Buscar

TCC Importancia do brincar na educação infantil 09 06 2015

Esta é uma pré-visualização de arquivo. Entre para ver o arquivo original

TCC-Importancia do brincar na educação infantil
 de 86i5qppcv6 | trabalhosfeitos.com
 1. Introdução
A questão central desse projeto é a brincadeira no ambiente escolar, para as crianças da Educação infantil. Temos como objetivo mostrar que a brincadeira sempre traz aprendizado, sendo ela dirigida ou lida e que é preciso que o educador seja o mediador deste processo educacional. E por fim a conscientização dos pais, pois são peças fundamentais na vida dos filhos.
 Com base nos estudos e pesquisas podemos perceber que os professores estão cansados e desanimados, por exemplo, atividades que são simples como a roda de conversa ou um contar de histórias pode parecer que não, mas são de extrema importância para o desenvolvimento do aluno e foi pensando nisso que resolvemos buscar esse tema na intenção de mostras a importância do brincar na Educação Infantil, pois acreditamos que a Educação infantil é a base para as demais etapas na construção de um cidadão mais preparado, capaz de agir e resolver situações e problemas.
A maneira lúdica de aprender na Educação infantil leva o aluno a desenvolver sensações e emoções fundamentais para o seu desenvolvimento e aprendizagem, na educação infantil a criança ainda não consegue se comunicar então se expressa através do corpo, e na brincadeira podemos entender com clareza. A fase do brincar é para desenvolver a criatividade, imaginação, aprendizado de regras, brincando a criança também desenvolve o lado motor cognitivo, social, emocional e psicomotor. Diante disto é essencial que a escola tenha profissionais preparados para desenvolver a prática do brincar. É importante ressaltar a importância dos pais no desenvolvimento integral da criança, mas muitas vezesnão entendem o papel da brincadeira e julgam ser apenas um passatempo. 
A criança desenvolve-se pela experiência social, nas interações que estabelece desde cedo, com a experiência sócia histórica dos adultos e do mundo por eles criado. Dessa forma, a brincadeira é uma atividade humana na qual as crianças são introduzidas constituindo-se em um modo de assimilar e recriar a experiência sócia cultural dos adultos. 
Com este trabalho esperamos ajudar professores, educadores e pais a darem mais importância as brincadeiras de seus alunos e filhos, e dedicarem um pouco do seu tempo a estas crianças que tanto nos pedem atenção, até para que possamos entender e entrar no mundo em que elas vivem, que é o mundo da imaginação.
O brincar é uma necessidade de qualquer pessoa e ela está inserida em todas as fases da vida e deve ser vista como um instrumento que fortalece o ensino aprendizagem e o desenvolvimento da criança. Portanto o brincar não pode ser visto como um “mero” passa tempo, mas sim como um processo no qual é necessário olharmos para esse brincar como algo que insere o ser humano para a vida estimulando e fortalecendo sua imaginação e criatividade. Se esse brincar não ocorre de forma devidamente trabalhada muitas vezes poderá interferir futuramente e trazer dificuldade no desenvolvimento.
É possível dizer que o lúdico é uma ferramenta pedagógica que os professores podem utilizar em sala de aula como técnicas metodológicas na aprendizagem, visto que através da ludicidade os alunos poderão aprender de forma mais prazerosa, concreta e, consequentemente, mais significativa, culminando em uma educação de qualidade.1.1. Delimitação do Tema 
Qual a contribuição da brincadeira para o desenvolvimento do aprendizado da criança de 1 a 5 anos de idade na educação infantil?
1.2. Formulação de Problema (Problematização) 
Embora atualmente, a importância do brincar para o desenvolvimento infantil que seja amplamente reconhecida, é comum observamos crianças, por vezes muito pequenas, com uma rotina bastante atribulada, tomada por diversas atividades e compromissos. Muitas vezes, fica difícil encontramos alguma brecha, na correria do dia a dia dessas crianças, na qual elas possam, simplesmente, ter espaço e tempo para brincar. Mas afinal, por que o brincar é considerado algo tão importante para o desenvolvimento das crianças?
1.3. Hipótese
Segundo a problematização levantada sobre a importância do brincar nas escolas se tem contribuído para o desenvolvimento da aprendizagem dos alunos na educação infantil.
Qual é a metodologia usada para atender os anseios desses alunos nessa fase de desenvolvimento?
1.4. Objetivo Geral 
Adquirir uma reflexão e conhecimentos para desenvolver a importância do brincar na educação infantil de 1 a 5 anos proporcionando ao aluno um aprendizado lúdico.
1.5. Objetivos Específicos
Detectar os principais aspectos que as atividades lúdicas auxiliam no aprendizado das crianças da educação infantil.
Pesquisar as dificuldades que os docentes encontram ao realizar as atividades
Referenciar a pesquisa buscando resposta para enfrentar os problemas apresentados.
Apontar alternativas metodológicas como a brincadeira pode contribuir no processo de ensino-aprendizagem da criança inserida na educação infantil.
1.6.Justificativa
A infância é um período de aprendizagem necessário à idade adulta. É um laboratório de aprendizagem, permitindo o aprender. De acordo com Chateau (1987, p.14): “É pelo brinquedo que crescem a alma e a inteligência (...) uma criança que não sabe brincar, uma miniatura de velho, será um adulto, que não sabe pensar”.
O brincar é uma atividade predominantemente da infância e procura-se, com este trabalho, identificar suas relações com o desenvolvimento da aprendizagem na criança, influenciada pelo contexto histórico, social e cultural em que está inserida. Com estas experiências adquiridas, estabelecem-se vínculos entre aluno, professor e escola, favorecendo sua aprendizagem e formação. Neste universo deu-se a escolha do tema: 
“A importância do Brincar Na Educação Infantil”.
