A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
28 pág.
DIREITO PREVIDENCIÁRIO  - UNIP

Pré-visualização | Página 6 de 7

(Lei 8.213/91, art. 104).
Com relação ao auxílio-reclusão, assinalar a alternativa correta, constando V para as frases verdadeiras e F para as frases falsas, abaixo:
I - O auxílio-reclusão será devido, nas mesmas condições da pensão por morte, aos dependentes do segurado recolhido à prisão, que não receber remuneração da empresa nem estiver em gozo de auxílio-doença, de aposentadoria ou de abono de permanência em serviço.
II – O auxílio-reclusão tem como fato gerador o recolhimento do segurado à prisão, conforme comprovação por certidão e por declaração de subsistência da condição de presidiário, quando, atendida a carência de 12 contribuições mensais, não estiver o segurado recebendo remuneração da empresa ou em gozo de auxílio-doença, de aposentadoria ou de abono de permanência em serviço.
III – O auxílio-reclusão é devido ao segurado que estiver na condição de presidiário, mesmo se estiver recebendo remuneração da empresa ou em gozo de auxílio-doença, de aposentadoria ou de abono de permanência em serviço.
IV – A não comprovação do segurado recolhido à prisão, suspende o pagamento do auxílio-reclusão devido ao presidiário-segurado.
V, F, F e V.	
V, F, V e F.	
V, F, F e F.
F, F, F e V.	
F, V, V e V.
Justificativa: A alternativa correta é a letra “C”. AUXÍLIO-RECLUSÃO: Definição: devido nas mesmas condições da pensão por morte aos dependentes do segurado de baixa renda, recolhido à prisão, com o cumprimento da pena em regime fechado ou semiaberto (desde que a execução da pena seja em colônia agrícola, industrial ou similar), desde que o recluso não receba remuneração da empresa, nem esteja em gozo de auxílio-doença, aposentadoria ou abono de permanência em serviço. Para que os dependentes tenham direito, é necessário que o último salário recebido pelo segurado esteja dentro do limite previsto pela legislação (atualmente, R$ 1.212,64). Caso o último salário do segurado esteja acima deste valor, não há direito ao benefício. Requerimento: Possuir qualidade de segurado na data da prisão e solicitação com certidão do recolhimento à prisão da autoridade competente. Carência: não há. Renda mensal: 100% do valor do salário-de-benefício e não poderá ser menos que 1 salário mínimo. Início do Benefício: recolhimento do segurado à prisão e mantido enquanto tiver detido ou recluso, devidamente comprovado através da apresentação trimestral de atestado da autoridade competente. Cessação do Pagamento: soltura do segurado e a não comprovação do segurado recolhido à prisão. Suspensão do pagamento: fuga do segurado, sendo restabelecido na recaptura. Conversão do auxílio-reclusão para pensão por morte: morte do segurado detento ou recluso.
“O ____ será devido ao segurado empregado que, havendo cumprido, quando for o caso, o período de carência exigido pela Lei, ficar incapacitado para o seu trabalho ou para a sua atividade habitual por mais de ____ consecutivos”. Assinale a alternativa que completa a frase.
auxílio-doença; 30 dias.	
aposentadoria por invalidez; 60 dias.	
auxílio-doença; 15 dias.
auxílio-acidente; 15 dias.	
auxílio-reclusão; 30 dias.
Justificativa: A alternativa correta é a letra “C”. Cumprir carência de 12 contribuições mensais – a perícia médica do INSS avaliará a isenção de carência para doenças previstas na Portaria Interministerial MPAS/MS nº 2998/2001, doenças profissionais, acidentes de trabalho e acidentes de qualquer natureza ou causa; Possuir qualidade de segurado (caso tenha perdido, deverá cumprir metade da carência de 12 meses a partir da nova filiação à Previdência Social – Lei nº 13.457/2017); Comprovar, em perícia médica, doença/acidente que o torne temporariamente incapaz para o seu trabalho; Para o empregado em empresa: estar afastado do trabalho há pelo menos 15 dias (corridos ou intercalados dentro do prazo de 60 dias se pela mesma doença).
