aula morfologia vegetal estrutura das gramíneas
21 pág.

aula morfologia vegetal estrutura das gramíneas


DisciplinaMorfologia Vegetal519 materiais8.681 seguidores
Pré-visualização2 páginas
23/09/2016
1
Morfologia de Gramíneas e Leguminosas Forrageiras
MORFOLOGIA??MORFOLOGIA??
A morfologia das plantas tem o propósito nãoapenas biológico mas também de auxiliar nasdecisões de manejo da forrageira.
\u2022 É o estudo das características físicas
(estrutura externa) das plantas.
\u2022 Do grego = "morphe" (forma) + "ology"
(estudo)
MORFOLOGIA
\u2022 As características físicas refletem os componentes de
produção da planta (por exemplo: número de perfilhos,
número de folhas, tamanho das folhas);
\u2022 É a base para a identificação das plantas \u2013
especialmente através das folhas, flores e sementes;
\u2022 É baseada em terminologia descritiva padronizada.
MORFOLOGIA
23/09/2016
2
Terminologia
\u2022 Normas internacionais:
\u2013 Espécies compostas por dois nomes grifados ou em letra que difere do texto (geralmente itálico)EX: Panicum maximumEX: Brachiaria brizantha
EX: Panicum maximum cv. TanzâniaEX: Brachiaria brizantha cv. Marandu
Classificação forrageiras
Hibernais
Clima temperado
Dias menos ensolarados
Caules finos e folhagem tenra
Semeadas no outono
Estivais
Clima tropical
Elevado potencial de crescimento
Colmos grossos e folhas largas
Semeadas na primavera
A Família das Gramíneas
\u2022 POACEAE (GRAMINEAE)
\u2022 Reino: vegetal;\u2022 Divisão: Spermatophyta; \u2022 Subdivisão: Angiospermae; (Magnoliophyta)\u2022 Classe: Monocotyledoneae (Liliopsida);\u2022 Sub classe: Commelinidae\u2022 Ordem: Graminales; \u2022 Família: Poaceae\u2022 Subfamílias: Festucoideae e Panicoideae.\u2022 Gênero: Panicum, Cynodon, Brachiaria, etc.
Botânica de Gramíneas - Poaceae
\u2022 Importância na Agropecuária
\u2022 Família mais importante na agricultura, produzindo:
\u2022 cereais (75% originado de trigo, arroz e milho;
fornecem 50% da proteína e 60% da energia naalimentação);
\u2022 e produzindo forragem para os ruminantes;
\u2022 Compreende 700 gêneros e 12.000 espécies;
\u2022 Presentes em diversas situações ambientais;
23/09/2016
3
\u2022 Pastos e savanas compreendem 20% da vegetaçãoque cobre a terra.
\u2022 Algumas gramíneas mais conhecidas são:
milho (Zea mays)
trigo (Triticum aestivum)
arroz (Oryza sativa)
Cana-de-açúcar (Saccharum officinarum)
Braquiária (Brachiaria brizantha)
brachiaria
milho
trigoarroz
Cana-de-açúcar
Sistema radicular
\u2022 Refere-se ao total de todas as raízes da planta.
\u2022 Parte inferior da planta por onde se fixa no solo eretira sua nutrição.
\u2022 Principais Funções:
1) Absorção de água e minerais;
2) Sustentar a planta no solo;
3) Armazenar nutrientes.
\u2022 Há dois tipos básicos de sistema radicular:
1) Sistema radicular pivotante (leguminosas);
2)Sistema radicular fasciculado (gramíneas).
Sistema radicular
23/09/2016
4
Sist. Pivotante Sist. Fasciculado
Sistema radicular - Fasciculado
São raízes semelhantes entre si, numerosas,formando um sistema denominado fasciculado oucabeleira.
Desenvolvem-se, principalmente nas camadas poucoprofundas, explorando a parte superficial do solo (20-30cm) porém podem alcançar profundidade de 2 m.
Raízes - gramíneas
\u2022 As gramíneas apresentam dois sistemas de raízes:
1) raízes seminais ou embrionárias e
2) raízes permanentes, caulinares ou adventícias.
1) As raízes seminais ou embrionárias têmorigem no embrião e estão cobertas pelacoleorriza. A duração dessas raízes é curta,correspondendo a algumas semanas.
A coleorriza funciona como órgão de proteção e deabsorção de água e de nutrientes. Sobre ela, têm-seobservado, em muitas espécies, pêlos absorventes.
2) As raízes permanentes (caulinares ou adventícias)originam-se dos primeiros nós basais, de estolões ou,também, de outros nós que estejam em contato com osolo.\u2022 São numerosas e substituem as raízes seminais.
\u2022 Alcançam certo comprimento e, geralmente, produzemmuitas ramificações.\u2022 Nas espécies anuais morrem com a planta, e nasespécies perenes ocorrem duas classes distintas,denominadas anuais e perenes.
