FISIOLOGIA III 01 - Neurofisiologia - COMPLETA - MED RESUMOS 2011
82 pág.

FISIOLOGIA III 01 - Neurofisiologia - COMPLETA - MED RESUMOS 2011


DisciplinaFisiologia I24.376 materiais197.015 seguidores
Pré-visualização39 páginas
vez, ativa a enzima adenilato ciclase, que converte ATP em 
AMPc. O AMPc ativa canais iônicos por meio da PKA (fosforilando o canal iônico), iniciando, assim, uma despolarização.
Devemos ter em mente que toda subunidade alfa de uma proteína G é inativa quando ela está ligada ao GDP. 
Portanto, para que ela seja ativada, deve haver a quebra da ligação entre o GDP e a ligação subsequente a uma 
molécula de GTP livre no citoplasma.
OBS43: Existem certos tumores que são causados por mutações na subunidade alfa, fazendo com que esta perca a sua 
capacidade GTP-asica. Desse modo, a adenilato ciclase sempre estará ativada, e os níveis de AMPc sempre estarão 
altos, desencadeando assim, uma exacerbação da ativação da PKA, que tem como uma de suas funções a ativação da 
transcrição gênica. Cada vez que a célula tumoral se divide mais rapidamente, passando mais rapidamente pela fase S, 
ela passa a reparar erros inatos cada vez menos, atingindo, assim, um fenótipo neoplásico.
Arlindo Ugulino Netto \u2013 FISIOLOGIA III \u2013 MEDICINA P3 \u2013 2008.2
41
Via olfatória.
As pr‰prias c„lulas olfat‰rias representam os neurnios de 1 ordem da via olfat‰ria \u2013 sƒo neurnios bipolares 
localizados na mucosa olfat‰ria cujos prolongamentos perif„ricos sƒo muito pequenos e que apresentam os receptores 
da olfa†ƒo. Seus prolongamentos centrais agrupam-se em feixes que, em conjunto, formam o nervo olfatório.
Estes filamentos atravessam a lŠmina 
cribriforme do osso etm‰ide e fazem sinapse
com as chamadas c„lulas glomerulares mitrais 
(neurnios de 2 ordem), localizadas no bulbo 
olfat‰rio (formando o glom„rulo olfat‰rio). Os 
axnios destas c„lulas mitrais seguem pelo 
tracto olfat‰rio e ganham as estrias olfat‰rias 
laterais e mediais.
Admite-se que os impulsos olfat‰rios 
conscientes seguem pela estrita olfat‰ria lateral 
e terminam na ‚rea cortical de proje†ƒo para a 
sensibilidade olfat‰ria, situada na parte anterior 
do €ncos e do giro para-hipocampal (mais 
especificamente, nas ‚reas pr„-piriforme e 
peri-amigdal‰ide), relacionando-se com a 
no†ƒo consciente da olfa†ƒo. As fibras da 
estria olfat‰ria medial incorporam-se ‡ 
comissura anterior, ‚rea septal e ‚reas 
pr‰ximas ao corpo amigdal‰ide (integrante do 
sistema lmbico, relacionado com a emo†ƒo), 
estando este componente mais relacionado
com o princpio emotivo e prazeroso do 
estmulo olfat‰rio.
GUSTAÇÃO (PALADAR)
Estima-se que existam mais de 10.000 brotamentos gustativos na lngua. Os brotamentos gustativos sƒo 
encontrados nas papilas na mucosa da lngua. As papilas podem ser de trŽs tipos: folhadas, fungiformes e 
circunvaladas; mas apenas as papilas fungiformes e circunvaladas contŽm brotamentos gustativos.
O brotamento gustativo apresenta uma extremidade dendrtica (que representa um axnio que seguir‚ por algum 
nervo craniano que, dependendo da regiƒo da lngua, pode ser o facial, glossofarngeo ou vago) e outra extremidade 
receptora. Cada brotamento gustativo „ formado por trŽs tipos b‚sicos de c„lulas:
\uf0fc C„lulas de suporte: que isolam o receptor.
\uf0fc C„lula basal: de alto ndice mit‰tico.
\uf0fc C„lulas gustativas: respons‚veis pelo sabor.
Quando a substŠncia qumica se liga ao seu 
receptor, h‚ um desencadeamento nervoso que, por 
meio de componentes sensitivos de alguns nervos 
cranianos, leva o impulso at„ o c‰rtex para que seja 
interpretada a sensa†ƒo gustativa.
O ser humano „ capaz de distinguir quatro tipos 
b‚sicos de sensa†…es de sabor: doce (a†€car, sacarina, 
‚lcool e alguns amino‚cidos); salgado (ons met‚licos);
‚cido (ons de hidrogŽnio); e amargo (alcal‰ides como 
nicotina). Qualquer que seja a sensa†ƒo, ou seja, 
qualquer que seja a partcula gustativa, ela deve se ligar 
a um receptor especfico de um brotamento gustativo, 
para aumentar os nveis de AMPc, favorecendo a 
abertura de canais inicos, gera†ƒo de uma 
despolariza†ƒo e cria†ƒo de um impulso nervoso.
