Aula+Farmacocinética+e+Farmacodinâmica
10 pág.

Aula+Farmacocinética+e+Farmacodinâmica

Disciplina:Propedeutica Odontologica I11 materiais117 seguidores
Pré-visualização2 páginas
07/03/18	

1	

Farmacocinética
 e

Farmacodinâmica

Profa Ariane Paredes

Fármacos

•  Penetrar no organismo
•  Órgão alvo

Fármacos

•  Farmacodinâmica
Mecanismos de ação para um fármaco
exercer sua ação no organismo

•  Farmacocinética
Caminhos por onde transitam os fármacos para
serem absorvidos e atingirem um
compartimento orgânico ou um órgão-alvo

Fármacos

•  Vias de administração

§  Enteral

§  Parenteral

Fármacos

•  Vias de administração
Enteral

-  Via oral (VO)

-  Ultrapassa a barreira do estômago

-  Absorvido no espaço entérico

-  A eficiência depende da sua
hidrofobicidade e de sua neutralidade

-  Hidrofóbico e neutro

Fármacos

•  Vias de administração
Enteral

07/03/18	

2	

Fármacos

•  Vias de administração
Parenteral

Corrente sanguínea

§  Vias subcutânea (início lento)
§  Via intramuscular (início intermediário)
§  Via venosa (de início rápido)
§  Via intratecal (diretamente no líquido

cefalorraquidiano)

Fármacos
•  Absorção
Passagem do fármaco para a

corrente sanguínea
v  Enteral e Tópica

Fármacos

•  Absorção
v Velocidade
v Tamanho
v Forma da molécula
v Superfície de absorção
v Diferença entre os gradientes de

concentração

Fármacos

•  Absorção

Fármacos

•  Distribuição

o  Restaurar a homeostasia
o  Concentração plasmática
o  Combina com aquela encontrada no órgão-

alvo

Fármacos

•  Distribuição
Volume de distribuição (Vd):

Volume necessário e suficiente para manter a
concentração da droga administrada (dose) em níveis

próximos aos da concentração plasmática (Cp)

Vd = dose/Cp

07/03/18	

3	

Fármacos

•  Distribuição

v Carga eletrostática

v Peso molecular

v Grau de solubilidade

v Comprimento da molécula

v PH, entre outras

Fármacos
•  Distribuição
Relação dose/efeito:
1 – A maior concentração
plasmática desse fármaco, que
não seja tóxica
2 – A sua menor concentração,
capaz de fazer um efeito eficaz

Fármacos

•  Potência do fármaco

Quantidade de fármaco necessária para
produzir o efeito desejado com a sua

administração

-  Droga X 5mg
-  Droga Y 15m

Droga X
3x mais potente

Fármacos

•  Biodisponibilidade

Dosagem, sem alterações, de um
determinado fármaco, que consegue atingir

a circulação

•  Depende da via de administração

Fármacos

•  Biodisponibilidade

o  Solubilidade do fármaco

o  Estabilidade química

o  Formulação

o  Efeito de primeira passagem

Fármacos

•  Biodisponibilidade

07/03/18	

4	

Fármacos

•  Posologia

o  Quantidade da droga
o  Intervalo de duração entre as tomadas
o  Tempo total de administração

Fármacos

•  Posologia

Cefalexina 500mg (dose)

 1 cápsula a cada 6 horas

Durante 7 dias

Fármacos

• Excreção
²  Renal
Medicamentos hidrofílicos

²  Biliar
Outros

Fármacos

• Excreção

Fármacos

• Biotransformação

Quando sofrem a ação de enzimas em

órgãos diversos à Metabolização

o  Intestino delgado
o  Pele
o  Pulmões
o  Rins
o  Fígado

Fármacos

• Biotransformação

-  Fase I: são realizadas as reações de oxirredução

-  Fase II: acontecem as reações de hidrólise

Todo o processo objetiva a inativação, com
subsequente eliminação da droga administrada

07/03/18	

5	

Fármacos

• Biotransformação

-  Fase I:

-  Fase II:

Interação com proteínas do sangue
onde há perda de életrons

Decomposição das substâncias por
moléculas de água

Fármacos

• Biotransformação

Prática

•  Utilizar a bula de qualquer medicamento e
encontrar:

-  Tempo de Ação
-  Local de absorção
-  Local de metabolizção
-  Forma de Excreção

Prescrição

Medicamentosa

Prescrição Medicamentosa

•  Receita

o  Receita comum: é aquela utilizada na prescrição
da maioria dos medicamentos em odontologia

o  Receita magistral: é aquela utilizada para a
prescrição de medicamentos manipulados, que
deve conter sua fórmula magistral

o  Receituário especial: tipos de receitas utilizados
para a prescrição de medicamentos controlados

Prescrição Medicamentosa

•  Receita
Lei 5.081/1966, que regula o exercício da odontologia, art. 6, item II:

 "Compete ao cirurgião-dentista prescrever e aplicar
as especialidades farmacêuticas de uso Interno e

externo, indicadas em Odontologia”
 (BRASIL, 1966, on-line)

o  Prescrição de medicamentos:
Leis n. 5.991/1973 e 9.787/1999 e RDC ANVISA n. 80/2006 e 16/2007
o  Medicamentos controlados: Portaria SVS/MS 344/98A

07/03/18	

6	

Prescrição Medicamentosa

•  Receita
Portaria SVS/MS n. 344/1998, em seus artigos 38 e 55 §1:

"As prescrições por cirurgiões-dentistas e
médicos veterinários só poderão ser feitas para

uso odontológico e veterinário,
respectivamente"

(ANVISA, 1998, on-line)

Prescrição Medicamentosa

•  Receita

Cirurgião-dentista pode e deve prescrever

qualquer classe de medicamentos que tenha

indicação comprovada em odontologia,

incluindo os medicamentos de uso controlado

Prescrição Medicamentosa

• Formas farmacêuticas

Apresentação dos fármacos para o uso
pelas vias de administração

-  Comprimidos, drágeas
-  Cápsulas, pastilhas
-  Suspensões, soluções
-  Emulsão
-  Pomadas
-  Óvulos, supositórios

Prescrição Medicamentosa

• Formas farmacêuticas

-  Comprimidos
o  Formas sólidas de fármacos
o  Comprimidos não devem ser fracionados

Prescrição Medicamentosa

• Formas farmacêuticas

-  Drágeas

o  Formas farmacêuticas adicionadas de
xaropes edulcorantes (que conferem sabores)

Prescrição Medicamentosa

• Formas farmacêuticas

-  Cápsulas

o  Invólucros gelatinosos para conter o fármaco)
o  Consistência: depende do objetivo de sua prescrição

07/03/18	

7	

Prescrição Medicamentosa

•  Formas farmacêuticas

-  Suspensões
o  Misturas heterogêneas formadas por 2 ou mais fases
o  Velocidade pequena de separação entre as fases

-  Fase externa: geralmente um líquido ou um semissólido
-  Fase interna: constituída por uma substância insolúvel

Prescrição Medicamentosa

• Formas farmacêuticas
-  Soluções

São formadas por duas frações:

ü  Sólida
ü  Líquida

Prescrição Medicamentosa
• Formas farmacêuticas

-  Emulsão
Constituídas por substâncias imiscíveis

ü  Fase Líquida
ü  Fase Dispersa
Surfactantes: promovem uma melhor dispersão, prolongando o
tempo de separação

Prescrição Medicamentosa

• Formas farmacêuticas

-  Pomadas

o  Preparações farmacêuticas estáveis, semissólidas, de
consistência mole

o  Destinadas ao uso externo

o  Constituídas por um ou mais princípios activos e por
excipientes com características lipofílicas ou
hidrofílicas

o  Devem ser plásticas e termorreversíveis

Prescrição Medicamentosa

• Formas farmacêuticas

-  Pomadas

•  Epidérmicas - agem superficialmente na pele
•  Endodérmicas - agem mais profundamente na pele
•  Hipodérmicas - são absorvidas e podem

desencadear um efeito sistêmico

Prescrição Medicamentosa

• Formas farmacêuticas

-  Comprimidos, drágeas
-  Cápsulas, pastilhas
-  Suspensões,