A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
12 pág.
Quest, 3   UNIP

Pré-visualização | Página 3 de 4

no pensamento de Stuart Hall e a única alternativa que contempla isso é a “d”. Trata-se, portanto, de uma revisão do pensamento de Stuart Hall e de uma defesa bem característica dele, com a transcrição de excertos de sua obra, sendo a expressão “sujeito” a única que completa adequadamente as lacunas.
	
	
	
Pergunta 7
0,4 em 0,4 pontos
	
	
	
	Leia o seguinte excerto.
“O homem da sociedade moderna tinha uma identidade bem definida e localizada no mundo social e cultural. Mas uma mudança estrutural está fragmentando e deslocando as identidades culturais de classe, sexualidade, etnia, raça e nacionalidade. Se antes estas identidades eram sólidas localizações, nas quais os indivíduos se encaixavam socialmente, hoje elas se encontram com fronteiras menos definidas que provocam no indivíduo uma crise de identidade.” (Fonte da citação não apresentada para preservar o intuito da questão)
O excerto acima apresenta o conceito de:
	
	
	
	
		Resposta Selecionada:
	a. 
sujeito pós-moderno de Stuart Hall.
	Respostas:
	a. 
sujeito pós-moderno de Stuart Hall.
	
	b. 
modernidade líquida de Zygmunt Bauman.
	
	c. 
pós-modernismo de Joaquim Ferreira do Santos.
	
	d. 
educação popular de Paulo Freire.
	
	e. 
cultura de classe de Fernando Azevedo.
	Feedback da resposta:
	Resposta: a) 
Comentário: O excerto apresentado faz referência direta ao pensamento de Stuart Hall. Para este autor, estamos vivenciando a pós-modernidade, um período de mudanças rápidas, constantes e profundas. Este conceito é, em certo sentido, diferente de pós-modernismo. Neste cenário, as identidades dos indivíduos estariam passando por um período de profunda fragmentação de modo que, em suas palavras, um novo sujeito está nascendo, o sujeito pós-moderno, sujeito este que não possui mais uma identidade bem-definida e localizada no mundo em que vive, até mesmo porque as referências desse mundo estão em constante mudança.
	
	
	
Pergunta 8
0,4 em 0,4 pontos
	
	
	
	O sociólogo polonês Zygmunt Bauman tem um modo muito particular de olhar e definir a sociedade dita pós-moderna, para ele:
“Tudo está agora sendo permanentemente desmontado, mas sem perspectiva de alguma permanência. Tudo é temporário. [...] Nossas instituições, quadros de referência, estilos de vida, crenças e convicções mudam antes que tenham tempo de se solidificar em costumes, hábitos e verdades autoevidentes”. (Fonte da citação não apresentada para preservar o intuito da questão)
Sendo assim, o título que Bauman prefere utilizar para definir o tempo em que vivemos é:  
	
	
	
	
		Resposta Selecionada:
	d. 
modernidade líquida.
	Respostas:
	a. 
modernidade sólida.
	
	b. 
pós-modernidade.
	
	c. 
pós-modernismo.
	
	d. 
modernidade líquida.
	
	e. 
contemporaneidade.
	Feedback da resposta:
	Resposta: Alternativa d) 
Comentário: Bauman é conhecido por seus conceitos de modernidade líquida, medo líquido, amor líquido e, enfim, por sua forma singular de olhar e compreender o momento em que vivemos como sendo um momento de profundas mudanças que, de tão velozes e inconstantes, imprimem ao nosso estado uma condição quase líquida. Tudo o que é líquido assume rapidamente a forma daquilo que lhe cerca, é inconstante, assim como o tempo em que vivemos, no qual tudo é temporário, facilmente desmontado e sem permanência duradoura.
	
