ANATOMIA VETERINÁRIA - Sistema Respiratório
24 pág.

ANATOMIA VETERINÁRIA - Sistema Respiratório


DisciplinaAnatomia Veterinária I7.162 materiais98.171 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Aparelho respiratório
Conceito: conjunto de órgãos que conduzem e regulam o fluxo do ar atmosférico, além de promover a hematose \u2013 troca de CO2 por O2.
Funções:
Olfação: cavidade nasal
Fonação: faringe
Trocas gasosas: alvéolos pulmonares
Divisão funcional: 
- Porção de condução: levam o ar aos alvéolos
- Porção de respiração: pulmão
Rostro:
 
- Narina, filtro, lábio superior e lábio inferior 
Nariz externo
Área glabra: sem pelos (nariz)
Áreas pilosas: com pelos
Ossos que constituem o nariz: 2 nasais, 2 incisivos e 2 maxilares. Cartilagem hialina dá suporte ao nariz externo.
Plano nasal: área glabra \u2013 somente o nariz.
- Carnívoros e pequenos ruminantes
Plano rostral: área glabra \u2013 nariz e um pedaço do lábio superior.
- Suínos (osso rostral)
Plano nasolabial: área glabra \u2013 nariz e um pedaço do lábio superior
- Bovinos
As ranhuras do nariz especificam o animal, ou seja, são exclusivas de um único animal.
Cavalos não tem área glabra, portanto, não tem planos (rostro totalmente piloso).
Bovinos e equinos têm espaços dorsais e ventrais na narina que permitem a dilatação, afunilando até o fundo de um saco cego (divertículo nasal).
Carnívoros: narinas com formato de vírgula.
Pequenos ruminantes: narinas com formato de fenda.
Suínos: narinas com formatos circulares.
Cavidade nasal
Constituição óssea: ossos nasais: frontal (limite do divertículo), maxilares, incisivos, palatinos, vômer e etmóide.
Septo nasal: vômer e etmóide cartilagem hialina presa no vômer delimita o septo. A calha do vômer delimita caudalmente a divisão das cavidades nasais.
Conchas nasais: são formadas pelo osso etmoturbinado, que são os esqueletos das conchas, e são altamente vascularizadas. Retirando o septo nasal, pode-se observer três estruturas abaoladas são as conchas nasais dorsal, média \u2013 é a maior \u2013, etmoidais e ventral
Meatos nasais: espaço comprimido dorsal (entre ossos nasais e frontais e concha dorsal), médio (entre concha dorsal e concha ventral) e ventral (entre concha nasal ventral, ossos incisivos, maxilares e palatinos).
O ar passa entre as conchas, gira forçadamente na cavidade (batendo nas conchas e troca a temperatura para aquecer ou esfriar de acordo com a necessidade dos pulmões). A poeira é filtrada na umidade das conchas nasais. Partículas de cheiros grudam nas conchas nasais e, a partir disso, há sensaçao de cheiro, pois nas conchas nasais têm extermidades nervosas provenientes do bulbo olfatório.
Meato nasal comum: junção das conchas dorsal, médio e ventral onde o ar passa.
A concha é oca por dentro cavidade (seios) \u2013 seios da concha nasal dorsal, ventral e etmoidais.
Separação da cavidade nasal e cavidade oral: palato duro (relacionado aos ossos incisivos, maxilares e palatinos)
Órgão vômero-nasal: cavidade onde há células sensíveis a feromônios.
Seios paranasais
Funções:
- Acondicionamento do ar: para que o crânio fique mais leve
- Purificação do ar: na mucosa
- Aumento da superfície externa do crânio
- Resistência contra pressões externas
- Proteção do encéfalo \u2013 caixa Isolante, termorregulação
- Exemplos: frontal, maxilar, palatino, esfenóide e etmoide
No processo cornual do osso frontal de bovinos, o seio paranasal frontal também o adentra.
Faringe: tubo muscular
- Nasofaringe: ligada à cavidade nasal, onde passa o ar
- Orofaringe: ligada à cavidade oral, onde passa ar e alimento
- Laringofaringe: cruzamente entre via respiratória e via de passagem do alimento
Coana (2): comunicação da cavidade nasal com a nasofaringe.
Palato mole (músculo que fecha a nasofaringe): separa a nasofaringe da orofaringe através dos movimentos de deglutição e regulação da respiração direcionando o alimento que, por sua vez, irá tampar a laringe com a epiglote (mecanicamente)
Equino: grande
Ruminante: curto \u2013 durante a ruminação, há a passage direta do alimento.
Óstio faríngico da tuba auditiva: abertura da nasofaringe que visa igualar as pressões
