Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
94 pág.
apostila geotecnia

Pré-visualização | Página 6 de 25

Foto 0.14 - Amostrador-padrão de parede grossa “Raymond” (NBR 6.484 / 2001) – Aberto. 
 
A quantidade de amostra retirada pelo trado helicoidal e pelo amostrador de parede grossa só 
permite a realização dos ensaios de classificação (granulometria, limites de consistência e massa 
específica dos sólidos). 
A amostra deverá ser colocada em saco de lona ou de plástico resistente, identificada através de uma 
etiqueta amarrada à boca do saco e contendo informações sobre o local, número, profundidade e data 
da amostragem. Além dessas informações, deve-se fazer uma planta (croqui) do local indicando os 
dados necessários à recuperação do ponto amostrado. 
Uma identificação táctil e visual da amostra retirada deve ser realizada indicando-se o resultado na 
folha de locação do furo. 
1.4.1.5. Amostra indeformada 
A retirada de uma amostra indeformada pode ser feita por dois diferentes processos: o primeiro, pela 
escavação manual, utilizando uma caixa de madeira ou isopor para acondicionamento da amostra, 
Fotos 2.15 a 2.18, e o segundo com a cravação de um amostrador de parede fina, Figura 2.7 e Fotos 
2.19 a 2.22. Apenas o primeiro processo de retirada de uma amostra indeformada será descrito com 
mais detalhe. 
Rideci Farias. Haroldo Paranhos. Mylane Viana Hortegal. 
Engenheiro Civil e Geotécnico, D.Sc. Engenheiro Civil e Geotécnico, M.Sc. Engenheira Civil e Geotécnica, M.Sc. 
CREA/ PA 9736 – D. CREA/DF 9649 – D. CREA/DF 19403 – D. 
Geotecnia Experimental - 2º semestre 2012 15 
 
Foto 0.15 - Caixa de madeira com amostra 
indeformada e parafinada, protegida com 
serragem. 
 
Foto 0.16 - Caixa de madeira com amostra 
indeformada e parafinada, protegida com 
serragem. 
 
 
Foto 0.17 - Caixa de isopor com amostra 
indeformada - envolvida em filme de PVC, 
protegida com plástico bolha. 
 
Foto 0.18 - Caixa de isopor com amostra 
indeformada - envolvida em filme de PVC, 
protegida com plástico bolha. 
 
 
 
 
 
Figura 0.7 – Amostrador de parede fina tipo “Shelby”. 
 
 
Rideci Farias. Haroldo Paranhos. Mylane Viana Hortegal. 
Engenheiro Civil e Geotécnico, D.Sc. Engenheiro Civil e Geotécnico, M.Sc. Engenheira Civil e Geotécnica, M.Sc. 
CREA/ PA 9736 – D. CREA/DF 9649 – D. CREA/DF 19403 – D. 
Geotecnia Experimental - 2º semestre 2012 16 
 
Foto 0.19 - Amostrador de parede fina tipo 
“Shelby” montado pelo Prof. Haroldo Paranhos 
para retirada de amostra de solo. 
 
Foto 0.20 - Amostrador de parede fina tipo 
“Shelby” montado pelo Prof. Haroldo Paranhos 
para retirada de amostra de solo. 
 
Foto 0.21 - Amostrador de parede fina tipo 
“Shelby” com amostra extraída 
(www.damascopenna.com.br). 
 
 
Foto 0.22 – Acondicionamento de amostra 
retirada no “Shelby” 
(www.damascopenna.com.br). 
 
Uma amostra indeformada, em bloco, poderá ser retirada em diversas posições como mostrado na 
Figura 2.8. 
1 e 3 : Taludes de corte
2 : Berma
4 : Superfície do terreno
5 : Fundo de poço
6 : Parede de poço
1
2
3
4
5
6
 
Figura 0.8 – Posições para retirada de amostra indeformada. 
 
