brasil e china multipolaridade
489 pág.

brasil e china multipolaridade


DisciplinaGeopolítica do Espaço Mundial5 materiais78 seguidores
Pré-visualização50 páginas
entre
nossos dois países. A partir daquele momento, foram realizadas cinco sessões
de trabalho alternativamente na China e no Brasil que promoveram a
cooperação tecnológica e econômica na área de energia hidroelétrica e afins,
como se segue:
· A primeira reunião do grupo de trabalho aconteceu em Pequim, na
China, em maio de 1995; nessa reunião as partes chegaram a um
acordo mútuo de princípios com relação à identificação de áreas de
cooperação, aos métodos de trabalho e à elaboração de um plano de
trabalho.
· A segunda reunião do grupo de trabalho foi realizada no Rio de
Janeiro, Brasil, de 5 a 17 de dezembro de 1994. Dando
prosseguimento ao acordo de princípios estabelecido, foram
formados quatro sub-grupos profissionais, incluindo desenho,
construção e operação de energia hidroelétrica e desenvolvimento
de redes elétricas foram formados; o plano e programa de trabalho
foram também elaborados.
· De 21 de maio a 1º de junho de 1995, a terceira reunião do grupo de
trabalho foi realizada em Pequim e Guangzhou, na China. Foram
então definidos o alcance do trabalho e do plano de trabalho, além
dos pontos de foco para os sub-grupos profissionais. Na mesma
180
ocasião, ambas as partes assinaram um Acordo de Cooperação em
Tecnologia de Rede Elétrica entre o Instituto de Pesquisa de Energia
Elétrica da China e a companhia COPEL do Brasil
· Em 1995 e 1996, a quarta e a quinta sessões foram realizadas
sucessivamente pelas partes, que aprofundaram as discussões sobre
questões significativas relacionadas ao desenvolvimento da
cooperação sino-brasileira em projetos hidroelétricos.
Tendo em vista o que foi mencionado acima, parece correto concluir
que nosso grupo de trabalho conjunto trabalhou de uma maneira séria e eficaz,
criando assim condições favoráveis para ampliar a cooperação futura.
2.3 Participação da companhia de engenharia brasileira no projeto
de energia hidroelétrica chinês TSQ 1.
Em 1994, a licitação C3 para um contrato no valor de 7,6 bilhões de
yens e 1,28 bilhões de RMB yuan, cobrindo a obra de construção civil e de
levantamento de estrutura de aço para a barragem de enrocamento recoberta
com concreto e vertedouro, para a primeira fase do projeto da usina
hidroelétrica de Tianshengqiao (TSQ1) foi ganha por um consórcio do tipo
joint venture formado pela companhia de engenharia brasileira MJ e pela
companhia chinesa Jiangnan. Segundo as atribuições de responsabilidade,
a companhia brasileira MJ, como responsável pela parte técnica está
encarregada da construção de tecnologia e supervisão da qualidade. No
decorrer dos últimos cinco anos, os membros do consórcio sino-brasileiro
trabalharam juntos, de maneira eficaz e frutífera na implementação do
contrato C3. Realizaram com sucesso as várias tarefas de engenharia nos
principais estágios críticos de acordo com as exigências do contrato e
ganharam uma excelente reputação graças à forma como satisfizeram as
exigências de qualidade na construção e especificações técnicas. A unidade
1 do projeto TSQ 1 começou a funcionar no final de 1998 e a expectativa é
que a construção da barragem e vertedouro esteja totalmente terminada na
metade do ano 2000.
