A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Atividade Avaliativa 1     resenha

Você está vendo uma pré-visualização

Pre-visualização do material Atividade Avaliativa 1     resenha - página 1
Pre-visualização do material Atividade Avaliativa 1     resenha - página 2
Pre-visualização do material Atividade Avaliativa 1     resenha - página 3

Atividade Avaliativa 1 resenha

INSTITUTO FEDERAL DO NORTE DE MINAS GERAIS
 CENTRO DE REFERÊNCIA EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA
	
FORMULÁRIO PARA ORIENTAÇÕES DOS CURSISTAS
	Instruções para os cursistas:
“Se acreditamos que a formação de competências não é evidente e que depende em parte da escolaridade básica, resta decidir quais ela deveria desenvolver prioritariamente. Ninguém pretende que todo saber deve ser aprendido na escola. Uma boa parte dos saberes humanos é adquirida por outras vias. Por que seria diferente com as competências? Dizer que cabe a escola desenvolver competências não significa confiar-lhe o monopólio disso”. Philippe Perrenoud
RESENHA
NAZAR, R.M.G. A formação do professor, a prática reflexiva e o desenvolvimento de competências para ensinar.
A autora inicia o texto alertando para a necessidade de se alcançar uma qualidade na educação através da busca de uma mudança significativa na formação e na identidade profissional do professor. Descreve sobre a concepção moderna da tarefa do professor que requer um exercício profissional competente que inclui autonomia, capacidade de decisão e criatividade, necessitando para isto uma formação profissional que implica em entender a aprendizagem como um processo contínuo.
Para Nazar educar “é ajudar a pessoa a tomar consciência de si mesmo, dos outros e da sociedade”.
A autora fala, também, sobre o professor reflexivo como um profissional que reexamina constantemente seus objetivos, seus procedimentos, suas evidências e seus saberes. Para isto utilizou-se dos textos de Perrenoud (2002) e de Zabala (1998).
Baseada em Zabala, abordou a reflexão feita pelos professores, pela administração, pelos pais e pelos alunos sobre a avaliação como uma maneira de medir o grau de alcance de cada aluno em relação a determinados objetivos nos diversos níveis escolares.
Destacou que o aluno precisa ser incentivado e estimulado para enfrentar o trabalho que lhe é proposto.
Por fim a autora relatou que o profissional da educação deve ter como tarefa mediar um processo de ensino-aprendizagem que permita aos alunos sentirem-se sujeitos de sua própria história e não meros repetidores e expectadores.
PERRENOUD, P. Dez novas competências para ensinar – convite à viagem. Porto Alegre, Artmed, 2000
Em seu livro, Perrenoud aborda os aspectos definidores da noção de competência: não são saberes ou atitudes; só é pertinente em situação, sendo cada situação singular; seu exercício passa por operações mentais complexas e; as competências profissionais constroem-se em formação e também ao sabor da navegação diária.
 No capítulo 1 o autor apresenta maneiras de organizar e dirigir situações de aprendizagem, sendo as principais: conhecer, para determinada disciplina, os resultados a serem ensinados e sua tradução em objetivos de aprendizagem; trabalhar a partir das representações dos alunos; trabalhar a partir dos erros e dos obstáculos à aprendizagem; construir e planejar dispositivo e sequencias didáticas; envolver os alunos em atividades de pesquisa, em projetos de conhecimento.
No capítulo 2, Perrenoud descreve como a escola deve administrar a progressão das aprendizagens, que são: conhecer e administrar situações-problema ajustadas ao nível e às possibilidades dos alunos; adquirir uma visão longitudinal dos objetivos do ensino; estabelecer laços com as teorias subjacentes às atividades de aprendizagem; observar e avaliar os alunos em situações de aprendizagem, de acordo com uma abordagem formativa; fazer balanços periódicos de competências e tomar decisões de progressão e; determinar o rumo a ciclos de aprendizagem.
O capítulo 3 é destinado à abordagem sobre a maneira como conceber e fazer evoluir os dispositivos de diferenciação, e para isto afirma que se deve: administrar a heterogeneidade no âmbito de uma turma; abrir, ampliar a gestão de classe para um espaço mais vasto; fornecer apoio integrado, trabalhar com alunos portadores de grandes dificuldades e; desenvolver a cooperação entre os alunos e certas formas simples de ensino mútuo.
O capítulo 4 demonstra como o professor deve trabalhar com os alunos de modo a motivá-los para que tenham o prazer de aprender e o desejo de saber.
O capítulo 5 apresenta a importância do trabalho em equipe e os passos para que esse trabalho seja produtivo.
No capítulo 6, Perrenoud descreve como a Escola deve ser administrada para que sua gestão seja participativa.
A maneira como deve ser feita as reuniões com os pais e estratégias para informar e envolver os pais na vida escolar de seus filhos é abordado no capítulo 7.
Perrenoud dedicou o capítulo 8 com informações sobre como utilizar as novas tecnologias em benefício do processo de ensino-aprendizagem.
Os capítulos 9 e 10 são voltados para questões que envolvem o professor. Inicialmente abordou a questão da prevenção da violência, do preconceito e da discriminação demonstrando a importância do professor saber como agir e comunicar em sala de aula promovendo o senso de responsabilidade, solidariedade e sentimento de justiça em seus alunos. Para finalizar afirmou que administrar sua própria formação é diferente de administrar o sistema de formação, pois o primeiro é responsabilidade dos professores e garante a intervenção individual e coletiva na tomada de decisões enquanto o segundo é responsabilidade do sistema educacional.
Com a leitura dos textos de Nazar e de Perrenoud percebi o quanto é importante o papel da Escola e principalmente do professor no processo de formação dos alunos.
Através da fala de Nazr podemos perceber que o professor atual deve buscar aliar teoria, experiência, tecnologia, valores e atitudes para melhorar sua formação profissional, tornando-se, assim, um professor reflexivo que busca progredir em sua profissão apesar das dificuldades e das situações de crise que surgem em sua profissão.
Com Perrenoud foi possível compreender que as competências são metas fundamentais para a formação e adaptação do professor ao mercado, ao aprendizado e às relações sociais através de novas práticas como a observação diária das atitudes dos alunos, da maneira de trabalhar na sala de aula, individualmente ou em grupo, e de avaliar a aprendizagem e, principalmente, a importância de o professor estar sempre buscando novas formações. 
	
	
ATIVIDADE AVALIATIVA �
�
Curso: Pedagogia�
Módulo: II�
�
Disciplina: Práticas de ensino II �
Professor:Lílian Moreira Bulhões Santos�
�
Valor: 5,0 pontos
Aluno: Cibele Maria de Campos Polo: Pompéu
�
