RESUMO GERAL DIREITO EMPRESARIAL
39 pág.

RESUMO GERAL DIREITO EMPRESARIAL


DisciplinaDireito Empresarial I21.267 materiais91.696 seguidores
Pré-visualização6 páginas
DIREITO EMPRESARIAL
Empresário individual
Todos os bens respondem.
PF\ufffd que decide abrir uma empresa, mas não tem sócio. A empresa pode ser:
Registrada (regular) \u2013 na Junta Comercial, ao ser registrada não adquire personalidade jurídica, ela é PF mas tem CNPJ para fins tributários.
Não registrada (irregular)
Todos os bens respondem pela dívida.
Requisitos (art. 972 CC)
Capacidade
Livre de impedimentos
Capacidade
Incapaz (arts. 974 e 976 CC)
Não pode começar uma empresa;
O incapaz pode continuar atividade empresarial.
					Herança
Continuar em virtude de
					Incapacidade superveniente\ufffd
Para que o incapaz continue a atividade é necessário autorização judicial.
Os bens do incapaz que não tem relação com a atividade empresarial não são atingidos pelas dívidas da empresa.
Ex: incapaz herdou 		$ poupança
				Imóvel praia (família)
				Caminhão usado pela empresa
Obs. $ e imóvel serão protegidos (não tem relação com a empresa).
Se o juiz autorizar o incapaz será assistido (relativamente incapaz) ou representado (absolutamente incapaz).
Incapaz pode ser sócio de empresa?
Resp. (art. 974, §3 CC) Pode desde que respeitado três requisitos:
Representado / assistido
Não pode ser administrador
Capital social estiver totalmente integralizado (valor está totalmente na empresa)
Livre de Impedimentos 
É vedado 				Responde pelas suas 
ou proibido				obrigações
Temos 2 impedimentos:
Servidor público - ex: juiz, delegado, MP \u2013 não pode:
Ser empresário individual
Ser administrador de uma sociedade
Obs. Pode ser sócio art.117,X lei 8112/90.
Falido \u2013 desde que:
Se não houver condenação por crime falimentar = Prazo 5 anos a contar do encerramento da falência
Se houver condenação por crime falimentar = Prazo 10 anos a contar do encerramento da falência.
Não é automático, precisa de declaração do juiz para deixar de ser impedido (art. 158 e 176 lei 11.101/05).
Empresa individual de responsabilidade limitada
			(EIRELI)
Arts. 980-A , 44 e 1033 CC.
Titular \u2013 aparentemente pode ser PF ou PJ.
O titular pode exercer sua atividade de forma regular que pode ser:
Atividade empresarial \u2013 é registrado na Junta Comercial.
Atividade não empresarial \u2013 (ex: profissional liberal, dentista) é registrado no Cartório de Registro Civil de Pessoa Juridica).
Não pode ser de forma irregular, pois este instituto protege o patrimônio.
Se de forma regular (registrada) constitui personalidade jurídica, temos: patrimônio da PJ e patrimônio da PF.
Credor: cobra 1º EIRELI (empresa) e em 2º se houver a desconsideração da personalidade jurídica (art. 50 NCC) será admitido atingir o patrimônio do titular.
Constituição EIRELI
Capital social de no mínimo de 100 salários mínimos.
Registro
(arts. 5, 6, 29, e 32 lei 8934/94 e art. 967 a 969 CC)
Existe 2 órgãos:
DNRC (Departamento Nacional de Registro Comercial)
É um órgão federal, que regulamenta e fiscaliza a atividade da junta comercial.
Junta comercial \u2013 atribuição estadual.
Ex: sede SP e estado SP \u2013 registro na Junta comercial de São Paulo.
Ex: Filial Santos e estado de SP \u2013 filial mesmo estado faz averbação (alteração ou inclusão) no local de registro da sede \u2013 no caso SP.
Ex: Filial em Goiânia / GO - outro estado (sede diferente) é necessário:
Averbação no registro de origem SP (sede)
Novo registro na junta comercial de GO.
Funções da junta comercial
Arquivamento \u2013 (registro / averbação)
É público, ou seja, qualquer pessoa que pedir a certidão terá acesso as informações (art.29, lei).
Autenticação \u2013 livros em regra são sigilosos.
Não confirma a veracidade dos escritos (presunção é relativa).
O livro permanece na empresa.
Os livros autenticados em regra são sigilosos.
Exceção:
Fisco
Para ter acesso é necessário exibição judicial do livro (ex: inventário, ação cobrança) é necessário ter justo interesse, motivo.
