Livro - Gestão Tributária
17 pág.

Livro - Gestão Tributária


DisciplinaGestão Tributária319 materiais1.120 seguidores
Pré-visualização17 páginas
contri-

buinte, facultado à administração tributária, especialmente

para conferir efetividade a objetivos, identificar, respeitados

os direitos individuais e nos termos da lei, o patrimônio, os

rendimentos e as atividades econômicas do contribuinte.

[...]

Princípio da uniformidade

Os tributos devem ser uniformes em todo o território
nacional. Conforme a CF de 1988:

Art. 151. É vedado à União:

I \u2013 instituir tributo que não seja uniforme em todo o ter-

ritório nacional ou que implique distinção ou preferência

em relação a estado, ao Distrito Federal ou a município, em

detrimento de outro, admitida a concessão de incentivos fis-

cais destinados a promover o equilíbrio do desenvolvimento

socioeconômico entre as diferentes regiões do País;

II \u2013 tributar a renda das obrigações da dívida pública dos

estados, do Distrito Federal e dos municípios, bem como a

remuneração e os proventos dos respectivos agentes públi-

cos, em níveis superiores aos que fixar para suas obrigações

e para seus agentes;

[...]

Si
st

em
a

Tr
ib

ut
ár

io
 N

ac
io

na
l

39

Art. 152. É vedado aos estados, ao Distrito Federal e aos muni-

cípios estabelecer diferença tributária entre bens e serviços, de

qualquer natureza, em razão de sua procedência ou destino.

[...]
Art. 155. Compete aos estados e ao Distrito Federal instituir

impostos sobre:

[...]
§ 4º Na hipótese do inciso XII, \u201ch\u201d, observar-se-á o

seguinte:

[...]
IV \u2013 as alíquotas do imposto serão definidas mediante delibe-

ração dos Estados e Distrito Federal, nos termos do § 2º, XII,

\u201cg\u201d, observando-se o seguinte:

a) serão uniformes em todo o território nacional, podendo ser

diferenciadas por produto;

[...]

Princípio da liberdade de tráfego

Não pode o sujeito passivo da obrigação tributária ter
vedado o seu tráfego em razão do não-pagamento de um
tributo. De acordo com a CF de 1988:

Art. 150. Sem prejuízo de outras garantias asseguradas ao

contribuinte, é vedado à União, aos estados, ao Distrito

Federal e aos municípios:

[...]
V \u2013 estabelecer limitações ao tráfego de pessoas ou bens, por

meio de tributos interestaduais ou intermunicipais, ressal-

vada a cobrança de pedágio pela utilização de vias conserva-

das pelo Poder Público [a];

[...]

a. Deve-se perceber que o pedágio é uma taxa.

G
es

tã
o

tr
ib

ut
ár

ia

40

Princípio da não-cumulatividade

Não pode haver a cobrança de um tributo mais de uma vez
sobre determinado fato gerador, pois, se isso ocorrer, tere-
mos a chamada bitributação, que é vedada pela lei. Assim,
somente é permitida a diminuição ou a compensação de
tributos.

Exemplos:

IPI \u2013 CF, art. 153, § 3 \u25aa o, II;
ICMS \u2013 CF, art. 155, § 2 \u25aa o, I.

Princípio da proporcionalidade

Os tributos podem ser proporcionais, ou seja, de acordo
com a renda e o patrimônio. Por exemplo: se o indivíduo
auferir mais renda em um ano, terá o seu Imposto de Renda
proporcional aos seus ganhos. Exemplos:

Imposto Predial e Território Urbano (IPTU) \u2013 CF, art. \u25aa
156, § 1o e art. 182, § 4o, II.
Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural (ITR) \u2013 \u25aa
CF, art. 153, § 4o, I.
IR \u2013 CF, art. 153, § 2 \u25aa o, I.

Princípio da seletividade

Os tributos podem ser seletivos, ou seja, eles podem ter
suas alíquotas diferenciadas em razão da essencialidade
dos produtos; quanto mais essencial for um produto \u2013 por
exemplo, mais baixa será a sua alíquota, no caso de produ-
tos industrializados. Exemplos:

IPI \u2013 CF, art. 153, § 3 \u25aa o, I.
ICMS \u2013 CF, art. 155, § 2 \u25aa o, III, e art. 150, §4o.

Si
st

em
a

Tr
ib

ut
ár

io
 N

ac
io

na
l

41

Temos a seguir, um quadro para a melhor apreciação dos
princípios contemplados neste capítulo.

