A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1 pág.
DIREITO-CONSTITUCIONAL- II AULA 5

Pré-visualização | Página 1 de 1

CONSTITUCIONAL ll – AULA 5
CASO CONCRETO
No início do ano de 2017, o Estado do Espírito Santo viveu uma situação séria: familiares de PMs acamparam nas portas do batalhões impedindo que os policiais saíssem dos quartéis para trabalhar. Impedidos, por lei, de fazer greve, os familiares ( a maioria esposas ) dos PMs do Estado assumiram um inusitado protagonismo na reivindicação por melhores salários para a categoria. A falta de policiamento nas ruas levou a uma onda de saques, homicídios em vários pontos da cidade e a um sentimento de insegurança generalizada, especialmente em Vitória, capital do Estado.
Veja a notícia abaixo: (Disponível em: http://g1.globo.com/espirito-santo/noticia/2017/02/governo-do-es-transfere-controle-daseguranca-forcas-amadas.html)
Espírito Santo: GOVERNO DO ESPÍRITO SANTO TRANSFERE CONTROLE DA SEGURANÇA ÀS FORÇAS ARMADAS. Decreto foi publicado no 'Diário Oficial' do estado nesta quarta-feira . Sem PMs, Exército e Força Nacional fazem o patrulhamento nas ruas. O governo do Espírito Santo publicou um decreto no "Diário Oficial" desta quarta-feira transferindo o controle da segurança pública no estado para as Forças Armadas. O responsável pela operação será o general de brigada Adilson Carlos Katibe, comandante da Força-Tarefa Conjunta que está no Estado. O decreto foi assinado pelo governador em exercício, César Colnago ,e pelo Secretário de Segurança Pública, André Garcia.
Analise criticamente esta situação com base nos temas estudados nesta aula.
R: Para evitar a intervenção federal, o governo do Estado de Espirito Santo transferiu o controle da segurança pública para as Forças Armadas. Observando a ameaça à ordem pública, a paz social por grave e iminente instabilidade institucional, preferiu recorrer à força nacional para evitar o Estado de Defesa, que neste caso se faria necessário.