérfluos ou mesmo danosos à sua saúde e bem-estar. 
 � 
Como o desejo de consumo é incessantemente alimentado pelas indústrias de 
propaganda e marqueting, este desejo de consumo torna-se: ininterrupto e insaciável. 
 � 
 Como consequência, ocorre a perda de liberdade do que desejamos e do que 
queremos, há uma perda de autonomia pois estamos muito influenciados pelo universo da 
propaganda, e os jovens, interessados em inserirem-se e integrarem-se socialmente, 
muitas vezes encontram no CONSUMO um modo alternativo de sentir-se parte da 
sociedade em que se encontram. 
 � 
 Assim, muitas vezes confunde-se “o que eu quero TER” com “o que eu quero SER”: 
no modo de produção capitali$ta, TER e SER frequentemente possuem significados 
equivalentes!!!! 
����� 
 
Considerando a estreita relação entre a juventude o consumo no modo de produção 
capitalista, levantamos duas questões: 
 
 
 
 
 
 1. Será que uma identidade juvenil sólida 
 pode ser construída 
 pela aquisição de produtos do consumo? 
 
 
 
 
 
 
Resposta: __________________________________________________________________________ 
__________________________________________________________________________________ 
__________________________________________________________________________________ 
__________________________________________________________________________________ 
 
 
7 
 
 
 
 
 2. TER e SER são realmente 
 termos equivalentes??? 
 
 
 
 
 
 
Resposta: __________________________________________________________________________ 
__________________________________________________________________________________ 
__________________________________________________________________________________ 
__________________________________________________________________________________ 
 
 
Questões para revisão e aprofundamento da compreensão: 
 
 
1. Por que a juventude deve ser compreendida como uma categoria sociocultural? 
 
Resposta: __________________________________________________________________________ 
__________________________________________________________________________________ 
__________________________________________________________________________________ 
__________________________________________________________________________________ 
 
2. Por que devemos falar em juventudeS (no plural)? 
 
Resposta: __________________________________________________________________________ 
____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ 
__________________________________________________________________________________ 
 
3. O que significa dizer que a juventude está submetida a condicionamentos sociais? 
 � Cite dois fatores sociais que podem influenciar o modo de vida e o comportamento dos 
jovens. 
 
Resposta: __________________________________________________________________________ 
__________________________________________________________________________________ 
__________________________________________________________________________________ 
__________________________________________________________________________________ 
 
4. Algumas transformações na sociedade Ocidental capitalista, no fim do século XX, 
permitiram a existência da juventude. Cite pelo menos duas destas transformações. 
 
Resposta: __________________________________________________________________________ 
__________________________________________________________________________________ 
__________________________________________________________________________________ 
 
 
 
 
5. Como as propagandas e os meios de comunicação criam novas necessidades de 
consumo entre os jovens? 
 
Resposta: __________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________________
 
6. É possível afirmar que o INDIVIDUALISMO e o CONSUMISMO estão presentes de modo 
muito marcante nas juventudes contemporâneas? 
� Justifique sua resposta relacionando os termos: 
 
Resposta: __________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________________
 
Fonte para elaboração do texto: Cristina Costa, “
 
 
 
 
Indústria Cultural
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
propagandas e os meios de comunicação criam novas necessidades de 
: __________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________________
É possível afirmar que o INDIVIDUALISMO e o CONSUMISMO estão presentes de modo 
ito marcante nas juventudes contemporâneas? 
Justifique sua resposta relacionando os termos: juventude e modo de produção capitali$ta
: __________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________________
: Cristina Costa, “As diversidades da juventude
Atividade de reflexão sobre: 
Indústria Cultural e Cultura de Massa
 
� Com a maior riqueza de detalhes possível, descreva nas 
linhas abaixo tudo o que você souber e 
elemento apresentado na imagem ao lado: 
 
1�_________________________________________
2�_________________________________________
3�_________________________________________
4�_________________________________________
5�_________________________________________
6�_________________________________________
7�_________________________________________
8�_________________________________________
9�_________________________________________
10�___________________________________
 
8 
propagandas e os meios de comunicação criam novas necessidades de 
: __________________________________________________________________________ 
__________________________________________________________________________________ 
__________________________________________________________________________________ 
__________________________________________________________________________________ 
É possível afirmar que o INDIVIDUALISMO e o CONSUMISMO estão presentes de modo 
modo de produção capitali$ta. 
: __________________________________________________________________________ 
__________________________________________________________________________________ 
__________________________________________________________________________________ 
__________________________________________________________________________________ 
As diversidades da juventude”, 1997. 
Cultura de Massa 
Com a maior riqueza de detalhes possível, descreva nas 
e puder explicar sobre o 
elemento apresentado na imagem ao lado: 
_________________________________________ 
_________________________________________ 
_________________________________________ 
_________________________________________ 
_________________________________________ 
_________________________________________ 
_________________________________________ 
_________________________________________ 
_________________________________________ 
________________________________________ 
 
