memorial projeto de prevenção
50 pág.

memorial projeto de prevenção


DisciplinaProjeto de Prevenção e Combate A Incendio121 materiais492 seguidores
Pré-visualização6 páginas
FACULDADES INTEGRADAS DO VALE DO IGUAÇU
ENGENHARIA CIVIL 
MAURÍCIO NOVAK
MEMORIAL DESCRITIVO E DE CÁLCULO DE PROJETO DE PREVENÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO.
UNIÃO DA VITÓRIA- PARANÁ 
2017
MAURÍCIO NOVAK
MEMORIAL DESCRITIVO E DE CÁLCULO DE PROJETO DE PREVENÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO.
Memorial descritivo e de cálculo submetido a Prof: Larissa Jagnez das Faculdades Integradas do Vale do Iguaçu-Uniguaçu, como requisito parcial para obtenção de nota parcial bimestral, na disciplina de Projetos Integradores III em março de 2017.
União da Vitória - Paraná
2017
1 DETERMINAÇÃO DOS PARÂMETROS PARA O PROJETO
DETERMINAÇÃO DAS ÁREAS PARA PROJETO.
Segundo o CÓDIGO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO \u2013 CSCIP, no artigo 21°:
Fonte: CSCIP (Código De Segurança Contra Incêndio e Pânico)
Dados da edificação:
- N° de pavimentos: 4.
- Área de um pavimento tipo: 1762,76 m².
- Área total das escadas enclausurada com os dutos: 248,00 + 178,4 +153,16 = 579,56 m².
- Área dos banheiros do térreo: 156,62 m².
- Área dos banheiros 2°, 3° e 4° : 276,06 m².
Portanto a área total a ser considerada no projeto será:
AT= 1762,76 x 4 \u2013 (156,62 + 276,06 + 579,56)
AT= 6038,8 m².
OBS: As áreas das salas de barriletes e da casa de máquinas nem foram medidas pois as mesmas não serão computadas, também não foram consideradas as áreas dos elevadores. Foi previsto mais adiante que as distâncias mínimas não seriam atendidas com isso projetou-se mais duas escadas enclausuradas, as quais já foram descontadas nos cálculos das áreas.
CÁLCULO DA ALTURA ÚTIL DA EDIFICAÇÃO
De acordo com o CSCIP- Código de Segurança Contra Incêndio e Pânico no seu artigo 19° a altura será determinada a partir:
Fonte: CSCIP (Código De Segurança Contra Incêndio e Pânico).
Portanto como a edificação possui dois reservatórios com barriletes, cabe ao projetista analisar se a altura dos mesmos serão computadas para os dimensionamentos. Como o item III do artigo 19° diz que para pavimentos superiores destinados exclusivamente a áticos, casas de máquinas, barriletes, reservatórios de água e assemelhados as alturas não serão computadas, as alturas tanto das casas de máquinas e barriletes não serão computados. Assim a altura da edificação fica definida por:
H= 3,15 + 3,15 + 3,15= 9,45 m
OBS: Todas as alturas foram consideradas de piso a piso, sendo que a altura total é calculada até o piso do último pavimento, como se fosse o pior caminho para uma pessoa percorrer até achar uma saída da edificação.
CLASSIFICAÇÃO DA EDIFICAÇÃO QUANTO A SUA ALTURA.
Através do item da tabela 2 do CSCIP pode-se calcular a edificação em de Baixa-Média Altura:
Fonte: CSCIP (Código De Segurança Contra Incêndio e Pânico).
Como a edificação em questão possui uma altura já calculada de 9,45m a mesma se encaixa no item III da tabela 2 (6,00 <H\u2264 12,00), portanto é classificada como de Baixa-Média Altura.
CLASSIFICAÇÃO DA EDIFICAÇÃO E ÁREA DE RISCO QUANTO À OCUPAÇÃO.
Através do anexo A (TABELAS DE CARGAS DE INCÊNDIO ESPECÍFICAS POR OCUPAÇÃO) da NPT014 norma do Corpo de Bombeiros do Paraná pode-se classificar a edificação quanto á sua ocupação:
Fonte: NPT014 (Cargas de incêndio nas edificações e áreas de risco).
Para a classificação detalhada das ocupações (Divisão), a NPT 014 recomenda consultar a Tabela 1 do Código de Segurança Contra Incêndio e Pânico do Corpo de Bombeiros da Polícia Militar do Paraná, que é dada por:
 Fonte: NPT014 (Cargas de incêndio nas edificações e áreas de risco).
