Engenharia de produção   Tópicos e aplicações
239 pág.

Engenharia de produção Tópicos e aplicações


DisciplinaEngenharia de Produção1.224 materiais8.261 seguidores
Pré-visualização46 páginas
de processamento do 
pedido? No lugar disso, estaria ocorrendo um sub-
dimensionamento do número de entregadores? Ou ainda, gasta-se 
E n g e n h a r i a d e P r o d u ç ã o | 151 
 
 
 
muito tempo durante cada entrega? Existe seqüenciamento nas 
rotas de entrega, a fim de otimizá-las? 
O estudo aqui apresentado no formato de um caso 
empresarial exibe os resultados da simulação da descentralização 
dos pontos de distribuição de uma farmácia de manipulação 
localizada na região metropolitana de Belém. A estruturação dessa 
pesquisa baseou-se na comparação do sistema de distribuição 
implementado na empresa com outros dois cenários simulados, 
conforme as premissas elencadas a seguir: 
\uf0b7 O Sistema instalado consistia na partida de um único ponto 
de distribuição; 
\uf0b7 Nos cenários simulados estruturaram-se sistemas 
compostos pela pulverização de pontos de entrega a fim de 
diminuir as distâncias percorridas. 
O conceito de pulverizar os pontos de entrega reside na idéia 
de que, se a distância entre a origem e o destino do produto for 
reduzida, além da diminuição do tempo de entrega, decrescerá o 
consumo de combustível. Conseqüentemente, espera-se que o 
desejo de prestar este serviço com maior eficiência a um menor 
preço seja alcançado. 
2. Fundamentação teórica 
Com o intuito de facilitar a integração do autor no mundo de 
possíveis aplicações das ferramentas de pesquisa operacional, nessa 
seção do texto são apresentados alguns conceitos sobre a P.O. e 
suas metodologias. 
2.1 Pesquisa Operacional 
A Pesquisa Operacional (PO) é uma ciência aplicada, formada 
por um conjunto de técnicas que visa à determinação das melhores 
condições de aproveitamento dos recursos em uma situação na qual 
estejam sob restrições, como a econômica, a material, a humana e a 
temporal. 
152| T ó p i c o s e A p l i c a ç õ e s 
 
Arenales, Armetano, Morabito e Yanasse (2007) citam que, 
para alguns autores, pesquisa operacional significa uma abordagem 
científica para tomada de decisões, que procura determinar como 
melhor projetar e operar um sistema, usualmente sob condições 
que requerem a alocação de recursos escassos1. 
Sob o ponto de vista histórico, seu nome é relativamente 
novo, de origem militar, sendo usado pela primeira vez na Grã-
Bretanha, durante a Segunda Guerra Mundial. No começo desse 
conflito, os organismos responsáveis pela defesa daquele país 
utilizaram o concurso de especialistas tais como físicos, biólogos, 
matemáticos para assessorar e contribuir no estudo e solução de 
certos problemas que, geralmente, se consideravam de atribuições 
estritamente militar. 
O sucesso das aplicações da Pesquisa Operacional na 
resolução de determinados problemas de operações militares, 
segundo Andrade (2000), levou o mundo acadêmico e empresarial a 
procurar utilizar as técnicas criadas em problemas de administração. 
Atualmente, a pesquisa operacional ultrapassou essas fronteiras e é 
utilizada praticamente em todas as especialidades. 
Pizzolato e Gandolpho (2009) exemplificam que a imensa 
amplitude das aplicações da PO encontra-se nas chamadas para os 
congressos trianuais da IFORS(International Federation of the 
Operational Research Societies), as quais convidam trabalhos de 
inúmeras áreas; dentre as quais foram pinçadas as seguintes: 
Energia e Meio Ambiente; Modelagem Financeira e Risco; Logística; 
Transporte e tráfego; Decisões multicriteriais; PO na Saúde e 
Ciências da vida; PO na Indústria; Educação e inovação; Gerência de 
desempenho; Roteamento de veículos; Simulação etc. 
Segundo Wagner (1986), a maioria dos tomadores de decisão 
quer, antes, uma avaliação quantitativa de quais os riscos que estão 
em jogo nas várias alternativas, que mudanças de direção têm mais 
 
