ictericia neonatal   patologia
16 pág.

ictericia neonatal patologia


DisciplinaPatologia I19.498 materiais118.766 seguidores
Pré-visualização1 página
Icterícia Neonatal
Letícia 
Márcia
Luana 
Karina
O que é? 
Também é chamada de hiperbilirrubinemia.
 É definida como a presença de uma cor amarelada na pele, nas membranas mucosas ou nos olhos. 
A cor amarelada é provocada pela disposição de pigmentos biliar (bilirrubina) nos tecidos em excesso. 
Icterícia é o acúmulo de bilirrubina nos tecidos do corpo. 
Metabolismo da bilirrubina
         
BILIRRUBINA
Sofre degradação
libera
Biliverdina 
redutase
A icterícia é comum nos recém nascidos nas primeiras semanas de vida. Porém, nas primeiras 24 horas pós-natal, deve ser investigado causas se os valores de bilirrubina total no RN forem acima de 12 mg/dl. 
CLASSIFICAÇÃO
BILIRRUBINA TOTAL (BT)
SIGNIFICANTE
>15-17 mg/dl
GRAVE
>25 mg/dl
EXTREMA
>30 mg/dl
Causas frequentes de icterícia RN
Icterícia do leite materno
Anomalias gastrointestinais
Icterícia da amamentação insuficiente
RN pequeno para idade gestacional
RN de mãe diabética
Hemorragias
Infecções bacterianas ou virais
Doenças hereditárias do fígado
Doenças do sangue
Manifestações clínicas
Pele amarelada
Esclera (parte branca do olho) amarelada
Urina de cor anormal 
Fezes esbranquiçadas
Cor amarela na parte de dentro da boca, palmas das mãos e lábios. 
Fatores de risco 
Nas primeiras 24 horas do RN, o desenvolvimento da icterícia pode está relacionado há: 
Idade gestacional 35-36 semanas
BT na zona de alto risco ou intermediária antes da alta hospitalar
Doenças hemolíticas por Rh (ant. D negativo na mãe e positivo no RN)
Antígenos irregulares no RN
Mãe O e RN A ou B
Deficiência de glicose 
Exames para identificar icterícia
Teste de função hepática
Hemograma completo
Ultrassom abdominal 
Tomografia abdominal 
Biopsía do fígado 
ERCP- colangiopancreatografia retrógrada endoscópica
Por que bebês desenvolve icterícia? 
O fígado do RN é imaturo, mesmo após o nascimento, e sua capacidade de conjugação e excreção da bilirrubina é limitada. 
Além disso, o RN tem uma maior quantidade de hemácias no sangue. RN-60% adulto 40%. 
Por que tratar icterícia no RN? 
A bilirrubina em concentrações elevadas podem ser lesivas ao cérebro quando não tratadas corretamente. Com isso, a bilirrubina continua sendo acumulada nos tecidos, ocasionando a KERNICTERUS. 
KERNICTERUS : é a forma crônica da doença. A toxidade do acúmulo da bilirrubina pode provocar lesões permanentes e irreversíveis no bebê. 
Os primeiros sinais clínicos incluem sonolência, diminuição do tônus muscular e recusa alimentar. Com o tempo, o bebê passa a ter espasmos, choro inconsolável, vômitos e fica febril.
As principais complicações do Kernicterus podem só se tornar nítidas após o primeiro ano de vida e incluem: 
Dificuldade em sentar, engatinhar e, posteriormente, andar.
Tremores e movimentos involuntários.
Alterações na audição e visão.
Retardo do desenvolvimento neurológico.
Alterações na arcada dentária.
Paralisia cerebral 
OBS: as sequelas dependem da área afetada do cérebro. 
Tratamentos 
Fototerapia: expõe ao bebê a luz fluorescente para estimulação e destruição de bilirrubina através da bile. 
A exsanguineotransfusão do recém-nascido é um procedimento médico pelo qual o sangue do bebê é removido e substituído por outro, de um doador compatível, para tratar condições clínicas determinadas.
Bibliografia
https://www.mdsaude.com/2010/02/ictericia-adulto-ictericia-neonatal.html 
Robbins & cotran \u2013 PATOLOGIA \u2013 bases patológicas das doenças - 8ª edição 
http://www.ebah.com.br/content/ABAAAfpP8AA/ictericia-neonatal