introdução à disciplina_diamica
59 pág.

introdução à disciplina_diamica


DisciplinaDinâmica dos Seres Vivos e Ambiente7 materiais71 seguidores
Pré-visualização4 páginas
eficientes - 
sobre outros microorganismos, naturalmente. 
Os diferentes papéis nos sistemas ecológicos 
A integridade do habitat de floresta de kelp depende da presença de 
lontras marinhas. A floresta de kelp provê área de alimentação e refúgio 
para muitas espécies de peixes e invertebrados. As lontras marinhas 
comem ouriços que de outra forma destruiriam as kelps jovens. 
Os diferentes papéis nos sistemas ecológicos 
Bactérias - têm uma ampla variedade de mecanismos bioquímicos 
para as transformações energéticas 
São os especialistas bioquímicos do ecossistema. 
 
Consiste numa célula simples e única, sem um núcleo e cromossomos 
para organizar o seu DNA. 
 
No entanto, a enorme quantidade de capacidades metabólicas 
das bactérias as capacita a executar muitas transformações 
bioquímicas únicas. 
 
Ex: Assimilar o nitrogênio (sintetizar proteínas e ácidos 
nucléicos) 
 
Usar compostos inorgânicos como o sulfeto de hidrogênio (H2S) 
como fonte de energia. 
 
Muitas bactérias vivem sob condições anaeróbicas. 
Os diferentes papéis nos sistemas ecológicos 
As bactérias são distinguidas por suas estruturas simples. Elas não 
apresentam membranas e organelas intracelulares. Esta bactéria Salmonella 
typhimurium, que é parasita de intestino de muitos animais, foi fotografada no 
ato de divisão. O material consistente de cor laranja no centro das células é o 
DNA. O aumento é de cerca de 15.000 vezes. 
Muitos tipos de organismo cooperam na Natureza 
Devido a cada tipo de organismo ser especializado numa forma particular 
de vida, não causa surpresa que haja muitos tipos diferentes de 
organismos que vivem juntos em associação próxima, formando uma 
simbiose. 
 
Nestas relações, cada parceiro proporciona algo que o outro não 
possui. 
 
Alguns exemplos familiares incluem os liquens, que compreendem um 
fungo e uma alga num único organismo (l Fig. 1.11); as bactérias que 
fermentam material vegetal nos intestinos das vacas; 
 
 
Um líquen é uma associação simbiótica de 
um fungo e uma alga verde. Foto de R. E. 
Ricklefs 
Muitos tipos de organismo cooperam na Natureza 
Componentes dos ecossistemas 
 
\u2022 Abióticos (não-vivos) e bióticos (vivos). 
 
\u2022 Deste ponto de vista ele ainda pode ser definido como 
sendo \u201ccomplexo de organismos interagindo com seu 
ambiente abiótico\u201d. 
 
\u2022 Os sistemas ecológicos são governados por princípios 
gerais físicos, químicos e biológicos 
\u2022 Ao longo de suas vidas os organismos transformam 
energia e processam materiais. 
 
\u2022 Para tal necessitam de energia e nutrientes de seus 
arredores e depois se livram dos rejeitos indesejados. 
 
\u2022 Fazendo isso mudam o ambiente e os recursos 
energéticos para outros organismos, contribuindo para o 
fluxo de energia e para o ciclo de elementos no mundo 
natural. 
\u2022 Dois dos principais fatores abióticos dos ecossistemas 
são o fluxo energético e o ciclo biogeoquímico. 
 
\u2022 O ciclo biogeoquímico segue o fluxo energético dos 
componentes bióticos dos ecossistemas ao longo das 
cadeias alimentares (produtores \u2192 consumidores \u2192 
decompositores \u2192 produtores \u2192...). 
\u2022Entende-se por energia como a capacidade de realizar 
trabalho (Odum 1988, Raven et al. 2001). 
 
Para se compreender como a energia flui ao longo dos 
componentes de um ecossistema é necessário conhecer 
duas leis relacionadas a esse fenômeno: As Leis da 
termodinâmica. 
 
\u20221ª Lei da Termodinâmica ou Lei da conservação da 
energia 
A energia pode ser transformada de um tipo em outro, 
mas não pode ser criada ou destruída. 
\u2022 2ª Lei da Termodinâmica ou Lei da entropia 
 Nenhum processo que implique uma transformação de 
energia ocorrerá espontaneamente, a menos que haja uma 
degradação da energia de uma forma concentrada para 
uma forma dispersa. Ex: Calor de um objeto 
quente para um frio (nunca o inverso). 
\u2022 Uma população consiste em muitos organismos da mesma 
espécie vivendo juntos. 
 
