A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
10 pág.
Resumo sobre a Tcc e a forma que de trabalho e sua eficácia22

Pré-visualização | Página 1 de 3

TERAPIA COGNITIVA COMPORTAMENTAL
INTRODUÇÃO:.
A terapia cognitiva tem a sua origem, assim como a terapia comportamental, nos Estados Unidos. Foi primeiramente desenvolvida por Aaron T. Beck, na década de 1960. Este teórico e terapeuta, da Universidade da Pensilvânia, tinha como objetivo elaborar uma prática terapêutica que fosse breve, com uma estrutura de sessões determinada, com foco no momento presente.
No começo de sua criação, Beck (1909) tratou especificamente do problema da depressão, com o intuito de possibilitar ao paciente depressivo uma forma de modificar os problemas atuais, alterando os pensamentos, sentimentos e comportamentos dentro do que idealizou modelo cognitivo comportamental,considerados problemáticos, centrada no processamento de informações desadapitativos,conhecida como a tríade de Beck ou tríade cognitiva negativa,que descreveu que é um estilo negativo em 3 domínios de si mesmo do mundo e do futuro:
Foco da terapia cognitivo comportamental:
È uma terapia voltada para o problema geralmente aplicada em formato de curto prazo,em alguns caso pode ser necessário extenção de algumas sessões,em média a duração de uma sessão é entre 45 a 50 minutos,a TCC concentra-se primordialmente no aqui agora,no entanto é essencial ter uma perspectiva longinitudial,incluindo a consideração do desenvolvimento da primeira infâcia,histórico familiar traumas experiências evolutivas positivas e negativas,educação história de trabalho e influencia sociais-para entender completamente o paciente e planejar o tratamento.È enfatizada uma abordagem voltada para o problema porque a atenção as questões atuais ajuda a estimular o desenvolvimento do plano de ação para combater os sintomas apresentados na queixa principal trazida pelo cliente,alem das respostas cognitivas e comportamentais a eventos recentes são mais acessíveis e verificáveis do que as reações a ocorrência no passado distante,um dos benefícios de trabalhar primordialmente no funcionamento é uma redução da dependência e da regressão no relacionamento terapêutico.
 
Modelo cognitivo
“TRÍADE COGNITIVA NEGATIVA BECK (1963-1964)
Caso Rosa:
Rosa apresenta um quadro de pensamento disfuncional,em função de estar sofrendo com o fim de um relacionamento.
Seus pensamentos faz com que ela avalie a perda e por isso acredita que não consiguirá viver sozoninha potencializando os pensamentos disfuncionais(maximizando o problema,(Avaliação cognitiva)
Automáticamente gera em rose um sentimento se sente deprimida,solitária,desesperançosa,raiva.(Emoção)
Na sequência constrói um comportamento de impotência diante dessa situação,não levantar da cama,não se sentir bem para fazer nada (comportamento)
 