 
Se somos brasileiros, por que 
sabemos
�� Esboce uma resposta para esta pergunta 
_____________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________
 
Será que você já tinha um dia parado para refletir sobre a questão acima? Como a
Sociais explicam que determinados elementos de outras culturas ultrapassam barreiras atingindo a 
todos nós, brasileiros(as)? Para compreender esta influência, precisamos entender o que são 
Cultura de Massa e a Indústria Cultural
 
 
A. Cultura de Massa
 
Utilizamos o termo cultura de massa
população. Este conceito originou
populações marginalizadas da região in
massa distinguia a elite dos grupos subalternos. A cultura de massa, no século XVIII, era 
caracterizada pelo seu modo peculiar de socialização,
forte gestualidade, ironias e trocadilhos, de erotismo e 
culturais do comportamento da elite 
valorizava a contenção das emoções e o autocontrole das expressões.
 
Posteriormente, no século XX, 
de a classe dominante exercer o 
a elite econômica poderia propagar uma nova ide
sistema capitalista de produção. Um instrumento 
população são os meios de comunicação em massa, como a televisão, o
cinema, o rádio, e as propagandas presentes nestes meios de comunicação. A
da publicidade, aumenta-se a 
convencendo-nos de que precisamos 
primeira necessidade. 
 
Dentro do modo de produção capitalista, há uma forte relação entre a 
a alienação. Por meio do sucesso da ideologia capitalista e 
controle social, gerando padronização do comportamento
na população em geral, fazendo com que todos colaborem com a manutenção do consumismo
 
 
 
 
 
Se somos brasileiros, por que 
sabemos tanto sobre o Superman?
 
 
 
Esboce uma resposta para esta pergunta ��
 
_____________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________
Será que você já tinha um dia parado para refletir sobre a questão acima? Como a
determinados elementos de outras culturas ultrapassam barreiras atingindo a 
Para compreender esta influência, precisamos entender o que são 
Indústria Cultural. 
Cultura de Massa 
cultura de massa para mencionar a cultura que atinge grande parte da 
originou-se no século XVIII, para denominar a cultura dos subalternos, das 
populações marginalizadas da região industrial e urbanizada da Europa. Na época, a cult
massa distinguia a elite dos grupos subalternos. A cultura de massa, no século XVIII, era 
modo peculiar de socialização, empregando palavras de baixo calão, 
ironias e trocadilhos, de erotismo e humor. Tudo isso
a elite europeia, porque a elite defendia o formalismo e a etiqueta, 
a contenção das emoções e o autocontrole das expressões. 
no século XX, o objetivo da cultura de massa está relacionado à possibilidade 
de a classe dominante exercer o controle sobre os grupos subalternos. Através da cultura de massa, 
a elite econômica poderia propagar uma nova ideia de cultura: o consumismo, 
e produção. Um instrumento para alcançar os grandes contingentes da 
são os meios de comunicação em massa, como a televisão, o
, e as propagandas presentes nestes meios de comunicação. A
se a venda de determinados produtos, cria-se o desejo de consumo,
nos de que precisamos obter produtos que, não necessariamente
Dentro do modo de produção capitalista, há uma forte relação entre a 
. Por meio do sucesso da ideologia capitalista e através da alienação
do padronização do comportamento coletivo, criando desejos e necessidades
na população em geral, fazendo com que todos colaborem com a manutenção do consumismo
9 
Se somos brasileiros, por que 
Superman? 
 
� 
_____________________________________________________________________________ 
_____________________________________________________________________________ 
_____________________________________________________________________________ 
_____________________________________________________________________________ 
_______________________________________________________ 
_____________________________________________________________________________ 
Será que você já tinha um dia parado para refletir sobre a questão acima? Como as Ciências 
determinados elementos de outras culturas ultrapassam barreiras atingindo a 
Para compreender esta influência, precisamos entender o que são a 
cultura que atinge grande parte da 
ara denominar a cultura dos subalternos, das 
dustrial e urbanizada da Europa. Na época, a cultura de 
massa distinguia a elite dos grupos subalternos. A cultura de massa, no século XVIII, era 
palavras de baixo calão, usando 
humor. Tudo isso incomodava os hábitos 
elite defendia o formalismo e a etiqueta, 
está relacionado à possibilidade 
sobre os grupos subalternos. Através da cultura de massa, 
: o consumismo, compatível com o 
para alcançar os grandes contingentes da 
são os meios de comunicação em massa, como a televisão, os jornais, as revistas, o 
, e as propagandas presentes nestes meios de comunicação. Através do uso intenso 
se o desejo de consumo, 
não necessariamente, são bens de 
Dentro do modo de produção capitalista, há uma forte relação entre a ideologia capitalista e 
através da alienação, ocorre um eficaz 
criando desejos e necessidades 
na população em geral, fazendo com que todos colaborem com a manutenção do consumismo. 
10 
 