Cavalos: divertículo da tuba auditiva (bolsa gutural) \u2013 localizada ao lado da artéria carótica comum. Em situações de temperatura alta, há a diminuição da temperature do sangue que passa ao lado para ir para o SNC.
Laringe: estrutura tubular e cartilaginosa associada à músculos estriados esqueléticos que dão sustentação para a laringe.
Cartilagens:
- Epiglote: mais cranial e em formato de folha que fecha com a força de liquídos ou alimentos.
- Aritenóides (2): pontiagudas
- Tireóides: em forma de escudo
- Cricóides: mais caudal (em forma de anel) que está em contato com a traquéia. Dorsal: mais larga e ventral: mais estreita.
Ádito da laringe: espaço entre aritenóides
Vestíbulo da laringe: espaço entre aritenóides e epiglote (passagem maior)
Cavidade da laringe
Membrana vocal: são \u201cpregas\u201d, elevações de músculos que sai da aritenóide e vai para a cricóide.
Traquéia: aumenta e diminui de acordo com a necessidade do fluxo de ar
Anéis traqueais: aberto dorsalmente: músculo traqueal o cobre e latero ventral é fechado. 
- Mamíferos: 52-58, ave: 200 \u2013 traquéia voltada para a esquerda
Ligamento anular da traquéia: tecido conjuntivo fibroso que liga os anéis e dá maleabilidade (movimentos ao pescoço)
Porções da traquéia
Cervical: no pescoço (mediana ventral)
Torácica: dentro da cavidade, limitada pelo primeiro par de costelas (começo da cavidade torácica) entre as vértebras cervicais e torácicas.
Após a divisão da traquéia, há os brônquios. Carina da traquéia: limite onde começam os brônquios \u2013 saliência interna.
Formato
Carnívoros: abertura em ponto regular \u2013 músculo traqueal dorsal e músculo traqueal ventral
Equinos: abertura em ponto regular \u2013 músculo traqueal ventral
Suíno: formato circular \u2013 músculo traqueal ventral
Ruminantes: formato de gora \u2013 músculo traqueal ventral
Adventícia: cobre a traquéia por fora
Mucosa: cobre a traqueia por dentro
Pulmões: formato triangular devido à disposição do tórax. Está relacionado à cavidade torácica \u2013 delimitado pelo côncavo-convexo do diafragma.
Pilar do diagragma: ponto onde se liga o diafragma. 
Nos carnívoros: dorsal (10º e 11º costelas) e ventral (6º e 7º costelas).
- Dorsal: superior
- Ventral: inferior
- Basal: encostada no diafragma (diafragmática) \u2013 curva
- Medial: virada para o mediastino
- Interlobares: entre um lobo e outro
- Intralobares: no mesmo lobo
Lobos: parte dos pulmões
Esquerdo:
- Cranial:
Fissura intralobar divide o lobo em duas porções:
- Porção cranial do lobo cranial do pulmão esquerdo
- Porção caudal do lobo cranial do pulmão esquerdo
- Caudal:
Fissura interlobar o separa do lobo cranial.
Direito:
- Cranial:
Fissura intralobar divide o lobo em duas porções:
- Porção cranial do lobo cranial do pulmão direito
- Porção caudal do lobo cranial do pulmão direito
- Médio:
Fissura cranial interlobar o separa do lobo cranial e do lobo caudal.
- Caudal
- Lobo acessório (visto pela face medial e na face costal não é possível vê-lo) \u2013 fica entre o lobo médio e o caudal.
A veia cava caudal passa entre o pulmão acessório, caudal e médio.
Diferenças entre espécies:
Bovino: Tem fissura intralobar no lobo cranial do pulmão direito \u2013 característica exclusiva da espécie.
Suíno
- Não tem fissura interlobar do lobo cranial do pulmão direito. O pulmão esquerdo tem fissura intralobar, mas é pequena. As fissuras interlobares são curtas.
Equino
- O pulmão esquerdo tem fissura interlobar mínima, portanto, leva-se a curvatura como referência, onde há a fissura intralobar. O pulmão direito é uma fusão do lobo médio no caudal, não existindo fissura intralobar.
Cão
- Fissuras completas, o que dá mais maleabilidade. Não apresentam fissura intralobar no lobo cranial direito.
Árvore brônquica: brônquio bronquíolos alvéolos.
Traquéia brônquio principal \u2013 direito e esquerdo (após a carina). Antes da carina da traqueia, o brônquio que sai diretamente é chamado brônquio traqueal e ele se conecta ao lobo cranial direito. Esse brônquio
Maria
Maria fez um comentário
Adorei!!! Me ajudou muito
0 aprovações
Medicina Veterinária
Medicina Veterinária fez um comentário
Lindo Trabalho !!! Muito Bem Explicado !!! ????????????
0 aprovações
Carregar mais