livro princc3adpios do direito do trabalho amc3a9rico plc3a1
233 pág.

livro princc3adpios do direito do trabalho amc3a9rico plc3a1


DisciplinaPrincípios do Direito5 materiais139 seguidores
Pré-visualização50 páginas
Dados da obra: 
3ª Edição \u2013 2000 
ISBN 85-7322-652-8 - Código 1960.1 
 
Depois de publicada a 2ª edição e sucessivas reimpressões, vem a lume esta 3ª edição, 
alterada pelo autor para atualização da obra, sem, contudo, fugir da estrutura primitiva do livro, 
que tanta repercussão causou no mundo jurídico do trabalho, não só pela autoridade de seu 
autor como pela necessidade do estudo dos princípios em que se fundamenta esse ramo do 
Direito. 
 
O Direito em geral, como ciência que é, não pode prescindir de estudar seus princípios 
fundamentais, porque constituídos de 'proposições diretoras de uma ciência'. 
 
Américo Plá Rodriguez, autor uruguaio conhecido e reconhecido mundialmente na área 
trabalhista, naquilo que ela possui de científico, deu-nos esta magistral obra, traduzida para o 
vernáculo pelo eminente Wagner D. Giglio, ex-Juiz do TRT da 9ª Região e Professor da 
Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. 
 
Como já disse o festejado e saudoso autor espanhol Pérez Botija, ao se manifestar sobre a 
configuração do Direito do Trabalho através de princípios que delineiam sua estrutura, 'o valor 
e a novidade de sua sistematização foi expressamente reconhecido, não apenas na Espanha, 
mas também pela doutrina estrangeira'. 
 
Foi o que fez, com a maestria que lhe é peculiar, Plá Rodriguez nesta obra, muito citada pelos 
doutrinadores e julgadores do mundo inteiro e, também, de nosso país. 
 
As normas jurídicas trabalhistas podem ser vacilantes e até em número bastante elevado, 
Contudo, não vingarão por certo, na sua efetiva aplicação, se não integradas aos princípios 
fundamentais do Direito do Trabalho. 
 
A sistematização tão importante de tais princípios e sua enunciação precisa são os grandes 
atributos desta excelente obra jurídico-trabalhista. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Dados do(s) autor(es): 
Américo Plá Rodriguez, autor uruguaio conhecido e reconhecido mundialmente na área 
trabalhista. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
AMÉRICO PLÁ RODRIGUEZ 
PRINCÍPIOS DE DIREITO DO TRABALHO 
 
3ª edição atualizada 
 
Tradução e Revisão Técnica de Wagner D. Giglio 
Advogado. Professor Associado da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo 
 
Tradução das Atualizações 
para esta edição de Edilson Alkmim Cunha 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
À Marta, com gratidão pelo estímulo e pela 
generosidade na entrega das horas subtraídas a 
sua companhia. 
OUTRAS OBRAS JURÍDICAS DO MESMO AUTOR 
 
- "El Derecho Rural Uruguayo", 1942. 
 
- "Los ConfIictos del Trabajo", 1947. 
 
- "La Huelga en el Derecho Uruguayo" (em colaboração com o Dr. Eduardo J. Couture), 1951. 
 
- "EI Salario en el Uruguay" (2 tomos). 1956. 
 
- "Los Convenios Internacionales del Trabajo", 1965. 
 
- "La Reglamentación Sindical en Uruguay", 1973. 
 
- "Régimen de Fijación de Salarios por COPRIN", 1974. 
 
- "Curso de Derecho Laboral". 
 
- T. I, vol. I - "!ntroducción al Derecho del Trabajo", 1976. 
 
- T. I, vol. II - "Parte General", 1977. 
 
- T. II, vol. 1 - "EI contrato de trabajo", 1978. 
 
- T. lI, vol. 2 - "Los contratos especiales de trabajo", 1988. 
 
- T. III, vol. 1 - "Reglamentación del trabajo", 1988. 
 
