Nota de aula 2 ÔÇô Medidas da produ+º+úo, renda e despesa de um pa+¡s
17 pág.

Nota de aula 2 ÔÇô Medidas da produ+º+úo, renda e despesa de um pa+¡s


DisciplinaFundamentos da Economia14.278 materiais174.176 seguidores
Pré-visualização3 páginas
1 
 
Universidade do Estado do Rio de Janeiro 
Faculdade de Ciências Econômicas 
Introdução à Economia II 
1º. semestre 2014 
 
Nota de aula 2 \u2013 Medidas da produção, renda e despesa de um país 
Honorio Kume 
1. Medida do PIB 
O interesse em medir a economia é antigo: Sir William Pretty (1623-1687) realizou um estudo 
detalhado sobre a terra e a riqueza na Irlanda. 
No entanto, a medição da economia como a efetuada hoje teve início após a II Guerra Mundial 
com os trabalhos de Simon Kuznets, nos Estados Unidos e Richard Stone, no Reino Unido. 
Ambos receberam o Prêmio Nobel por estes trabalhos. 
PIB de um país é a soma do valor de todos os bens e serviços produzidos em um determinado 
período neste país. 
Observações: 
i) somente entram no cálculo os bens e serviços produzidos no período considerado. No PIB de 
2013 são computados os bens e serviços produzidos entre 1 de janeiro e 31 de dezembro de 
2013; um bem produzido em 2012, mas vendido em 2013, não é computado no PIB de 2013; 
ii) os bens produzidos por uma empresa brasileira na Argentina não são computados no PIB do 
Brasil. O valor destes bens entram no cálculo do PIB argentino; 
iii) o PIB é medido em unidades monetárias, em reais no caso brasileiro. Isto por que não 
podemos somar bens heterogêneos, como, por exemplo, somar 3 pares de sapatos com 4 
latas de coca cola. Note que ao transformar 3 pares de sapatos em valor monetário 
multiplicando pelo preço de cada par, equivale a ponderar cada um pelo preço. Assim, para as 
mesmas quantidades de bens, aqueles que têm maiores preços contribuem mais para o PIB. 
2 
 
Lembrar também que no sistema de mercado, os preços tendem a refletir o custo e o valor dos 
bens e serviços produzidos; 
iv) para evitar o problema de dupla contagem não se computam os bens intermediários, mas 
somente os bens finais. Por exemplo, considere a produção de 5 pneus para automóveis e de 
um carro. No preço do carro já foi computado os 5 pneus que cada carro necessita. Se na 
medida do PIB fosse incluídos os valores dos 5 pneus e do carro, estaríamos somando o valor 
de 10 pneus. Para evitar esta repetição, os 5 pneus que são bens intermediários não devem 
ser computados. Note que o pneu nem sempre é um bem intermediário. Os pneus adquiridos 
por uma montadora de carros é um bem intermediário, mas os pneus comprados por um 
proprietário de carro para substituir os pneus que ficaram \u201ccarecas\u201d são bens finais. Portanto, 
no PIB são somados apenas os pneus produzidos e vendidos diretamente ao consumidor final. 
 
 
 
 
 
 
 
2. Formas de mensuração do PIB 
Três formas de medir o PIB que fornecem o mesmo resultado: 
i) somando os gastos; 
ii) somando a renda (salários, lucros, aluguéis, juros) auferida na produção de bens e serviços; 
e 
iii) somando o valor da produção de bens e serviços. 
 
Compras e vendas em site na internet: exemplos: Ebay, Mercado Livre 
Se você vende um notebook no site, o valor da transação deve ser incluído no PIB? 
Não, o valor do notebook deve ter sido registrado no PIB no ano em que foi produzido. 
O que deve ser incluído é o valor do serviço proporcionado pelo site. Por exemplo, se você 
paga uma taxa pela venda obtida, este valor deve ser contabilizado pois corresponde ao 
serviço utilizado. A empresa para funcionar precisa de trabalhadores e capital (máquinas e 
equipamentos). Portanto, a taxa de serviço é uma renumeração pelo uso destes fatores e o 
lucro, se houver, da atividade empresarial. 
3 
 
