Livro - Gestão Tributária
17 pág.

Livro - Gestão Tributária


DisciplinaGestão Tributária319 materiais1.120 seguidores
Pré-visualização17 páginas
de legislar (imunidade) e
de recolher tributos em razão da prática de atos determina-
dos por lei como sujeitos à incidência de tributos (incidên-

G
es

tã
o

de
 p

es
so

as

58

cia). Além disso, existe a responsabilidade tributária, que
significa a qualidade daquele que irá responder por atos

próprios ou de outrem no momento de recolhimento do
tributo por força da atividade desenvolvida.

(4.1)

não-incidência, incidência,
isenções e imunidades

Resumidamente, esses institutos são entendidos como se
segue:

Não-incidência \u2013 não há a cobrança de tributos quando \u25aa
não houver nenhuma hipótese de incidência prevista
na norma (lei).
Incidência \u2013 compete à CF definir a incidência tributá- \u25aa
ria e delimitar a competência.
Isenções \u2013 estão previstas nas normas gerais; por exem- \u25aa
plo: indivíduos isentos de pagar imposto de renda.
Imunidades \u2013 estão previstas na CF. \u25aa

Imunidades

As imunidades tributárias são estabelecidas no artigo 150
da Constituição de 1988:

Art. 150. Sem prejuízo de outras garantias asseguradas ao

contribuinte, é vedado à União, aos estados, ao Distrito

Federal e aos municípios:

I \u2013 exigir ou aumentar tributo sem lei que o estabeleça;

N
ão

-i
nc

id
ên

ci
a,

 im
un

id
ad

e.
..

59

II \u2013 instituir tratamento desigual entre contribuintes que se

encontrem em situação equivalente, proibida qualquer dis-

tinção em razão de ocupação profissional ou função por eles

exercida, independentemente da denominação jurídica dos

rendimentos, títulos ou direitos;

III \u2013 cobrar tributos:

a) em relação a fatos geradores ocorridos antes do início da

vigência da lei que os houver instituído ou aumentado;

b) no mesmo exercício financeiro em que haja sido publicada

a lei que os instituiu ou aumentou;

c) antes de decorridos noventa dias da data em que haja sido

publicada a lei que os instituiu ou aumentou, observado o

disposto na alínea b;

IV \u2013 utilizar tributo com efeito de confisco;

V \u2013 estabelecer limitações ao tráfego de pessoas ou bens, por

meio de tributos interestaduais ou intermunicipais, ressal-

vada a cobrança de pedágio pela utilização de vias conserva-

das pelo Poder Público;

VI \u2013 instituir impostos sobre:

a) patrimônio, renda ou serviços, uns dos outros;

b) templos de qualquer culto;

c) patrimônio, renda ou serviços dos partidos políticos, inclu-
sive suas fundações, das entidades sindicais dos trabalhado-
res, das instituições de educação e de assistência social, sem

fins lucrativos, atendidos os requisitos da lei;

d) livros, jornais, periódicos e o papel destinado a sua

impressão.

§ 1º A vedação do inciso III, \u201cb\u201d, não se aplica aos tributos

previstos nos arts. 148, I, 153, I, II, IV e V; e 154, II; e a veda-

ção do inciso III, \u201cc\u201d, não se aplica aos tributos previstos nos

arts. 148, I, 153, I, II, III e V; e 154, II, nem à fixação da base

de cálculo dos impostos previstos nos arts. 155, III, e 156, I.

G
es

tã
o

de
 p

es
so

as

60

§ 2º A vedação do inciso VI, \u201ca\u201d, é extensiva às autarquias

e às fundações instituídas e mantidas pelo poder público, no

que se refere ao patrimônio, à renda e aos serviços, vincula-

dos a suas finalidades essenciais ou às delas decorrentes.

§ 3º As vedações do inciso VI, \u201ca\u201d, e do parágrafo anterior

não se aplicam ao patrimônio, à renda e aos serviços, relacio-

nados com exploração de atividades econômicas regidas pelas

normas aplicáveis a empreendimentos privados, ou em que

haja contraprestação ou pagamento de preços ou tarifas pelo

usuário, nem exonera o promitente comprador da obrigação

de pagar imposto relativamente ao bem imóvel.

§ 4º As vedações expressas no inciso VI, alíneas \u201cb\u201d e \u201cc\u201d,

compreendem somente o patrimônio, a renda e os serviços,

relacionados com as finalidades essenciais das entidades

nelas mencionadas.