Quadro 1 \u2013 Princípios do direito tributário

Legalidade

CF, art. 150, I, CTN, art. 97

Lei complementar e Lei ordinária

Exceções: CF, art. 153, § 1°, art. 177, § 4°, I, \u201cb\u201d
(II, IE, IPI, IOF, CIDE)

Irretroatividade CF, art. 150, III, \u201ca\u201d

Retroatividade

CTN, art. 106

Lei interpretativa

Ato não-julgado:
Não deve ser definido como infração.

Cominação de penalidade menos severa.

Anterioridade

CF, art. 150, III, \u201cb\u201d

Exceções: II; IE; CIDE (art. 177, § 4°); imposto extraordiná-
rio em caso de guerra (art. 150, § 1° e 154, II); empréstimo
compulsório (art. 148, I); ICMS (art. 155, § 4°, IV, \u201cc\u201d)

Especial \u2013 CF, art. 195, § 3°

Vedação de confisco CF, art. 150, IV

Isonomia CF, art. 150, II

Capacidade
contributiva

CF, art. 145, § 1°

Uniformidade CF, arts. 151, I, II; 152; 155, § 4°, IV, \u201ca\u201d

Liberdade de tráfego CF, art. 150, V

Não-cumulatividade
IPI \u2013 CF, art. 153, § 3°, III
ICMS \u2013 CF, art. 155, § 2°, I

Progressividade
IPTU \u2013 CF, art. 156, § 1°
ITR \u2013 CF, art. 153, § 4°
IR \u2013 CF, art. 153, § 2°, I

Seletividade
IPI \u2013 CF, art. 153, § 3°, I
ICMS \u2013 CF, art. 155, § 2°, III e 145, § 4°

G
es

tã
o

tr
ib

ut
ár

ia

42

atividades

Quanto ao princípio da 1. anterioridade, assinale a alterna-
tiva correta.

Um tributo somente pode ser cobrado no exercício finan-a.
ceiro seguinte ao que houver sido instituído.
Não prevê nenhuma exceção.b.
Todo tributo pode ser cobrado imediatamente.c.
Nenhuma das alternativas.d.

É vedada a cobrança de tributo com valor abusivo, em que 2.
o sujeito passivo da obrigação tributária não tenha como
arcar com tal pagamento. Tal afirmativa se refere a qual

princípio?
Anterioridadea.
Legalidadeb.
Vedação de confisco.c.

Liberdade de tráfego.d.

O princípio da 3. isonomia significa que:
cada contribuinte deve ser tratado de acordo com a sua a.
condição financeira.

todo contribuinte deve ser tratado de forma igual.b.
todo contribuinte deve ser tratado de forma diferente.c.
nenhuma das alternativas.d.

Assinale a alternativa correta.4.
Não existe necessidade de se observar o princípio da a.
legalidade.
Pode haver tributo sem lei anterior que o institua.b.
Não há tributo sem definição legal.c.

Tributos podem ser criados por qualquer cidadão.d.

Si
st

em
a

Tr
ib

ut
ár

io
 N

ac
io

na
l

43

Assinale a alternativa correta.5.
A capacidade contributiva quer dizer que o contribuinte a.
tem que ser maior de 18 anos.
A capacidade contributiva está relacionada à condição b.
socioeconômica do contribuinte.
A capacidade contributiva é igual à capacidade civil.c.
A capacidade contributiva não influi na aplicação e no d.

pagamento de tributos.

Assinale a alternativa correta.6.
Não pode haver proibição de tráfego em relação a a.
tributos.
Os tributos devem ser criados por qualquer cidadão.b.
Pode haver cobrança de tributo mais de uma vez sobre c.
o mesmo fato.
Os tributos não são uniformes.d.

Assinale a alternativa correta.7.
Os tributos seletivos são aqueles cujas alíquotas variam a.
em razão da essencialidade do produto.
Os tributos não são proporcionais.b.
Pode haver tributo sem definição legal.c.

Nenhuma das alternativas.d.

Com relação aos tributos, a União:8.
é vedada de estabelecer limitações ao tráfego de pessoas a.
ou de bens.
é autorizada a limitar o tráfego de pessoas.b.
é vedada de cobrar pedágio.c.
é autorizada a limitar o tráfego de bens.d.

G
es

tã
o

tr
ib

ut
ár

ia

44

Assinale a alternativa correta.9.
Os impostos não são pessoais.a.
Os impostos são graduados segundo a capacidade b.
contributiva.
Os impostos não precisam estar relacionados à capaci-c.
dade contributiva.
Os impostos não são instituídos em lei.d.

 Assinale a alternativa correta.10.
Os sistemas tributários podem ser classificados em rígi-a.
dos ou flexíveis.

O sistema tributário brasileiro é flexível.b.

A natureza das receitas relaciona-se somente à partilha c.
do produto da arrecadação.
Nenhuma das alternativas.d.