METODOLOGIA_DA_PESQUISA
119 pág.

METODOLOGIA_DA_PESQUISA


DisciplinaAdministração de Recursos Humanos I12.806 materiais137.490 seguidores
Pré-visualização22 páginas
com o problema, com vistas a torná-lo mais explícito ou 
a constituir hipóteses. [...] seu planejamento é, portanto, bastante flexível, 
de modo que possibilite a consideração dos mais variados aspectos 
relativos ao fato estudado. Na maioria dos casos, essas envolvem: 
levantamento bibliográfico; entrevistas com pessoas que tiveram 
experiências práticas com o problema pesquisado; análise de exemplos 
que estimulem a compreensão 
 
3.1.2.1.2 PESQUISAS DESCRITIVAS 
 
Para Gil (2002, p. 42) \u201cas pesquisas descritivas têm como objetivo primordial a 
descrição das características de determinada população ou fenômeno ou, então, o 
estabelecimento de relações entre variáveis\u201d. 
 
 
21 
 
 
Metodologia da Pesquisa 
 
3.1.2.1.3 PESQUISAS EXPLICATIVAS 
 
Segundo Gil (2002, p. 42): 
 
essas pesquisas têm como preocupação central identificar os fatores que 
determinam ou que contribuem para a ocorrência dos fenômenos. Este é o 
tipo de pesquisa que mais aprofunda o conhecimento da realidade, porque 
explica a razão, o porquê das coisas. Por isso mesmo, é o tipo mais 
complexo e delicado, já que o risco de cometer erros aumenta 
consideravelmente. 
 
3.1.2.2 COM BASE NOS PROCEDIMENTOS TÉCNICOS 
 
3.1.2.2.1 PESQUISA BIBLIOGRÁFICA 
 
Para Gil (2002, p. 44): 
 
a pesquisa bibliográfica é desenvolvida com base em material já elaborado, 
constituído principalmente de livros e artigos científicos. Embora quase em 
todos os estudos seja exigido algum tipo de trabalho dessa natureza, há 
pesquisas desenvolvidas exclusivamente a partir de fontes bibliográficas. 
 
3.1.2.2.2 PESQUISA DOCUMENTAL 
 
Para Gil (2002, p. 45) \u201ca pesquisa documental vale-se de materiais que não 
receberam ainda um tratamento analítico, ou que ainda podem ser reelaborados de 
acordo com os objetivos da pesquisa\u201d. 
 
3.1.2.2.3 PESQUISA EXPERIMENTAL 
 
De acordo Gil (2002, p. 47) \u201ca pesquisa experimental consiste em determinar um 
objeto de estudo, selecionar as variáveis que seriam capazes de influenciá-lo, definir 
as formas de controle e de observação dos efeitos que a variável produz no objeto\u201d. 
 
 
 
 
22 
 
 
Metodologia da Pesquisa 
 
3.1.2.2.4 PESQUISA EX-POST FACTO 
 
\u201cPesquisa ex-post facto consiste em pesquisar o estudo realizado após a ocorrência 
de variações na variável dependente no curso natural dos acontecimentos (GIL, 
2002, p. 49)\u201d. 
 
3.1.2.2.5 PESQUISA DE LEVANTAMENTO 
 
Para Gil (2002, p. 50): 
 
As pesquisas de levantamento caracterizam-se pela interrogação direta das 
pessoas cujo comportamento se deseja conhecer. Basicamente, procede-se 
à solicitação de informações a um grupo significativo de pessoas acerca do 
problema estudado para, em seguida, mediante análise quantitativa, 
obterem-se as conclusões correspondentes aos dados coletados. 
 
3.1.2.2.6 PESQUISA DE CAMPO 
 
Gil (2002, p. 52) conceitua pesquisa de campo como: 
 
[...] tipicamente, o estudo de campo focaliza uma comunidade, que não é 
necessariamente geográfica, já que pode ser uma comunidade de trabalho, 
de estudo, de lazer ou voltada para qualquer outra atividade humana. 
Basicamente, a pesquisa é desenvolvida por meio da observação direta 
com a situação de estudo. Também se exige do pesquisador que 
permaneça o maior tempo possível na comunidade, pois somente com essa 
imersão na realidade é que se pode entender as regras, os costumes e as 
convenções que regem o grupo estudado. 
 
3.1.2.2.7 ESTUDO DE CASO 
 
\u201cEstudo de caso consiste no estudo profundo e exaustivo de um ou poucos objetos, 
de maneira que permita seu amplo e detalhado conhecimento, tarefa praticamente 
impossível mediante outros delineamentos já considerados (GIL, 2002, p. 54)\u201d. 
 
