resumo Empresarial
36 pág.

resumo Empresarial


DisciplinaDireito Empresarial I26.060 materiais110.044 seguidores
Pré-visualização6 páginas
RESUMÃO PARA O XII EXAME
1- NOME EMPRESARIAL: 
Nome empresarial (1155 a 1168, CC) 
Das espécies de nome empresarial:
O nome empresarial poderá ser adotado por firma ou denominação:
Firma: nome civil do empresário ou dos sócios em caso de sociedade e pode conter o ramo de atividade.
Ex: Felipe bastos cursos jurídicos
Empresário individual sempre adotará firma!
Denominação: formada por qualquer expressão linguística e a indicação do objeto social.
Recife alimentos
A firma é o nome utilizado:
pelo empresário
pela sociedade em que houver sócio de responsabilidade ilimitada (COMANDITA SIMPLES E SOCIEDADE EM NOME COLETIVO) 
facultativamente: pela EIRELI, SOCIEDADE LIMITADA E COMANDITA POR AÇÕES
A denominação é o nome utilizado:
sociedade anônima
facultativamente: pela EIRELI, SOCIEDADE LIMITADA E COMANDITA POR AÇÕES
2- DA CAPACIDADE:
Para ser empresário:
Para ser sócio:
3- EIRELI: DA EMPRESA INDIVIDUAL DE RESPONSABILIDADE LIMITADA (EIRELI)
Éconstituída por uma pessoa natural,
Seu capital não poderá ser inferior a 100x o maior salário mínimo vigente no país,
Poderá desenvolver atividade de forma empresária ou não,
A responsabilidade será limitada,
Pode adotar firma ou denominação
Faz uso de forma subsidiária das regras da LTDA.
4- DAS SOCIEDADES 
Capital subscrito: quantia que o acionista se compromete a contribuir para a formação do capital
Capital integralizado: quando o contribuinte paga aquilo que se comprometeu para integralizar.
O sócio que não integraliza o capital será chamado de sócio remisso!
 Sociedade em comum: não realizaram o registro dos atos constitutivos. Rege-se subsidiariamente pelas normas da sociedade simples
Os sócios só podem provar a existência da sociedade por escrito, enquanto terceiros podem provar de qualquer modo.
A responsabilidade dos sócios é ilimitada e embora a sociedade não tenha personalidade, o legislador lhe conferiu a possibilidade do benefício de ordem, excluindo-o apenas quanto aquele que contratou.
DAS SOCIEDADES PERSONIFICADAS
Trata-se de entidade autônoma, dotada de personalidade, com patrimônio distinto da pessoa de seus sócios.
 Da sociedade simples pura
Desempenha atividade econômica não empresarial
Sociedade contratual
Deverá realizar seu registro no RCPJ
Pode ter sócios pessoas físicas ou jurídicas
Pode adotar como nome firma ou denominação
O capital poderá ser integralizado através de bens ou prestação de serviço. Aquele que não integraliza suas quotas será chamado de sócio remisso.
A administração será exercida por pessoa natural, não podendo exercê-la aqueles que são impedidos de ser empresários.
Os poderes dos adm poderão ser revogados:
Se nomeados pelo contrato social e sócios: só por decisão judicial
Adm não sócio ou sócio nomeado em ato separado: revogáveis a qualquer tempo
Da responsabilidade dos atos praticados pelo administrador:
em regra, a sociedade é quem responde, salvo nas seguintes situações:
Se a limitação for conhecida por terceiros
Houver registro da limitação
Operação estranha ao negócio da sociedade (teoria ultra vires)
Ação com culpa \u2013 responderá perante a sociedade e perante terceiros
Da cláusula leonina: não pode haver exclusão do sócio na participação do lucro e das perdas, que deverá ser na proporção de suas quotas.
A responsabilidade entre administradores e sócios será solidária quando da distribuição de lucros ilícitos ou fictícios, quando estes devem conhecer ou conhecerem a ilegitimidade.
Os sócios respondem ilimitadamente pelas dívidas da sociedade.
A entrada de estranhos dependerá da anuência dos demais. Quanto à responsabilidade do cedente, será da seguinte forma:
Será responsável solidário:
até 2 anos da averbação, quanto às obrigações assumidas antes da cessão.
