Nota de aula 2 ÔÇô Medidas da produ+º+úo, renda e despesa de um pa+¡s
17 pág.

Nota de aula 2 ÔÇô Medidas da produ+º+úo, renda e despesa de um pa+¡s


DisciplinaFundamentos da Economia14.312 materiais174.403 seguidores
Pré-visualização3 páginas
2 - Exemplo ilustrativo de uma economia 
Cafeteria \u201cBom café\u201d Valor da produção 
(R$) 
Valor adicionado 
(R$) 
1.000 xícaras de café ao 
preço unitário de 3 reais 
3.000 
1.200 
 100 quilos de café em pó ao 
preço unitário de 18 reais 
1.800 
Refinadora \u201cCafé Brasil\u201d 
100 quilos de café em pó ao 
preço unitário de 18 reais 
1.800 
1.300 
 100 quilos de café me grão 
ao preço unitário de 5 reais 
500 
Agricultor 
100 quilos de café me grão 
ao preço unitário de 5 reais 
500 500 
Total 4.300 3.000 
 Fonte: elaboração própria. 
 
A tabela 3 apresenta o PIB do Brasil em 2009, sob a ótica da produção, calculado pelo IBGE. 
Na rubrica valor dos impostos indiretos, incluem-se os tributos, tais como o Imposto sobre 
Produtos Industrializados (IPI), Impostos sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e 
Programa de Integração Social \u2013 Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social 
(PIS-COFINS); 
2.3 ótica da renda 
O valor do PIB é a renda gerada na produção de bens e serviços. 
 
 
 
 
7 
 
Tabela 3 \u2013 PIB do Brasil \u2013 ótica da produção \u2013 2009 
Descrição Valor em R$ bilhões 
Valor da produção 5.481 
Impostos indiretos sobre a produção e importação 448 
Subsídios indiretos à produção - 3 
Consumo intermediário - 2.686 
Total = PIB 3.239 
 Fonte: Contas Nacionais, IBGE. Elaboração própria. 
 
Considere a composição do valor adicionado de cada empresa do exemplo anterior. Suponha 
que a cafeteria \u201cBom café\u201d e a refinadora \u201cCafé Brasil\u201d têm cada uma um trabalhador que 
recebe 400. A tabela 4 ilustra a composição do valor adicionado. 
 
Tabela 4 \u2013 PIB pela ótica da renda 
Cafeteria \u201cBom café\u201d Valor bruto 
da produção 
(R$) 
Valor 
adicionado (VA) 
(R$) 
Composição VA 
(R$) 
1.000 xícaras de café ao 
preço unitário de 3 reais 
3.000 
1.200 
 
Lucro = 800 
100 quilos de café em pó ao 
preço unitário de 18 reais 
1.800 Salário = 400 
Refinadora \u201cCafé Brasil\u201d 
100 quilos de café em pó ao 
preço unitário de 18 reais 
1.800 
1.300 
 
 Lucro = 900 
100 quilos de café me grão ao 
preço unitário de 5 reais 
500 Salário = 400 
Agricultor 
100 quilos de café me grão 
ao preço unitário de 5 reais 
500 500 Lucro = 500 
Total 4.300 3.000 3.000 
Fonte: elaboração própria. 
8 
 
O PIB pela ótica da renda é igual ao lucro total de 2.200 (800 + 900 + 500) reais mais salário 
total de 800 (400 + 400) reais. 
Este exemplo é simplificado. Em uma economia real, quais seriam as rubricas dos fatores de 
produção? 
Renda do trabalho: salários, benefícios sociais (aposentadoria, plano de saúde, etc.); 
Renda do capital: lucros, renda dos autônomos, aluguéis, juros; 
Depreciação: valor do desgaste das fábricas e das máquinas e equipamentos ocorrido no 
período; 
Nota: IL \u2013 IB \u2013 DP 
IL = investimento líquido; 
IB = investimento bruto; e 
DP = depreciação. 
No cálculo do PIB pela ótica da despesa, considera-se o investimento bruto. 
Impostos indiretos: valor dos impostos indiretos, tais como o Imposto sobre Produtos 
Industrializados (IPI), Impostos sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), Programa 
de Integração Social \u2013 Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (PIS-COFINS) 
e impostos sobre as importações; 
Renda líquida enviada ao exterior: renda liquida do trabalho e do capital recebida por 
estrangeiros em atividade no país, corresponde à diferença entre a enviada e recebida do 
exterior. 
Por exemplo, o Conca, jogador de futebol de origem argentina no Fluminense, tem residência 
oficial na Argentina. O \u201ctrabalho\u201d gerado por este jogador no Brasil deve ser incluído no PIB 
brasileiro. Os salários e os benefícios recebidos por este jogador são contabilizados nesta 
rubrica com sinal positivo. 
9 
 