- "La Certificación de las Calificaciones Ocupacionales en el Uruguay", 1979 
 
- "La Terminación de la Relación de Trabajo por Iniciativa del Empresario", Madri, 1983. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
ADVERTÊNCIA PARA A 3ª EDIÇÃO 
 
Como esclarecemos na segunda edição, o texto original mantém-se substancialmente o mesmo; as únicas 
modificações foram impostas pelas retificações introduzidas na legislação uruguaia da qual se extraiu a maioria 
dos exemplos que ilustram argumentos expostos - ou sugeridas pela releitura dos diversos aspectos abordados 
neste livro. 
Cumpre observar que, no período transcorrido desde a edição anterior até o momento presente, o tema 
continua cada vez mais atual, multiplicando-se os estudos doutrinários e as referências jurisprudenciais nesta 
ampla temática, tendo, inclusive, entrado numa zona polêmica que lhe dá maior significação. 
Por isso, as modificações e incorporações que se encontrarão nesta terceira edição são mais numerosas e 
extensas, embora tenhamos procurado manter, na medida do possível, a estrutura primitiva do livro. 
Confirma-se assim o caráter dinâmico e franco deste livro, já proclamado desde sua primeira edição. Da nossa 
parte, reiteramos o propósito de jamais dá-lo por definitivamente concluído. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
ADVERTÊNCIA PARA A 2ª EDIÇÃO* 
 
Esta segunda edição - publicada fora do país onde a obra foi escrita - assegura sua difusão internacional e 
aumenta a responsabilidade do autor perante um livro que, como se diz em suas últimas linhas, está aberto ao 
diálogo e enriquecimento permanentes. 
Ela reproduz substancialmente a versão anterior, introduzindo-lhe aquelas modificações impostas pelas 
reformas introduzidas na legislação uruguaia - donde foram extraídos os exemplos que ilustram os raciocínios - 
e aqueles aditamentos decorrentes de novas leituras sobre os temas abordados. 
Dado o dinamismo do Direito do Trabalho, assim como a variedade dos aspectos tratados, não é de estranhar 
que esta segunda edição, apesar de publicada menos de dois anos após a primeira, contenha múltiplas 
modificações. 
Seja este esforço de atualização a agradecida resposta do autor às muitas manifestações de elogio e estimulo 
que recebeu por ocasião do aparecimento da primeira edição. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
INTRODUÇÃO 
1. Afirmação comum 
Quando se afirma a autonomia do Direito do Trabalho, sustenta-se geralmente que este tem princípios 
diferentes dos que inspiram outros ramos do direito. 
Corretamente Alfredo Rocco exige três condições para que uma disciplina jurídica tenha autonomia: que possua 
um domínio suficientemente vasto, que possua doutrinas homogêneas presididas por conceitos gerais comuns, 
distintos dos de outros ramos do direito, e que possua método próprio1. 
Todos os juslaboralistas concordam em afirmar que o Direito do Trabalho preenche esses três requisitos, o que 
importa em reconhecer que nossa disciplina possui uma série de princípios peculiares. 
Servimo-nos desta mesma afirmação para criticar a denominação que foi dada à nossa matéria e que 
empregava a palavra "legislação". Entendia-se que o uso desse substantivo, qualquer que fosse o qualificativo 
que o acompanhasse, tornava-se inadequado, pois juntamente com normas de índole diversa há um corpo de 
doutrina com princípios comuns que lhe dão maior conteúdo e profundidade. 
 
2. Diversidade de enfoques 
 Mas, ainda que todos os especialistas sejam unânimes em afirmar a existência de princípios próprios do Direito 
do Trabalho, são muito poucos os que se preocupam em expô-los e em estudar os problemas que com eles se 
relacionam2. 
A maioria dos tratadistas ou não cuida do tema, ou o enfrenta de modos tão diferentes que parecem não se 
referir à mesma realidade. Alguns utilizam a expressão "princípios" para denominar todo o curso de nossa 
discIplina3 ou parte dela4. Outros os encaram como simples critérios interpretativos, quando abordam o estudo