Didática   Temas 1 a 10 (PDF pesquisável)
14 pág.

Didática Temas 1 a 10 (PDF pesquisável)


DisciplinaDidática38.340 materiais744.861 seguidores
Pré-visualização6 páginas
Tema 01: Didática e Prática de Ensino: Reflexões Iniciais . 
 Ratio Studiorum, importante documento criado em 1599 que regulamenta o ensino nos colégios jesuítas, definia um 
programa de ensino diferenciado para os indígenas e para o homem branco. Entre as heranças marcantes desse 
processo, destaca-se: 
\u2022 A valorização dos conteúdos memorizados; e 
\u2022 Da cultura geral e erudita em detrimento da atividade prática. 
A educação é planejada em um nível macro, com leis nacionais, políticas públicas e também em níveis mais específicos 
e regionais, como nos estados, nos municípios e nas escolas. 
O objetivo da disciplina Didática e Prática de Ensino é esclarecer aos futuros professores o como fazer e por que fazer. 
A didática é um campo de conhecimento que organiza os saberes necessários para a organização do trabalho educativo. 
A Teoria de Piaget tem importância ímpar na educação, pois auxilia na organização do trabalho escolar a partir das 
definições sobre o estágio de desenvolvimento do ser humano. A teoria que desenvolveu foi denominada Epistemologia 
genética. 
Piaget definiu quatro estágios (ou períodos) de desenvolvimento mental: 
\u2022 Estágio sensório-motor (até 18 meses), 
\u2022 Estágio pré-operatório (até os 7 anos), 
\u2022 Estágio operacional (até os 11 ou 12 anos), e 
\u2022 Estágio das operações formais (esse é o estágio no qual o homem permanece por toda a vida). 
Segundo Piaget o indivíduo se desenvolve por meio de um processo constante de assimilação e acomodação, por meio 
do qual modifica sua estrutura mental. 
Segundo Piaget, o processo de assimilação de uma nova informação leva a um desequilíbrio nas estruturas mentais, ou 
seja, gera um estado de conflito que levará a uma acomodação dos conhecimentos. O processo resultante da assimilação 
e acomodação das novas informações incorporadas é denominado equilibração, pois o indivíduo precisa adaptar seus 
esquemas mentais às informações recentemente adquiridas. 
A escolarização é um processo sistemático de instrução dos indivíduos, processo este composto pela informação e difusão 
de saberes a respeito do ambiente, dos indivíduos e da sociedade. É na instituição escolar que se desenvolve um saber 
sistemático e organizado. 
A didática é uma área da Pedagogia que estuda as práticas de ensino e as relações de ensino-aprendizagem. 
A didática é importante porque instrumentaliza o professor para atividades práticas, relacionando a teoria com o 
cotidiano escolar. 
A Epistemologia Genética de Jean Piaget exerce grande influência na educação brasileira. As principais contribuições 
dessa teoria para a educação escolar são: saber como as crianças aprendem em cada fase do desenvolvimento e a 
importância da interação sujeito/objeto para aprendizagem. 
Quais são as características das quatro fases de desenvolvimento da Epistemologia Genética? 
\u2022 Primeira Fase: Sensório-motor (0 a 2 anos) \u2013 linguagem egocêntrica, a criança baseia-se em percepções sensoriais 
e esquemas motores para resolver seus problemas, ainda não consegue evocar os eventos sobre passado, 
presente e futuro, lida com o meio a partir de ações práticas por meio das quais constrói seus esquemas mentais. 
\u2022 Segunda Fase: Pré-operacional \u2013 inicia-se por volta dos 2 anos de idade. É marcada pela aprendizagem da 
linguagem, a partir da qual é possível criar esquemas mentais interiorizados (esquemas representativos ou 
simbólicos); a criança ainda tem um pensamento egocêntrico, caracterizado pelo animismo (atribui sentimentos 
humanos a coisas e animais), as ações mentais não são reversíveis, ou seja, a criança não é capaz de retornar ao 
ponto de partida. 
\u2022 Terceira Fase: Operatório-Concreto \u2013 inicia-se por volta dos 7 anos de idade. Pensamento lógico e objetivo, 
pensamento reversível e menos egocêntrico. A criança diferencia o real do fantástico. 
\u2022 Quarta Fase: Pensamento Abstrato \u2013 inicia-se por volta dos 12 anos de idade. A principal característica é o 
pensamento lógico-formal. A criança fica livre somente das operações sobre o mundo concreto e é capaz de 
abstrair. 
 