O referido tema centra-se no encantamento das pesquisadoras ao perceberem como brincar interfere no desenvolvimento cognitivo das crianças e as ajudam a exteriorizar o seu mundo e seus desejos internos, independentemente da cultura ou da década, traz lembranças que podem ou não auxiliar no dia-a-dia do educador, como também, por reconhecer a importância dessas atividades no contexto escolar.
Temos várias razões para brincar, pois sabemos que é extremamente importante para o desenvolvimento cognitivo, motor, afetivo e social da criança. É brincando que a criança expressa vontades e desejos construídos ao longo de sua vida, e quanto mais oportunidades a criança tiver de brincar mais fácil será o seu desenvolvimento. 
A partir deste contexto surge o interesse em compreender como as brincadeiras auxiliam na aprendizagem e desenvolvimentocognitivo de crianças da Educação Infantil, pois o brincar é comunicação e expressão, é agir, entreter-se, elaborar teorias, criar, fantasiar, inventar, explorar, construir, sentir, ser e viver; é uma associação entre pensamento e ação que ajuda as crianças no seu desenvolvimento físico, mental, emocional e social.
 Vemos que o brincar tem a função socializadora e integradora. A sociedade moderna cada vez mais tem sofrido transformações em relação ao brincar e ao espaço que se tem para brincar, os pais e os filhos têm pouco tempo para ficarem juntos e brincar. A escola acaba sendo a única fonte transmissora de cultura, onde ainda existem espaços para as crianças brincarem, tendo os profissionais de educação a incumbência de ensinar e resgatar as brincadeiras no cotidiano infantil.
Podemos então perceber e justificar que pelo fato de que varias propostas e ações existentes no âmbito da Educação, tais como: projeto educacional, seminários, programas de governo, percebe-se que os resultados continuam insatisfatórios, o que demonstra a necessidade de mudanças no contexto educacional, sendo assim, o professor torna-se um dos principais, protagonista dessa mudança.
Segundo Vygotsky (1999)- um dos autores quem embasam teoricamente a proposta pedagógica da creche Francesca Zacaro Faraco-
O brincar cria a chamada zona de desenvolvimento proximal, impulsionando a criança para além do estágio de desenvolvimento que ela já atingiu. Ao brincar a criança se apresenta além do esperado para sua idade e mais além do seu comportamento real, permitindo que ela crie situações imaginárias. Ao mesmo tempo é uma ação simbólicaessencialmente social, que depende das expectativas e convenções presentes na cultura. Quando duas crianças brincam de ser um bebê e uma mãe, por exemplo, elas fazem uso da imaginação, mas ao mesmo tempo, não podem se comportar de qualquer forma, devem sim, obedecer as não façam, correm o risco de não serem compreendidas pelo companheiro da brincadeira.
Assim, com base nas informações obtidas nas referencias, torna-se possível elaborar uma proposta que inicia uma nova prática pedagógica. Uma prática onde a brincadeira infantil não é apenas valorizada como um aspecto natural da criança, mas como um excelente meio de promover a aprendizagem.
2. Referencial Teórico
2.1 A importância do brincar na educação infantil
 Brincar é muito importante para as crianças e todos nós sabemos. Mas por quê?
 No fim do século 19, o psicólogo e filósofo francês Henri Wallon (1879-1962), o biólogo suíço Jean Piaget (1896-1980) e o psicólogo bielo-russo Lev Vygotsky (1896-1934) buscavam compreender como os pequenos se relacionavam com o mundo e como produziam cultura. Até então, a concepção dominante era de que eles não faziam isso.
 Wallon foi o primeiro a quebrar os paradigmas da época ao dizer que a aprendizagem não depende apenas . do ensino de conteúdos: para que ela ocorra, são necessários afeto e movimento também.
 Wallon afirmava que é preciso ficar atento aos interesses dos pequenos e deixa-los se deslocar livremente para que façam descobertas. Levando em conta que as escolas davam muita importância à inteligência e ao desempenho, propôs que considerassem o ser humanode modo integral. Isso significa introduzir na rotina atividades diversificadas, como jogos. Preocupado com o caráter utilitarista do ensino, Wallon pontuou que a diversão deve ter fins em si mesma, possibilitando às crianças o despertar de capacidades, como a articulação com os colegas, sem preocupações didáticas. 
 Já as pesquisas de Vygotsky apontaram que a produção de cultura depende de processos interpessoais. Ou seja, não cabe apenas ao desenvolvimento de um indivíduo, mas às relações dentro de um grupo. Por isso, destacou a importância do professor como mediador e responsável por ampliar o repertório cultural das crianças. Consciente de que elas se comunicam pelo brincar, Vygotsky considerou uma intervenção positiva a apresentação de novas brincadeiras e de instrumentos para enriquecê-las. Ele afirmava que um importante papel da escola é desenvolver a autonomia da turma, e para ele esse processo depende de intervenções que coloquem elementos desafiadores nas atividades, possibilitando aos pequenos desenvolver essa habilidade. 
 Para Vygotsky, citado por Baquero (1998), a brincadeira, o jogo são atividades específicas da infância, nas quais a criança recria a realidade usando sistemas simbólicos, sendo uma atividade com contexto cultural e social. O autor relata sobre a zona de desenvolvimento proximal que é a distância entre o nível atual de desenvolvimento, determinado pela capacidade de resolver, independentemente, um problema, e o nível de desenvolvimento potencial, determinado através da resolução de um problema, sob a orientação de um adulto, ou de um companheiro mais capaz.Na visão de Vygotsky (1998) o jogo simbólico é como uma atividade típica da infância e essencial ao desenvolvimento infantil, ocorrendo a partir da aquisição da representação simbólica, impulsionada pela imitação. Desta maneira, a brincadeira pode ser considerada uma atividade muito importante, pois através dela a criança cria uma zona de desenvolvimento proximal, com funções que ainda não amadureceram, mas que se encontra em processo de maturação, ou seja, o que a criança irá alcançar em um futuro próximo. Aprendizado e desenvolvimento estão inter-relacionados desde o primeiro dia de vida, é fácil concluir que o aprendizado da criança começa muito antes de ela frequentar a escola. Todas as situações de aprendizado que são interpretadas pelas crianças na escola já têm uma história prévia, isto é, a criança já se deparou com algo relacionado do qual pode tirar experiências.
 De acordo com o Referencial Curricular Nacional da Educação Infantil (BRASIL, 1998, p. 23): 
 Educar significa, propiciar situações de cuidado, brincadeiras e aprendizagem orientadas de forma integrada e que possam contribuir para o desenvolvimento das capacidades infantis de relação interpessoal de ser e estar com os outros em uma atitude básica de aceitação, respeito e confiança, e o acesso, pelas crianças aos conhecimentos mais amplos da realidade social e cultural. 
 Por isso o educador é a peça fundamental nesse processo, devendo ser um elemento essencial. Educar não se limita em repassar informações ou mostrar apenas um caminho, mas ajudar a criança a tomar consciência de si mesmo, eda sociedade. É oferecer várias ferramentas para que a pessoa possa escolher caminhos, aquele que for compatível com seus valores, sua visão de mundo e com as circunstâncias adversas que cada um irá encontrar. Nessa perspectiva, segundo o Referencial Curricular Nacional da Educação Infantil (BRASIL, 1998, p. 30):
 O professor é mediador entre as crianças e os objetos de conhecimento, organizando e propiciando espaços e situações de aprendizagens que articulem os recursos e capacidades afetivas, emocionais, sociais e cognitivas de cada criança aos seus conhecimentos prévios e aos conteúdos referentes aos diferentes campos de conhecimento humano.
 De acordo com o Referencial Curricular Nacional da Educação Infantil (1998) a partir da importância da ludicidade que o professor deverá contemplar jogos, brinquedos e brincadeiras, como princípio norteador das atividades didático-pedagógicas, possibilitando à criança uma aprendizagem prazerosa. Assim, a ludicidade tem conquistado um espaço na educação infantil.
2.2 A brinquedoteca 
 A brinquedoteca é um espaço preparado para estimular a criança a brincar, possibilitando um acesso a brinquedos e brincadeiras dos mais variados gêneros. A brinquedoteca deve ser um espaço lúdico onde as crianças sintam que tudo que tem lá á convide para participar de espaço onde será possível explorar, sentir, experimentar e viver experiências em um mundo imaginário, o mundo do faz de conta.
 Quando uma criança entra em uma brinquedoteca deve ser tocado por alegria, afeto, e a magia deve ser palpável. Se o encanto não for encontrado em uma brinquedoteca, nãopoderá ser considerada como tal. Uma sala cheia de estantes com muitos brinquedos também pode ser fria.
 Sendo um ambiente para estimular o desenvolvimento motor e a criatividade, deve ser preparada de forma criativa, com espaços que incentivem a brincadeira, a dramatização, a construção e resolução de problemas, a socialização e a vontade de inventar e se descobrir através do brincar.
 
 O projeto “O direito de Brincar” trouxe-nos novo alento. A brinquedoteca é o espaço onde todas as crianças vão chegando para brincar, para resgatar brincadeiras, para compartilhar momentos de alegria. A brinquedoteca permite a todas as crianças o acesso ao brinquedo de forma a socializar o seu uso, permitindo, sobretudo as crianças de baixa renda o contato com o brinquedo. É a oportunidade que também se apresenta ao adulto consciente, desde o educador de rua ate os lideres da sociedade, de oferecer de volta a elas seu direito de ser criança.
Oded Grajew (Presidente da fundação Abrinq pelos Direitos da Criança.)
 A brinquedoteca tem como objetivo valorizar o brinquedo e as atividades lúdicas e criativas, possibilitar o acesso a variedade de brinquedos, dar a orientação de qual maneira adequada de utilizar cada brinquedo, estimular o desenvolvimento global das crianças, enriquecer as relações familiares, dar oportunidade ás crianças de se relacionarem com adultos de forma agradável e prazerosa. A brinquedoteca tambémpensa em favorecer as crianças que não tem condições de brincar, pensa nas crianças ansiosas de tanto jogarem vídeo-game, e principalmente para as crianças que são tratadas como adultos em miniatura. 
2.3 Os aspectos que a brincadeira desenvolve na criança
 O brincar é o principal modo de expressão da infância e uma das atividades mais importantes para que a criança se constitua como sujeito da cultura.
 Por meio do universo lúdico que a criança se satisfaz, realiza seus desejos e explora o mundo ao seu redor, tornando importante proporcionar às crianças atividades que promovam e estimulem seu desenvolvimento global, considerando os aspectos da linguagem, do cognitivo, afetivo, social e motor. Deste modo o lúdico pode contribuir de forma significativa para o desenvolvimento da criança, auxiliando na aprendizagem e facilitando no processo de socialização, comunicação, expressão e construção do pensamento.
