Taxonomia e Sistemática
2 pág.

Taxonomia e Sistemática


DisciplinaIntrodução A Metazoa3 materiais14 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Taxonomia e Sistemática

\uf0d8 Classificação

 Distribui os seres vivos por grupo de acordo com determinado
critério e usando as regras da nomenclatura.

\uf0d8 Taxonomia

 Estudo dos princípios da classificação científica; ordenação e
denominação dos organismos.

\uf0d8 Sistemática

 Ciência da classificação e reconstrução de filogenias.

 Faz uma síntese das relações entre os organismos, com base em
numerosos dados (fisiológicos, genéticos, ....). Eventualmente
pode conduzir a classificação.

 \u201cLei da ordenação\u201d

 Produz um sistema formal para nomear e classificar espécies.

\uf0d8 As primeiras classificações foram utilitárias: Animais
peçonhentos, comestíveis, da água, da terra, do rio, do mar,
etc.....

\uf0d8 Aristóteles (384 \u2013 322a.C) - Filósofo grego e Biólogo, foi o
primeiro a classificar os organismos com base em suas
similaridades estruturais.

\uf0d8 dividia as plantas e os animais em:

 Aquicolas \u2013 que vive na água;

 Terrícolas - que vive na terra;

 Aerícolas - que vive no ar.

\uf0d8 Teofrasto (372 \u2013 278 a.C.), voltado para a Botânica, dividia as

plantas em:

 Ervas - com caules pequenos e moles;

 Arbustos - com vários caules lenhosos e porte mediano;

 Árvores \u2013 com um único tronco lenhosos.

\uf0d8 Karl Von Linné (1707 \u2013 1778), ou Lineu, apresentou a obra Systema Naturae,

propondo um sistema de classificação mais elaborado, com base cientifica.

\uf0d8 Dividiu o Reino animal em espécies e deu a cada uma delas um nome em

particular. Agrupou espécies em gêneros, gêneros em famílias, famílias em

ordens,..........

\uf0d8 O sistema de Linné para nominação das espécies é conhecido como

Nomenclatura binomial.

Nomenclatura Binominal de Linné

\uf0d8 A Nomenclatura das espécies é composto de duas partes, com os

nomes escritos em latim, grifados ou em itálico:

\uf0d8 O nome genérico \u2013 substantivo, devendo ser escrito em latim

com letra inicial maiúscula.

\uf0d8 O nome específico - adjetivo, devendo ser escrito em latim com

letra inicial minúscula.

 Ex.: Musca domestica

 gênero epíteto específico

espécie

\uf0d8 O epiteto espécie nunca é citado isoladamente. O binômio completo deve ser
utilizado para nomear a espécie.

 Ex.: Turdus migratorius

 Do latim Turdus = sabiá;

 migratorius, de hábito migratorio.

\uf0d8 Nomes de gêneros devem referir-se somente a grupos

únicos de organismos; o mesmo nome não pode ser

dado a diferentes grupos.

\u201cO mesmo nome não pode ser dado a diferentes gêneros

de animais\u201d.

\uf0d8 O mesmo epíteto de espécie pode ser usado em diferentes

gêneros, mas para caracterizar espécies distintas e não

relacioná-las.

 ex.: Sitta carolinensis ( subideira do peito branco)

\uf0d8 Parus carolinensis ( bem-ti-vi da Carolina)

Anolis carolinensis (lagarto)

\uf0d8 O mesmo epíteto de espécie pode ser usado em diferentes gêneros,
mas para caracterizar espécies distintas e não relacioná-las.

Geophagus brasiliensis

Amazona brasiliensis

Papagaio-de-cara-roxa

Tangara brasiliensis

Espécie \u2013 do latim species = tipo particular
Grupo de indivíduos que se reproduzem entre si e têm ancestrais

comuns, e que se encontram reprodutivamente isolados de

todos os outros grupos.

Para facilitar a comunicação e compreensão existe uma

\u201cconvenção internacional\u201d que regulamenta os nomes dos

animais:

O Código Internacional de Nomencatura

Zoológica.

Código Internacional de Nomenclatura zoológia

\uf0d8 Adotado pelo XV Congresso Internacional de Zoologia em 1958.

