AD 1 DE HISTÓRIA E TURISMO
8 pág.

AD 1 DE HISTÓRIA E TURISMO

Disciplina:Ad 1 de História e Turismo2 materiais8 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Curso de Licenciatura em Turismo

História e Turismo

Coordenadora: Professora Valéria Guimarães
Tutor presencial: Wangles Silva

AD1 - 1º semestre 2015

http://www.historiaemperspectiva.com/2013/04/o-que-historia-qual-e-sua-finalidade.html

 Gizella Bourlier

 Turismo 1/2015

 15115100024

 UFRRJ/ SGO

SÍTIO ARQUEOLÓGICO

 Encontramos como definição na Wikipédia: “Sítio arqueológico, local arqueológico ou estação arqueológica é um local ou grupo de locais - cujas áreas e delimitações nem sempre se podem definir com precisão - onde ficaram preservados testemunhos e evidências de atividades do passado histórico, seja esse pré-histórico ou não”.

 Nestes locais vamos encontrar artefatos de trabalho e da vida cotidiana, restos de moradias, cidades, templos, cemitérios que nos vão “contar” sobre o passado de grupos humanos e civilizações do passado, seja ele pré-histórico ou mais recente.

 Através destes sítios arqueológicos se estuda a teoria da chegada do homem nas Américas que teria se dado há 30 mil anos atrás, mas foi com descobertas feitas em sítios arqueológicos brasileiros que esta teoria foi refutada.

 O Brasil detém a maior concentração de sítios pré-históricos das Américas, a maior parte deles localizados no estado do Piauí, local que foi transformado no Parque Nacional da Serra da Capivara, que é reconhecido pela UNESCO como Patrimônio Mundial da Humanidade. http://www.mundoeducacao.com/geografia/sitio-arqueologico-no-brasil.htm

SÍTIOS ARQUEOLÓGICOS BRASILEIROS

http://www.comciencia.br/reportagens/arqueologia/arq03.shtml

http://histoblogsu.blogspot.com.br/2010/04/sitios-arqueologicos-do-brasil-parte-i.html
 Todos os sítios arqueológicos são definidos e protegidos pela Lei nº 3.924/61, sendo considerados bens patrimoniais da União, tombados pelo Iphan – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. O tombamento de bens arqueológicos é feito, excepcionalmente, por interesse científico ou ambiental, impedindo que venham a ser descaracterizados ou destruídos. Atualmente, cerca de 20 mil sítios arqueológicos estão identificados pelo Iphan e as informações podem ser obtidas no Sistema de Gerenciamento do Patrimônio Arqueológico. http://www.brasil.gov.br/cultura/2014/07/conheca-os-bens-arqueologicos-tombados-no-brasil
 A importância de se preservar sítios arqueológicos não se concentra apenas nas descobertas de bens materiais (material cerâmico, sepultamentos, artefatos líticos, restos de ossos, etc), mas também no levantamento do contexto em que os mesmos foram identificados, possibilitando, reconstruir o ambiente e hábitos dentro de um espaço coletivo ocupado por povos do passado, nossos antepassados.
ALGUNS SÍTIOS ARQUEOLÓGICOS IMPORTANTES DO BRASIL
Parque Nacional da Serra da Capivara – PI
Parque Nacional de Canudos – BA
Região Arqueológica de Central - BA
Sambaquis, comuns no litoral brasileiro
Região amazônica – Ilha de Marajó, Amapá, Roraima e Acre

Sítio Arqueológico Lapa Vermelha
Sambaqui do Pindaí no Maranhão
Sítio Arqueológico Parque Nacional do Catimbau
Sítios arqueológicos de Santa Catarina
Sítio Arqueológico do Rio Ingá na Paraíba
Sambaqui em Cananéia – São Paulo
Sambaqui de Lapa da Cerca Grande – Minas Gerais
Sítios Arqueológicos da Chapada dos Guimarães
 Entre os 20 mil sítios arqueológicos do país somente seis são tombados: Sambaqui do Pindaí, em São Luís, no Maranhão; Parque Nacional da Serra da Capivara, em São Raimundo Nonato, no Piauí; Inscrições Pré-Históricas do Rio Ingá, no município de Ingá, na Paraíba; Sambaqui da Barra do Rio Itapitangui, em Cananéia, São Paulo; Lapa da Cerca Grande, em Matozinhos, Minas Gerais; e a Ilha do Campeche, em Florianópolis, Santa Catarina. - http://www.comciencia.br/reportagens/arqueologia/arq03.shtml
SÍTIOS ARQUEOLÓGICOS FLUMINENSES
Sítio arqueológico de Seropédica