\u2022 As anuais são aquelas que regeneram-se totalmentedurante a estação de crescimento, e as perenes sãoaquelas que se formam durante o primeiro ano, porémseguem funcionando no ano seguinte.
23/09/2016
5
Colmo
\u2022 O colmo das gramíneas, na maioria das espécies, é oco e
é constituído de nós e entrenós.
\u2022 Cada nó tem sua folha correspondente.
\u2022 Os entrenós são cilíndricos e podem ser ocos, como
ocorre em gramíneas de inverno, ou podem ser cheios,
como ocorre em milho e em cana-de-açúcar.
\u2022 Dos nós do colmo, na axila das bainhasfoliares, surgem brotos ou afilhos,
Nó
Entrenós
Hábito de crescimento das gramíneas
\u2022 A forma de crescimento do colmo determina ohábito de crescimento de plantas.
\u2022 Cespitoso ereto: o caule cresce perpendicularmenteem relação ao solo.
Ex.: Panicum, Pennisetum.
Ex.: milho, sorgo.
\u2022 Cespitoso prostrado/decumbente: Os colmos crescemencostados ao solo, sem enraizamento nos nós, só seerguendo a parte que tem a inflorescência.
\u2022 Ex.: Brachiaria decumbens.
\u2022 Estolonífero: Os colmos rasteiros, superficiais,enraízam-se nos nós que estão em contato com o solo,originando novas plantas em cada nó.
Ex.: Cynodon
23/09/2016
6
Cynodon dactylon
Variação da forma de crescimento das gramíneas
Crescimento ereto Crescimento decumbente Crescimento estolonifero
\u2022 Rizomatoso: Colmo subterrâneo, aclorofilado, sendocoberto por afilhos. Dos nós partem raízes e novasplantas.Ex.: capim-quicuio, grama-bermuda (estolonífero-rizomatoso) 
internódio nó Cespitoso Rizomatoso
Estolonífero
23/09/2016
7
Estolões e Rizomas
Estolão
Rizoma
Rizoma
grama batatais/grama mato grosso
23/09/2016
8
Folhas
\u2022 As folhas em geral, possuem bainha, lígula e lâmina.
\u2022 A bainha é o órgão alongado em forma de cartucho, que
nasce no nó e cobre o entrenó, podendo ser maior ou
menor que este.
\u2022 A lígula é a parte branca e
membranosa, pilosa ou mista que se
localiza na parte superior interna da
bainha, no limite com a lâmina foliar.
1. MembranosaA) GlabraB) Pilosa ou ciliada
2. Substituída por linha de pêlos ou cílios
Setaria
Cynodon
\u2022 A lâmina foliar das gramíneas, em geral, é linear.
\u2022 Aurículas: dois apêndices que abraçam o caule.
Esses apêndices, juntamente com a forma da lígula,
oferecem características para distinguir as espécies
durante o período vegetativo.
Nó
Lígula
BainhaAurícula
Lâmina
23/09/2016
9
\u2022 Escamas: folhas reduzidas do colmo ou rizoma \u2013 proteção da gema
\u2022 Brácteas: folhas modificadas \u2013 proteção das flores
\u2022 Prófilo: proteção da gema lateral \u2013estrutura modificada da bainha
\u2022 De acordo com Mundstock (1983), a
diferenciação dos cereais de estação
fria pelas características das folhas
pode ser feita pela seguinte chave:
Plantas com Aurícula
\u2022 1.1 Aurículas pequenas ou médias, com os brotos pilosos....................................................................trigo
\u2022 1.2 Aurículas largas e longas, glabras .............................................................................cevada 
\u2022 1.3 Aurículas pequenas, e glabras ............................................................................centeio
\u2022 2. Plantas sem aurículas e com lígula bem desenvolvida...................................................... aveia 
CevadaLígula e aurícula glabras, abraçam o colmo e podem estar pigmentadas por antocianinas
Centeioaurículas pequenas elígulas glabras
23/09/2016
10
\u2022 Flor: são aclamídeas (sem cálice e corola)
\uf0fc Glumélulas: pistilo ou ovárioestames ou antera - androceuestigmas ou estililete - gineceu\u2022 A distribuição das flores em ramos florísticos é denominada inflorescência.\u2022 Em gramíneas, há três tipos de inflorescência:\u2022 1) espiga;\u2022 2) panícula e,\u2022 3) rácemo
Flores Espigueta 
\u2022 Ráquis
\u2022 Pedicelo
\u2022 Brácteas
\u2022 Glumelas
\u2022 Flor 
Espiguetas de cevada 
Espiguetas de centeio Espiguetas de aveia Espiguetas de arroz 
Espiguetas de trigo Tipos de inflorescência
1) EspigasInflorescência de flores sésseis dispostas sobre um eixo ou ráquis;
23/09/2016
11
Tipos de inflorescência