A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
27 pág.
Livro Texto   Unidade II Psicologia do Desenvolvimento

Pré-visualização | Página 5 de 9

das condições de existência e dos valores sociais que 
permeiam a cultura em que eles estão inseridos, e isso é responsabilidade de todos os que fazem parte 
de um conjunto social.
 Saiba mais
 Conheça o caso de Sander Mecca e outros adolescentes lendo o texto 
Ecstasy conquista uma nova classe de usuários adolescentes no Brasil, 
disponível em <http://www.skyscraperlife.com/boteco/21073-ecstasy-
conquista-uma-nova-classe-de-usuarios-adolescentes-no-brasil.html>, 
que segue refletindo sobre os assuntos tratados. A partir dos referenciais 
teóricos propostos, compreenda por que adolescentes têm sido atraídos 
para o uso e a venda de drogas.
6 O DESENVOLVIMENTO DO ADULTO JOVEM (DE 20 A 40 ANOS)
Nesse tópico vamos estudar o adulto jovem, considerado o indivíduo que tem aproximadamente entre 
20 e 40 anos. É importante salientar que as idades sempre são parâmetros aproximados e condizentes 
com o momento sócio-histórico de determinada sociedade. Por exemplo, em nossa sociedade o período 
da adolescência está cada vez mais ampliado. 
Pode-se afirmar que os temas centrais da vida de um indivíduo dessa fase são: o amor, o trabalho e 
a ética. O adulto jovem não é mais onipotente como o adolescente, mas mantém muita energia em suas 
realizações, é uma idade de muitas produções. Ele adota uma ideologia e uma filosofia de vida; assume 
e responde pelas próprias escolhas e pelos seus compromissos. 
6.1 Desenvolvimento físico do adulto jovem
A vida adulta compreende o período em torno dos 20 aos 65 anos. Dessa forma, pode-se observar nele 
que os aspectos físicos contemplam um continuum, que vai da plenitude física ao começo do declínio.
92
Unidade II
Re
vi
sã
o:
 L
ea
nd
ro
/T
at
ia
ne
 -
 D
ia
gr
am
aç
ão
: F
ab
io
 -
 2
2/
09
/1
1 
- 
2ª
 R
ev
isã
o:
 T
at
ia
ne
 -
 D
ia
gr
am
aç
ão
: J
ef
fe
rs
on
 -
 2
9/
09
/1
1
Exemplo de aplicação
 
