A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
22 pág.
AULA 1 A REPORTAGEM   Cópia para alunos

Pré-visualização | Página 1 de 1

FACULDADE MAURÍCIO DE NASSAU 
 
DISCIPLINA: TÉCNICAS AVAÇADAS DE 
ENTREVISTA E REPORTAGEM 
 
 
OS TIPOS DE REPORTAGEM 
PROFESSORA: SANDRA PAULA AMORIM 
 
 
Reportagem 
Conteúdo 
1 A reportagem 
1.1 Origem; 
1.2 Conceitos; 
1.3 Características da reportagem; 
1.4 Notícia x Reportagem; 
1.5 Tipos de Reportagem: 
 Reportagem de fatos (fact-story) 
 Reportagem de ação (action-story) 
 Reportagem documental (quote-story) 
 Reportagem-perfil 
1.6 Como se divide a reportagem; 
1.7 A narrativa da reportagem: como redigir uma reportagem. 
 
2. Ser repórter 
2.1 A função de repórter; 
2.2 Habilidades. 
 
Origem 
• O Jornalismo surgiu no início do século XVII, o 
paradigma do texto informativo era o discurso 
retórico, que exaltava o Estado ou fé, época em que 
surgiam os grandes autores europeus; 
 
• Primeiros jornais circularam a partir de 1609, em 
centros de comércio ligados à burguesia. Os primeiros 
jornalistas difundiam ideias burguesas; 
 
• Aristocratas também promoveram a edição de jornais; 
• A profissão fixou sua imagem com o publicismo. 
 
ORIGEM 
 
• No Brasil, exemplo moderno de publicista é Carlos 
Lacerda; 
 
• A reportagem ganhou impulso moderno nos Estados 
Unidos. Na América ganhou o seu conjunto de técnicas, 
mais adequado na sociedade industrial madura. A escola 
americana ditou as normas básicas para a produção de 
notícias e reportagens jornalísticas. Modelo chegou ao 
Brasil mais tarde. 
 
 
 
O QUE É REPORTAGEM? 
 
REPORTAGEM / CONCEITOS 
 
• Gênero jornalístico onde se contam, se narram as perípécias da 
atualidade (...). É uma narrativa – com personagens, ação 
dramática e descrições de ambiente (SODRÉ & FERRARI, 
1986); 
 
• Relato jornalístico temático, focal, envolvente, de interesse 
atual, aprofunda a investigação sobre fatos e seus agentes 
(JOÃO DE DEUS CORRÊA); 
 
• Exposição que combina interesse do assunto com o maior 
número de dados, formando um todo compreensível e 
abrangente (LAGE, 2005). 
 
• É a representação de um fato ou acontecimento enriquecida 
pela capacidade intelectual, observação atenta, sensibilidade, 
criatividade e narração fluente do autor (AMARAL, 1978). 
REPORTAGEM – Gênero informacional 
• Gênero próximo à literatura, separada pelo seu 
compromisso com a objetividade informativa; 
 
• Impõe ao redator “o estilo direto puro”; 
 
• Tem poder denunciante; 
 
• Arte? 
Características (Sodré & Ferrari): 
 
Predomina a forma narrativa 
 
Relato humanizado; 
 
Texto de natureza impressionista; 
 
Objetividade dos fatos narrados. 
 
 
 
Outros conceitos construídos a partir da comparação 
entre Notícia e Reportagem 
• Notícia - relato mais curto de um fato; breve, imediatista; 
 
• Reportagem - relato mais circunstanciado; 
 
• Lage - Diferença crucial está na prática, a partir da elaboração 
da pauta. Para as notícias, as pautas são apenas fatos 
programados. Para a reportagem possuem outro nível de 
planejamento. 
 
