A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
28 pág.
DIREITO PREVIDENCIÁRIO  - UNIP

Pré-visualização | Página 7 de 7

a partir do 16º dia de afastamento do trabalho, até a data em que voltar a trabalhar, não tendo direito a qualquer benefício, a partir de então.	
João receberá o auxílio-doença a partir do 16º dia de afastamento do trabalho, até a data em que voltar a trabalhar, após a interrupção do pagamento do auxílio-doença, João passará a receber o benefício do auxílio-acidente, que será pago concomitantemente com a remuneração devida pela empregadora.
João receberá o auxílio-acidente, posto que esta foi a razão de seu afastamento, pago na ordem de 91% do seu salário-de-benefício.
João não tem direito a nenhum benefício.
Justificativa: A alternativa correta é a letra “C”, pois João receberá o auxílio-doença a partir do décimo sexto dia de afastamento do trabalho, até a data em que voltar a trabalhar. Além disso, somente após a interrupção do pagamento do auxílio-doença é que João passará a receber o benefício do auxílio-acidente, que será pago concomitantemente com a remuneração devida pela empregadora.
Para que o segurado faça jus ao benefício de aposentadoria por invalidez acidentária:
deverá primeiro estar em gozo do auxílio-doença.
será devida ao segurado que, estando em gozo ou não em gozo de auxílio-doença, for considerado incapaz e insusceptível de reabilitação para o exercício de atividade que lhe garanta a subsistência, e ser-lhe-á paga enquanto permanecer nesta condição.
a alternativa “b” está correta, porém, somente após satisfeita a carência exigida para o benefício, não podendo em hipótese nenhuma dispensar a carência na aposentadoria por invalidez acidentária.
terá de cumprir o período de carência de 10 contribuições mensais.
deverá primeiro estar em gozo do auxílio-doença por 2 anos.
Justificativa: A alternativa correta é a letra “B”. Definição: devida ao acidentado que, estando ou não em gozo do auxílio-doença, for considerado incapaz para o trabalho e insusceptível de reabilitação para o exercício de atividade.
Os litígios e tutelas provisórias relativos a acidentes do trabalho serão apreciados:
na via judicial, pela Justiça dos Estados e do Distrito Federal, mediante petição instruída pela prova de efetiva notificação do evento à Previdência Social, através de Comunicação de Acidente do Trabalho – CAT.
na via judicial, pela Justiça Federal, mediante petição instruída pela prova de efetiva notificação do evento à Previdência Social, através de Comunicação de Acidente do Trabalho – CAT.
na via judicial, pela Justiça Federal, contra o INSS, por ser autarquia federal.
na via judicial, pela Justiça do Trabalho, mediante petição inicial instruída pelo laudo do perito médico do INSS.
na via judicial, pela Justiça Federal, contra o empregador, que deu causa ao acidente do trabalho.
Justificativa: A alternativa correta é a letra “A”, haja vista que qualquer litigio que tenham por fundamento o direito do trabalho, tal mister deve ser debatido na seara da Justiça do Trabalho. 
Apontar a alternativa incorreta sobre indenização acidentária:
Exclui a responsabilidade do empregador a existência de nexo causal, entre o acidente, lesão e o trabalho.
A concessão do benefício previdenciário decorrente de acidente do trabalho depende de previsão legal.	
Atestado por exame médico restrição laboral decorrente de acidente do trabalho, insuscetível de recuperação, deve o segurado propor ação contra o INSS (autarquia federal), pleiteando a concessão de auxílio-acidente.
São acumuláveis a prestação previdenciária e a reparação civil ao prejudicado pelo acidente do trabalho.
Exclui a responsabilidade do empregador a inexistência de nexo causal, entre o acidente, lesão e o trabalho.
Justificativa: A alternativa correta é a letra “A”. 1944: Decreto-lei 7.036 trouxe algumas alterações: acidente passou a ser considerado como o que provoca lesão corporal, considerou a concausa (fatos consequentes do acidente); estendido o conceito de acidente do trabalho para abranger o ocorrido durante o intervalo para refeições, ou satisfazer necessidades fisiológicas ou para descanso no local de trabalho; acidente in itinere passou a ser considerado como aquele ocorrido no transporte por vias e meios perigosos; os dependentes passaram a ser os beneficiários do acidentado morto; trata sobre a prevenção de acidentes e readaptação profissional. Admitiu-se a acumulação da indenização acidentária com a de direito civil, desde que houvesse dolo do empregador.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.