\u2022 Diferem-se dos organismos porque possuem capacidade 
de permanecer na biosfera indeterminadamente pelo 
fato de novos indivíduos substituírem aqueles que 
morrem. 
 
\u2022 Propriedades das populações: Fronteiras geográficas, 
densidades, e variações no tamanho e composição. Ex.: 
Respostas evolutivas às mudanças ambientais. 
\u2022 O mundo natural pode variar de acordo como tempo e 
espaço. 
 
\u2022 A forma como os organismos e suas populações 
respondem às modificações nos seus ambientes 
depende da variação em escala temporal. 
 
\u2022 Cada organismo responde de uma determinada forma frente a 
uma certa variação de tempo. 
\u2013 variações climáticas ao longo do anos; 
\u2013 duração dos dias e das noites, 
\u2013 período seco e chuvoso, etc. 
 
\u2022 Os ecossistemas diferem de lugar para lugar em função 
de variações no clima, topografia, tipo de solo, 
vegetação, atividade de animais, etc. 
 
\u2022 Assim, os organismos podem também responder à 
determinadas variações em escala espacial. 
 
\u2022 Permanência de determinado organismo em um dado 
período e lugar está condicionada a sua adaptação 
(Pires-O\u2019Brien & O\u2019Brien 1995). 
\u2022 Muitas populações de diferentes tipos que vivem no 
mesmo local forma uma comunidade ecológica, que 
interagem de várias formas. 
 
\u2022 As interações dentro da comunidade se processam 
pelas relações bióticas que vão definir o número de 
indivíduos em uma população. 
 
\u2022 Em ecologia estuda-se além das interações, as 
adaptações dos organismos ao seu meio ambiente. 
 
\u2022 As adaptações são modificações de estrutura e de 
função que melhor ajustam o organismo para viver em 
seu ambiente e são resultados das mudanças 
evolutivas feitas pela seleção natural. 
\u2022 Adaptação está relacionada com a produção de caracteres ou 
combinação de caracteres superiores, voltados à sobrevivência do 
indivíduo e ao seu sucesso reprodutivo. 
 
\u2022 A seleção é o processo que leva à adaptação dos organismos em um 
determinado local em um espaço de tempo. E quando se fala em 
adaptação, seleção natural, ambiente, etc. estamos falando em 
evolução. 
Darwin Wallace 
Diversidade Biológica ou biodiversidade é um termo 
lançado por Wilson e Peter (1988), segundo o art. 2º da 
Convenção da Diversidade Biológica é definida como \u201ca 
variabilidade entre organismos vivos de qualquer origem 
incluindo, entre outros, ecossistemas terrestres, marinhos 
e outros ecossistemas aquáticos, e os complexos ecológicos 
de que fazem parte; isto inclui diversidade dentro de 
espécies, entre espécies e de ecossistemas\u201d. 
Diversidade dentro de espécies: 
abrange toda a variação entre indivíduos 
de uma população, bem como entre 
populações espacialmente distintas da 
mesma espécie. Equivalente a diversidade 
genética. 
Diversidade entre espécies: variedade de espécies 
existentes em algum tipo de ambiente ou em uma região 
definida, de tamanho maior ou maior. 
Diversidade de ecossistemas: está correlacionada com a 
diversidade de fisionomias de vegetação, de paisagens ou 
de biomas. 
Reino Brasil Mundo 
Vírus 250-400 3.600 
Monera 1.100-1.350 4.760 
Fungi 12.500-13.500 70.500-72.000 
Stramenopila 141 760 
Protista 7.000-9.900 75.300 
Plantae 45.300-49.500 264.000-279.400 
Animalia 113.000-151.000 1.287.000-1.330.000 
Invertebrados 107.000-145.000 1.236.000-1.287.000 
Cordados 6.200 41.400-42.200 
Total 179.000-226.000 1.706.000-1.766.000 
Tabela 1: Estimativa de espécies conhecidas no Brasil 
Fonte: Lewinsohn e Prado (2004) 
Classificação 
 
Sendo o mundo vivo constituído por uma enorme variedade 
de organismos, para estudar e compreender tamanha 
variedade, foi necessário agrupar os organismos de acordo 
com as suas características comuns, ou seja, classifica-los. 
Lineu Aristóteles Teofrastus 
O que é a sistemática?