	
	
Pergunta 9
0,4 em 0,4 pontos
	
	
	
	Para Pedro Demo, assim como para outros autores, o principal risco que existe para as interpretações sobre a relação escola x recursos tecnológicos é achar que:
	
	
	
	
		Resposta Selecionada:
	a. 
o amplo aporte de recursos tecnológicos substitui o papel do professor.
	Respostas:
	a. 
o amplo aporte de recursos tecnológicos substitui o papel do professor.
	
	b. 
o desenvolvimento tecnológico nunca chegará ao fim.
	
	c. 
as videoconferências são instrumentos pedagógicos.
	
	d. 
a internet pode ser utilizada para se estudar adequadamente.
	
	e. 
é possível investir na educação à distância sem o uso de computadores.
	Feedback da resposta:
	Resposta: a) 
Comentário: Os autores concordam que nenhum recurso tecnológico substitui o papel e a importância de professores bem-formados, bem-remunerados e com sua autoestima bem-cuidada. Nenhum deles desconsidera a importância dos recursos tecnológicos como os computadores, da internet, das videoconferências e o papel de suma importância da educação à distância, até mesmo porque sabem que a tendência é que tais recursos ganhem cada vez mais espaço na sociedade e, por isso, é preciso, sim, utilizá-los, e utilizá-los bem, mas sem considerar que, sem a mediação do professor, eles jamais terão um caráter pedagógico, apenas de informar.
	
	
	
Pergunta 10
0,4 em 0,4 pontos
	
	
	
	Reflita sobre as seguintes frases:
“Se oferecêssemos aos homens a escolha de todos os costumes do mundo, aqueles que lhes parecessem melhor, eles examinariam a totalidade e acabariam preferindo os seus próprios costumes, tão convencidos estão de que estes são melhores do que todos os outros” (Heródoto, historiador grego, 484-424 a.C).
“Natureza dos homens é a mesma, são os seus hábitos que os mantêm separados” (Heródoto, historiador grego, 484-424 a.C).
“Na verdade, cada qual considera bárbaro o que não se pratica em sua terra” (Montaigne, 1533-1572).
 
As frases mostram que desde tempos muito remotos o homem tem se ocupado em tentar compreender a diversidade de modos de comportamento existentes entre os diversos povos. Durante séculos, as diferenças culturais foram utilizadas como forma de uns arrogarem uma pretensa superioridade sobre os outros e, assim, justificarem a dominação dos povos ditos “civilizados” sobre os preconceituosamente chamados “incivilizados”. Graças a avanços nas ciências humanas e no aprofundamento do contato entre os povos, mediados por questões econômicas e diplomáticas, as barreiras culturais têm sido vistas sob o prisma do multiculturalismo, conceito que está amparado: 
	
	
	
	
		Resposta Selecionada:
	a.
no Relativismo cultural, o qual consiste em compreender que não há cultura superior nem inferior, o que há são culturas que precisam ser respeitadas.
	Respostas:
	a.
no Relativismo cultural, o qual consiste em compreender que não há cultura superior nem inferior, o que há são culturas que precisam ser respeitadas.
	
	b.
no Etnocentrismo, o qual consiste em aceitar que algumas culturas são mais evoluídas do que outras e precisam ser usadas como exemplo.
	
	c.
no Eurocentrismo, o qual consiste em entender que há culturas superiores a outras e que no topo do progresso estão os europeus, possuidores do direito de “ensinar” a todos os outros como se comportar.
	
	d.
no Animismo, o qual consiste em compreender que atualmente todos os povos possuem cultura, mas algumas estão em estado primitivo, quase selvagem.
	
	e.
na Ambivalência, a qual consiste em compreender a cultura humana como composta de dois lados opostos, um que vai em direção ao progresso e outro à decadência.
	Feedback da resposta:
	Resposta: a) 
Comentário: Habitualmente a identificação das diferenças culturais entre os povos gera inicialmente curiosidade, mas depois pode ser polarizada entre admiração ou estranhamento, sendo o segundo caso o mais comum na memória coletiva da humanidade. Graças a avanços nas ciências humanas e no aprofundamento do contato entre os povos, mediados por questões econômicas e diplomáticas, as barreiras culturais têm sido vistas sob o prisma do multiculturalismo, e muito disso é devido a um conceito oriundo da Antropologia (ciência que melhor tem lidado com essa questão atualmente), mas apropriada por diversas áreas, inclusive pela sociologia. Trata-se do conceito presente na alternativa “a” – Relativismo Cultural, o qual consiste em compreender que não há cultura superior nem inferior, o que há são culturas que precisam ser respeitadas. Este conceito decorreu