 
 
B. Cultura de Massa 
 
O termo indústria cultural é utilizado pela teoria crítica das ciências sociais, originalmente 
criada pelos integrantes chamada Escola de Frankfurt, um grupo de pesquisadores alemães. 
Segundo os investigadores da Escola de Frankfurt, a indústria cultural é a produção maciça, 
seriada, tecnológica de bens simbólicos e culturais que podem ser comercializados. Desde o século 
XX, grande parte dos elementos culturais e artísticos se tornam submetidos à ideia de consumo 
(venda e compra). São reproduzidos em massa, em larguíssima escala, como produtos fabricados 
em série nas linhas de montagens industriais. 
 
Theodor Adorno (1903-1969) e Max Horkheimer (1895-1973) criaram o termo indústria 
cultural para analisar a influência dos meios de comunicação de massa sobre a população. 
Concluíram que eles funcionavam como uma verdadeira indústria de produtos culturais, visando 
exclusivamente o consumo e o controle sobre os gostos, interesses e padrões de comportamento. 
Conforme a análise de Adorno, a indústria cultural vende mercadorias, porém, mais do que isso, 
vende imagens do mundo e de um ser humano que deve se adequar ao consumo padronizado. A 
indústria cultural seria, então, como qualquer indústria, organizada em função de um público-massa – 
abstrato e homogeneizado – e baseado nos princípios da lucratividade. 
 
Theodor Adorno, um dos integrantes da Escola de Frankfurt, é um radical crítico do modo de 
produção capitalista. Segundo as análises de Adorno, a indústria cultural tem como único objetivo a 
dependência e a alienação dos seres humanos. A indústria cultural é capaz de maquiar o mundo 
através de anúncios, propagandas e dos produtos que veicula. Acaba seduzindo as massas para o 
consumo das mercadorias culturais, a fim de que elas se esqueçam da exploração que sofrem nas 
relações de produção. Procurando a diversão e o prazer por meio do consumo, a indústria 
cultural estaria mascarando realidades intoleráveis e fornecendo ocasiões de fuga da 
realidade. Como consequência, a indústria cultural promoveria o continuísmo social, estimularia, 
portanto, o imobilismo. É desta forma que tanto a indústria cultural como a cultura de massa 
colaboram com um amplo e eficaz sistema de dominação. Por meio da cultura de massa, a 
burguesia se apropria também do lazer do trabalhador e de seu tempo livre. 
 
Walter Benjamin, outro integrante alemão da Escola de Frankfurt, indica que a indústria 
cultural deve ser criticada porque transforma a ARTE em MERCADORIA. Para Benjamin, a arte e 
a cultura perderam sua � aura �, sua autenticidade, seu caráter único e beleza duradoura sempre 
que são reproduzidas e copiadas em série pela indústria cultural. De expressivas, tornaram-se 
reprodutivas e repetitivas. De criação do belo, e de expressão do sentimento, tornaram-se eventos 
ou objetos de consumo. A função da indústria cultural seria a massificação da cultura e das artes 
para o consumo rápido no mercado da moda e na mídia. Massificar é banalizar as artes e a produção 
das ideias, ou seja, é vulgarizar os conhecimentos e esvaziar o valor da arte como expressão 
original. 
 
� Atenção!!!! � 
É importantíssimo saber que não são todos os cientistas sociais que criticam a indústria 
cultural. Há cientistas sociais que afirmam que os meios de comunicação vendem produtos, mas 
também têm uma importante função de transmitir mensagens e informações úteis á população, 
trazendo às massas o acesso a obras de arte que não estariam ao seu alcance em sua forma 
original. Se hoje é possível nos comunicar com pessoas de outros países, ler jornais on line, ouvir 
músicas de outras localidades de todo o mundo, isto também se deve à indústria cultural.

Materiais relacionados

Perguntas relacionadas

Perguntas Recentes