 É importante ressaltar que o lúdico pode proporcionar um desenvolvimento sábio harmonioso, que o brinquedo é objeto concreto da brincadeira e envolve a afetividade, convívio social e operação mental facilitando a apreensão da realidade (KISHIMOTO, 2010)
 As primeiras sensações que a criança percebe vêm de seu próprio corpo: satisfação, dor, sensações sensoriais, movimentações e deslocamentos. Assim, seu corpo é meio de ação, conhecimento e relação com o mundo exterior. O desenvolvimento da criança, portanto, esta intimamente ligada ao esquema corporal, o qual depende da maturação do sistema nervoso. 
 Até um ano e meio a criança desenvolve os problemaspor meio de ação, movimento e tateio. Aos dois anos ela é capaz de evocar e representar os movimentos sem executá-los. Por exemplo, imitando o barulho do motor, faz um objeto girar pelo chão, tal como o pai faz ao dirigir o carro. Ao lado da mímica aparece o jogo representativo, o qual funciona de forma compensatória, de acordo com os desejos e temores da criança.
 Com o aparecimento do andar á criança começa a ter maior independência e aos dois anos e meio a criança toma consciência do seu “eu corporal”, passando a explorar cada vez mais o ambiente ao seu redor. Já no aspecto da linguagem, a criança aumenta a possibilidade de comunicação e sociabilização. A linguagem depende tanto da motricidade quanto da inteligência. Assim, o aparelho fonador exige uma movimentação complexa, precisa e ritmada. 
 Na primeira infância a imaginação é muito forte, e peculiar da faixa etária. A criança, na primeira infância, encontra se no período das representações mentais. As atividades lúdicas podem favorecer o símbolo e auxiliar a criança no seu desenvolvimento.
 O brinquedo é um objeto que pode e deve ser utilizado na atividade lúdica e, na recreação ele é instrumento da brincadeira. Qualquer objeto pode ser um brinquedo, inclusive o corpo. A criança tem o poder da imaginação a ponto de transformar qualquer objeto em brinquedo (fantasia faz de conta, brinquedo simbólico).
 Os brinquedos educativos estimulam o raciocínio, atenção, concentração, compreensão, percepção visual, coordenação motora, dentre outras. Onde a criança utiliza brincadeiras com cores, formas, tamanhos que exigem a compreensão,brincadeiras de encaixe que deve haver noções de sequência, quebra-cabeça, etc.
 Brinquedo é tudo o que for utilizado para o uso da brincadeira, algo que a criança se envolve, emocionalmente, e interage de forma viva e real. O brinquedo convida a criança para brincar, para se divertir, no entanto, para que os brinquedos provoquem desafios, devem estar adequados ao interesse, necessidade e capacidade, especificados pela faixa etária da criança. Assim será um estimulo e trará maior beneficio para o desenvolvimento infantil.
 “As brincadeiras podem ser o elemento chave para a estimulação lingüística” (KISHIMOTO, 2010, p 37).
 O brinquedo é a oportunidade de desenvolvimento, pois, brincando, a criança experimenta, descobre, inventa, aprende e confere habilidades. Alem de estimular a curiosidade, a autoconfiança e a autonomia, proporcionam o desenvolvimento da linguagem, do pensamento e da concentração e da atenção.
 Já a brincadeira refere-se, basicamente, a ação de brincar, ao comportamento espontâneo que resulta de uma atividade não estruturada. Por exemplo: quando a criança brinca de faz de conta (papai e mamãe, de fazer compras) ela esta usando o seu imaginário e imitando o real.
 Quando brincam de faz de conta ás crianças analisam aspectos da vida cotidiana e conquistam espaços de poder que as auxiliam a confrontar o mundo e os adultos. E é o faz de conta uma das principais marca da entrada da criança no jogo simbólico, no universo da cultura e da sociabilidade.
 Na educação infantil, o brincar estará sempre presente, pois é brincando que a criança entende o seu mundo. Ébrincando que ela aprende. Por meio da brincadeira a criança interage com o meio (objeto, pessoas). A brincadeira pode ou não ter regras. Ela oportuniza a imaginação e suas regras são “abertas” e sugere participação mais livre e descontraída, bem dentro do espírito da atividade lúdica. É a ação que a criança desempenha ao concretizar as possíveis regras, ao mergulhar na ação lúdica. Pode-se dizer que é o lúdico em ação. Dessa forma brinquedo e brincadeira relacionam-se com a criança e não se confunde com jogo (KISHIMOTO, 2010).
 A brincadeira motiva, cativa e envolve, pois é significante. Por ser significante, desperta interesse, permitindo uma maior participação da criança. Sendo assim, a criança dará mais significado para ela. Existem inúmeras brincadeiras, com ou sem material, de roda, com musica, folclórica, de rua, de salão, faz-de-conta, individuais, coletivas, etc. Além das já existentes, novas poderão ser criadas, se a imaginação e a criatividade forem respeitadas. A brincadeira favorece a intuição.
 Mas ainda existem muitas escolas que não vêem a importância do brinquedo e a atividade lúdica para a criança, achando que só a alfabetização é importante. 
 A escola ao valorizar as atividades lúdicas, ajuda a criança a formar bom conceito de mundo em que a afetividade, a sociabilidade e a criatividade serão estimuladas. A partir de um trabalho onde a ludicidade será valorizada, poderemos oportunizar o resgate de potencial de cada disciplina. Cada um pode desencadear estratégias lúdicas para dinamizar seu trabalho, que certamente, será mais produtivo, prazeroso e significativo.Pode-se dizer que a atividade lúdica, o jogo, permite liberdade de ação, naturalidade e prazer que raramente são encontrados em outra atividade escolar. O lúdico é essencial para uma escola que se proponha não somente o sucesso pedagógico, como também à formação do cidadão. A convivência de forma lúdica e prazerosa com a aprendizagem proporcionará a criança, estabelecer relações cognitivas às experiências vivenciadas.
