Explique como era tratada a doença na antiguidade
3 pág.

Explique como era tratada a doença na antiguidade


DisciplinaHistória da Enfermagem2.199 materiais81.344 seguidores
Pré-visualização1 página
Explique como era as práticas de saúde na antiguidade:
	As doenças eram tratadas em modelos diferentes, mas que se complementavam;
Modelo mágico-religioso ou xamanístico
Os povos da época acreditavam que as doenças eram derivadas de elementos naturais e de espíritos sobrenaturais. O adoecer era concebido como resultante de transgressões de natureza individual e coletiva, sendo requeridos, para reatar o enlace com as divindades, processos liderados pelos sacerdotes, feiticeiros ou xamãs 
Origem: Antiguidade
Concepção de Doença: gerada por causas sobrenaturais. 
A pessoa ou a comunidade transgrediu uma lei divina.
Concepção de Saúde: \u201cfazer as pazes\u201d com as divindades.
O cuidado é liderado por Sacerdotes ou Xamãs, que têm proximidade com as divindades.
Modelo holístico
A saúde era entendida como o equilíbrio entre os elementos e humores que compõem o organismo humano. Um desequilíbrio desses elementos permitiria o aparecimento da doença.
De acordo com tal visão, o cuidado deveria compreender o ajuste necessário para a obtenção do equilíbrio do corpo com o ambiente, corpo este tido como uma totalidade. Cuidado, em última instância, significa a busca pela saúde que, nesse caso, está relacionada à busca do equilíbrio do corpo com os elementos internos e externos.
Origem no Modelo Holístico da Antiguidade. A Medicina iniciou-se no Século V a. C.
Concepções Orientais de equilíbrio e desequilíbrio.
Concepção de Doença: Desequilíbrio desses elementos internos e externos (astros, clima, insetos).
Concepção de Saúde: Equilíbrio entre os elementos.
Cuidado: ocorre através do ajuste dos elementos para que o equilíbrio seja restabelecido.
Modelo empírico-racional (hipocrático)
Hipócrates foi o grande responsável por esta visão que construiu teorias que fossem além do modelo sobrenatural da explicação dos eventos. 
Criou a teoria dos Humores Corporais que associava a saúde e a doença a quatro humores (sangue, fleugma, bílis amarela e bílis negra).
Concepção de Doença: desequilíbrio dos humores (Discrasia).
Concepção de Saúde: equilíbrio dos humores (Eucrasia)
Cuidado: explicação racional de desequilíbrio com ações para reestabelecer o equilíbrio dos humores.
Apesar de acharmos este modelo nos dias de hoje sem sentido, a contribuição de Hipócrates foi importante, pois ele queria causas concretas para saúde e doença, não se contentado com as explicações místicas de sua época. Parece com a origem da ciência por isso é considerado por muitos o pai da Medicina.
Modelo da Medicina Científica Ocidental (Biomédico):
Período: origem século XVI (Renascimento e Método de Descartes)
Concepção de Doença: é um desajuste na adaptação do organismo físico, como um defeito no corpo humano, visto como máquina. 
Concepção de Saúde: funcionamento adequado do corpo.
Cuidado: centrado na figura de um mecânico, que conserta a máquina, através do estudo das pequenas partes que a compõem. A pessoa adoecida é um paciente, ou seja, é passivo no processo de cura e adoecimento.
Conceito Principal: há um ecossistema no processo saúde-doença de tal forma relacionados que a mudança de um elemento afeta todo o Sistema. Existem inúmeros fatores associados como, por exemplo, farores políticos, socioeconômicos, culturais, ambientais, etc.
Conceito de Doença: Desequilíbrio do sistema em busca de novo equilíbrio.
Conceito de Saúde: Equilíbrio complexo e dinâmico do sistema
Ao contrário do modelo Biomédico que olha para as partes, o modelo Sistêmico olha a totalidade. Desta forma, um serviço de saúde deve contemplar um conjunto de ações, identificando interações dos determinantes das doenças.
Modelo da História Natural das Doenças (Modelo Processual dos fenômenos patológicos)
Origem: 1976 por Leavell e Clark. 
Conceito Principal: há uma regularidade do processo saúde-doença e desta forma podemos prevenir e controlar as doenças. A saúde e doença são um processo.
O cuidado pode ter diferentes níveis de complexidade: promoção, prevenção, assistência, etc. Conhecendo a regularidade do processo, podemos agir antes do adoecimento e promover qualidade de vida.
Conceitue saúde segundo Organização Mundial de Saúde.
A "Organização Mundial de Saúde" (OMS) define a saúde como "um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não somente ausência de afecções e enfermidades".
A saúde passou, então, a ser mais um valor da comunidade que do indivíduo. É um direito fundamental da pessoa humana, que deve ser assegurado sem distinção de raça, de religião, ideologia política ou condição socioeconômica (Almeida Gouveia). A saúde não é um bem individual, de vez que nenhum indivíduo sentirá es se bem quando, em seu derredor, sofrem muitos e a comunidade reflita, em seu funcionamento, o sofrimento de muitos. A saúde é, portanto, um valor coletivo, um bem de todos, devendo cada um gozá-la individualmente, sem prejuízo de outrem e, solidariamente, com todos.
Diferencie a unicausalidade de multicausalidade
Com descobertas bacteriológicas no século XIX, no ano de 1848 tivemos uma medicina social, com descobertas bacteriológicas, conhecida por unicausalidade, relaciona-se com bacteriologia. Na atualidade, conhecemos uma multicausalidade, é uma necessidade de epidemiologia analítica, com inserção da psicologia e sociologia, existindo uma análise multivariada. Hipócrates disse: "Dos ares, das águas e dos lugares", Um conceito etiológico e multicausal.
O que era a teoria do miasma?
A teoria miasmática ou teoria miasmática das doenças foi uma teoria biológica formulada por Thomas Sydenham e Giovanni Maria Lancisi durante o século XVII. Segundo a teoria, as doenças teriam origem nos miasmas: o conjunto de odores fétidos provenientes de matéria orgânica em putrefacção nos solos e lençóis freáticos contaminados. Atualmente a teoria miasmática é considerada obsoleta, ao ser consensual e aceite a teoria microbiana.
Aluno: Matheus de O. Queiroz
1° semestre de Enfermagem
Turno: Manhã.