• Concordância: A reportagem é prática do jornalismo em 
profundidade no conteúdo ou na técnica empregada. 
Distinções 
NOTÍCIA REPORTAGEM 
A notícia é breve A reportagem é extensa 
A notícia apura fatos A reportagem lida com assuntos sobre 
fatos 
Tem como referência a imparcialidade A reportagem trabalha com enfoque, a 
interpretação 
A notícia independe da intenção do 
veículo, apesar de não ser imune a ela 
A reportagem é produto da intenção 
de passar uma “visão” interpretativa 
É atrelada ao imediato, temporal A reportagem ao que é corrente e 
também atemporal 
Tem pauta centrada no essencial, que 
recompõe um acontecimento 
Trabalha com pauta mais complexa, 
apontando para causas e contextos 
Tipos de reportagem 
Modelos fundamentais: 
 
1 - REPORTAGEM DE FATOS (fact-story); 
 
2 - REPORTAGEM DE AÇÃO (action-story); 
 
3 - REPORTAGEM DOCUMENTAL (quote-story); 
 
4 - REPORTAGEM PERFIL. 
 
 
 
Como se divide a reportagem 
ESTRUTURA 
• Título: a síntese (sugestivo); 
 
• Primeiro parágrafo, cabeça ou lead; 
 
• Desenvolvimento, narrativa ou texto. 
 
A narrativa da reportagem: 
como redigir uma reportagem 
• Dificuldade para jornalistas novatos (ou não): início da 
redação da reportagem; 
 
• Casos em que precisa-se discutir com o editor por causa do 
seu peso ou grau importância (sequestro); 
 
• A abertura precisa ser criativa e interessante para prender a 
atenção do leitor ou telespectador (esbarra no tempo – 
assalto UFCG / repórter sem agilidade); 
 
• Distribuir bem as informações, deixando dados importantes e 
interessantes para o meio do texto. 
 
DICAS 
• Redação: 
• Frases curtas; 
• Palavras curtas; 
• Linguagem coloquial (MUDANÇAS DA GLOBO); 
• Estilo direto, adjetivos adequados, verbos 
vigorosos, de ação, sempre na forma ativa; 
• Seja positivo, não negativo. 
 
 
Orientações 
Rede Globo para os repórteres das afiliadas 
 
• Diante das mídias e redes sociais, onde reportagens feitas pelo 
celular, os textos devem: 
• Texto: criativo, claro, força; 
• Conversar com o telespectador; 
• Emocionar o telespectador, envolvê-lo; 
• Se colocar no lugar do telespectador (passagens devem fugir 
do padrão estático, engessado); 
• Depoimentos natural das pessoas para a reportagem. 
 
 
 
SER REPÓRTER 
REPORTAGEM 
• O repórter é o principal elemento entre o fato e o leitor, 
telespectador, ouvinte. Está presente, serve de ponte e, 
portanto, diminui a distância, entre o leitor e o 
acontecimento. 
• Compromisso com a verdade. 
 
 
SER REPÓRTER 
• Houve um período épico 
em que o herói era o 
próprio repórter 
(revista o Cruzeiro – 
exemplo brasileiro) , com 
sua coragem e suas 
opiniões. Hoje, a 
reportagem - com 
eventuais rasgos de 
heroísmo do repórter em 
sua atividade 
investigativa – é um 
gênero pautado por 
regras objetivas. 
(Revista “O Cruzeiro”, 1954) 
A função do repórter 
• O repórter está onde o ouvinte, leitor, telespectador não 
podem estar; 
 
• Função saber dizer o máximo (principalmente à 
redação) 
 
• Apurar o melhor possível as notícias e publicá-las; 
 
• Deve ter faro, intuição ou percepção; 
 
• Saber considerar o que é oportuno, útil. 
 
HABILIDADES 
 
• Capacidade intelectual: abordagem conveniente do tema e 
esgotá-lo até os últimos limites; 
• Observação atenta: capacidade de ver, de concentração. 
Informações prévias ajudam a discernir entre principal e 
secundário; 
• Curiosidade; 
• Sensibilidade: influenciada pela bagagem cultural, é pessoal, 
íntima; 
• Criatividade: liberdade para criar com informações 
verdadeiras e de acordo com regras; 
• Narração fluente: exposição do fato rápida, concisa, atraente 
do início ao fim. 
= PRODUTO FINAL 
 
REFERÊNCIAS 
• LAGE, Nilson. Reportagem: teoria e técnica da entrevista e 
pesquisa jornalística. Rio de Janeiro: Record, 2005. 
• 
MUNIZ Sodré e Maria Helena Ferrari. Técnica de reportagem: 
Notas sobre a narrativa jornalística. São Paulo, Summus, 1986 
 
 
 
spaula.va@gmail.com