1
 Veja, por exemplo, Winston(2004) 
 
E n g e n h a r i a d e P r o d u ç ã o | 153 
 
 
 
chance de aumentar os lucros e que caminhos são promissores para 
ulterior investigação. 
2.2 A metodologia da Pesquisa Operacional 
Uma das características mais importantes que a PO possui (e 
que auxilia no processo de análise de decisão), é a utilização de 
modelos, segundo Andrade (2002). Para Goldbarg e Luna (2000) os 
modelos são representações simplificadas da realidade que 
preservam, para determinadas situações e enfoques, uma 
equivalência adequada. 
Isto permite haver a \u201cexperimentação\u201d, o que significa que 
uma decisão pode ser mais bem avaliada e testada antes de ser 
efetivamente implementada. 
Em linhas gerais, Silva et. al (1998) colocam que a PO consiste 
na descrição de um sistema organizado com o auxílio de um 
modelo, e através da experimentação com o modelo, na descoberta 
da melhor maneira de operar o sistema. 
Um modelo não é igual à realidade, mas suficientemente 
similar para que as conclusões obtidas através de sua análise e/ou 
operação, possam ser estendidas à realidade. 
Um estudo em Pesquisa Operacional costuma envolver seis 
fases: definição do problema; formulação e construção do modelo 
inicial; solução do modelo; validação do modelo; reformulação do 
modelo; aplicação do modelo, que podem ser representadas 
conforme o fluxograma da Figura 1 a seguir. 
154| T ó p i c o s e A p l i c a ç õ e s 
 
 
 
 
 
 
 
Fonte: Adaptado de Goldbarg e Luna (2000) 
Figura 1 \u2013 Fases de um estudo de Pesquisa Operacional 
Para a melhor compreensão do esquema gráfico apresentado, 
o quadro a seguir traz alguns comentários sobre cada etapa deste 
trabalho. 
 
Etapa Descrição 
Definição do Problema 
A definição do problema consiste na realização da 
descrição exata dos objetivos do estudo, o que 
contempla também o apontamento das 
alternativas de decisão existentes e do 
reconhecimento das limitações, restrições e 
exigências do sistema. 
Formulação e 
Construção inicial do 
Modelo 
A escolha do modelo apropriado é fundamental 
para a qualidade da solução encontrada. Essa 
etapa é determinante para a aplicação de 
ferramentas matemáticas adequadas, o que, em 
casos mais complexos podem gerar uma 
combinação de metodologias. 
Solução do modelo 
 
A solução do modelo baseia-se no uso de uma 
seqüência de regras matemáticas, 
metodologicamente estruturada através de 
algoritmos que buscam a solução ótima. 
E n g e n h a r i a d e P r o d u ç ã o | 155 
 
 
 
Validação do modelo 
 
O modelo proposto é aceito como válido se, 
mesmo considerando seus erros, ele conseguir 
representar o sistema e fornecer uma previsão 
aceitável de seu comportamento. Uma forma de 
avaliar se o modelo é válido consiste em 
confrontar os resultados do modelo com 
resultados passados obtidos do sistema real. 
Reformulação do 
modelo 
A reformulação do modelo é necessária no caso da 
sua não validação, da necessidade de reduzir a sua 
inexatidão ou melhorar sua consistência. 
Aplicação do Modelo 
Consiste em identificar e implantar a solução 
encontrada. 
Quadro 1 - Detalhamento das fases de um estudo de PO 
Existem diversas áreas em que a PO vem sendo aplicada com 
sucesso para racionalizar recursos, reduzir custos e aumentar lucros. 
Neste trabalho comentam-se algumas dessas aplicações. 
A seguir resumem-se setores em que as aplicações das 
técnicas de Pesquisa Operacional são mais freqüentes e 
apresentam-se comentários exemplificados no setor industrial, de 
serviços, na agricultura, dentre outros. 
 
Dosagem (ou Mistura) 
Investimentos 
Financeiros 
Localização 
Alimentação 
Formulação de Rações 
Fábrica de Adubos 
Ligas Metálicas 
Petróleo 
Minérios, etc. 
 
Análise de Riscos de 
Crédito 
Projeto de Investimentos, 
etc. 
 
Localização Industrial 
Localização de 
Centrais Telefônicas 
Localização de Escolas, 
etc. 
 
Transporte