Sítio arqueológico de Duque de Caxias

Sítio arqueológico de Silva Jardim

Sítio arqueológico de Casimiro de Abreu
Sítio arqueológico de Rio Bonito

Sítio arqueológico Itaboraí

Sambaqui Camboinhas - Niterói
Sambaqui Duna Pequena - Niterói
Sambaqui Duna Grande de Itaipu - Niterói
Sambaquis de Guaratiba

Sambaquis da Baía de Sepetiba

Sambaquis de Saquarema

Sambaqui de Rio das Ostras

Sambaquis do Recôncavo da Baía da Guanabara

SAMBAQUI DUNA GRANDE DE ITAIPU
 Sambaqui – São sítios arqueológicos situados em baías, praias ou na foz de grandes rios. O termo tem origem Tupi sendo a junção das palavras tamba (conchas, moluscos) e ki (amontoado) - http://www.infoescola.com/arqueologia/sambaqui/ .
 Sua origem é muito antiga e existem várias hipóteses para sua formação. Alguns acreditam que seriam acampamentos temporários, depósitos de restos de alimentos, sepulturas, mas não seriam moradias. Podem ter forma e tamanhos variados, sendo os mais frequentes os ovais e cônicos, podendo ser denominados pela população como concheiros, casqueiros, etc...Alguns podem chegar a medir 25 metros de altura.
 A região hoje chamada de Niterói desde épocas remotas foi povoada por povos coletores/caçadores/pescadores que deixaram como vestígios de sua passagem, os sambaquis. Na região oceânica existe uma enorme área denominada Duna Grande, com cerca de 20 metros de altura onde foram encontrados estes “restos amontoados” datados de 7 mil anos, sendo o mais antigo do litoral brasileiro. Foi reconhecida como Sítio Arqueológico na década de sessenta e tem sua proteção através do Iphan. Bem perto desta área se encontra o Museu de Arqueologia de Itaipu que expõe muitas peças encontradas na região.

http://oglobo.globo.com/rio/bairros/sitio-arqueologico-de-itaipu-sob-os-pes-do-desconhecimento-5827400

http://www.riofilmcommission.com/locacao/museu-de-arqueologia-de-itaipu
 Apesar de contar com o reconhecimento enquanto sítio arqueológico e com isso ter a proteção do Iphan, vemos que pouco é feito para sua preservação. Por se encontrar em uma área de praia muito frequentada a degradação é muito grande. Em várias reportagens vemos que a área apresenta frequentes transgressões, sendo por se tornar área de encontros amorosos, de usuários de drogas ou de passeios de quadriciclo - http://www.ofluminense.com.br/editorias/cidades/placas-identificam-sitio-arqueologico-situado-em-itaipu
 Outro fator preocupante quando o quesito é preservação é a grande especulação imobiliária que toda a cidade de Niterói vem sofrendo, em especial a região oceânica. Contamos com um vice-prefeito ligado à proteção ambiental, mas pouquíssimo tem sido feito para minimizar estes problemas. Áreas de restingas e manguezais já estão sofrendo os impactos ambientais devidos a construções desenfreadas. O sambaqui Duna Grande foi separado do sambaqui Duna Pequena na praia vizinha de Camboinhas pelo canal aberto pela construtora Veplan, que entre outras tem um “plano urbanístico” para área.
 Apesar de leis que protegem o Sambaqui da Duna Grande e outros na região, e estes constarem no catálogo turístico da cidade, pouco tenho visto de investimentos mais sólidos e objetivos do gestor municipal na preservação e uso racional deste bem tão valioso culturalmente que pode também render lucro para o município no quesito turismo. Na contramão de países sérios, onde esta área estaria cercada e com placas informativas, o que se vê é um descaso total!
 A área em questão conta com acesso fácil por carro e através de linhas de ônibus municipais e intermunicipais o que é um fator facilitador para o desenvolvimento de ações turísticas.

 Uma atitude que poderia