Niveis de amputação
44 pág.

Niveis de amputação


DisciplinaPróteses e Órteses191 materiais288 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Níveis de Amputação
Pablo Miranda
 Características: 
Nível adequado de amputação
Estável
Mioplastia e Miodese
Pele
Neuromas 
Espículas ósseas 
Circulação 
Cicatrização
Edema 
Níveis de Amputação MMSS
 Tipos:
Desarticulação de punho
Amputação de antebraço
Desarticulação de cotovelo
Amputação de braço
Desarticulação de ombro/ trans-escapulotorácica
 
Níveis de Amputação MMSS
 Desarticulação do punho:
 
Para este nível de amputação é possível utilizar tanto próteses passivas (estéticas convencionais ou em silicone) quanto ativas.
Movimentos de prono-supinação estão preservados neste nível de amputação.
 
Níveis de Amputação MMSS
 Desarticulação do punho:
 
 
Níveis de Amputação MMSS
 Amputação de antebraço
Nas amputações de 1/3 proximal e 1/3 médio, é possível a utilizar nas próteses mioelétricas, punho com prono-supinação.
 
Níveis de Amputação MMSS
 Amputação de antebraço
 
Níveis de Amputação MMSS
 Desarticulação do cotovelo
 
Níveis de Amputação MMSS
 Amputação de braço - Transumeral
Pode ser dividida em 3 níveis:
Proximal 
Médio
Distal
 
Níveis de Amputação MMSS
 Desarticulação de ombro/ trans-escapulotorácica
Nas desarticulações de ombro ou amputações transescapulotorácicas geralmente é utilizada próteses endoesqueléticas não funcionais com articulação de ombro livre e cotovelo passivo. Os encaixes envolvem o hemitorax e são fixos por correias.
 
Níveis de Amputação MMSS
 Desarticulação de ombro/ trans-escapulotorácica
 
Níveis de Amputação MMSS
Níveis de Amputação MMII
Pablo Miranda
Níveis de Amputação para membro inferior
Desarticulação Interfalangeana
Desarticulação Metatarsofalangeana 
Amputação Transmetatarsiana 
Desarticulação de Linsfranc 
Amputação naviculocuneiforme-transcubóide 
Desarticulção de Chopart 
Desarticulação de Syme 
Níveis de Amputação MMII
Níveis de Amputação para membro inferior
Amputação de Pirogoff 
Amputação de Boyd 
Amputação Transtibial 
Desarticulação do joelho 
Amputação transfemoral 
Desarticulação de quadril 
Desarticulação Sacroilíaca 
Níveis de Amputação MMII
 Desarticulação Interfalangeana
Não apresenta problemas funcionais
Causas 
Indústrias metalúrgicas \u2013 Intrumentos de corte 
amputação x dedos não funcionais 
Não alteram equilíbrio e marcha 
Amputações de hálux- preservar base da falange proximal 
 
 
Níveis de Amputação MMII
 ossos do pé
 
 
Níveis de Amputação MMII
 Desarticulação Interfalangeana
 
 
Níveis de Amputação MMII
 Desarticulação Metatarsofalangeana
Opção por esse nível de amputação 
Amputações isoladas do 2 ao 5 dedos não altera a marcha 
2 e 3 dedos isolados- amputações perigosas
Hálux- mais comprometedora - Suturas dorsais 
 
Níveis de Amputação MMII
 Desarticulação Metatarsofalangeana
 
Níveis de Amputação MMII
 Desarticulação Metatarsofalangeana
 
Níveis de Amputação MMII
 Amputação Transmetatarsiana
Causas - Processos Infecciosos - Pé assimétrico
Reinserção de tendões
Secção óssea =1 meta=2 >3\u2026\u2026 
Amputação próxima à cabeça ou base dos metatarsos 
Marcha prejudicada 
 
Níveis de Amputação MMII
 Amputação Transmetatarsiana
 
Níveis de Amputação MMII
 Amputação de Linsfranc 
Desarticulação dos metatarsos entre ossos cubóide e cuneiforme 
Causa - Vascular 
Desvantagem
Deformidade em flexão plantar
Dificulta a protetização 
Limita a descarga distal total
Revisões Cirúrgicas 
 
Níveis de Amputação MMII
 Amputação de Linsfranc 
Se possível preservação da base do 4 e 5 metatarso
Nervos- secções o mais proximal 
 
Níveis de Amputação MMII
 Desarticulação Naviculocuneiforme e Transcubóide 
Pouco descrito 
Entre os níveis Linfranc e Chopart 
Preservação do navicular e secção parcial do cubóide 
Mantém a articulação talusnavicular 
 