Agora, o Daniel Alves joga no Barcelona, Espanha. Logo, o \u201ctrabalho\u201d dele é incluído no PIB da 
Espanha. Os salários e os benefícios recebidos por este jogador e internalizados no Brasil são 
contabilizados nesta rubrica com sinal negativo. 
A tabela 5 apresenta o PIB do Brasil em 2009, sob a ótica da renda, calculado pelo IBGE. 
Tabela 5 \u2013 PIB do Brasil \u2013 ótica da renda \u2013 2009 
Descrição Valor em R$ bilhões 
1. Remuneração dos empregados 1.413 
1.1 Salários 1.114 
1.2 Contribuições sociais 299 
2. Rendimentos dos autônomos 260 
3. Excedente operacional bruto 1.076 
4. Impostos sobre a produção e importação 496 
5. Subsídios à produção - 6 
Renda = PIB 3.239 
 Fonte: Contas Nacionais, IBGE. Elaboração própria. 
 
Note algumas diferenças na nomenclatura e na apresentação dos componentes da renda 
efetuada pelo IBGE. 
i) a renda dos autônomos é mostrada separadamente; 
ii) o excedente operacional bruto inclui lucro, aluguéis e juros; 
iii) os impostos sobre a produção e importação incluem outros tributos que não incidem sobre 
produtos, tais como os incidentes sobre a folha de pagamento, as contribuições econômicas, o 
PIS/PASEP; e 
iv) não há distinção entre a renda dos proprietários de fatores (capital e trabalho) residentes no 
país e não residentes (estrangeiros). 
 
10 
 
3. Medindo poupança 
Poupança é uma medida da quantidade de recurso que o país dispõe para investimento, seja 
em seu próprio território, seja no exterior. 
Uma taxa de poupança, medida pela participação do valor da poupança na renda do país \u2013 
elevada é bom? 
Sim: 
\uf0dd poupança \uf0de \uf0dd investimento \uf0de \uf0dd capacidade de produção 
Uma baixa taxa de poupança \uf0de \uf0dd investimento? 
Não, se conseguir atrair poupança externa (empréstimos do exterior). 
Problema: empréstimos têm que ser pagos. 
3.1 Poupança individual 
Poupança = renda \u2013 impostos \u2013 consumo 
Renda líquida = renda \u2013 impostos 
Consumo > renda líquida? 
Sim, se conseguir empréstimos. 
3.2 Poupança nacional 
S = Y \u2013 C \u2013 G 
onde 
S = poupança; 
Y = renda; 
C = consumo; e 
G = gastos do governo. 
A poupança nacional tem dois componentes: poupança privada (SP) e poupança do governo 
(SG) 
11 
 
 SP = Y \u2013 T \u2013 C 
SG = T \u2013 G 
S = SP + SG = Y \u2013 C \u2013 G 
Em 2009, a poupança bruta atingiu R$ 515 bilhões correspondente a 15,9% da renda (PIB). 
4. Medindo o PIB real 
O PIB é utilizado para medir a produção de uma economia: \u2211 
Se entre dois anos, as quantidades permanecem constantes, mas os preços aumentam, o PIB 
nominal aumentará. Esta variação no PIB nominal não reflete adequadamente a mudança 
ocorrida na produção. 
Mais ainda, os preços tendem a aumentar anualmente ainda que em percentuais baixos. Logo, 
o PIB nominal deixa de refletir as mudanças na produção ao longo do tempo. 
4.1 Crescimento do PIB real entre 2 anos 
Suponha uma economia que produz 2 bens: arroz e feijão e queremos comparar o PIB real 
entre 2012 e 2013. As quantidades produzidas e os respectivos preços nestes anos é mostrada 
na tabela 7. 
Tabela 7 \u2013 Produção e preços: 2012 e 2013 
 2012 2013 
Bens Quantidade (kg) Preço (R$ por kg) Quantidade (kg) Preço (R$ por kg) 
Arroz 2.000 10 2.200 15 
Feijão 1.000 15 1.200 20 
 
Fonte: Ajustado de Taylor (2007), p. 178. 
Note na tabela 7 que, entre 2012 e 2013, a quantidade de arroz aumenta 10% e a quantidade 
de feijão aumenta 20%. No entanto, os preços se elevam muito mais devido a inflação. O preço 
do arroz tem um incremento de 50% e o do feijão 33,3%. 
12 
 
Cálculo do PIB nominal: 
PIB nominal em 2012 = 2.000*10 + 1.000*15 = 35.000 reais 
PIB nominal em 2013 = 2.200*15 + 1.200*20 = 57.000 reais 
O aumento do PIB nominal entre estes dois anos foi de 62,8%, uma variação muito maior do 
que o aumento nas quantidades produzidas de arroz e de feijão que atingiram, 
respectivamente,