Durante os primeiros 15 (quinze) dias de afastamento da atividade do empregado por motivo de doença, caberá o pagamento do auxílio-doença:
à empresa pagar ao segurado empregado o salário.	
ao INSS arcar com o salário do segurado, pois trata-se de seguro onde o INSS é responsável a partir do afastamento do segurado do trabalho.	
ao próprio empregado receber junto ao seu Sindicato de Classe, pois o mesmo paga a contribuição sindical justamente para ser pago pelo Sindicato nesta ocasião.	
ao INSS arcar com o salário do segurado por 10 dias.	
ao Sindicato de Classe do Segurado.
Justificativa: A alternativa correta é a letra “A”. Interrupção do contrato de trabalho: Primeiros 15 dias de afastamento; Pagamento do salário integral e FGTS pela empresa; há contagem de tempo de serviço.
“O valor do salário-de-benefício não será inferior ao de ___, nem superior ao limite máximo do ___ na data de início do benefício”. Assinale a alternativa que completa a frase.
1 (um) salário mínimo; salário-de-contribuição.
salário-de-contribuição; 1 (um) salário mínimo.
2 (dois) salários mínimos; salário-de-contribuição.
3 (três) salários mínimos; 3 (três) salários mínimos.
1 (um) salário-de-contribuição; 1(um) salário mínimo.
Justificativa: A alternativa correta é a letra “A”. O valor mensal do auxílio-doença integra o salário-de-contribuição, para fins de cálculo do salário-de-benefício de qualquer aposentadoria, observado limite mínimo de 1 salário mínimo e o teto máximo do benefício.
ACIDENTE DE TRABALHO
O segurado que sofreu acidente do trabalho:
tem garantida, pelo prazo mínimo de 12 (doze) meses, a manutenção de seu contrato de trabalho na empresa, após a cessação do auxílio-doença acidentário, independentemente de percepção de auxílio-acidente.
tem garantida, pelo prazo mínimo de 06 (seis) meses, a manutenção de seu contrato de trabalho na empresa, após a cessação do auxílio-doença acidentário, independentemente e percepção de auxílio-acidente.
não tem garantia da manutenção de seu contrato de trabalho na empresa.
tem garantida, pelo prazo mínimo de 03 (três) meses, a manutenção de seu contrato de trabalho na empresa, após a cessação do auxílio-doença acidentário, independentemente e percepção de auxílio-acidente.	
tem garantida, pelo prazo mínimo de 24 (vinte e quatro) meses, a manutenção de seu contrato de trabalho na empresa, após a cessação do auxílio-doença acidentário, independentemente e percepção de auxílio-acidente.
Justificativa: A alternativa correta é a letra “A”. De acordo com o artigo 118 da Lei nº 8.213/91, o segurado que sofreu acidente do trabalho tem garantida, pelo prazo de 12 (doze) meses, a manutenção de seu contrato de trabalho na empresa, após a cessação do auxílio-doença acidentário, independente de percepção de auxílio-acidente. Significa dizer que tem garantido o emprego aquele empregado que recebeu alta médica, após o retorno do benefício previdenciário.
Sobre o benefício de auxílio-acidente, pode-se afirmar que:
para ser concedido, depende do período de carência de 12 meses.
é pago integralmente pelo empregador do acidentado.	
é devido, sem exceção, a todas as categorias de trabalhadores, inclusive ao empregado doméstico.
para ser concedido, depende do período de carência de 10 meses.	
não exige, para ser concedido, nenhum período de carência.
Justificativa: A alternativa correta é a letra “E”. Início do pagamento: Cessação do auxílio-doença. Citação judicial do réu: segurado ingressou ação para postular o benefício.
No curso do quinto ano de vigência regular do contrato de trabalho, João sofreu acidente enquanto realizava sua atividade laboral, ficando, em conseqüência, incapacitado, temporariamente, para qualquer trabalho. Após dois anos de tratamento e reabilitação profissional, João pode finalmente voltar ao trabalho, mas as sequelas decorrentes do acidente não mais permitiram que ele realizasse as atividades anteriormente desempenhadas na empresa. Nessa situação:
João receberá o auxílio-doença a partir do 16º dia de afastamento do trabalho, até a data em que voltar a trabalhar, quando, então, será aposentado por invalidez, por estar apenas parcialmente capaz.
João receberá o auxílio-doença