O modelo cognitivo básico de TCC é um construto usado para ajudar os terapeutas a conceitualizarem problemas clínicos e implementarem métodos específicos,esse modelo é propositalmente simplificado para a relações entre pensamentos,emoções e comportamentos e para orientar as intervenções de tratamentos terapeutas incentivam o desenvolvimento e aplicação de processos conscientes adaptativos de pensamentos como pensamentos racional e solução de problemas,também dedica bastante esforço para ajudar os pacientes a reconhecer e mudar os pensamentos
Com o desenrolar do tempo, a terapia cognitiva foi sendo utilizada não só para casos de depressão, mas também para outras doenças mentais que o terapeuta encontra frequentemente em seu consultório como ansiedade, síndrome do pânico, fobia social, uso e abuso de substâncias (drogas), transtornos alimentares e problemas de relacionamento amoroso, estresse pós-traumático, transtornos de personalidade, dor crônica, hipocondriáse e esquizofrenia.
Embora tenha, portanto, extrapolado o objetivo inicial de Beck para o uso na depressão, a terapia cognitiva possui uma definição clara, independente do transtorno ou doença mental a ser tratada.
o modelo cognitivo propõe que o pensamento distorcido ou disfuncional (que influencia o humor e o comportamento do paciente) seja comum a todos os distúrbios psicológicos. A avaliação realista e a modificação no pensamento produzem uma melhora no humor e no comportamento. A melhora duradoura resulta da modificação das crenças disfuncionais básicas dos paciente.
Tendo por base os pressupostos do modelo cognitivo, outros teóricos e terapeutas ao redor do mundo, desde a década de 1960, tem elaborado desdobramentos que são importantes e que podem ser consideradas linhas da terapia cognitiva. 
O sucesso da terapia cognitiva reside na sua formulação e eficácia. Ela é singular no sentido de que é um sistema de psicoterapia com uma teoria da personalidade e da psicopatologia unificadas, apoiadas por evidências empíricas substanciais. Ela tem uma terapia operacionalizada com uma ampla gama de aplicações também apoiadas por dados empíricos, que são prontamente derivados da teoria. A terapia cognitiva tem por pressuposto um modelo de personalidade e um modelo a respeito das doenças mentais (pensamentos e comportamentos disfuncionais) que estão interligados e sustentam a prática para a mudança comportamental efetiva através de técnicas que foram comprovadas empiricamente, através de diversos testes e pesquisa.A terapia cognitiva vem se mostrando importante para diversos tratamentos e, o mais relevante, para pessoas de todas as idades, classes sociais, origem cultural, renda e educação, a partir do fato de que com um modelo de personalidade e um modelo a respeito das doenças mentais, o terapeuta vai utilizando de todas técnicas e ferramentas para modificar os pensamentos e sistemas de crenças do paciente, a fim de que ele consiga mudar.
o terapeuta cognitivo não diz o que o paciente deve pensar, dizer ou fazer, como se o terapeuta desse conselho,O que o terapeuta cognitivo faz é possibilitar ao paciente encontrar de forma bastante objetiva o seu problema comportamental no presente e junto, o pensamento disfuncional ou problemático que está dificultando, impossibilitando ou paralisando a ação que irá transformar o problema e acabar com ele.
 Caso Clínico por exemplo uma paciente, de 18 anos, universitária e que foi diagnosticada com depressão . Seu problema atual – naquela sessão – era estar precisando de um trabalho para se manter na faculdade. Com os sintomas da depressão, ela repetia um pensamento que era disfuncional: “Eu não serei capaz de lidar com um emprego”.
Como podemos imaginar, se ela mantivesse esse pensamento não só não iria procurar emprego, como não iria encontrar, nem teria como se manter. Por isso, o foco da sessão foi modificar o pensamento disfuncional através de perguntas diretas que a fizeram repensar a crença limitante. Confrontando o pensamento com a realidade atual e com o passado da paciente, a terapeuta consegue chegar ao final da sessão com a modificação deste pensamento e com a melhora na disposição para procurar e encontrar um trabalho.
PENSAMENTOS AUTOMÁTICOS:
São cognições que passam pelas nossas mentes quando estamos em meio as situações ou relembrando acontecimentos.Embora possamos estar subliminarmente,conscientes da presença de pensamentos automáticos,normalmente essas cognições não estão sujeitas a nalise racional cuidadosa.D . A .CLARK e seus colaboradores (1999)
ESQUEMAS:
Na teoria cognitivo-comportamental os esquemas são definidos como matrizes ou regras fundamentais para o processamento de informações que estão a baixo da camada superficial dos pensamentos automáticos,os esquems são princípios duradouros de pensamentos que começam a tomar forma no inicio da infância e são influenciados por uma infinidade experi~encia de vida incluindo os ensinamentos e modelo dos pais as atividades educativas formais e informais a experiência de seus pares,os tarumas e os sucessos,énecessário desenvolver esquemas para lidar com grandes quantidades de informações com as quais se deparam a cada dia e para tomar decisões oportunas e apropriadas. D. A .CLARK et al.(2003)
ESTRUTURAÇÃO;
Na TCC utiliza-se métodos de estruturação como o estabelecimento