Resumo Poderes Administrativos
4 pág.

Resumo Poderes Administrativos

Pré-visualização1 página
PODERES ADMINISTRATIVOS RESUMO
O que são os Poderes Administrativos? Poderes Administrativos, são 
instrumentos que a Administração Pública pode utilizar para cumprir sua finalidades. São 
prerrogativas juridicamente concedidas aos agentes administrativos para que o Estado 
alcance seus fins.
Basicamente, existem seis poderes administrativos. Veja quais são eles na tabela a seguir:
PODERES ADMINISTRATIVOS
1. Poder Vinculado
2. Poder Discricionário
3. Poder Hierárquico
4. Poder Disciplinar
5. Poder Regulamentar
6. Poder de Polícia
Poder vinculado
Atos vinculados são aqueles que não cabem à Administração tecer considerações sobre sua 
oportunidade e conveniência, ou escolher seu conteúdo. O \u201cpoder vinculado\u201d é, na 
verdade, um dever da Administração Pública agir de acordo com uma regra existente. 
Quando há os pressupostos para a edição de um ato vinculado, não cabe à Administração 
se omitir. Ela é obrigada a atuar.
Exemplo: o Prefeito de uma cidade que, vinculado à Lei de Responsabilidade Fiscal, 
deixa de realizar determinado gasto no Município. O Prefeito tem obrigação de cumprir a 
Lei de Responsabilidade Fiscal. Não há opção. A ação do Prefeito, nesse caso, ocorre em 
decorrência do Poder Vinculado.
Poder Discricionário
Já o Poder Discricionário é aquele em que o agente possui certa liberdade de atuação. Aqui 
a Administração pode analisar a oportunidade e a conveniência na prática do ato.
O Poder Discricionário permite que o agente escolha, dentro dos limites legais, o conteúdo 
da sua ação. Geralmente o Poder Discricionário é exercido quando a lei dá a liberdade para
o agente atuar de acordo com o que for conveniente ao interesse público.
Obviamente, deve-se considerar a razoabilidade e a proporcionalidade no exercício do 
Poder Discricionário.
Exemplo: um Secretário de Segurança estadual que escolhe o melhor local para 
estabelecer a sede de uma unidade policial. A princípio, não há obrigação que a sede esteja 
em determinado bairro. Então, discricionariamente, e de acordo com o interesse público, o
Secretário define onde a unidade será instalada.
Poder Hierárquico
Acredito que o Poder Hierárquico seja um dos mais simples de compreender entre os 
Poderes Administrativos. É o Poder Hierárquico que dá a prerrogativa aos superiores 
hierárquicos em dar ordens aos seus subordinados. Também decorre do Poder Hierárquico
a possibilidade de fiscalizar, controlar, aplicar sanções, delegar competências e avocar 
(trazer para si) competências. O funcionamento dos serviços da Administração Pública 
dependem diretamente do Poder Hierárquico.
Exemplo: um tenente do Exército que determina a um soldado realizar a limpeza de um 
equipamento bélico. O Poder Hierárquico autoriza o tenente a dar a ordem, fiscalizá-la, e, 
caso o soldado descumpra a ordem, aplicar a devida sanção.
Poder Disciplinar
Falamos em sanção quando nos referimos ao Poder Hierárquico, mas o poder punir 
administrativamente está imediatamente ligado ao Poder Disciplinar. É dito que o Poder 
Disciplinar deriva do Poder Hierárquico. Não devemos confundir o Poder Disciplinar com 
o Poder Punitivo do Estado (relacionado ao Direito Penal). Fique atento(a) a essa 
pegadinha! Todas as pessoas podem ser punidos pelo Estado, mas apenas funcionários 
públicos ou agentes contratados são alcançados pelo Poder Disciplinar. Ao cometer uma 
infração administrativa, qualquer pessoa física ou jurídica pode ser punida através do 
Poder Disciplinar.
Exemplo: o chefe de uma repartição que percebe um subordinado descumprindo o 
horário de chegada e saída para o trabalho. O Poder Disciplinar autoriza o chefe a punir o 
infrator.
Poder Regulamentar
Falemos agora do Poder Regulamentar, que nada mais é que a competência do Chefe do 
Poder Executivo (Presidente, Governadores e Prefeitos) para editar atos administrativos 
normativos. Ou seja, o Poder de criar decretos e regulamentos. É importante notar que a 
competência de outros agentes públicos para editar atos normativos não tem como base o 
Poder Regulamentar. Costuma-se dizer que, nesses outros casos, as normas se 
fundamentam no Poder Normativo, algo mais genérico.
Exemplo: o Presidente da República que cria um Decreto-Lei para regulamentar o uso de 
armas de fogo por servidores militares.
Poder de Polícia
Ao falar de Poder de Polícia é importante considerar o que preceitua o Código Tributário 
Nacional:
Art. 78. Considera-se poder de polícia atividade da administração pública 
que, limitando ou disciplinando direito, interesse ou liberdade, regula a 
prática de ato ou abstenção de fato, em razão de interesse público concernente
à segurança, à higiene, à ordem, aos costumes, à disciplina da produção e do 
mercado, ao exercício de atividades econômicas dependentes de concessão ou 
autorização do Poder Público, à tranquilidade pública ou ao respeito à 
propriedade e aos direitos individuais ou coletivos.
 
Basicamente, é o poder que a Administração Pública possui para restringir o gozo de bens, 
atividades e direitos individuais. O Poder de Polícia é exercido em benefício da coletividade
ou do próprio Estado.
Exemplo: o Corpo de Bombeiros, quando interdita um bar por falta de condições 
adequadas para a evacuação em caso de incêndio. Embora o proprietário do bar tenha 
direito ao bem, e de exercer seu trabalho, isso é restrito em benefício da coletividade.
	PODERES ADMINISTRATIVOS RESUMO
	O que são os Poderes Administrativos? Poderes Administrativos, são instrumentos que a Administração Pública pode utilizar para cumprir sua finalidades. São prerrogativas juridicamente concedidas aos agentes administrativos para que o Estado alcance seus fins.
	Poder vinculado
	Poder Discricionário
	Poder Hierárquico
	Poder Disciplinar
	Poder Regulamentar
	Poder de Polícia