No caso de retirada ou exclusão: Até 2 anos de cada obrigação assumida posteriormente à cessão, enquanto não averbada a transferência.
Das deliberações:
Em regra, pela maioria absoluta de votos
Em caso de empate: decisão com maior quantidade de sócios
Persistência do empate: judiciário
 Da sociedade comandita por ações
Sociedade empresária que tem seu capital dividido em ações, possuindo duas espécies de sócios:
comum: resp. Limitada
diretor: resp. Ilimitada
Pode adotar firma ou denominação.
Aplicação subsidiária das regras da SA, exceto quanto aos assuntos relacionados à autorização do aumento de capital, conselho de adm e bônus de subscrição.
Da sociedade anônima
Do capital social: 
Dividido em ações que possuem sempre o mesmo valor!
Pode ser integralizado com bens do sócio. Assim, quando a integralização for feita com bens, é necessário que esses sejam avaliados por empresa especializada ou 3 peritos. Serão responsáveis por esta avaliação os avaliadores e o sócio que subscreveu! O laudo de avaliação deverá ser aprovado pela assembelia e pelo sócio que está contribuindo com os bens sujeitos à avaliação. 
Caso a integralização ocorra com bens imóveis, o ato de transferência não exigirá a escritura pública, mas tão somente o registro no RGI.
Capital subscrito: quantia que o acionista se compromete a contribuir para a formação do capital
Capital integralizado: quando o contribuinte paga aquilo que se comprometeu para integralizar.
Das ações
As ações podem ser classificadas em:
a) ordinárias: conferem ao titular direitos normais, como por exemplo o direito a voto. Contudo, na SA de capital aberto, não podem ser divididas em classes diferentes.
b) preferenciais: apesar de conferirem algumas preferências, podem ou não conferir direito a voto e podem ser classificadas em classes diferentes.
Golden shere: trata-se da alienação do controle de uma SA, mas o alienante conserva ações preferencias que lhe confere o direito a veto em determinadas deliberações.
c) ações de fruição: são emitidas em substituição a ações ordinárias ou preferenciais que foram totalmente amortizadas, conferindo aos seus titulares o direito de gozo ou fruição, caso a SA venha a ser dissolvida futuramente. Nesses casos, assegura-se a participação do acionista na divisão do saldo positivo, depois que todos os acionistas da SA receberem seus valores de forma proporcional ao valor que o portador da ação de fruição recebera quando teve suas ações amortiadas.
Dos valores mobiliários:
Partes beneficiárias: trata-se do direito de crédito eventual contra a CIA. Participação anual nos lucros, limitada a 10%. Podem ser convertidas em ações e não podem ser emitidas por sa de capital aberto. serve para arrecadar recursos ou remunerar serviços. Podem ser gratuitos ou onerosos
Bônus de subscrição: trata-se da alienação do direito de preferência na subscrição de novas ações.
Dos órgãos societários:
Assembleia: órgão máximo de deliberação. Competência privativa: art. 122
Em regra as deliberações são tomadas pelo voto de maioria simples. Embora o artigo faça referência à maioria absoluta, quis ele se referir à metade mais um dos presentes com direito à voto.
Art. 136 trata de quórum qualificado de metade no mínimo das ações com direito à voto da CIA.
Em caso de empate nas deliberações: realiza-se nova assembleia em 2 meses e se não resolver submete à arbitragem ou ao poder judiciário.
Conselho de administração e diretoria: tratam-se de órgãos adm da cia
O conselho de administração é obrigatório na sa de capital aberto e nas de capital autorizado.
Os administradores têm o dever de lealdade, mantendo reserva quanto às informações sobre os negócios da cia. Caso use as informações privilegiadas para a obtenção de vantagens estará praticando o insider trading, o que pode gerar condenação penal.
Quanto à responsabilidade: na sa de capital aberto: cada um responde pela sua respectiva competência, salvo se conhecer da ação ou omissão do outro administrador. Na sa de capital fechado, todos os administradores respondem solidariamente, salvo manifestação expressa em contrário.
Conselho de administração: composto por pessoas físicas, acionistas ou não, no mínimo 3 membros pelo prazo máximo de 3 anos pela assembleia.