Avaliando Aprendo 1   Direito Civil V
2 pág.

Avaliando Aprendo 1 Direito Civil V


DisciplinaDireito Civil V9.367 materiais55.997 seguidores
Pré-visualização1 página
Avaliando Aprend.: CCJ0111_SM_201512221295 V.1 
	Aluno(a): TAYNARA COSTA DA CRUZ
	Matrícula: 201512221295
	Desemp.: 0,4 de 0,5
	17/04/2018 13:34:58 (Finalizada)
	
	
	1a Questão (Ref.:201512326048)
	Pontos: 0,1  / 0,1  
	São regras que CORRESPONDEM ao sistema de princípios constitucionais vigentes para o Direito de Família:
I. A classificação dos filhos em legítimos e ilegítimos (espúrios: adulterinos e incestuosos).
II. A manutenção do poder familiar concentrada na mão do cabeça do casal.
III. O entendimento de que a Lei Maria da Penha só deve ser aplicada à mulher vítima de violência doméstica.
IV. O princípio da paternidade responsável orientador, entre outras questões, da Lei dos Alimentos Gravídicos.
		
	 
	Apenas a alternativa IV corresponde ao sistema de princípios constitucionais.
	
	Apenas as alternativas II e III correspondem ao sistema de princípios constitucionais.
	
	Apenas as alternativas I e III correspondem ao sistema de princípios constitucionais.
	
	Apenas as alternativas II e IV correspondem ao sistema de princípios constitucionais.
	
	Apenas a alternativa III corresponde ao sistema de princípios constitucionais.
	
	
	
	2a Questão (Ref.:201512359728)
	Pontos: 0,1  / 0,1  
	(OAB-GO 2006.3) Quanto à disciplina dada ao casamento pelo Código Civil brasileiro, pode-se afirmar que:
		
	 
	É defeso a qualquer pessoa, de direito público ou privado, interferir na comunhão de vida instituída pela família.
	
	O casamento é civil e sua celebração dependerá, sempre, do pagamento das taxas previstas nas Leis da Organização Judiciária locais.
	
	Será válido o registro civil do casamento religioso, mesmo que, antes dele, um dos consorciados tenha contraído com outrem casamento civil
	
	O casamento religioso equipara-se ao civil, independentemente de qualquer formalidade ou registro
	
	
	
	3a Questão (Ref.:201513059711)
	Pontos: 0,1  / 0,1  
	Casamento poliafetivo. O primeiro casamento poliafetivo do Rio com duas mulheres e um homem foi assinado na última sexta-feira (1/4), às 11h, no 15º Ofício de Notas, no Rio de Janeiro, da tabeliã Fernanda Leitão. O funcionário público Leandro Jonattan da Silva Sampaio, 33 anos, Thais Souza de Oliveira, 21, dona de casa, e Yasmin Nepomuceno da Cruz, 21, estudante de técnica de enfermagem, oficializaram a união para facilitar o acesso aos direitos em comum, como plano de saúde. Jornal O Globo. 03.04.2016 (coluna do Ancelmo Gois) O casamento poliafetivo afeta e fere diretamente o princípio:
		
	
	do livre planejamento familiar
	
	da igualdade entre os cônjuges
	
	da solidariedade familiar
	 
	da monogamia
	
	da dignidade da pessoa humana
	
	
	
	4a Questão (Ref.:201512326051)
	Pontos: 0,1  / 0,1  
	(OAB-SP) Relativamente ao parentesco, é correto afirmar:
		
	 
	Quando dois irmãos casam-se com duas irmãs, os filhos dessas uniões serão parentes colaterais em linha duplicada, ou seja, duplamente primos.
	
	Primos são parentes colaterais em terceiro grau.
	
	Entre irmãos germanos ou unilaterais, o parentesco, na linha colateral, é de primeiro grau.
	
	Entre tio-avô e sobrinho-neto não há parentesco transversal em quarto grau.
	
	
	
	5a Questão (Ref.:201513016524)
	Pontos: 0,0  / 0,1  
	(Ano: 2015; Banca: FGV; Órgão: TJ-SC; Prova: Psicólogo) Sobre o tema ¿Relação de Parentesco¿, é CORRETO afirmar que:
		
	
	o parentesco por afinidade alcança até o 4º grau na linha colateral;
	
	os parentes do cônjuge ou companheiro não possuem, para fins legais, relação de parentesco com os parentes do outro;
	 
	na linha reta, a afinidade não se extingue com a dissolução do casamento;
	 
	são parentes em linha transversal as pessoas que estão umas com as outras na relação de ascendentes e descendentes.
	
	o parentesco em linha colateral provém de descendência comum;