Rideci Farias. Haroldo Paranhos. Mylane Viana Hortegal. 
Engenheiro Civil e Geotécnico, D.Sc. Engenheiro Civil e Geotécnico, M.Sc. Engenheira Civil e Geotécnica, M.Sc. 
CREA/ PA 9736 – D. CREA/DF 9649 – D. CREA/DF 19403 – D. 
Geotecnia Experimental - 2º semestre 2012 17 
O procedimento de retirada de uma amostra indeformada, em bloco, no fundo de um poço é 
semelhante à retirada em qualquer outra posição, a menos de algumas peculiaridades do próprio 
poço. 
O poço deverá ser aberto até, aproximadamente, dez centímetros acima da cota do topo do bloco 
(cota zero), pelo poceiro ou pela perfuratriz, com um diâmetro que permita ao técnico, encarregado 
de continuar o serviço, fazê-lo de forma conveniente, posição 5. Caso não seja possível por 
apresentar o poço um diâmetro pequeno o bloco poderá ser retirado na parede (posição 6) 
lembrando que o fundo do poço deverá atingir uma cota mais baixa. 
Utilizando a caixa de madeira ou de isopor o técnico deverá marcar no fundo do poço a área onde a 
amostra será retirada e com cuidado ir removendo o solo externo a essa área. 
Deve-se iniciar a escavação em sua volta até que a altura do bloco seja aproximadamente igual à 
altura da caixa - não esquecer que deve haver uma folga entre o bloco e caixa para que o bloco possa 
entrar com folga na caixa -. Portanto o bloco deve ser um pouco menor que a parte interna da caixa). 
Passa-se parafina derretida no bloco, envolve-o com o morim e novamente passa-se parafina 
derretida no morim para dar consistência ao bloco. Coloca-se a caixa sobre o bloco e faz-se o 
arrasamento na base do bloco. Posteriormente vira-se o conjunto caixa/bloco e acerta-se a base do 
bloco de forma a tornar uma superfície plana, posteriormente parafina-se a base do bloco que ficou 
voltado para cima, envolve-a com morim e parafina-se novamente e prega-se a base da caixa. 
Dependendo das condições dentro do poço, o bloco poderá ser retirado de dentro do poço e ser 
parafinado após a subida do bloco para a superfície do terreno. 
Observação 0.1: Tem-te também utilizado o filme de PVC como forma de envolver o bloco, 
suprimindo assim a utilização da parafina e do morim; 
Observação 0.2: Não se esquecer de colocar uma etiqueta no topo do bloco indicando os dados 
necessários a sua identificação; 
Observação 0.3: Deve-se desenhar a planta de locação (croqui) do poço tendo como referência 
algum ponto imutável com o tempo e indicando todos os demais dados necessários, bem como, o 
nome do solo a partir dos testes de identificação táctil e visual; 
Observação 0.4: Geralmente coloca-se serragem de madeira, plástico bolha ou outro material similar 
dentro da caixa para evitar danos à amostra com o objetivo de preservar sua estrutura. 
As Fotos 2.23 a 2.34 mostram procedimentos usuais de retirada, transporte e guarda de amostras 
indeformadas de solos. 
Rideci Farias. Haroldo Paranhos. Mylane Viana Hortegal. 
Engenheiro Civil e Geotécnico, D.Sc. Engenheiro Civil e Geotécnico, M.Sc. Engenheira Civil e Geotécnica, M.Sc. 
CREA/ PA 9736 – D. CREA/DF 9649 – D. CREA/DF 19403 – D. 
Geotecnia Experimental - 2º semestre 2012 18 
 
 
Foto 0.23 - Retirada de amostra indeformada. 
 
Foto 0.24 - Retirada de amostra indeformada. 
 
Foto 0.25 - Parafinamento da amostra 
indeformada. 
 
Foto 0.26 - Envolvimento com o morim. 
 
 
Foto 0.27 - Envolvimento com o morim. 
 
Foto 0.28 - Parafinamento do morim. 
 
Rideci Farias. Haroldo Paranhos. Mylane Viana Hortegal. 
Engenheiro
Página12345678910...25