§ 5º A lei determinará medidas para que os consumidores

sejam esclarecidos acerca dos impostos que incidam sobre

mercadorias e serviços.

§ 6º Qualquer subsídio ou isenção, redução de base de cálculo,

concessão de crédito presumido, anistia ou remissão, relati-

vos a impostos, taxas ou contribuições, só poderá ser conce-

dido mediante lei específica, federal, estadual ou municipal,

que regule exclusivamente as matérias acima enumeradas ou

o correspondente tributo ou contribuição, sem prejuízo do

disposto no art. 155, § 2º, XII, \u201cg\u201d.

§ 7º A lei poderá atribuir a sujeito passivo de obrigação tribu-

tária a condição de responsável pelo pagamento de imposto ou

contribuição, cujo fato gerador deva ocorrer posteriormente,

assegurada a imediata e preferencial restituição da quantia

paga, caso não se realize o fato gerador presumido.

No mesmo artigo 150 (inciso VI \u201ca\u201d), encontra-se a cha-
mada imunidade recíproca: \u201cinstituir impostos sobre:

N
ão

-i
nc

id
ên

ci
a,

 im
un

id
ad

e.
..

61

patrimônio, renda ou serviços, uns dos outrosa. ; [...]\u201d.
Contudo, verifica-se, ainda no artigo 150, em seu pará-

grafo 3o, que essa imunidade não se aplica à União, aos esta-
dos, aos municípios, suas autarquias e fundações, quando
no exercício de atividades econômicas:

[...]
§ 3º As vedações do inciso VI, \u201ca\u201d, e do parágrafo anterior

não se aplicam ao patrimônio, à renda e aos serviços, relacio-

nados com exploração de atividades econômicas regidas pelas

normas aplicáveis a empreendimentos privados, ou em que

haja contraprestação ou pagamento de preços ou tarifas pelo

usuário, nem exonera o promitente comprador da obrigação

de pagar imposto relativamente ao bem imóvel.

[...]
Art. 173. Ressalvados os casos previstos nesta Constituição,

a exploração direta de atividade econômica pelo Estado só

será permitida quando necessária aos imperativos da segu-

rança nacional ou a relevante interesse coletivo, conforme

definidos em lei.

§ 1º A lei estabelecerá o estatuto jurídico da empresa pública,

da sociedade de economia mista e de suas subsidiárias que

explorem atividade econômica de produção ou comercializa-

ção de bens ou de prestação de serviços, dispondo sobre:

[...]
II \u2013 a sujeição ao regime jurídico próprio das empresas priva-

das, inclusive quanto aos direitos e obrigações civis, comer-

ciais, trabalhistas e tributários;

[...]

Ou seja, não há imunidade quando há a exploração da
atividade econômica com contraprestação, pagamento de
serviço ou tarifa; da mesma forma, não se exonera o pro-
mitente comprador do imposto devido.

G
es

tã
o

de
 p

es
so

as

62

O art. 150, VI, \u201cb\u201d e \u201cc\u201d, da CF estabelece imunida-
des sobre templos de qualquer culto, entidades sindicais
de trabalhadores, partidos políticos, instituições de edu-
cação e assistência social sem fins lucrativos. No entanto,

essa imunidade somente atinge a renda, o patrimônio e
os serviços relacionados às finalidades essenciais dessas

entidades:

Art. 150.

[...]
§ 4º As vedações expressas no inciso VI, alíneas \u201cb\u201d e \u201cc\u201d,

compreendem somente o patrimônio, a renda e os serviços,

relacionados com as finalidades essenciais das entidades

nelas mencionadas.

O esquema a seguir representa os institutos analisa-
dos neste tópico:

Imunidade Constituição Federal

Incidência
Isenção

Lei Ordinária

Não-incidência

(4.2)

responsabilidade tributária

A responsabilidade tributária ocorre quando uma pes-
soa, envolvida na relação tributária ou vinculada ao con-
tribuinte por uma relação de direito pessoal, é chamada
para responder pelo recolhimento do tributo. A respon-
sabilidade decorre sempre de lei, devendo estar disposta

N
ão

-i
nc

id
ên

ci
a,

 im
un

id
ad

e.
..

63

obrigatoriamente no Código Tributário Nacional ou em lei
complementar.