 Assim a atividade lúdica, o jogo, o brinquedo e a brincadeira são essenciais no desenvolvimento e na educação da criança, uma vez que partindo do pressuposto de que é brincando e jogando que a criança ordena o mundo á sua volta, assimilando experiências, informações e assim, incorporando valores.
 As atividades lúdicas proporcionam a vivencia do aqui agora, integrando a ação, o pensamento, onde podem ser uma brincadeira, um jogo ou qualquer outra atividade que possibilite alegria e prazer.
Ao brincar, a criança assimila conceitos, experiências, vivencia. A capacidade de brincar possibilita ás crianças um espaço para resolução dos problemas que as rodeiam.
 O brincar é um ato social que permite uma comunicação através de gestos, mesmo que não haja comunicação verbal. É no brincar que a criança tem a oportunidade de expressar o que está sentindo ou necessitando, é através das brincadeiras de faz de conta que ela constrói o seu mundo imaginário situado em experiências vividas.
 Por meio das brincadeiras as crianças podem manifestar certas habilidades que não seriam esperadas para a sua idade. É nesse contexto que o jogo pode ser considerado um excelenterecurso a ser usado quando a criança entra na “escolinha”, já que é parte essencial de sua natureza, podendo favorecer tanto os processos que estão em formação, como outros que serão completados. Podemos analisar a importância dos jogos no desenvolvimento infantil e de salientar a contribuição na aprendizagem, visto que o jogo é uma atividade própria da infância podendo se desenvolver de maneira individual ou coletiva, contribuindo dessa forma com a socialização através das relações com o seu eu e tudo que o cerca. Os jogos trazem possibilidades de crescimento pessoal, pois quando a criança brinca ou participa de jogos, libera necessidades e interesses espontaneamente.
 O brincar está estritamente ligado ao fator social, pois é um meio utilizado pela criança para que ela possa relacionar com o ambiente físico e social no qual está inserida, despertando assim sua curiosidade e ampliando seus conhecimentos e habilidades motoras, cognitivas ou linguísticas, além de permitir expressar as diferentes expressões vivenciadas em seu contexto sociocultural.
 O brincar leva as crianças “ao mundo do imaginário, da fantasia”, e a partir daí, as crianças encontram sentido para sua vida, é nas brincadeiras que ideias se concretizam e que as experiências são construídas de muitos modos e repetidas tantas vezes quanto à criança quiser. As situações vivenciadas são transportadas para as brincadeiras e sentidas como na realidade.
 Nesse sentido, quando brinca, a criança carrega consigo, angústias frustrações e todo o estado emocional, construindo dessa maneira, sua personalidade. Através desta, ultrapassalimites e obstáculos, e principalmente na primeira infância, adquire e desenvolve habilidade para conseguir superar dificuldades e ou enfrentar desafios que poderão surgir na vida adulta.
 Brincando, as crianças aprendem a cooperar com os “amiguinhos”, a obedecer às regras, a respeitar, a acatar a “autoridade”, a assumir responsabilidade, a dar oportunidade aos demais, enfim, a viver em sociedade.
 Consideramos que o universo lúdico é um elo integrador entre os aspectos motores, cognitivos, afetivos e sociais, podendo influenciar de maneira significativa na vida da criança, contribuindo no fortalecimento do organismo, melhorando o estado da saúde, proporcionando o desenvolvimento de habilidade úteis para a vida, criando hábitos culturais e influenciando na formação de qualidades morais e sociais da personalidade.
 O brincar é um instrumento importante para desenvolver a criança, para a construção do conhecimento infantil. Pelo brincar, a criança organiza e reorganiza suas experiências, aprender a lidar com as emoções, ou seja, pelo brincar a criança equilibra as tensões provenientes do seu mundo cultural, construindo sua individualidade, sua marca pessoal, sua personalidade. O brincar é uma maneira pela qual a criança busca meios para se desenvolver por meio do brincar ela vai desenvolvendo a consciência do próprio corpo e das possibilidades de expressar-se por meio dele.
 Desse modo, o lúdico é significativo para a criança poder conhecer compreender e construir conhecimentos. O desenvolvimento pessoal que o universo lúdico proporciona, associados aos fatores sociais eculturais, colabora para uma boa saúde física e mental, facilitando o processo de socialização, comunicação e construção de conhecimento e, nessa perspectiva, quando as crianças são estimuladas a vivenciar brincadeiras e jogos, mediante um processo organizado, respeitando cada etapa do seu desenvolvimento elas têm a oportunidade de desenvolver capacidades indispensáveis a sua futura atuação pessoal, profissional e social.
2.4 Como surgiu a Brinquedoteca no Brasil e no mundo 
 A brinquedoteca foi criada para as crianças que, em nome do progresso de nossa civilização, perderam o espaço e o tempo para brincar, e dessa forma foi pensado em algo que fosse possível formar cidadãos que daria seu desenvolvimento de viver de forma mais harmoniosa, fraterno e consciente.
 Uma nova priorização de valores precisava acontecer para que as crianças de hoje possa ser amanha um adulto capaz de amar e de participar conscientemente do mundo o seu redor.
 As origens da brinquedoteca são da Suécia, em 1963, que a ideia emprestar brinquedos foi desenvolvida e expandida, quando duas professoras, fundaram a primeira LEKOTEK, o objetivo era emprestar brinquedos e dar orientação as famílias de como o brincar poderiam melhor estimular seus filhos no desenvolvimento infantil.