2.1 Ótica da despesa (gasto) 
Soma dos gastos efetuados pelos indivíduos (famílias), empresas e governo na compra de 
bens e serviços em um determinado período. 
Os gastos podem ser divididos em 4 componentes: consumo, investimento, governo e 
exportações líquidas. 
A tabela 1 apresenta a composição do PIB brasileiro em 2009. 
Tabela 1 \u2013 Componentes do PIB do Brasil \u2013 2009 
Componentes Valor em R$ bilhões % 
Consumo 1.980 61,1 
Investimento 578 17,8 
Governo 687 21,1 
Exportações líquidas - 6 - 0,2 
Gasto total = PIB 3.239 100,0 
 Fonte: Contas Nacionais, IBGE. Elaboração própria. 
 
a) consumo 
Registra os gastos de indivíduos (famílias) com a compra de bens e serviços. 
Exemplos: compra de um vestido no shopping, pagamento da viagem de ônibus. 
Em 2009, os gastos de consumo atingiram 61,1% do PIB. 
b) investimento 
Gastos com compras de bens e serviços finais pelas empresas e pelo governo com o objetivo 
de aumentar a capacidade produtiva. 
Exemplos: compra de um computador por uma empresa, aquisição de carros pela Polícia 
Federal. 
Investimento residencial: compra de casas e apartamentos novos pelas famílias. 
4 
 
Inclui também a variação no estoque (investimento em estoque): carros produzidos no período, 
mas que permaneceram nos pátios da montadora no mesmo período. 
Em 2009, os gastos com investimento alcançaram 17,8% do PIB. 
Nota: observar a diferença entre o conceito de investimento em economia e em linguagem 
popular. Em economia, investimento refere-se sempre a gastos para ampliação da capacidade 
produtiva. Por exemplo, quando uma empresa compra um novo equipamento, está fazendo um 
investimento. Na linguagem popular, investimento refere-se, por exemplo, a compra de ações 
de uma empresa na Bolsa de Valores. Neste caso, ocorre uma transferência de propriedade 
sem aumento na capacidade produtiva da empresa. 
iii) gastos do governo 
Despesas do governo nas três esferas: federal, estadual e municipal com a compra de bens e 
serviços e os gastos (pagamento de salários) para fornecer os bens e serviços prestados pelo 
governo. 
Não são incluídas nesta conta as despesas com aposentadoria e bolsa família. Estes gastos 
são considerados transferências de renda do governo. Observe que as famílias que recebem 
estas transferências de renda compram bens e serviços. Portanto, esta despesa já está 
contabilizada nos gastos de consumo. 
As compras do governo representaram 21,1% do PIB em 2009. 
iv) exportações líquidas 
Exportações líquidas = valor das exportações menos o valor das importações 
As exportações correspondem às compras de geralmente empresas residentes no exterior dos 
bens e serviços produzidos no país e deste valor devem ser deduzidas as importações. 
Quando registramos as compras de bens e serviços para fins de consumo ou investimento, 
inclui as compras de bens importados que evidentemente não foram produzidos no país. 
Em 2009, as exportações líquidas tiveram uma participação no PIB de \u2013 0,2%. O sinal negativo 
indicada que as vendas de bens e serviços ao exterior foram menores do que as compras. 
5 
 
A composição do PIB pode ser descrita em forma algébrica: 
Y = C + I + G + X 
onde 
Y = valor do PIB em reais; 
C = gasto em bens e serviços para fins de consumo final; 
I = gasto em bens e serviços para fins de investimento; 
G = gasto do governo com a compra de bens e serviços; e 
X = valor das exportações líquidas. 
2.2 Ótica da produção 
O valor do PIB é a soma do valor da produção, medido a preços sem impostos, de cada 
empresa ou setor da economia. 
A soma deve evitar o problema da \u201cdupla contagem\u201d. 
Considere uma economia indicada na tabela 2. 
Se fosse contabilizado o valor da produção de todas as firmas, o PIB alcançaria R$ 4.300 e 
cometeríamos o erro de dupla contagem: o café em grão e o café em pó estariam sendo 
contados duas vezes. 
Para evitar este erro, o PIB é medido pelo valor adicionado de cada empresa: 2.000 + 700 + 
300 = 3.000 reais. 
Note que este é o valor atingido se considerássemos apenas os bens finais. Neste exemplo, a 
produção de xícaras de café tem o valor de 3.000 reais. 
 
 
 
 
6 
 
Tabela