Faça uma busca nos meios eletrônicos para levantar informações sobre o auge da carreira do jogador 
de futebol “Ronaldo Fenômeno”. Observe se o período é convergente com o auge do desenvolvimento 
físico, conforme os referenciais teóricos apresentados nesse tópico.
Na fase adulta jovem ou juventude, com relação aos aspectos físicos, a pessoa se encontra no 
auge das estruturas intelectuais e morais. Por volta dos 25 anos, há uma diminuição das mudanças 
fisiológicas, pois as funções do corpo já estão todas desenvolvidas. Na realidade, pode-se afirmar que 
as funções corporais se encontram plenas, a força muscular está no seu ponto máximo, bem como a 
agudeza sensorial. Quanto à estatura, os homens costumam atingir sua estatura máxima por volta dos 
21 anos e as mulheres, em torno dos 18 anos.
O adulto jovem faz parte do grupo mais saudável da população. Por outro lado, as maiores 
causas de morte nesse período são principalmente acidentes e atos de violência, como homicídios 
ou suicídios.
 Observação
As causas de infertilidade são proporcionais entre homens e mulheres, 
boa parte desses casos poderia ser evitada se alguns cuidados fossem 
tomados durante o desenvolvimento até a idade adulta (CLÍNICA FERTILIS, 
2011). 
Se nessa fase ocorre o auge da vitalidade física, por que há tantos casos de infertilidade? Os estudos e 
as pesquisas sobre a vida adulta ainda são muito recentes, e, nesse sentido, já é notória a necessidade de 
uma ampliação dos mesmos. No entanto, pode-se afirmar que o estilo de vida (exercícios, alimentação, 
sono etc.), o avanço da medicina, a ausência de guerras, melhores condições sanitárias e políticas de 
natalidade são fatores que ao longo do desenvolvimento humano interferiram positiva e negativamente 
nos diferentes eixos do ciclo vital. Assim, parece-nos que a ampliação dos estudos e das pesquisas na 
fase adulta passa a ser cada vez mais importantes para a compreensão sobre os fenômenos que nela 
ocorrem, a fim de que se saiba a melhor maneira de intervir.
 Lembrete
O fumo é a principal causa evitável de morte em adultos, tanto para 
os fumantes como para as vítimas do fumo passivo – inalar a fumaça de 
outras pessoas.
93
PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO: CICLO VITAL
Re
vi
sã
o:
 L
ea
nd
ro
/T
at
ia
ne
 -
 D
ia
gr
am
aç
ão
: F
ab
io
 -
 2
2/
09
/1
1 
- 
2ª
 R
ev
isã
o:
 T
at
ia
ne
 -
 D
ia
gr
am
aç
ão
: J
ef
fe
rs
on
 -
 2
9/
09
/1
1
6.2 Desenvolvimento cognitivo do adulto jovem
O raciocínio sobre questões religiosas é um aspecto do desenvolvimento cognitivo adulto, 
que tem despertado interesse em alguns pesquisadores. Tal como a moralidade, a fé é mais do 
que um processo cognitivo: ela envolve a pregação e provém da experiência e da educação 
religiosa. E como todas as formas de raciocínio e análise, a fé não é estática, mas se modifica 
com a vida e com os valores, sofrendo transformações à medida que a experiência se acumula 
(BERGER, 2001, p. 321).
Como já foi afirmado anteriormente, esse período se caracteriza pelo auge das estruturas 
intelectuais. Além disso, geralmente se dá o início do trabalho e dos estudos superiores. Nesse 
momento, muitas pessoas começam a modelar seu projeto de vida, sua vocação, colocando suas 
decisões à prova ou alterando seu plano de vida.
Griffa e Moreno (2001) apresentaram um estudo longitudinal, em que acompanharam 300 
estudantes com idades entre 25 e 35 anos. Os resultados apontaram para “uma tendência a se 
adaptar ao meio social, dedicar-se ao trabalho e à família”. Outro aspecto importante observado é 
que essas pessoas apresentaram “pouca autorreflexão” e dedicação às atividades individuais; por 
outro lado, tiveram “maior autoexigência e menor autossatisfação”.
Percebe-se que a maioria dos adultos jovens tem a necessidade de impor-se, expandir-se, com vistas 
ao êxito, à ascensão social. Portanto, essa fase se caracteriza por um pensamento de natureza mais 
complexa, em que são feitas as escolhas profissionais e vocacionais. 
Apesar de Piaget (1967) apresentar o estádio operatório formal como o ápice da realização 
cognitiva, há outros estudiosos que afirmam que a cognição se estende para além dessa etapa. 
Sinnott (1984 apud PAPALIA; OLDS; FELDMAN, 2006) propõe que nessa fase o indivíduo desenvolve 
o pensamento pós-formal, apresenta-o como mais complexo que o pensamento formal descrito 
por Piaget. Argumenta, ainda, que as principais características desse pensamento são: a capacidade 
de lidar com incertezas, inconsistências, contradição, imperfeição e o compromisso. Trata-se de 
um pensamento mais flexível e adaptativo.
 Lembrete
O pensamento pós-formal, estágio superior de cognição adulta, pode 
ser compreendido como muito mais rico e complexo do que as manipulações 
intelectuais abstratas descritas por Piaget.
Nesse caso, a capacidade do adulto de lidar com incerteza, inconsistência, contradição, imperfeição 
e tolerância se dá por meio de um pensamento maduro que se baseia na experiência subjetiva, na 
intuição e na lógica. 
94
Unidade II
Re
vi
sã
o:
 L
ea
nd
ro
/T
at
ia
ne
 -
 D
ia
gr
am
aç
ão
: F
ab
io
 -
 2
2/
09
/1
1 
- 
2ª
 R
ev
isã
o:
 T
at
ia
ne
 -
 D
ia
gr
am
aç
ão
: J
ef
fe
rs
on
 -
 2
9/
09
/1
1
Exemplo de aplicação
 Busque informações nos meios tradicionais ou eletrônicos sobre a Inteligência Emocional, descubra 
quais são seus cinco domínios e procure saber a razão de ela ser tão importante para o êxito ao longo da 
vida. Em seguida, faça um levantamento das questões controversas e entenda por que ela é tão difícil 
de ser medida. 
Como os dilemas sociais são mais desestruturados e carregados de emoção, os adultos maduros 
tendem a recorrer ao pensamento pós-formal. É preciso