	Como a edificação em questão trata-se de uma escola a mesma se encaixa na categoria E-1, e possui uma carga de incêndio de 300 Mj/m². A atividade principal será a escola, sendo que existirá algumas ocupações subsidiárias, como a sala de reuniões, descarga de materiais ou seja que dependem da ocupação principal, esta que é de fundamental importância para a sua concretização, sendo considerada parte integrante desta para a determinação dos parâmetros de proteção contra incêndio.
1.5 CARGA DE INCÊNDIO 
Como já citado a edificação foi classificada em E-1, a qual possuirá de acordo com a tabela já citada no item anterior uma carga de incêndio de 300 Mj/m².
 CLASSIFICAÇÃO QUANTO AO RISCO DA EDIFICAÇÃO:
Para a classificação da edificação quanto ao risco pode-se utilizar a tabela 3 do CSCIP (Código de Segurança Contra Incêndio e Pânico), onde através da carga de incêndio já definida pela ocupação da edificação, pode-se ser caracterizar em risco leve, moderado ou elevado.
Fonte: CSCIP.(Código de segurança contra Incêndio e Pânico).
Para a edificação abordada como a carga de incêndio é de 300 Mj/m², a mesma é classificada de risco leve.
EXIGÊNCIAS PARA O PROJETO.
Através da tabela 6E do CSCIP, pode-se determinar quais são as exigências para a edificação de acordo com sua ocupação e altura:
Fonte: CSCIP.(Código de segurança contra Incêndio e Pânico).
	Como já calculado a edificação possuirá uma área computável de 6109,3 m², e uma altura de 9,45 m, assim através destes parâmetros a mesma encaixa-se na coluna 3 (6 < H \u2264 12) da tabela, possuindo as seguintes exigências mínimas para projeto:
- Acesso de Viatura na edificação; 
- Segurança estrutural contra incêndio;
- Controle de Materiais de Acabamento;
- Saídas de Emergência;
- Brigada de incêndio;
- Iluminação de Emergência;
- Alarme de incêndio;
- Sinalização de emergência;
- Extintores;
- Hidrante e Mangotinho;
1.8 DISPOSIÇÃO DOS EXTINTORES.
	A norma do Corpo de bombeiros do Paraná que impõe parâmetros para o dimensionamento e disposição dos extintores é a NPT021. Para a distribuição e dimensionamento dos extintores foram obedecidos alguns critérios citados na mesma:
	-Aplica-se a todas as edificações e áreas de risco, com exceção de uso residencial unifamiliar, em conformidade com o disposto no CSCIP-CB/PMPR
-Os extintores portáteis devem ser distribuídos de tal forma que o operador não percorra distância maior do que a estabelecida na Tabela 1.
Fonte: NPT021 (Sistemas de Proteção por extintores de incêndio).
	Ainda quanto a distribuição dos extintores na edificação a NPT021 propõe os seguintes critérios:
-Caso não seja apresentado layout da edificação os valores constantes da tabela 1 sofrerão um decréscimo de 30%.
- Deve ser instalado, pelo menos, um extintor de incêndio a não mais de 5 m da entrada principal da edificação e das escadas nos demais pavimentos.
- Cada pavimento deve possuir, no mínimo, duas unidades extintoras, sendo uma para incêndio classe A e outra para incêndio classe B e C. É permitida a instalação de duas unidades extintoras iguais de pó ABC.
- O extintor de pó ABC poderá substituir qualquer tipo de extintor de classes específicas A, B e C dentro de uma edificação ou área de risco;
	A edificação analisada como já citado possuirá carga de incêndio de 300 MJ/m², a qual foi classificada em risco leve. Assim a distância máxima de caminhamento entre um extintor e outro será de 25 m.
	Em relação ao tipo de agente extintor foi levado em consideração a classe provável de incêndio no local analisado, sendo que em alguns lugares poderão ocorrer incêndio classe A e C, assim optou-se em colocar extintores de pó ABC o qual atende praticamente quase todas as classes de incêndio.
	Em questão ao caminhamento foi analisado o pior caso, ou seja o maior caminhamento possível até o extintor.
1.9 SINALIZAÇÃO DE EMERGÊNCIA.
A norma do corpo de bombeiros NPT 020, pode-se divide a sinalização de emergência em sinalização básica e sinalização complementar, sendo que a complementar não é obrigatório então optou-se em utilizar somente a sinalização básica, conforme segue:
A sinalização básica é o conjunto mínimo de sinalização que uma edificação deve apresentar, constituído por quatro categorias, de acordo com sua função:
Fonte: NPT 020 (Sinalização de