A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
lista de exercicios 2 tecnologia dos materias entrega 19 04.doc

Pré-visualização | Página 1 de 1

Exercícios – Imperfeições nos Sólidos
1). Definir o conceito de defeitos ou imperfeições nos materiais
Defeito o é uma imperfeição ou um "erro" no arranjo periódico regular dos átomos de um cristal que afetam muitas das suas propriedades físicas e mecânicas. O tipo e o número de defeitos dependem do material, do meio ambiente, e das circunstâncias sobas quais o cristal é processado.
2). No que consistem defeitos pontuais?
Consistem em irregularidades que se estendem por 1 ou 2 posições atômicas, podendo ser lacunas, intersticiais ou substitucionais.
3). O que é uma lacuna?
Sítio vago na rede cristalina, que normalmente deveria estar ocupado e que apresenta a falta de um átomo.
4). O que é um auto intersticial?
Átomo do cristal que se encontra comprimido em um sítio intersticial.
5). Definir os conceitos de liga, solução sólida, soluto e solvente.
LIGA: É onde átomos de impurezas foram adicionados intencionalmente para conferir características específicas ao material (melhores resistências mecânicas e à corrosão, p.e.).
SOLUÇÃO SÓLIDA: é quando à medida que os átomos de soluto são adicionados ao material solvente, a estrutura cristalina é mantida e nenhuma nova estrutura é formada.
SOLUTO: elemento ou composto presente em menor concentração.
SOLVENTE: elemento ou composto presente em maior quantidade.
6). Qual a diferença entre solução sólida substitucional e solução sólida intersticial?
A solução solida substitucional é quando o átomo do soluto pode substituir um átomo do solvente e usualmente formada entre dois tipos de átomos que tenham aproximadamente o mesmo tamanho. Ja a solução solida intersticiais o átomo do soluto pode ocupar uma posição intersticial entre átomos do solvente e se forma usualmente entre átomos de tamanhos bastante diferentes.
7). No que consistem defeitos lineares? 
Também chamados de discordâncias são defeitos lineares ou unidimensionais em torno do qual alguns átomos estão desalinhados (distorção da rede centrada em torno de uma linha). E estão associadas com a cristalização e a deformação de origem: térmica, mecânica e supersaturação de defeitos pontuais.
8). Qual a diferença entre discordância de aresta e discordância em espiral? 
A discordância em aresta pode ser compreendida como uma parte extra de um plano de átomos, ou um semiplano de átomos introduzido entre planos cristalinos regulares cuja aresta termina no interior do cristal. 
Discordância espiral: pode ser entendida como aquela gerada por uma tensão cisalhante que é aplicada para produzir a distorção e é chamado assim devido à trajetória ou inclinação em espiral ou helicoidal que é traçada ao redor da linha da discordância pelos planos atômicos.
A diferença é definida pelas orientações relativas da linha da discordância e do vetor de Burgers.
Aresta: são perpendiculares.
Espiral: paralelas.
9). Explique no que consistem defeitos interfaciais.
Envolvem fronteiras (defeitos em duas dimensões) e normalmente separam regiões
dos materiais de diferentes estruturas cristalinas ou orientações cristalográficas
10). Por que a superfície externa de um material é considerada um defeito interfacial?
Porque na superfície os átomos não estão completamente ligados.
11). Os contornos de grão também são considerados defeitos interfaciais? Por quê? 
SIM. Porque assim como na superfície os contornos de grãos não estão ligados com o número máximo de átomos
12). Há alguma relação da superfície externa de um material, com os seus contornos de grão?
Nos 2 tem mais energia, porque não estão ligados com o número máximo de átomos.