Mecanismos_03
43 pág.

Mecanismos_03


DisciplinaMecanismos446 materiais1.548 seguidores
Pré-visualização12 páginas
para cada ponto da superfície desejada, 
essa ferramenta simulará o movimento do seguidor em relação a came. Deste modo, pode-se 
localizar com precisão um ponto na superfície da came. De acordo com Rothbart, às vezes, são 
necessários 15000 pontos com a precisão de ±0,010 mm. Depois de marcados todos os pontos, 
faz-se um acabamento manual com lima, seguido de um polimento com lixa de esmeril. 
3.14. Métodos de Produção de Cames. O método gráfico de projeto de cames é limitado 
para aplicações de baixa velocidade. A produção desse tipo de cames depende da precisão do 
desenho do perfil e do método utilizado seguir esse desenho como modelo. Em um extremo, o 
desenho da came é traçado em uma chapa de aço e a came recortado com uma serra fita. E 
outro extremo, a produção da came é feita com uma fresadora, cujo movimento da ferramenta é 
guiado por um traçador que se movimenta a partir de um desenho do perfil da came. O desenho 
sobre o qual o traçador se move pode ser feito em escala muitas vezes maior que o tamanho 
original da came de forma a melhorar a precisão da cópia. Em ambos os casos, o perfil da came 
deve receber acabamento manual. 
O projeto gráfico e o método resultante de produção não são suficientemente precisos para 
a produção de cames de alta velocidade. Por essa razão, a atenção tem se voltado para o 
projeto analítico de cames e para o método que este proporciona para a produção das cames. 
Se for possível calcular os deslocamentos do seguidor para pequenos incrementos de rotação 
da came, o perfil da came pode ser gerado em uma fresadora ou numa furadeira radial com a 
ferramenta assumindo o papel do seguidor. Se o seguidor for com rolete, o eixo da ferramenta 
de corte deverá ser perpendicular ao plano da came e o diâmetro da ferramenta deverá ter o 
mesmo diâmetro do rolete. Se o seguidor for de face plana, o eixo da ferramenta de corte deverá 
ser paralelo ao plano da came. Em cada caso, a ferramenta de corte deve atuar com o 
fornecimento da posição correta correspondente ao ângulo de rotação da came. Naturalmente, 
quanto menores os incrementos no ângulo de rotação da came, melhor será seu acabamento. 
Geralmente, são usados incrementos de 1°, o que deixa pequenos ressaltos no perfil da came 
que devem ser removidos manualmente. Máquinas automáticas controladas numericamente têm 
sido desenvolvidas para a usinagem de cames com precisão de frações de um grau, com 
avanços da ferramenta de corte da ordem de décimos ou centésimos de milímetro. Embora a 
máquina opere com avanços discretos, os avanços são tão pequenos que proporcionam a 
aparência de operação contínua. É esperado que o acabamento da superfície da came 
produzido por esse tipo de máquina tenha qualidade suficiente para eliminar a necessidade de 
acabamento manual. Esse tipo de máquina também produzirá cames com maior rapidez que 
uma furadeira radial, quando ambas estiverem utilizando o mesmo incremento de ângulo de 
rotação da came. 
Nas discussões precedentes, foi assumido que a came sendo gerada seria a came a ser 
utilizada na aplicação final. Quando muitas máquinas do mesmo modelo estão sendo produzidas 
e muitas cópias de uma came são necessárias, é geralmente mais prático gerar uma came 
modelo e usar esse modelo em uma máquina copiadora. A came modelo é freqüentemente 
fabricada em escala muitas vezes maior que o tamanho original. 
MECANISMOS CAPÍTULO 3 
75 
Problemas 
3.1. Uma came de disco girando no sentido horário aciona um seguidor radial de face 
plana segundo uma elevação total de 37,5mm, de acordo com os dados a seguir: 
Ângulo de rotação 
da came (graus) 
Elevação (mm) 
0 0,00 
30 2,50 
60 9,25 
90 18,75 
120 28,25 
150 35,00 
180 37,50 
210 35,00 
240 28,25 
270 18,75 
300 9,25 
330 2,50 
360 0,00 
Desenhe a came usando um raio mínimo de 25 mm. Determine o comprimento da face do 
seguidor (face simétrica). Depois de achar o comprimento da face, por tentativas, aumente 3 mm 
em cada extremidade para assegurar um contato adequado. 
3.2. Uma came de disco gira no sentido anti-horário, comandando um seguidor radial de 
rolete, segundo uma elevação total de 37,5 mm. Desenhe a came usando os dados de 
movimento do problema 3.1 e empregando um raio mínimo de 25 mm. O diâmetro do rolete 
deve ser 22 mm. Determine, por tentativas, o ângulo de pressão máximo e o local onde ocorre 
este ângulo. 
3.3. Uma came de disco girando no sentido horário comanda um seguidor de face plana 
deslocado segundo uma elevação total de 37,5 mm. Desenhe a came usando os dados de 
movimento do problema 3.1. A linha de centro do seguidor é deslocada de 12,5 mm para a 
esquerda, paralelamente à vertical que passa pelo centro da came. O raio mínimo da came deve 
ser 25 mm. Determine o comprimento da face do seguidor (face simétrica). Depois de 
determinar o comprimento da face, por tentativas, aumente 3 mm em cada extremidade para 
assegurar um contato adequado. 
3.4. Uma came de disco gira no sentido anti-horário e aciona um seguidor de rolete 
segundo uma elevação total de 37,5 mm. A linha de centro do seguidor é deslocada de 12,5 mm 
para a direita, paralelamente à vertical que passa pelo centro da came. O raio mínimo deve ser 
25 mm e o diâmetro do rolete, 22 mm. Desenhe a came empregando os dados de movimento do 
problema 3.1. Por tentativas determine o ângulo de pressão máximo durante os cursos de 
elevação e de retorno. 
3.5. Uma came de disco gira no sentido horário e aciona um seguidor oscilante de face 
plana segundo um ângulo de elevação total de 20°, de acordo com os dados a seguir. 
 
