Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
59 pág.
CAPACIDADE DE PRODUCAO 2

Pré-visualização | Página 1 de 5

*
Prof. : JOSÉ SARAIVA, M.Sc. 
Prof. : JOSÉ SARAIVA, M.Sc.
Planejamento da Capacidade de Produção 
Sistemas de Produção
Prof. : JOSÉ SARAIVA, M.Sc.
Prof. : JOSÉ SARAIVA, M.Sc. 
*
Prof. : JOSÉ SARAIVA, M.Sc. 
O que é Capacidade ?
O termo capacidade, mencionado isoladamente, está associado à idéia de competência, volume máximo ou quantidade máxima de “alguma coisa”.
Prof. : JOSÉ SARAIVA, M.Sc.
Prof. : JOSÉ SARAIVA, M.Sc.
*
Prof. : JOSÉ SARAIVA, M.Sc. 
O QUE SIGNIFICA CAPACIDADE DE PRODUÇÃO? 
O termo capacidade, conforme visto, considera o volume ou a quantidade máxima em condições fixas dos ativos ou instalações. Embora estas medidas possam ser úteis, e freqüentemente utilizadas pelos gestores de produção, é necessário também se conhecer a capacidade sob seu aspecto dinâmico. Para isto, deve ser adicionada a dimensão tempo a esta medida. 
Prof. : JOSÉ SARAIVA, M.Sc.
Prof. : JOSÉ SARAIVA, M.Sc.
*
Prof. : JOSÉ SARAIVA, M.Sc. 
EXEMPLO 
O cinema tem capacidade para 400 lugares, como cada seção de cinema dura cerca de duas horas, se for considerado o intervalo entre uma sessão e outra, verificar-se que o cinema pode “processar” 1.200 espectadores por dia de oito horas (realização de três sessões). 
Prof. : JOSÉ SARAIVA, M.Sc.
Prof. : JOSÉ SARAIVA, M.Sc.
*
Prof. : JOSÉ SARAIVA, M.Sc. 
CAPACIDADE DE PRODUÇÃO
Moreira(1998) chama de capacidade a quantidade máxima de produtos e serviços que podem ser produzidos numa unidade produtiva, num dado intervalo de tempo. 
Stevenson (2001) considera que a capacidade se refere a um limite superior ou teto de carga que uma unidade operacional pode suportar. A unidade operacional pode ser uma fábrica, um departamento, uma loja ou um funcionário.
Prof. : JOSÉ SARAIVA, M.Sc.
Prof. : JOSÉ SARAIVA, M.Sc.
*
Prof. : JOSÉ SARAIVA, M.Sc. 
CAPACIDADE DE PRODUÇÃO
Slack et al (2002) definem capacidade de produção como sendo o máximo nível de atividade de valor adicionado em determinado período de tempo que o processo pode realizar sob condições normais de operação. 
Os pontos máximos convergentes das definições são representados: pela quantidade máxima que pode ser produzida por unidade produtiva ( que pode ser a empresa toda ou uma única máquina ou funcionário) em um intervalo de tempo fixo. 
Prof. : JOSÉ SARAIVA, M.Sc.
Prof. : JOSÉ SARAIVA, M.Sc.
*
Prof. : JOSÉ SARAIVA, M.Sc. 
Prof. : JOSÉ SARAIVA, M.Sc. 
MEDIDAS DE CAPACIDADE
Prof. : JOSÉ SARAIVA, M.Sc. 
*
Prof. : JOSÉ SARAIVA, M.Sc. 
Prof. : JOSÉ SARAIVA, M.Sc. 
TIPOS DE CAPACIDADE
O conceito de capacidade deve ser estratificado em outras definições mais específicas e de maior grau de utilidade para seu planejamento. 
Prof. : JOSÉ SARAIVA, M.Sc. 
*
Prof. : JOSÉ SARAIVA, M.Sc. 
Prof. : JOSÉ SARAIVA, M.Sc. 
Capacidade instalada
É a capacidade máxima que uma unidade produtora pode produzir se trabalhar ininterruptamente, sem que seja considerada nenhuma perda. Em outras palavras, é a produção que poderia ser obtida em uma unidade fabril trabalhando 24 horas por dia, todos os dias da semana e todos os dias do mês, sem necessidade de parada, de manutenções, sem perdas por dificuldades de programação, falta de material ou outros motivos que são comuns em uma unidade produtiva. 
Prof. : JOSÉ SARAIVA, M.Sc. 
*
Prof. : JOSÉ SARAIVA, M.Sc. 
Prof. : JOSÉ SARAIVA, M.Sc. 
EXEMPLO 
Uma empresa do ramo alimentício tem capacidade de produzir, em um forno contínuo, duas toneladas de biscoito por hora. Qual é a capacidade mensal desta empresa ?
Resposta: Capacidade instalada = 30 dias x 24 horas x 2 toneladas por hora = 1.440 toneladas de biscoitos por mês. 