Estabelecimento
(arts. 1142 e ss CC).
Conceito: conjunto de bens que são utilizados pela atividade empresarial.
			Materiais 	imateriais ex: marca (INPI), patente, nome empresarial \u2013 é registrado na junta comercial.
Título estabelecimento (nome fantasia) \u2013 aparece na placa ex: Mc Donalds, Damásio.
Ponto comercial \u2013 local onde exerce a atividade \u201creferência\u201d \u2013 valor agregado ao espaço. Não é imóvel.
Negociação do estabelecimento
O estabelecimento pode ser:
Arrendado
Usufruto
Alienado (vendido) \u2013 é a venda do todo, muda de dono.
Alienação do estabelecimento também chamada de TRESPASSE (venda do todo).
Trespasse
Responsabilidade pelas dívidas contraídas antes do trespasse.
O adquirente/comprador \u2013 responde somente pelas dívidas contabilizadas, é aquelas descritas nos livros contábeis.
Dívidas tributárias \u2013 art.133 CTN.
Alienante / antigo dono \u2013 é solidariamente responsável ao adquirente por 1 ano (art. 1146 CC) a contar:
Dívidas vencidas \u2013 a contar da publicação do trespasse.
Dívidas vincendas \u2013 a contar do vencimento da dívida.
Não concorrência
Regra: Vale o prazo estipulado no contrato.
Se o contrato for omisso: Prazo de 5 anos.
Concordância dos credores \u2013 não é sempre necessário, salvo se o alienante não tiver bens suficientes para saldar as dívidas (art.1145 CC).
Os credores são notificados (todos)
30 dias para concordar tacitamente/expressamente
Credor 		Não notificado
				ou
			Notificado, não concordou
Art. 94, III, \u201cc\u201d lei 11.101/05 \u2013 esse credor pode requerer a falência do alienante.
Se for declarar a falência do alienante (art. 129, 11.101/05) o trespasse será ineficaz perante a massa:
A venda deixou de existir, ou seja, pode ser atingida pela massa.
O adquirente pode se habilitar na falência, como credor quirografário.
03/04/2012
Propriedade Industrial (lei 9272/96)
Órgão competente: INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial) é uma autarquia federal.
Patente \u2013 produto /aplicação industrial (produzida em série/escala industrial).
Visa exclusividade de exploração \u2013 pode explorar sozinha (cobrar quanto quiser).
Requisitos para conceder a exclusividade de exploração (art. 8 ao 11 e art 18, lei):
Novidade (oposto de estado de técnica \u2013 art. 11, se um grupo de pessoa conhece o produto).
Não pode ser patenteado o que estiver em estado de técnica.
Atividade inventiva (atividade humana) 
Aplicação industrial 
Art. 10 e 18, traz rol de bens que não são patenteáveis:
Abstrato (valor pela criação intelectual, atividade intelectual ex: tese cientifica, método de diagnóstico, ex: programa de computador),
Ser vivo de forma geral \u2013 pessoa, bicho, planta.
Exceção:
É ser vivo, mas é objeto de patente:
Microorganismos transgênicos.
Espécies (art. 9 e 40)
Patente de invenção \u2013 é absolutamente novo (não existe no mercado). 
Prazo da exclusividade \u2013 20 anos a contar do depósito (momento em que deu entrada no pedido).
Patente de utilidade \u2013 é melhoria de algo que já existe.
Prazo da exclusividade \u2013 15 anos a contar do depósito.
O prazo de exclusividade não são passiveis de prorrogação, após o prazo qualquer um pode explorar, pois já caiu em domínio público.
Licença
Continua sendo dona da patente, mas permite a utilização por outrem. A exploração com exclusividade não é absoluta.
Voluntária \u2013 acordo entre as partes.
Compulsória (obrigatoriedade \u2013 art. 68 e ss, lei) \u2013 o proprietário concede obrigatoriamente quando:
Emergência nacional
Interesse público
Poder executivo federal.
Não visa concorrência, a questão é muito maior do que o ganho (lucro).
Marca \u2013 sinal visual, nome, logotipo, desenho, personagem, figura.
Para ter uma marca é necessário a concessão do INPI.
Requisitos da Marca , são cumulativos (art. 122 a 126, lei)
Novidade relativa \u2013 diz respeito quanto a proteção no ramo/classe.
Ex: marca bandeirantes
Rafaela
Rafaela fez um comentário
teria como vc me mandar por email?rafaelamendes.goncalves
0 aprovações
Junior
Junior fez um comentário
gostei
0 aprovações
Carregar mais