 É um sistema de regras e recomendações autorizadas pelos
Congressos de Zoologia.

\uf0d8 A edição mais recente do Código é a de 1999.

 Objetivo \u2013 Promover a estabilidade e a universalidade de nomes
científicos dos animais e assegurar que cada nome seja único e
distinto. Suas disposições não restringem a liberdade de
pensamento ou ação taxonômica.

\uf0d8 Todas as categorias acima de espécie são designadas

usando-se unitermos, escritos com inicial maiúscula.

 Reino

 Filo

 Classe

 Ordem

 Família

 Gênero

 Espécie

\uf0d8 Os Biólogos agrupam os animais de acordo com seus

relacionamentos evolutivos, como demonstrado pelos

padrões ordenados do compartilhamento de

características homólogas.

 Tal classificação é denominada \u201cSistema natural\u201d
porque reflete relacionamentos que existem entre

animais na natureza.

\uf0d8 Objetivos dos Biólogos sistematas:

 Descobrir todas as espécies animais, construir o
relacionamento filogenético delas e então
classificá-las baseando-se nestes relacionamentos.

\uf0d8 Tarefas da Sistemática:

 1- Classificação dos animais agrupando-os em
categorias naturais derivadas de um ancestral
comum - grupos monofiléticos;

 2- Identificação de espécies;
 3- Descrição de espécies

 4- Preparação de chaves de identificação

 Nomenclatura Zoológica

1- É um sistema para dar nome aos animais;

2- É independente da nomenclatura de outros grupos;

3- O nome científico deve ser uma palavra latina ou latinizada;

4- O nome do gênero deve ser uma palavra única com inicial

maiúscula;

 Ex.: Homo, Felix, Drosophila.

5- O nome da espécie consta de duas palavras (binômio), sendo a

 primeira o nome genérico e a segunda o nome específico (ou

epíteto específico);

Ex.: Homo sapiens, Felix catus, Drosophila melanogaster.

6- Em caso de subgênero, o nome subgenérico virá entre

parênteses, entre o nome genérico e o específico;

 subgênero - divisão de um gênero, admitida naqueles que têm
muitas espécies, quando estas se distinguem por alguns

caracteres, não bastantes para uma separação a nível de

gênero.

Ex.: Centris (Paracentris) Cameron, 1903.

 Centris (Penthemisia) Moure, 1950.

 \uf0d8Aedes (Finlaya) niveus (Ludlow)

\uf0d8Aedes (Diceromyia) tavlori (Edwards)

\uf0d8Aedes (Diceromyia) furcifer (Edwards)

 São importantes na manutenção do vírus da dengue
nas florestas da Ásia e da áfrica. Além das citadas,

outras espécies de mosquitos do gênero Aedes foram

observadas serem competentes para transmitir o vírus

dengue.

Aedes (Finlaya) niveus (Ludlow

Aedes aegypti

7- Subespécie \u2013 trinômio \u2013 nome específico após o específico.

Ex.: Salamandra salamandra almanzoris (Espanha)

 Salamandra salamandra alfredschmidti ) (Espanha)

 Salamandra salamandra bejarae (Espanha)

 Salamandra salamandra hispanica (Espanha)

 Salamandra salamandra bernardezi (Espanha)

 subespécie ou raça é uma subdivisão da espécie. Ocorre quando duas ou

mais populações de uma mesma espécie se separam indo viver em regiões

diferentes e por ficarem separadas por barreiras geográficas por muitas e

muitas gerações e não existindo trocas de genes entre essas populações

isoladas umas das outras os grupos isolados uns dos outros sofrem

mutações com o tempo e assim aparecendo diferenciações genéticas e

surgimento de novas subespécies ou raças nessa mesma.

Salamandra salamandra almanzoris

Salamandra salamandra bernardezi

Salamandra salamandra hispanica

 Salamandra salamandra bejarae

Salamandra salamandra alfredschmidti Salamandra salamandra almanzoris

\u201cOs nomes científicos referentes a gêneros,

espécies e subespécies devem ser grifados,

escritos em negrito ou em itálico\u201d.

 Ex.: Homo sapiens