Níveis de Amputação MMII
 Amputação de Chopart 
Desarticulação entre os ossos navicular e cubóide com o tálus e calcâneo
Amputação do retropé 
Predomínio dos músculos flexores plantares 
Evolução- pé equino 
Causas \u2013Vasculares, Doenças Infecciosas, Traumáticas e Tumorais 
 
Níveis de Amputação MMII
 Amputação de Chopart 
 
Níveis de Amputação MMII
 Amputação de Syme 
Causas:
Doenças Vasculares
Traumas 
Anomalias Congênitas
Transmetatarsianas, Linsfranc,Chopart não são possíveis
Permite descarga distal - Protetização com pé mecânico 
 
Níveis de Amputação MMII
 Amputação de Syme 
Causas:
Doenças Vasculares
Traumas 
Anomalias Congênitas
Transmetatarsianas, Linsfranc,Chopart não são possíveis
Permite descarga distal - Protetização com pé mecânico 
 
Níveis de Amputação MMII
 Amputação de Syme 
Marcha sem prótese \u2013 Claudicação
Desarticulação tibiotársica e secção óssea dos maléolos lateral e medial 
Preservação da sindesmose tibiofibular 
Discrepância entre os membros 
Procedimento tecnicamente fácil 
Apresenta coto longo- descarga distal 
Reabilitação e Protetização Precoce 
 
Níveis de Amputação MMII
 Amputação de Syme 
 
Níveis de Amputação MMII
 Amputação de Pirogoff 
Similar a de Syme - Artrodese entre tíbia e calcâneo
Utilização de osteossíntese
Espaço menor entre o coto e o solo 
Níveis de Amputação MMII
 Amputação de Boyd
Similar a de Pirogoff 
Artrodese do calcâneo seccionado com a superfície distal
tibiofibular
Discrepância entre os membros 
Níveis de Amputação MMII
 Amputação Transtibial 
Entre a desarticulação tibiotársica e a do joelho
Três Níveis 1- Proximal 2- Médio 3- Distal 
Descarga de peso distal contra-indicada 
Cotos apresentam tendência a deformidades 
Fíbula seccionada de 1 cm acima da tíbia 
Musculatura posterior é rebatida anterior- coxim 
Níveis de Amputação MMII
 Amputação Transtibial 
Amputação transtibial distal 
Coto longo 
Bom controle sobre a prótese 
Região distal - baixo fluxo de sangue 
(escoriações, úlceras) 
Níveis de Amputação MMII
 Amputação Transtibial 
Amputação Transtibial Média 
Ideal para esse nível 
Localizada na transição musculotendinosa do tríceps sural
Bom comprimento do coto 
Reabilitação 
Níveis de Amputação MMII
 Amputação Transtibial 
Amputação Transtibial Proximal 
Abaixo da tuberosidade da tíbia 
Preservar a articulação do joelho
Vantagens das amputações transtibiais 
Manutenção da articulação do joelho 
Menor gasto de energia durante marcha 
Facilidade para remoção e colocação de prótese
Marcha fisiológica 
Níveis de Amputação MMII
 Amputação Transtibial 
Níveis de Amputação MMII
 Desarticulação do Joelho
Evitada durante muitos anos - Substituída pela transfemoral
Indicada para traumatismos ortopédicos irreversíveis 
Há preservação da patela 
Cicatriz póstero inferior 
Comprimento total do coto - boa alavanca, bom controle sobre a prótese 
Níveis de Amputação MMII
 Desarticulação do Joelho
Vantagens da desarticulação de joelho 
Maior braço de alavanca 
Maior força muscular 
Possibilidade de descarga distal 
Bom controle rotacional sobre as próteses 
Melhor suspensão protética 
Facilidade para colocação e remoção da prótese 
Menor gasto energético durante a marcha 
Níveis de Amputação MMII
 Amputação Transfemoral
Entre a desarticulação do joelho e do quadril
Três níveis de amputação - Terço Proximal \u2013 Médio \u2013 Distal
Tendência a deformidade do coto em abdução e flexão 
( mais proximal ) 
Contra -indicação da descarga distal - Próteses com apoio ísquio ou laterais do coto 
Níveis de Amputação MMII
 Amputação Transfemoral
Níveis de Amputação MMII
 Desarticulação do Quadril 
Desarticulação de quadril - Cabeça do fêmur
Traumatismos complexos 
Não apresenta coto ósseo 
Cicatriz anterior
Raí
Raí fez um comentário
top!
0 aprovações
Carregar mais