Tema 02: Teorias do Currículo . 
A escola é uma instituição social que tem uma função específica: sistematizar os conhecimentos desenvolvidos pela 
humanidade e mediá-los em relação a seus alunos. A escola é a instituição responsável pela sistematização dos 
conhecimentos acumulados. 
A Escola Nova foi, segundo Haydt, um movimento que objetivava quebrar os padrões tradicionais de ensino. As principais 
características desse sistema foram a influência da psicologia na educação e uma necessidade de renovação de técnicas, 
práticas e procedimentos de ensino. 
O conceito de currículo sempre envolve as ações de organização e seleção de conteúdos, assim como de experiências, 
habilidades e conceitos que são desenvolvidos na escola ou sob sua orientação. 
As Teorias Tradicionais de currículo enfatizam a temática ensino/aprendizagem, avaliação, metodologia, didática, 
organização, planejamento, eficiência, objetivos. 
A Teoria Tradicional do currículo define o que deve ser estudado e como deve ser organizado o conteúdo dentro da 
escola, sem a preocupação com o porquê se seleciona os conteúdos. 
As Teorias Tradicionais sofrem forte influência do modelo de racionalização taylorista, que prevê uma organização 
racionalizada e que poderá ser medida ao final do processo. 
Em contraposição às Teorias Tradicionais estão as Teorias Críticas e as Teorias Pós-Críticas do Currículo. Como define 
Silva (2003), tais teorias se preocupam com \u201co quê\u201d deve ser transmitido e \u201cpor que\u201d deve ser transmitido. 
As Teorias Críticas surgiram a partir da década de 1960, que foi um período de grande agitação e renovação social. Um 
de seus principais representantes foi Paulo Freire, com a Pedagogia do Oprimido. 
As principais críticas foram a respeito da reprodução das desigualdades sociais na escola, pois as escolas destinadas às 
classes trabalhadoras teriam a função de reproduzir desigualdades sociais, estruturando um currículo no qual a cultura 
dos dominantes era expressa como correta e superior. 
A grande contribuição de Paulo Freire no Brasil foi a de questionar o papel da educação como legitimadora do status 
quo. Em Pedagogia do Oprimido, ele reflete sobre a possibilidade de uma educação emancipadora, na qual os conteúdos 
escolares seriam mediados para o conhecimento do mundo e emancipação cultural. Paulo Freire fala sobre o processo 
de conscientização na educação, mas considera importante a transmissão dos conteúdos sistematizados. O ponto focal 
aqui, entretanto, é a forma como se chegará a essa sistematização. 
As Teorias Pós-Críticas, segundo Silva (2003), acrescentam às discussões sobre currículo temas atuais como: 
\u2022 Multiculturalismo, (é o reconhecimento das diferenças na formação da sociedade, ou seja, todos têm direitos iguais perante 
a lei, mas podem pertencer a grupos étnicos culturais diferenciados) 
\u2022 Identidade, 
\u2022 Alteridade, (é a noção de que cada indivíduo é único, diferente, e que isso se afirma em contato com o outro.) 
\u2022 Subjetividade, 
\u2022 Saber-poder, 
\u2022 Sexualidade, 
\u2022 Etnia, entre outros. 
Os estudos Pós-Críticos surgiram nos Estados Unidos, no meio universitário, como uma contestação ao conteúdo que era 
ensinado. Por exemplo, consideraram que a estética e a literatura que faziam parte do currículo representavam um grupo 
dominante formado por homens brancos. Assim, consideraram que os grupos sociais dominados deveriam ser 
representados em suas contribuições culturais. 
As atividades que ocorrem apenas uma vez no ano não contemplam a ideia de um currículo multicultural, pois sustentam 
a noção de tolerância e respeito. Os conteúdos referentes
Ale
Ale fez um comentário
A pedagogia é o estudo sistemático da educaçao
1 aprovações
Carregar mais