 Mas antes disso nos anos de grande depressão econômica americana, por volta de 1934, na cidade de Los Angeles, nos Estados unidos, o dono de uma loja de brinquedo queixou-se de que as crianças estavam roubando brinquedos, e ai chegou a conclusão de que as crianças roubavam brinquedos, e junto ao seu diretor chegou a conclusão de queroubavam pois não tinham acesso a eles nem ao brincar, assim iniciou o empréstimo de alguns brinquedos com um recurso comunitários.
 E assim esse movimento foi tomando conta dos demais países como Japão que cada vez mais cresce o numero de brinquedotecas, a Itália que já oferece ate atividades na área artística como canto, teatros produções de vídeos e etc, a Finlândia que ainda utiliza o modelo criado na Suécia em 1963, a Austrália que possui uma das maiores brinquedoteca do mundo, onde a entrega de brinquedos são feitos ate por helicóptero, barcos, trens, traillers, ônibus e etc, ela abrange ate mesmo na área da saúde, e assim acontece com mais diversos países que cada vez mais adotam e incentivam esse desenvolvimento.
 Já no Brasil a brinquedoteca demorou um pouco mais a ter seu espaço. Em 1971 foi inaugurada uma APAE – associação de Pais e Amigos dos Excepcionais, e a partir desse projeto, pensando nas crianças com deficiências foi criada a brinquedoteca com a intenção de estimular o aprendizado, pois viam nos brinquedos um auxilio indispensável no trabalho educacional. E logo em seguida em 1973 apenas dois anos após a inauguração da APAE a brinquedoteca já tinha seu espaço e já oferecia o rodízio de brinquedos, e esse movimento foi tomando parte de todo mundo, não eram só professores que queriam informações, enfermeiras, desenhistas, psicólogos, terapeutas, pais, e outras pessoas que se identificavam com os brinquedos procuravam para saber um pouco mais sobre esse projeto. 
 Mas ainda não era fácil convencer as pessoas de que o uso de brinquedos era muito importante para odesenvolvimento educacional das crianças, e isso acontece ate os dias de hoje, alguns pais ainda acham que brinquedos são dispensáveis na formação de uma criança. Porem hoje a brinquedoteca tem um espaço muito maior e já oferece um catalogo de atividades muito amplas, e ainda assim continua crescendo muito. E para os educadores já são consideradas peças indispensáveis na formação e no desenvolvimento da criança.
 2.5 A evolução do brincar
 
“... Era muito mais gostoso no tempo que as crianças tinham maior convivência, La na rua, na pracinha... Hoje eles ficam trancados no apartamento, e o encontro é só com um coleguinha de escola, com as pessoas da família... as crianças têm
muitos brinquedos que as crianças de antigamente nem sonhavam em ter, as crianças não tem mais a chance que tive de brincar numa rua... hoje se não tomar cuidado, você é atropelado. 
 (Silva, Garcia e Ferrari. Memória e brincadeiras na cidade de São Paulo nas primeiras décadas do século XX, 1989)
 As crianças de antigamente brincavam como tantas outras crianças, na rua e nas calcadas, terrenos baldios, sem muitos brinquedos, as crianças de hoje assistem muita televisão, e tem muitos brinquedos, e assim tem pouco contato com outras crianças trocam poucas experiências e quase não conversam. Isto sem duvidas influencia na evolução da criança.
 Mas por quê as crianças estão perdendo todos costumes de antigamente? Por quê foi deixado de lado a cultura popular? Antigamente a brincadeira era um fenômeno social, todos brincavam independia de classe,sexo, idade. Mas os tempos foram mudando e os adultos já não frequentavam tanto os eventos de brincadeiras e aos poucos a brincadeira passaram a ser vista como algo destinado apenas para crianças e quando algum adulto se propunha a brincar era visto com outros olhos. 
 Hoje talvez esse preconceito já esteja se acabando e ate começamos a admirar aquele adulto que carrega com você uma criança.
 E assim, aos poucos a brincadeira foi tomando conta das escolas e já passou a ser vista como algo indispensável para se desenvolver uma criança, eles costumavam a dizer que seria a criação do “novo homem”, e realmente foi, hoje a brincadeira tem força total quando se diz em formar cidadão.
 Porem hoje com o avanço da tecnologia a brincadeira tem sido muito ameaçada, estudiosos dizem que o contato da criança com outras crianças e com adultos é tão importante quanto a nutrição, por isso o uso de aparelhos tecnológicos devem ser controlados, pois somente através da brincadeira que a criança ira desenvolver formas de comportamentos experimentais e a socialização.
 “Quando nós eramos pequenos, nossas brincadeiras desde muito cedo eram brincadeiras de rua, brincadeiras de moleque... então a gente era mais livre dentro daquele espaço que a sociedade tinha estabelecido que era o espaço da criança. Ela não podia sair daquilo, mas dentro daquilo, dentro daquele espaço, ela era mais livre do que hoje em dia, com um espaço maior.
 Silva, Garcia e Ferrari. Memória e brincadeiras na cidade de São Paulo nas primeiras décadas do século XX, 1989.
 
 Alguns anos atrásforam feitas algumas pesquisas referente a evolução do brincar e dentre elas destacavam-se:
 Uma significativa redução no espaço físico, com o crescimento da cidade e a falta de segurança, os espaços são seriamente ameaçados e diminuídos.
 A redução do tempo para brincar, a criança tem muitas tarefas ao decorrer do dia que muitas vezes julgam ser mais importantes do que a brincadeira.
