A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
16 pág.
Pedagogia Trabalho de conclusao de curso TCC

Pré-visualização | Página 4 de 5

aprendem o mundo e sobre si mesmas. O desenho pode ser um meio rápido de expressar algo, ou uma modalidade elaborada de produção artística. Desenhar, portanto, é estrutural tanto para quem produz como para quem ensina e lê artes.( Barbieri 2012) 
As crianças trazem questões de suas vidas em seus trabalhos de arte. Desenham , pintam, contando histórias. A escola deve ser espaço de para construir e reconstruir o mundo poder falar sobre a vida e sentir-se pertencente à comunidade, logo, livre para expressar-se. A isso se chama ampliar horizontes. Portanto vale lembrar também que utilizar a leitura e a escrita para compreender significados e para entender o mundo parece ser o desafio principal dos professores na alfabetização. Já na educação infantil este processo ocorre em diversas etapas, pois o aprendizado da língua materna, assim como sua escrita, se dá nos mais variados contextos e situações cotidianas que antecedem a primeira série e a formalização desse aprendizado. 
Existem inúmeras formas de relacionar as artes plásticas com o processo de alfabetização. Kelhrwald (2006) explica como a linguagem da arte se propõe a ser condutora de saberes na infância: 
É na infância que se desenvolvem as construções simbólicas que permitem o trânsito entre o real e o imaginário e asseguram a compreensão de que as produções pessoais são fonte de domínio e saber sobre a escrita diferenciada da arte e fonte de prazer pelo envolvimento afetivo que proporcionam( Kehrwald,2006,p.31). 
Por meio das artes plásticas, pode - se criar, recriar e transformar diversas cenas cotidianas a fim de desenvolver os preceitos básicos da alfabetização da língua materna e também da linguagem plástica. 
A criança desenha e cria porque brinca. Para ela a mesma concentração de corpo inteiro exigida no brincar aparece no desenhar. Neste sentido, o corpo inteiro está presente na ação concentrado na pontinha do lápis, e a ponta do lápis funciona como uma ponte de comunicação entre o corpo e o papel ( Smole; Diniz; Cândido, 2000, p. 18) 
Para Ponso (2014) existe um mundo de formas, cores, borrões, círculos e objetos voadores em cada desenho de uma criança. 
Para compreendermos este mundo de imaginação, é preciso um olhar atento e conectado ao universo infantil. Diante do exposto é possível compreender que o desenho sempre será parte importante e fundamental na formação das crianças e na sua interação com o mundo. 
Ponso (2014) relata ainda, que: 
Quando a criança desenha algo incompreensível aos nossos olhos, não significa que sua produção não tenha infinitos significados. O processo de desenhar suas impressões à cerca dos objetos, sons e sensações possibilita uma intencionalidade de expressão perante o mundo que está descobrindo e desvendando dia após dia. (2014, p. 47) 
Na educação infantil o lúdico permeia todas as atividades da criança no instante em que está criando um desenho, toda a sua imaginação está voltada para aquela ação. Muitas vezes o ato de desenhar vem acompanhado por sons e movimentos corporais nos quais a criança integra suas percepções a cerca daquela criação. Portanto, é importante permitir este espaço e tempo de organização da criança ao sistematizar suas fantasias. 
 As cores e as formas estão presentes no cotidiano e a maneira como os adultos percebem é diferente da nossa maneira de ver e interpretar o mundo, com nossas classificações e estereótipos determinados. (Ponso, 2014)
Desenhar o que se ouve favorece uma série de conexões neurais que podem determinar relações entre imagem e som. O cérebro estabelece uma rede de conexões entre estímulos e respostas no momento em que algo novo se apresenta. (Sinclair 1990). Nesse processo de estimulação através dos sentidos, para que as conexões se estabeleçam, é necessário que a experiência vivida seja retomada posteriormente, ativando a percepção da região formada. 
Diante disso, apresentar canções com letra facilita a criação do desenho, pois as crianças da educação infantil privilegiam o texto para cria-lo. Desenhar ouvindo música na educação infantil favorece a integração e a percepção entre os sentidos, e assim, ocorre o desenvolvimento de forma integral. 
4 METODOLOGIA 
Este trabalho é uma pesquisa bibliográfica de abordagem qualitativa e caráter descritivo. A pesquisa colabora para o desenvolvimento de um pensamento critico, ampliando conceitos e entendimentos a partir padrões encontrados no decorrer do estudo sobre as artes plásticas na educação infantil. 
O problema de pesquisa é descobrir qual a importância das artes plásticas para a formação da criança na educação infantil? Para buscar a resolução deste problema é necessária a investigação e a criação de hipóteses. Como referem Ludke e André (1986) e Santos (1999, 2002) investigar é um esforço de elaborar conhecimento sobre aspectos da realidade na busca de soluções para os problemas expostos. Consideramos que, tal como Bell (1997), “uma investigação é conduzida para resolver problemas e para alargar conhecimentos sendo, portanto, um processo que tem por objetivo enriquecer o conhecimento já existente”.
 Tal como afirma Bogdan e Biklen (1994): 
(…) Os professores, ao agirem como investigadores, não só desempenham os seus deveres, mas também se observam a si próprios, dão um passo atrás e distanciam-se dos conflitos imediatos, tornam-se capazes de ganhar uma visão mais ampla do que se está a passar (p.286)
Os recursos utilizados para embasar a pesquisa, teoricamente, serão as referências bibliográficas e, tecnologicamente, será a internet. As obras que embasam esta pesquisa foram selecionadas pela pesquisadora por possuírem fortes argumentos e afirmações consistentes em relação ao tema investigado além é claro de possuírem concepções atualizadas. 
(...) A condição humana dá a todos nós a possibilidade de sermos pelo menos em alguma ocasião, professores de alguma coisa para alguém. Fernando Savater (2005). O presente estudo enquadra-se no propósito de contribuir como os educadores infantis para sanar dúvidas, referentes ao valor das artes plásticas na educação infantil para o processo de desenvolvimento integral da criança.
CONCLUSÃO
O presente estudo possibilitou, sem dúvidas a construção de conhecimentos muito importantes para a vida, enquanto profissional da educação que visa contribuir para o desenvolvimento de habilidades e competências que tornem as crianças cada dia mais criadoras e transformadoras no meio em que vivem. 
Os autores investigados e citados nesta produção são unânimes em reconhecer a importância do ensino das artes plásticas neste nível de ensino, uma vez que é nesta fase que as crianças estão formando personalidade e o senso estético faz parte de todos os aspectos de nossas vidas por isso a importância de formá-lo. 
Para compreendermos este mundo de imaginação, é preciso um olhar atento e conectado ao universo infantil. Diante do exposto é possível compreender que o desenho sempre será parte importante e fundamental na formação das crianças e na sua interação com o mundo. 
Portanto o estudo aponta como pertinente as artes plásticas na educação infantil, pois através dela a criança estabelece conexões com todas as áreas do conhecimento e desenvolve-se de forma integral.
REFERÊNCIAS
ALBINATTI, Maria Eugênia Castelo Branco. Artes visuais. Artes II. Belo Horizonte. 2008
BARBIERI, Stela. Interações: Onde está a arte na infância? São Paulo 2012. 
BARBOSA, Ana Mae (Org.) Inquietações e mudanças no ensino da arte. 2 ed. São Paulo: Cortez, 2003
 Bell, J. Como Realizar um Projeto de Investigação. Lisboa: Gradiva. 1997. 
BOGDAN, R.; BIKLEN, S. - Características da investigação qualitativa. In: Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto, Porto Editora, 1994. 
BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. Brasília: MEC/SEF, 1998.
BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.