Neste caso, a unidade de medida da capacidade pode ser em tempo horas de forno disponíveis) ou em quantidade (toneladas de biscoito produzidas). 
Prof. : JOSÉ SARAIVA, M.Sc. 
*
Prof. : JOSÉ SARAIVA, M.Sc. 
Prof. : JOSÉ SARAIVA, M.Sc. 
Capacidade disponível 
ou de projeto
É a quantidade máxima que uma unidade produtiva pode produzir durante a jornada de trabalho disponível, sem levar em consideração qualquer tipo de perda. A capacidade disponível, via de regra, é considerada em função da jornada de trabalho que a empresa adota. 
Prof. : JOSÉ SARAIVA, M.Sc. 
*
Prof. : JOSÉ SARAIVA, M.Sc. 
Prof. : JOSÉ SARAIVA, M.Sc. 
EXEMPLO 
O fabricante de biscoitos do exemplo anterior, com 720 horas mensais de capacidade instalada, pode trabalhar:
um turno: um turno diário, com oito horas de duração, cinco dias por semana. Neste caso, a capacidade disponível será de 8 x 5 x 4 = 160 horas mensais;
dois turnos: dois turnos diários, com oito horas de duração cada um, cinco dias por semana. Neste caso, a capacidade disponível será de 2 x (8 x 5 x 4) = 320 horas mensais;
três turnos: três turnos diários, com oito horas de duração cada um, cinco dias por semana. Neste caso, a capacidade disponível será de 3 x (8 x 5 x 4) = 480 horas mensais;
Prof. : JOSÉ SARAIVA, M.Sc. 
*
Prof. : JOSÉ SARAIVA, M.Sc. 
Prof. : JOSÉ SARAIVA, M.Sc. 
EXEMPLO 
quatro turnos: três turnos diários, com oito horas de duração cada um, sete dias por semana (há quatro equipes que se intercalam para garantir o funcionamento ininterrupto, respeitando o descanso semanal de todos os funcionários). Neste caso, a capacidade disponível será de 3 x (8 x 7 x 4) = 672 horas mensais. Observe que o valor não atingiu 720 horas, pois estamos considerando um mês composto por quatro semanas o que representa 28 dias, por facilidade de cálculo;
realização de horas-extras: qualquer hora trabalhada além da jornada normal de trabalho, considera hora extra e é somada à capacidade disponível. 
Prof. : JOSÉ SARAIVA, M.Sc. 
*
Prof. : JOSÉ SARAIVA, M.Sc. 
Prof. : JOSÉ SARAIVA, M.Sc. 
AUMENTO DA CAPACIDADE 
Existem duas formas de aumentar a capacidade disponível:
aumento da capacidade instalada: consiste em aumentar a quantidade de máquinas, adquirir máquinas com maior capacidade de produção, enfim, na expansão da planta industrial. Desta forma, com a mesma jornada de trabalho, a empresa pode produzir mais. O custo da mão-de-obra, em apenas um turno de trabalho, é menor, porém investimentos na planta industrial representam custos fixos geralmente elevados;
aumento de turnos de trabalho: o custo da mão-de-obra aumenta quando se aumentam os turnos de trabalho em função da necessidade de pagamento de “adicional noturno”, necessidade de transporte durante a madrugada para os funcionários, necessidade de mão-de-obra indireta para a supervisão dos turnos e assim por diante. Porém, trata-se de um custo variável.
Prof. : JOSÉ SARAIVA, M.Sc. 
*
Prof. : JOSÉ SARAIVA, M.Sc. 
Prof. : JOSÉ SARAIVA, M.Sc. 
AUMENTO DA CAPACIDADE 
 Quando se opera próximo aos níveis máximos de capacidade disponível, a empresa corre sério risco de faturar mais, porém com menores resultados ou até prejuízo. Por que isto acontece? Porquê os custos de produção aumentam. Não se trata apenas de custos de pagamento com horas-extras, adicional noturno e aumento do overhead, acumulam-se os custos da falta de produtividade e qualidade, em um fenômeno que é conhecido como “deseconomia de escala”. 
Prof. : JOSÉ SARAIVA, M.Sc. 
*
Prof. : JOSÉ SARAIVA, M.Sc. 
Prof. : JOSÉ SARAIVA, M.Sc. 
AUMENTO DA CAPACIDADE 
O aumento da capacidade instalada pela expansão do parque instalado é recomendado quando houver demanda de mercado a continuar em crescimento e não haverá ociosidade deste investimento, o aumento de capacidade por meio da adoção de mais jornadas de trabalho pode ser mais interessante quando os investimentos em equipamentos forem elevados e não houver certeza do comportamento da demanda. 
Prof. : JOSÉ SARAIVA, M.Sc. 
*
Prof. : JOSÉ SARAIVA, M.Sc. 
Prof. : JOSÉ SARAIVA, M.Sc. 
Grau de disponibilidade
A capacidade instalada e a capacidade disponível permitem a formação de um índice, denominado grau de disponibilidade. Que indica, em percentual, quanto uma unidade
Página12345