 A indústria que possui brinquedos muito atraentes, assim permitindo na maioria das vezes que a criança possa brincar sozinha ou ate mesmo dentro de casa.
 Dentro da escola a brincadeira é algo controlado e a brincadeira livre passa a ser vista como não-produtiva.
 Resta nos perguntamos se na evolução do brincar houve um avanço ou um retrocesso. Houve avanço, sim, no que se refere a importância e compreensão do brincar, da preservação, da fabricação de brinquedos que foram ótimos para colaborar na atividades lúdicas e que são possíveis o uso em varias faixa etárias. Se formos analisarmos passado e presente no quesito brincadeira, tivemos um avanço significativo na educação, que hoje já é considerado uma das ferramentas mais importantes na formação e na socialização de um cidadão.
2.6 A cultura do brincar 
 A primeira forma de cultura é o brincar não percebemos, mas a cultura esta relacionada a tudo, ao nosso cotidiano. Os jeito das pessoas convivem, se expressarem, trabalharem, o modo como as pessoas vivem. Tudo isso faz parte da cultura, mesmo não brincando com o que denominamos “brinquedo” a criança já esta brincando com a cultura.
 Brincando a criança esta lidandocom sua realidade exterior e interior com sua realidade exterior e interior. O adulto faz o mesmo quando esta escrevendo, lendo ou exercendo sua religião. Segundo a autora Marina Marcondes Machado. As primeiras brincadeiras do bebê estão relacionadas a descoberta do eu corporal: lidar com seu corpo é uma grande e importante brincadeira das crianças.
“A mãe antes mesmo do bebê nascer também brinca, ao imaginar como será seu bebê, se acostumando com a ideia de que vai ser mãe”... Antes uma menina que brincava de ser mãe das suas bonecas e agora será mãe de verdade. Cap 1 pag 22 ( Brinquedo, sucata e as crianças ed. Loyola. 1994).
 Brincar trás novas descobertas, raciocinar, persiste e perseverar também é brincar.
2.7 Briquedoteca e as crianças especiais
 A educação é um direito humano, sendo assim a criança especial como ser humano tem este direito. Acerca disso o brincar é uma forma privilegiada de desenvolvimento e apropriação do conhecimento para todas as crianças e, portanto, instrumento indispensável da prática pedagógica e componente relevante de propostas curriculares.
Como trabalhar com crianças com deficiência? Isto é possível?
Através do brincar a criança pode desenvolver sua coordenação motora, suas habilidades visuais e auditivas, seu raciocínio criativo e cognitivo o que se torna possível com a presença das atividades lúdicas.
Na antiguidade até os nossos dias, a sociedade demonstra dificuldade em lidar com as
diferenças entre as pessoas e de aceitar as pessoas com necessidades especiais. Pode-se perceber sobre a inclusão que muito ainda há a ser solucionado em função dacriança deficiente. Pode-se perceber sobre a inclusão que muito ainda há a ser solucionado em função da criança deficiente. Todas as pessoas devem ser respeitadas, não importa o sexo, a idade, as origens étnicas, a opção sexual ou as deficiências. Uma sociedade aberta a todos, que estimula a participação de cada um e aprecia as diferentes experiências humanas, e reconhece o potencial de todo cidadão.
 As crianças com qualquer deficiência, independentemente de suas condições físicas, sensoriais, cognitivas ou emocionais, são aquelas que necessitam de afeto, cuidado, proteção e os mesmos desejos e sentimentos de crianças que não tem deficiência. Elas têm a possibilidade de conviver, interagir, trocar, aprender, brincar e serem felizes, embora, algumas vezes, de forma diferente.
 Elas devem ser olhadas não como defeito, mas como pessoas com possibilidades diferentes, com algumas dificuldades, que, muitas vezes, se tornam desafios com os quais podemos aprender e crescer, como pessoas e profissionais que buscam ajudar o outro.
 Decerto, estas necessitam do brincar da mesma forma que as outras crianças que não apresentam deficiência. O brincar permite que a criança aprenda a lidar com as emoções. Pelo brincar ela equilibra as tensões provenientes de seu mundo cultural, na construção de sua personalidade, crianças de diferentes idades com características específicas, em formas diferenciadas de brincadeiras, têm uma forma especial de se desenvolver.
2.8 Brincadeiras e Brinquedos Culturais 
 Muitas brincadeiras foram passadas de geração em geração, possui diversas origens efizeram parte de muitas etapas do desenvolvimento do País. Essas brincadeiras hoje fazem parte do nosso folclore brasileiro e parte do nosso povo. Podemos citar como exemplos varias brincadeiras. A amarelinha de origem francesa chegou e rapidamente se tornou popular no brasil. A brincadeira resume-se em um desenho formado por blocos numerados de 1 a 10 com semicírculos nas extremidades que são jogados pedras ou algum objeto que ira determinar onde não poderá ser pisado. A dança mais do Brasil e a ciranda, vinda de
Portugal chegou ao Brasil como dança adulta, mas logo sofreu transformações e passou a alegrar as brincadeiras das crianças infantis. Ainda é bastante utilizada nas escolas, parques, e espaços que prezam brincadeiras antigas, passando-as novas gerações. 
 Com o avanço tecnológico hoje temos brinquedos que não exigem a criatividade das crianças, sendo assim, apresentamos aqui algumas sugestões de jogos e brincadeiras antigas como:
 Pula corda, duas pessoas batem a corda e a outra pula, durante a brincadeiras os bastidores vão cantando alguma musica que determinara o que a pessoa que esta pulando deve fazer.
