Resumo  - Tutela Provisória (arts. 294-304)
4 pág.

Resumo - Tutela Provisória (arts. 294-304)


DisciplinaDireito Processual Civil I44.079 materiais770.838 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Processo Civil IV \u2013 AP1 Larissa Guimarães 
LIVRO V \u2013 DA TUTELA PROVISÓRIA 
TÍTULO I \u2013 DISPOSIÇÕES GERAIS 
 
- Trata-se de medida que, além do direito à cautela, refere-se a outro direito distinto. 
- Emana do direito fundamental à duração razoável do processo. 
- Visa garantir a efetividade e a tempestividade da tutela jurisdicional. 
 
 Cognição sumária: Não exauriente 
 Provisória: Pode ser modificada ou revogada. 
 
Art. 294. A tutela provisória pode fundamentar-se em urgência ou evidência. 
Parágrafo único. A tutela provisória de urgência, cautelar ou antecipada, pode ser concedida em 
caráter antecedente ou incidental. 
I. Urgência Antecedente (Antes) 
 Incidente (No curso do processo) 
 
a) Cautelar: (resguardar) destinada a assegurar o futuro resultado útil do processo nos 
casos que uma situação do perigo coloque em risco sua efetividade 
b) Antecipada: (satisfazer) se destina a permitir imediata realização prática do direito 
alegado pelo demandante, adequada em casos que se afigure presente uma situação 
de perigo iminente para o próprio direito substancial. 
 
II. Evidência Incidental 
 
Art. 295. A tutela provisória requerida em caráter incidental independe do pagamento de custas. 
 
Art. 296. A tutela provisória conserva sua eficácia na pendência do processo, mas pode, a qualquer 
tempo, ser revogada ou modificada. 
Parágrafo único. Salvo decisão judicial em contrário, a tutela provisória conservará a eficácia 
durante o período de suspensão do processo. 
 
Art. 297. O juiz poderá determinar as medidas que considerar adequadas para efetivação da tutela 
provisória. 
Parágrafo único. A efetivação da tutela provisória observará as normas referentes ao cumprimento 
provisório da sentença, no que couber. 
 
Art. 298. Na decisão que conceder, negar, modificar ou revogar a tutela provisória, o juiz motivará 
seu convencimento de modo claro e preciso. 
 
Art. 299. A tutela provisória será requerida ao juízo da causa e, quando antecedente, ao juízo 
competente para conhecer do pedido principal. 
Processo Civil IV \u2013 AP1 Larissa Guimarães 
Parágrafo único. Ressalvada disposição especial, na ação de competência originária de tribunal e 
nos recursos a tutela provisória será requerida ao órgão jurisdicional competente para apreciar o 
mérito. 
 
TÍTULO II \u2013 DA TUTELA DE URGÊNCIA 
CAPÍTULO I \u2013 DISPOSIÇÕES GERAIS 
 
Art. 300. A tutela de urgência será concedida quando houver elementos que evidenciem a 
probabilidade do direito e o perigo de dano ou o risco ao resultado útil do processo. 
- periculum in mora: resultante da demora no processo; demora que pode causar prejuízo para o 
processo ou para o direito material alegado 
- fumus boni iuris: probabilidade da existência do direito; elementos no processo que demonstrem 
que o autor é provavelmente o detentor do direito que está alegando. 
§ 1o Para a concessão da tutela de urgência, o juiz pode, conforme o caso, exigir caução real ou 
fidejussória idônea para ressarcir os danos que a outra parte possa vir a sofrer, podendo a caução 
ser dispensada se a parte economicamente hipossuficiente não puder oferecê-la. 
Caução de contracautela: deve ser idônea; finalidade de proteger a parte contrária; periculum in 
mora inverso. 
Os critérios para a fixação de caução são os mesmos do art. 520, IV. 
§ 2o A tutela de urgência pode ser concedida liminarmente ou após justificação prévia. 
Deferimento das tutelas de urgência inaudita altera parte: 
- concessão de tutela de urgência liminarmente: direito ao contraditório relativizado devido ao perigo 
na demorar que pode resultar na ineficácia do direito material tutelado. 
- justificação prévia: formação da convicção do Juiz por oitiva das testemunhas para verificar a 
probabilidade do direito (audiência de justificação prévia). 
Justificação prévia: estabelecimento do contraditório efetivo (ciência e participação) para se 
manifestar sobre a tutela de urgência. 
Direito de influência: o juiz deixar-se influenciar pelos fundamentos de cada parte; não 
adianta o direito ao contraditório se o juiz tem uma convicção. 
§ 3o A tutela de urgência de natureza antecipada não será concedida quando houver perigo de 
irreversibilidade dos efeitos da decisão. 
- a tutela provisória de urgência antecipada não pode ter efeitos irreversíveis, pois, sendo provisória, 
é preciso que haja a possibilidade de voltar ao status quo ante. 
Exceção: há determinados casos que, mesmo sendo irreversível a tutela provisória de urgência 
antecipada, é possível ao juiz deferi-la, como, por exemplo, alimentos provisórios (o direito à 
alimentos tem natureza irrepetível). 
 
