A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
dermato

Pré-visualização | Página 1 de 1

16/09/2014 
1 
Fases de Cicatrização 
Aspectos Histológicos e Terapêuticos 
Prof. Monique Opuszcka Campos 
2014 
CLASSIFICAÇÃO DOS PROCESSOS BIOLÓGICOS 
DA CICATRIZAÇÃO 
 Cascata de Eventos 
 
 
 
1) Fase inflamatória 
2) Fase Proliferativa 
3) Fase de Remodelagem 
Processo de Cicatrização 
Fase Inflamatória 
 Ferimento 
Extravassamento Sanguíneo 
Preenche a área com plasma e células (Plaquetas) 
 A agregação plaquetária e a coagulação sanguínea 
geram um tampão (Rico Fibrina) – Barreira Microorganismos e 
suporte para a migração celular para iniciar o processo de 
cicatrização 
Plaquetas – Liberam mediadores (Fatores de Crescimento), 
glicoproteínas adesivas (Fibronectina) 
 
OBJETIVO : CONTRUÇÃO MATRIZ CELULAR PROVISÓRIA 
Início do Recrutamento das células inflamatórias 
 
Extravassamento Sanguíneo (Vasodilatação) 
Preenche a área com plasma e células (Plaquetas) 
16/09/2014 
2 
 
 A agregação plaquetária e a coagulação sanguínea 
geram um tampão (Rico Fibrina) 
Plaquetas – Liberam mediadores (Fatores de Crescimento), 
glicoproteínas adesivas (Fibronectina) 
 
OBJETIVO : CONTRUÇÃO MATRIZ CELULAR PROVISÓRIA 
Fatores Quimiotáticos- 
Migração celular para iniciar 
o processo de cicatrização 
 
Predomínio de Atv Célular 
Fase Inflamatória 
Fagocitose 
Limpeza do local 
Preparo p/ Fase Prolif 
A partir da procução 
fatores de crescimento 
• É a fase responsável pelo fechamento da lesão 
• Constituida de : 
- Reepitelização, que se inicia horas após a lesão com a 
movimentação das células epiteliais oriundas da 
margem 
 
- Angiogênese - chamado tecido de granulação 
responsável pela ocupação do tecido lesionado cerca de 
quatro dias após a lesão. 
Novos vasos sanguíneos são formados a partir de vasos 
preexistentes 
Processo de Cicatrização 
Fase Proliferativa 
 
Predomínio de Atv Célular 
Fase Proliferativa 
Reepitelização e formação 
da matriz 
16/09/2014 
3 
• É a fase marcada por maturação dos elementos 
e alterações na matriz extracelular, ocorrendo o 
depósito de proteoglicanas e colágeno 
 
• Ocorre a reorganização da matriz extracelular, que se 
transforma de provisória em definitiva, observada nas 
cicatrizes 
Processo de Cicatrização 
Fase Remodelagem 
• A maioria dos vasos, fibroblastos e células 
inflamatórias desaparece do local da ferida mediante 
processos de apoptose ou outros mecanismos de morte 
celular. 
 
• Esse fato leva a formacão de cicatriz com reduzido 
número de células. Por outro lado, se persistir a 
celularidade no local, ocorrerá a formacão de 
cicatrizes hipertróficas ou quelóides 
Processo de Cicatrização 
Fase Remodelagem 
Alterações no Processo Cicatricial 
 
Quelóides e cicatrizes hipertróficas ocorrem a 
partir de hiperproliferação de fibroblastos, com 
conseqüente acúmulo de matriz extracelular, 
especialmente pela excessiva formação de 
colágeno. 
 
• Quelóide 
 
É uma lesão elevada, brilhante e que ultrapassa os limites da 
ferida original, ou seja, invade a pele normal adjacente. 
 Apresenta crescimento ao longo do tempo e não 
regride espontaneamente. Comumente evolui com recorrência 
após excisão. 
 
• Cicatrizes hipertróficas - cicatrizes elevadas e confinadas 
às margens da lesão original. Com freqüência tendem à 
regressão espontânea, vários meses após o trauma inicial 
 
Alterações no Processo Cicatricial 
16/09/2014 
4 
   
fibroblastos e células 
inflamatórias desaparece do 
local da ferida  
Tratamento de Alterações 
Cicatriciais 
 Cirúrgico - Descolamento parcial das margens e uso de retalhos 
cutâneos 
 Aplicação de Corticóide: Age inibindo a alfa-2-macroglobulina que, por 
sua vez, inibe a ação da colagenase 
 
Tratamento corticóide 1 ano + Plástica Restauradora 
 
Revista Brasileira de Cirurgia Plástica. 2006; 21(1): 40‐48.  
Tratamento de Alterações 
Cicatriciais 
 Silicone em gel: Atua no 
controle cicatricial, 
aumentando a temperatura 
da cicatriz e, 
conseqüentemente, reduz a 
formação de fatores de 
crescimento tecidual, além de 
exercer compressão local 
 
Revista Brasileira de Cirurgia Plástica. 2006; 21(1): 40‐48.  
16/09/2014 
5 
Tratamento de Alterações 
Cicatriciais 
 Terapia compressiva: Especula-se que o mecanismo 
de ação da compressão esteja relacionado à oclusão 
de pequenos vasos dentro da cicatriz, 
determinando isquemia e reduzindo o número de 
fibroblastos e a formação de colágeno. 
Revista Brasileira de Cirurgia Plástica. 2006; 21(1): 40‐48.  
Tratamento de Alterações 
Cicatriciais 
 Fita Adesiva - Há um consenso com relação ao uso de fita 
adesiva em feridas recentes e mantidas por várias semanas 
de pós-operatório. 
 
 O mecanismo de ação, provavelmente, esteja relacionado ao 
efeito mecânico (análogo à terapia compressiva) e efeito 
oclusivo (análogo ao uso de silicone), além de diminuir a tensão 
local na ferida. 
Revista Brasileira de Cirurgia Plástica. 2006; 21(1): 40‐48.  
Tratamento de Alterações 
Cicatriciais 
 Radioterapia – Controverso na literatura 
Devido ao potencial carcinogênico do procedimento, 
além do elevado índice de complicações como 
radiodermites 
Revista Brasileira de Cirurgia Plástica. 2006; 21(1): 40‐48.  
Tratamento de Alterações 
Cicatriciais 
 Laser 
 
Leitura para a Próxima 
Aula 
16/09/2014 
6 
• Deiscência – Abertura da ferida previamente 
fechada 
 
Alterações no Processo Cicatricial 
Pricipais Fatores de Risco 
- Diabetes 
- Obesidade 
- Infecção 
- Tensão Excessiva 
Tratamento: Restrição de movimento e cuidado de feridas com 
equipe de enfermagem; Utilização Laser de baixa intensidade 
 
Leitura para a Próxima 
Aula 
Tratamento: Restrição de movimento e cuidado de feridas com 
equipe de enfermagem; Utilização Laser de baixa intensidade

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.