 Roda, em rodas cantam cantigas antigas e fazem os gestos e representações delas. 
 Bolinha de gude, essa tem varias formas de se jogar, como box, triângulo, barca e jogo do papão, onde os participantes devem percorrer determinados caminhos, batendo uma bolinha na outra e, ao final, acertar as caçapas.
 É importante lembrar que as brincadeiras infantis que ainda persistem em todo o mundo são quase sempre jogos muito divertidos e simples. Não precisamde objetos, desenvolvem muitas habilidades e, historicamente suas origens se dão de praticas culturais e religiosas idealizadas pelos adultos ao longo dos tempos.
3. Metodologia (Métodos e técnicas de pesquisa)
 O presente trabalho pretende por meio de a pesquisa bibliográfica contemplar de forma sucinta, o tema abordado, considerando que esta abordagem proporciona resultados significativos na área educacional, no sentido de oportunizar ao pesquisador uma visão mais ampla no cotidiano escolar, além de produzir conhecimentos e contribuir para a transformação da realidade de cada estudante no processo educativo.`
O instrumento da pesquisa que utilizaremos trata-se de uma pesquisa bibliográfica elaborada através de uma revisão de literatura a partir de material já publicado, constituído principalmente de livros e artigos disponibilizados na Internet para levantamento da situação em questão, fundamentação teórica e justificar os limites e contribuições da própria pesquisa.
 Faremos um estudo de caso levantando questões de uma escola pública onde não tem um espaço adequado para a construção de uma brinquedoteca, que seria o local ideal para a realização de atividades e brincadeiras que ajudam no processo de aprendizagem na Educação Infantil. 
4. Análise
 Foi feita uma analise na Escola Municipal Antônio Gonçalves Dias. Verificamos que a escola não possui um espaço adequado e reservado para as crianças brincarem, na escola as crianças seguiam uma rotina diária que incluía a hora do lanche, e um tempo reservado para um pequeno parque e os outros momentos eram basicamente dentro dasala de aula.
5. Considerações Finais
 A partir de pesquisa bibliográfica vemos que a criança aprende enquanto brinca. De forma que a brincadeira se faz presente e acrescenta elementos indispensáveis ao relacionamento com outras pessoas. Sendo assim, a criança estabelece relações com os jogos e as brincadeiras e consegue expressar suas emoções. É por meio da brincadeira que a criança se socializa se conhece e conhece o outro.
 Brincando e jogando a criança terá oportunidade de desenvolver capacidades indispensáveis a sua futura atuação profissional, tais como atenção, afetividade, o hábito de concentrar-se, dentre outras habilidades. Nessa perspectiva, as brincadeiras, os brinquedos e os jogos vêm contribuir significamente para o importante desenvolvimento das estruturas psicológicas e cognitivas do aluno.
 Vemos que a ludicidade é uma necessidade do ser humano, mas principalmente na infância, na qual ela deve ser vivenciada, não somente como diversão, mas com objetivo de desenvolver as potencialidades da criança. visto que o conhecimento é construído pelas relações inter-pessoais e trocas que se estabelecem durante toda a formação integral da criança.
  Portanto, é muito importante a introdução de jogos e atividades lúdicas no cotidiano escolar, devido à influencia que os mesmos exercem frente aos alunos, pois quando estão envolvidos emocionalmente, torna-se mais fácil e dinâmico o processo de ensino e aprendizagem.
 Conclui-se que o aspecto lúdico voltado para as crianças facilita a aprendizagem e o desenvolvimento integral nos aspectos físico, social, cultural, afetivoe cognitivo. Enfim, desenvolve o indivíduo como um todo, sendo assim, a educação infantil deve considerar o lúdico como parceiro e utilizá-lo amplamente para atuar no desenvolvimento e na aprendizagem da criança.
Referências Bibliográficas
ARIÈS, Philippe História social da criança e da família. R.J., Ed.Guanabara,1981
BOSI, Ecléa. Memória e sociedade: lembranças de velhos. 2ªed., São Paulo, T.A. Queiroz/Edusp, 1987(1ªed.1982)
FRIEDMANN, Adriana. Jogos tradicionais na cidade de São Paulo: recuperação
KISHIMOTO, M.T(Org) Jogo, brinquedo, brincadeira e a educação. São Paulo: cortez, 2010.
FREIRE, J.B. Educação do corpo inteiro: Teoria e pratica da educação física. São Paulo: Scipione, 1997. (Pensamento e ação no magistério).
KISHIMOTO, M.T(Org) Jogo, brinquedo, brincadeira e a educação. São Paulo: cortez, 2010.
VIGOTSKI, L.S A formação Social da mente: O desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. São Paulo: Martins Fontes, 1998. (Psicologia e Pedagogia).
VYGOTSKY, L. S. A Formação Social da Mente. 6. ed. São Paulo: Martins Fontes Editora LTDA, 1998.
 VYGOTSKY, L. S; LURIA, A. R.; LEONTIEV, A. N. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. São Paulo: Ícone: Editora da Universidade de São Paulo, 1998.
BAQUERO, Ricardo. Vygotsky e a aprendizagem escolar. Trad. Ernani F. da Fonseca Rosa. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.
 BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial curricular nacional para a educação infantil.Ministério da Educação e do Desporto, Secretaria de Educação Fundamental. - Brasília: MEC/SEF, 1998, volume: 1 e 2.

Teste o Premium para desbloquear

Aproveite todos os benefícios por 3 dias sem pagar! 😉
Já tem cadastro?

Materiais relacionados

Perguntas relacionadas

Materiais recentes

Perguntas Recentes