MECANISMOS CAPÍTULO 3 
76 
 
Ângulo de rotação 
da came (graus) 
Ângulo do 
seguidor (graus) 
0 0,0 
30 1,5 
60 5,5 
90 10,0 
120 14,5 
150 18,5 
180 20,0 
210 18,5 
240 14,5 
270 10,0 
300 5,5 
330 1,5 
360 0,0 
Desenhe a came usando um raio mínimo de 30 mm. O centro de rotação do seguidor deve estar 
a 80 mm à direita e na horizontal que passa pelo centro da came, semelhante à Fig. 3.3. A 
distância do centro do cubo do seguidor ao arco da escala de elevações angulares é de 70 mm. 
Determine o comprimento da face do seguidor. Depois de achar o comprimento da face, por 
tentativas, aumente 3 mm em cada extremidade para assegurar um contato adequado. 
3.6. Uma came de disco girando no sentido anti-horário aciona um seguidor oscilante de 
rolete segundo um ângulo de elevação total de 20°. Desenhe a came usando os dados de 
movimento do problema 3.5 e um raio mínimo de 25 mm. O centro do cubo do seguidor deve 
estar a 75 mm à direita e sobre a horizontal que passa pelo centro da came, semelhante à Fig. 
3.4. O diâmetro do rolete mede 19 mm e a distância entre o centro do cubo do seguidor e o 
centro do rolete é de 72 mm. Usando um furo de 16 mm, um cubo de 25 mm e um rasgo de 
chaveta de 5 x 5 mm, desenhe o resto do seguidor em proporções razoáveis. 
3.7. Uma came de retorno comandado gira no sentido horário e aciona um seguidor de 
face plana, tipo garfo, conforme mostrado na Fig. 3.5. Os dados para a elevação são os 
seguintes: 
Ângulo de rotação 
da came (graus) 
Elevação (mm) 
0 0,00 
30 1,27 
60 4,32 
90 9,65 
120 17,00 
150 23,40 
180 25,40 
Desenhe a came empregando um raio mínimo de 25 mm. Usando proporções razoáveis 
complete o esboço do seguidor. 
3.8. Uma came de retorno comandado gira no sentido anti-horário e aciona um seguidor, 
tipo garfo, de roletes. Desenhe a came empregando os dados de movimento do problema 3.7 
para a elevação. O raio mínimo deve ser 25 mm. O diâmetro dos roletes é de 19