Art. 301. A tutela de urgência de natureza cautelar pode ser efetivada mediante arresto, sequestro, 
arrolamento de bens, registro de protesto contra alienação de bem e qualquer outra medida idônea 
para asseguração do direito. 
- qualquer outra medida idônea: poder geral de cautela do juiz; medidas \u2013 além das nominadas 
neste caput - que podem ser adotadas a depender do caso concreto, destinadas a resguardar a 
eficácia de uma determinada relação processual (sempre motivadas). 
Processo Civil IV \u2013 AP1 Larissa Guimarães 
 
Art. 302. Independentemente da reparação por dano processual, a parte responde pelo prejuízo 
que a efetivação da tutela de urgência causar à parte adversa, se: (responsabilidade civil do autor) 
I - a sentença lhe for desfavorável; 
II - obtida liminarmente a tutela em caráter antecedente, não fornecer os meios necessários para a 
citação do requerido no prazo de 5 (cinco) dias; 
III - ocorrer a cessação da eficácia da medida em qualquer hipótese legal; 
IV - o juiz acolher a alegação de decadência ou prescrição da pretensão do autor. 
Parágrafo único. A indenização será liquidada nos autos em que a medida tiver sido concedida, 
sempre que possível. 
 
CAPÍTULO II 
DO PROCEDIMENTO DA TUTELA ANTECIPADA REQUERIDA EM CARÁTER ANTECEDENTE 
 
Art. 303. Nos casos em que a urgência for contemporânea à propositura da ação, a petição inicial 
pode limitar-se ao requerimento da tutela antecipada e à indicação do pedido de tutela final, com a 
exposição da lide, do direito que se busca realizar e do perigo de dano ou do risco ao resultado útil 
do processo (requisitos da petição de tutela antecipada antecedente). 
Não há possibilidade, por conta da urgência da situação, de se esperar a convicção de uma petição 
inicial perfeita e acabada, a produção/juntada das provas, sob pena de se imputar à parte autora 
grave prejuízo devido a demora nesse procedimento todo.. 
§ 1o Concedida a tutela antecipada (por meio de decisão interlocutória) a que se refere 
o caput deste artigo: 
I - o autor deverá aditar a petição inicial, com a complementação de sua argumentação, a juntada 
de novos documentos e a confirmação do pedido de tutela final, em 15 (quinze) dias ou em outro 
prazo maior que o juiz fixar; 
Aditamento é a complementação da petição inicial quando houver concessão. 
II - o réu será citado e intimado para a audiência de conciliação ou de mediação na forma do art. 
334; 
III - não havendo autocomposição, o prazo para contestação será contado na forma do art. 335 (15 
dias). 
§ 2o Não realizado o aditamento a que se refere o inciso I do § 1o deste artigo, o processo será 
extinto sem resolução do mérito. 
§ 3o O aditamento a que se refere o inciso I do § 1o deste artigo dar-se-á nos mesmos autos, sem 
incidência de novas custas