Fisiologia do sabor.
Para que uma substŠncia possa ser sentida como sabor, ela deve ser 
dissolvida na saliva e deve interagir com as termina†…es gustativas. A liga†ƒo de 
uma substŠncia qumica despolariza a membrana do receptor gustativo, que conduz 
a libera†ƒo do neurotransmissor e desencadeia um potencial de a†ƒo, gerando um 
impulso nervoso que viaja at„ o c‰rtex cerebral especfico.
Arlindo Ugulino Netto \u2013 FISIOLOGIA III \u2013 MEDICINA P3 \u2013 2008.2
42
Transdução do sinal gustatório.
O estímulo do sabor é convertido em impulso nervoso, basicamente, por meio dos seguintes mecanismos:
influxo de Na+ para os sabores salgados; ligação de íons H+ aos receptores e fechamento dos canais de potássio para 
os sabores ácidos; a capacidade da gustaducina em aumentar AMPc para os sabores doces e de diminuer AMPc para 
os sabores amargos. Desta forma, temos:
\uf0b7 Salgado: o Na+ entra normalmente, levando a uma despolarização da membrana.
\uf0b7 Ácido: o H+ entra normalmente na célula gustativa, levando a uma despolarização da membrana.
\uf0b7 Amargo: nas terminações nervosas da sensação amarga há a presença da gustaducina, enzima que ativa uma 
fosfodiesterase, que destrói o AMPc no momento em que a partícula de caráter amargo se liga ao seu receptor. 
Com a destruição do AMPc, ocorre o fechamento dos canais de K+, que leva a uma despolarização e a geração 
de um impulso elétrico.
\uf0b7 Doce: a gustaducina relacionada a partículas de caráter doce aumenta os níveis de AMPc, abrindo-se os canais 
iônicos de uma maneira diferente da do sabor amargo, a partir do momento que a partícula se liga ao seu 
receptor.
Via gustativa.
Em resumo, os pares VII, IX e X cranianos (a depender da região da 
língua) levam impulsos dos brotamentos gustativos até o núcleo do tracto 
solitário no bulbo. Estes impulsos trafegam para o tálamo e, deste, para o 
córtex gustativo (onde ocorre a interpretação do sabor) e para o hipotálamo e 
sistema límbico (onde ocorre a apreciação emotiva do sabor).
Minuciosamente, os impulsos gustatórios oriundos dos dois terços 
anteriores da língua passam primeiramente pelo nervo lingual e, através do 
nervo da corda do tímpano, chega ao nervo facial (VII) e, finalmente para o 
núcleo do tracto solitário no tronco encefálico. As sensações gustatórias 
oriundas das papilas circunvaladas, na parte posterior da língua e outras 
posteriores da boca, são transportadas pelo nervo glossofaríngeo também 
para o tracto solitário. Finalmente, alguns sinais gustatórios são transmitidos 
para o tracto solitário a partir da base da língua e de outras partes da região
faríngea pelo nervo vago.
Todas as fibras gustatórias fazem sinapse nos núcleos do tracto 
solitário e enviam neurônios de segunda ordem para uma área pequena do 
núcleo medial posterior ventral do tálamo, localizado medialmente ao lemnisco 
medial (que traz informações táteis e proprioceptivas da medula). A partir do 
tálamo, neurônios de terceira ordem são transmitidos para a ponta inferior do 
giro pós-central no córtex parietal e do interior da área opérculo-insular. Esta 
situa-se ligeiramente lateral, ventral e rostral à área da língua.
Arlindo Ugulino Netto \u2013 FISIOLOGIA III \u2013 MEDICINA P3 \u2013 2008.2
43
NEUROFISIOLOGIA MOTORA
O sistema nervoso somático, além de seu componente 
sensitivo, apresenta um fundamental componente motor, que tem 
como funções básicas a locomoção (movimento), manutenção da 
postura, equilíbrio e comunicação. É através do sistema motor 
somático que se faz possível estabelecer ações e respostas aos 
estímulos sensitivos, garantindo ao indivíduo uma eficaz 
interação com o meio em que ele vive.
Quanto aos tipos de movimento, podemos destacar:
\uf0b7 Movimentos voluntários: são ações complexas, 
propositais, conscientes e, na maioria das vezes, com 
objetivo pré-definido. Por exemplo: ler, escrever, mover 
um membro, tocar piano, etc. Tais ações são aprendidas 
e melhoram com a prática.
\uf0b7 Movimentos involuntários ou reflexos: são ações