2.4 Cooperação em serviços de consultoria a respeito da escolha do
tipo de barragem para o Projeto da Hidroelétrica Qingjiang Shuibuya
em Hubei, China
Em 1996, sob a coordenação do grupo de trabalho sino-brasileiro
para cooperação em energia hidroelétrica, a Companhia Qingjiang para
181
Desenvolvimento de energia hidroelétrica de Hubei, China e a COPEL do
Brasil assinaram um acordo para a cooperação a respeito da escolha do
tipo de barragem para o Projeto da Hidroelétrica Qingjiang Shuibuya com
uma barragem de 232 m de altura. De acordo com a recomendação feita
pelo consultor brasileiro, o sócio chinês mudou o tipo de barragem
recomendado originalmente fazendo com que a parede principal da barragem
de enrocamento fosse revestida com uma camada de concreto, o que
resultará em uma economia significativa no custo. O governo chinês já
examinou e aprovou oficialmente esse esquema técnico com base na técnica
do revestimento de concreto. No momento, estamos nos esforçando para
dar início à construção do projeto da hidroelétrica de Shuibuya em 2001. A
Companhia Qingjiang para o Desenvolvimento de Energia Hidroelétrica de
Hubei, China, expressou recentemente sua intenção de convidar a COPEL
uma vez mais como sua consultora, durante o trabalho de engenharia da
construção.
2.5. Fornecimento de equipamento para os turbogeradores da
Hidroelétrica Três Gargantas por fornecedores brasileiros de São
Paulo
Na licitação internacional em busca de equipamento turbogerador
para hidroelétricas para a fase um do projeto de Três Gargantas, os
fabricantes brasileiros de unidades de turbogerador para hidroenergia
receberam um pedido para o fornecimento de um equipamento de 14
unidades, no valor total de US$ 55,177 milhões, através de sua
participação respectiva em dois consórcios internacionais, VGS e ABB-
ALSTOM. O BNDES disponibilizou uma quantia em crédito para
exportação equivalente a essa quantidade de equipamento fornecido.
Até o momento, a cooperação no projeto de Três Gargantas tornou-se o
programa mais significativo de iniciativas conjuntas na área de energia
elétrica entre nossos dois países.
3. Diretrizes para o futuro desenvolvimento da indústria de energia
elétrica chinesa.
Para a China, os primeiros cinco anos e os primeiros quinze anos
do século XXI podem ser períodos de grande importância, não só pelo
fato de que o país está entrando em uma nova era, mas também porque
tanto o plano qüinqüenal e a projeção a longo termo de 15 anos estarão
182
sendo implementadas neste novo século. A indústria de energia elétrica
da China enfrentará um número de questões importantes na tentativa de
contribuir mais eficazmente para o desenvolvimento econômico nacional
de uma forma sustentável, rápida e saudável. Essas questões estão
principalmente relacionadas com à adaptação da indústria de energia
elétrica às mudanças no ambiente macroscópico, na própria China e no
exterior, o que envolve o estabelecimento e o aperfeiçoamento do sistema
socialista de economia de mercado e do sistema empresarial moderno, a
otimização da estrutura de energia elétrica para que possa ser executada
a estratégia de desenvolvimento sustentável, bem assim como a
finalização da terceira fase da reforma da indústria de energia elétrica.
Nos primeiros anos do século XXI, as seguintes diretrizes básicas e
princípios para o desenvolvimento da indústria de energia elétrica chinesa
foram elaboradas:
· Expansão do mercado de energia elétrica
· Ajuste da distribuição de energia elétrica
· Otimização da estrutura de energia elétrica
· Implementação da modernização da indústria de energia elétrica
· Garantia de segurança no fornecimento
· Busca de reduções tarifárias
· Realização do desenvolvimento sustentável
Sob as diretrizes mencionadas acima, continuaremos a
implementar a política que exige esforços imensos a serem aplicados no
desenvolvimento da hidroeletricidade; a construção de usinas térmicas
deverá ser otimizada; a expansão da capacidade de energia nuclear até
um limite adequado também deverá ser realizada; novos tipos de energia
renovável para a geração de eletricidade deverão ser recomendados,
sempre de acordo com as condições locais; sera dada prioridade será
dada à construção do sistema de rede elétrica; a ainda, afirma-se a
necessidade de dar a mesma atenção ao desenvolvimento e à
conservação, para garantir a realização do objetivo de otimização de
recursos em todo o país.
3.1. Prioridade para a construção do sistema de rede elétrica,
aceleração da construção e da renovação dos sistemas de distribuição
183
urbana e rural, promoção da interligação da eletricidade inter-regional
para garantir a otimização de recursos em todo o país.