3.1.2.2.8 PESQUISA-AÇÃO 
 
Alicerçado na definição de pesquisa-ação formulada por Thiollent (apud GIL, 2002, 
p. 55), tem-se: 
23 
 
 
Metodologia da Pesquisa 
 
 
[...] um tipo de pesquisa social com base empírica que é concebida e 
realizada em estreita associação com uma ação ou com a resolução de um 
problema coletivo e no qual os pesquisadores e participantes 
representativos da situação ou do problema estão envolvidos de modo 
cooperativo ou participativo. 
 
3.1.2.2.9 PESQUISA PARTICIPANTE 
 
Para Gil (2002, p. 55): 
é a pesquisa que caracteriza-se pela interação entre pesquisadores e 
membros das situações investigadas. [...] mostra-se bastante 
comprometida com a minimização da relação entre dirigentes e dirigidos e 
por essa razão tem-se voltado sobretudo para a investigação junto a 
grupos desfavorecidos, tais como os operários, camponeses, agricultores e 
índios. 
 
Segundo Andrade (2001, p. 123), a pesquisa pode se classificar quanto à forma de 
abordagem em: 
 
1) Pesquisa quantitativa 
\u2013 Traduz em números as opiniões e informações para serem classificadas e 
analisadas; 
\u2013 Utilizam-se técnicas estatísticas. 
Os dados quantitativos são os números, como idade, metros, altura, peso, etc... 
 
Para Richardson (1999, p. 70), 
 
A abordagem quantitativa caracteriza-se pelo emprego da quantificação 
tanto nas modalidades de coleta de informações, quanto no tratamento 
delas por meio de técnicas estatísticas, desde as mais simples como 
percentual, média, desvio-padrão, às mais complexas, como coeficiente de 
correlação, análise de regressão etc. 
 
2) Pesquisa qualitativa 
\u2013 É descritiva; 
\u2013 As informações obtidas não podem ser quantificáveis; 
\u2013 Os dados obtidos são analisados indutivamente; 
\u2013 A interpretação dos fenômenos e a atribuição de significados são básicas 
no processo de pesquisa qualitativa. 
24 
 
 
Metodologia da Pesquisa 
 
Para Richardson (1999, p. 70), 
 
Dado qualitativo representa a intenção de garantir a precisão dos 
resultados, evitar distorções de análise e interpretação, possibilitando, 
conseqüentemente, uma margem de segurança quanto as inferências. É 
freqüentemente aplicado nos estudos descritivos. 
 
As qualitativas são características não quantificáveis como cor dos olhos, sexo, 
aquelas perguntas com respostas múltiplas. 
 
E mais, uma variável qualitativa pode ter dados estatísticos, quando tem um monte 
de respostas, mas ela não deixa de ser qualitativa. 
 
3.2 PLANEJAMENTO DA PESQUISA 
 
De acordo com Andrade (2001, p. 140) uma pesquisa não pode ser realizada sem 
um planejamento prévio, detalhado, de todas suas etapas. 
 
O planejamento geral engloba a parte teórica e a coleta de dados ou execução da 
pesquisa. De modo geral, o esquema do planejamento de pesquisa inicia-se pela 
parte teórica, para depois elaborar-se um plano da coleta de dados: 
 
3.3 ETAPAS DA PESQUISA 
 
1. Escolha do tema; 
2. Delimitação do assunto; 
3. Levantamento bibliográfico ou revisão da bibliografia; 
4. Formulação do problema; 
5. Construção das hipóteses; 
6. Indicação das variáveis; 
7. Delimitação do universo (amostragem); 
8. Seleção dos métodos e técnicas; 
9. Construção dos instrumentos da pesquisa; 
10.Teste dos instrumentos e procedimentos metodológicos. 
25 
 
 
Metodologia da Pesquisa 
 
3.4 FASES DA PESQUISA 
 
3.4.1 ESCOLHA DO TEMA 
 
1. Antes deve-se pesquisar a acessibilidade a uma bibliografia sobre o assunto, 
pois todo trabalho baseia-se, principalmente, na pesquisa bibliográfica, a qual dá 
fundamentação teórica. 
2. Verificar a relevância, a possibilidade de desenvolver bem o assunto, dentro dos 
prazos estipulados. 
3. Escolhido o tema, faz necessário delimitá-lo, ou seja definir sua extensão e 
profundidade, o tipo de abordagem. Por exemplo: se escolhido o tema \u2013 \u201cEvasão 
escolar\u201d \u2013 torna-se necessário especificar: 
Onde? (Estado; determinada região;